Click here to load reader

VANGUARDAS EUROPEIAS - Ismos

  • View
    467

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of VANGUARDAS EUROPEIAS - Ismos

VANGUARDAS ARTSTICAS EUROPEIAS - ISMOS Vanguardas: em termos artsticos, designa aqueles que preveem e anunciam o futuro, os novos tempos. Conjunto de tendncias que se opem s tendncias vigentes. Professora: Maria Cristina A. Biagio

ExpressionismoExpressionismoKasimir EdschmidMovimento bastante influenciado pela primeira Guerra Mundial. Os quadros impressionistas ressaltam o lado obscuro da humanidade, retratando faces marcadas pela angstia e pelo medo.

O grito (1893), de Edvard Munch; leo sobre carto.

ExpressionismoA boba (1917) uma tela de Anita Malfatti em que se sobressaem os elementos dramtico, emocional e, enquanto temtica, marginal.

ExpressionismoMaternidade, de Almada-Negreiros. A tendncia expressionista calcada no exagero atinge em cheio os modernistas portugueses.

ExpressionismoEm Crianas abandonadas, de Lasar Segall,visualiza-se o aspecto quase caricatural da realidade que a pintura expressionista traduz.

Expressionismo na literatura: valorizao do sensorial; linguagem fragmentada, elptica, constituda por frases nominais (basicamente aglomerao de substantivos e adjetivos), s vezes, at sem sujeito; despreocupao com a organizao do texto em estrofes, com o emprego de rimas ou de musicalidade; combate fome, inrcia e aos valores do mundo burgus.

Filippo Tommaso MarinettiNesta tela, o cubista Picabia faz ntida homenagem mquina, realando a tendncia futurista de valorizar os mecanismos que movem o mundo, em suas prprias palavras.Parada Amorosa , 1917, de Picabia

FuturismoFuturismo-

FuturismoAutomvel correndo, de Giacomo Balla.(1913)

Futurismo - uma literatura agressiva e provocadora.Caractersticas: destruio da sintaxe e a disposio das palavras em liberdade; a abolio dos adjetivos e dos advrbios; o emprego do substantivo duplo (burgus-burgus, burgus-nquel, mulher-golfo) em lugar do substantivo acompanhado de adjetivo; a abolio da pontuao, que seria substituda por sinais da matemtica (+) , (-) , (=) , () e pelos sinais musicais; a destruio do eu , isto , toda a psicologia; onomatopeias e imagens que incorporam o som das engrenagens da mquina; percepo por analogia.

FuturismoOde triunfal dolorosa luz das grandes lmpadas eltricas da fbrica Tenho febre e escrevo. Escrevo rangendo os dentes, fera para a beleza disto, Para a beleza disto totalmente desconhecida dos antigos. rodas, engrenagens, r-r-r-r-r-r eterno! Forte espasmo retido dos maquinismos em fria! Em fria fora e dentro de mim (...) (lvaro de Campos heternimo de Fernando Pessoa)

Cubismo

Les Demoiselles dAvignon (1907), de Pablo Picasso.

Carnaval em Madureira, Tarsila do Amaral.

CubismoToda a gente quer compreender a arte. Por que no tentam compreender as canes de um pssaro? [...] Pessoas que querem explicar telas normalmente ladram para a rvore errada. (Picasso) Mulher com flor, 1932, de Pablo Picasso

Cubismo na literatura: humor; Anti-intelectualismo; valorizao dos cinco sentidos; superposio de planos frases breves e rpidas cinematogrficas; ilogismo mais analgico que lgico.

CubismoPoeminha cinticoEra um homem bem vestido Foi beber no botequim Bebeu muito, bebeu tanto Que s a iu de l a s m. s i (Millr Fernandes)

Uma das maiores obras-primas do sculo XX. As figuras danam como gigantes entre a terra e o firmamento. Ao Cubismo que analisa racionalmente o objeto, Matisse contrape a intuio sinttica do todo.

HENRI MATISSE A dana, 1910 - leo sobre tela 260 x 390 cm Saint Petersburg, Hermitage Museum

Dance of Youth Picasso

Dadasmo A negao de todos os princpios e relaes - Tristan Tzara

Marcel Duchamp

Colagem-espelho, obra de Kurt Schwitters, de 1920.

Dadasmo na Literatura: agressividade, improvisao, desordem; rejeio a qualquer tipo de racionalizao e equilbrio; livre associao de palavras o acaso substitui a inspirao, a brincadeira substitui a seriedade; inveno de palavras com base na explorao da sonoridade.

SurrealismoNeste Rosto de Mae West podendo ser utilizado como apartamento surrealista, Salvador Dal apropria-se da tcnica de colagem dos dadastas, apresentando objetos deslocados de suas funes: os cabelos da atriz foram transformados em cortinas; os olhos, em quadros; o nariz, em aparador; os lbios, em poltrona.

SurrealismoCaractersticas na literatura: imagens onricas - extradas do sonho, do imaginrio; metforas surreais realidade e sonho se conjugam.O fascnio pelo inconsciente e por todas as formas que vo alm da realidade objetiva aproximam o surrealismo da teoria psicanaltica de Freud.Salvador Dal

Ren Magritte

Picasso tornou visvel o nosso sculo. Duchamp nos mostrou que todas as artes, sem incluir a dos olhos, nascem e terminam em uma zona invisvel. Questes: O que faz com que consideremos um objeto arte? Qual a importncia do gesto do artista na obra de arte?