VASOS DE PRESSÃO

  • Published on
    13-Jan-2016

  • View
    38

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

VASOS DE PRESSO. Welding Soldagem e Inspees Ltda Benedito Campanha. Objetivo. promover um debate e assim estabelecer uma nova viso para as inspees de acordo com a norma regulamentadora NR-13. Consideraes Iniciais. O que contempla a NR-13? Edio Segurana - PowerPoint PPT Presentation

Transcript

  • VASOS DE PRESSOWelding Soldagem e Inspees LtdaBenedito Campanha

  • Objetivo promover um debate e assim estabelecer uma nova viso para as inspees de acordo com a norma regulamentadora NR-13.

  • Consideraes IniciaisO que contempla a NR-13?EdioSeguranaPH (Profissional Habilitado)Suportada por uma ou mais normas de fabricao Histrico das inspeesComo eram feitasAtendimento NR-13 (documentao)Inspeo alm do vasoArquivo dos documentos

  • Consideraes IniciaisDificuldade da inspeo:LimpezaAcesso para inspeoReconstituio da documentaoDesenhos - Vasos fabricados ou modificadosDispositivos de segurana sem identificaoTempo para inspeoVaso com limite da vida til ultrapassadoDimensionamento da firma inspetora

  • Estratgia para resolver o problemaIdentificao de todos os vasosDefinir prioridades para inspeoElaborao da documentaoTreinamentoCoordenao

    Avaliao dos resultadosReparos que constitui risco grave e iminenteReparos programveisConsideraes Iniciais

  • Fabricao de vasos novos Responsabilidade do comprador Responsabilidade do fabricanteConsideraes Iniciais

  • Assuntos a serem abordadosVasos de Presso - Disposies GeraisEnquadramento do Vaso de PressoDocumentaoPlaca de IdentificaoDispositivos de SeguranaRisco Grave e IminenteInspeesData-bookDiscusso de Casos PrticosConcluso

  • A documentao que deve acompanhar os vasos de presso durante toda a sua vida til. Esta documentao compe o histrico do vaso de presso, cobrindo tanto o perodo anterior operao (projeto, fabricao e montagem), quanto o perodo em servio (ocorrncias operacionais, inspeo e manuteno). Este conjunto de informaes necessrio para a determinao os limites operacionais e a vida residual dos vasos de presso.Documentao1 - Vaso de Presso - Disposies Gerais

  • Neste captulo, citado a necessidade de se ter vista os medidores de temperatura, presso e nvel para facilitar a rpida verificao, sendo tambm necessria a presena de rotas de fuga, iluminao e ventilao adequadas, para que haja segurana para os operadores no campo.Instalao do Vaso de Presso1 - Vaso de Presso - Disposies Gerais

  • A segurana na operao dos vasos de presso tem seu captulo focado no uso de procedimentos escritos e na qualificao dos operadores.Segurana na Operao de Vaso de Presso1 - Vaso de Presso - Disposies Gerais

  • O objetivo garantir que qualquer reparo ou servio que venha a ser realizado tenha a sua qualidade garantida. Para tal, necessrio que seja implementado um Projeto de alterao ou reparo, que deve contemplar todos os procedimentos normativos para a execuo do servio.Segurana na Manuteno do Vaso de Presso1 - Vaso de Presso - Disposies Gerais

  • Define que os vasos de presso devem sofrer inspees de segurana inicial, peridicas e extraordinrias. As peridicas tm seu intervalo mximo, definidos em funo do risco de falha com base no produto PV e da classificao do fludo. Esta forma de classificar o risco leva em considerao somente os aspectos relacionados com a conseqncia de uma falha estrutural, o que torna a matriz da NR-13 esttica, isto , os equipamentos apresentaro o mesmo risco durante toda a vida.Inspeo de Segurana do Vaso de Presso1 - Vaso de Presso - Disposies Gerais

  • DISCUSSO:

    A NR-13 estabelece para os vasos de presso uma classificao que define os intervalos mximos entre inspees,se for realizada uma inspeo de melhor ou pior qualidade nos perodos determinados pela NR-13, no h um mecanismo na Norma que permite estabelecer diretamente se o risco aps a inspeo est ou no adequado para o vaso operar pelo tempo de campanha previsto.

    API 581 Inspeo baseada em risco

    INI Inspeo no intrusiva1 - Vaso de Presso - Disposies Gerais

  • O que a NR-13 considera como Vaso de Presso? Como enquadr-los?- Grupo potencial de risco- Classe do fluido2 - Enquadramento do Vaso de Presso

  • Por exemplo:2 - Enquadramento do Vaso de Presso

  • CLASSIFICAO DO FLUIDO DOS VASOS DE PRESSO

    1 -PARA EFEITO DESTA NR OS VASOS DE PRESSO SO CLASSIFICADOS EM CATEGORIAS SEGUNDO O TIPO DE FLUIDO E O POTENCIAL DE RISCO.

    1.1 Os fluidos contidos nos vasos de presso so classificados conforme descrito a seguir:CLASSE A:- Fluidos inflamveis - combustvel com temperatura superior ou igual a 200C;- Fluidos txicos com limite de tolerncia igual ou inferior a 20 ppm;- Hidrognio;- Acetileno.

    CLASSE "B:- Fluidos combustveis com temperatura inferior a 200C;- Fluidos txicos com limite de tolerncia superior a 20 ppm.

    CLASSE C: - Vapor de gua, gases asfixiantes simples ou ar comprimido.

    CLASSE D": -gua ou outros fluidos no enquadrados nas classes A, B ou "C", com temperatura superior a 50C.2 - Enquadramento do Vaso de Presso

  • Todo vaso de presso deve possuir, no estabelecimento onde estiver instalado, a seguinte documentao devidamente atualizada:

    a) Pronturio do Vaso de Presso;b) Registro de Segurana;c) Projeto de Instalao;d) Projetos de Alterao ou Reparo;e) Manual de Operao;f) Certificado de Treinamento dos Operadores;g) Relatrios de Inspeo.3 - Documentao

  • a) Pronturio do Vaso de Presso, a ser fornecido pelo fabricante, contendo as seguintes informaes:

    - cdigo de projeto e ano de edio;- especificao dos materiais;- procedimentos utilizados na fabricao, montagem e inspeo final e determinao da PMTA;- conjunto de desenhos e demais dados necessrios para o monitoramento da sua vida til;- caractersticas funcionais;- dados dos dispositivos do segurana;- ano de fabricao;- categoria do vaso.3 - Documentao (Pronturio)

  • a) todas as ocorrncias importantes capazes de influir nas condies de segurana dos vasos;

    b) as ocorrncias de inspeo de segurana.3 - Documentao (Registro de Segurana)

  • 3 - Documentao (Projeto de Instalao)O "Projeto de Instalao" deve conter pelo menos a planta baixa do estabelecimento, com o posicionamento e a categoria de cada vaso e das instalaes de segurana.

  • a) dispor de pelo menos duas saldas amplas, permanentemente desobstrudas e dispostas em direes distintas;

    b) dispor de acesso fcil e seguro para as atividades de manuteno, operao e inspeo, sendo que, para guarda-corpos vazados, os vos devem ter dimenses que impeam a queda de pessoas;

    c) dispor de ventilao permanente com entradas de ar que no possam ser bloqueadas;

    d) dispor de iluminao conforme normas oficiais vigentes;

    e) possuir sistema de iluminao de emergncia.

  • 13.7.4 - Constitui risco grave e iminente o no atendimento s seguintes alneas:- "a", "c", "e" para vasos instalados em ambientes confinados;- a para vasos instalados em ambientes abertos;- "e para vasos instalados em ambientes abertos e que operem noite.

  • Quando o estabelecimento no puder atender o disposto no item anterior, deve ser elaborado Projeto Alternativo de Instalao com medidas complementares de segurana que permitam a atenuao dos riscos.

  • Todo vaso de presso enquadrado nas categorias I e II deve possuir Manual de Operao de fcil acesso aos operadores.

    a) procedimentos de partidas e paradas;

    b) procedimentos e parmetros operacionais de rotina;

    e) procedimentos para situaes de emergncia;

    d) procedimentos gerais de segurana, sade e de preservao do meio ambiente.3 - Documentao (Manual de Operao)

  • Projetos de Alterao ou Reparo devem ser concebidos previamente nas seguintes situaes:

    a) sempre que as condies de projeto forem modificadas;b) sempre que forem realizados reparos que possam comprometer a segurana.

    Reparos ou alteraes que envolvam as especialidades de eletrecidade, eletrnicas ou qumica devero ser concebidos e assinados por profissionais legalmente habilitados.3 - Documentao (Projetos de Alterao e Reparo)

  • A operao de unidades que possuam vasos de presso de categoria "I" ou II deve ser efetuada por profissional com Treinamento de Segurana na Operao de Unidades de Processo", sendo que o no atendimento a esta exigncia caracteriza condio de risco grave e iminente.Todo profissional com "Treinamento de Segurana na Operao de Unidades de Processo", deve cumprir estgio prtico, supervisionado, na operao de vasos de presso com as seguintes duraes mnimas:

    a) 300 (trezentas) horas para vasos de categorias I" ou "II";b) 100 (cem) horas para vasos de categorias "III", "IV" ou "V"3 - Documentao (Certificado de Treinamento)

  • O Relatrio de inspeo deve conter no mnimo:3 - Documentao (Relatrio)a) identificao do vaso de presso;b) fluidos de servios e categoria do vaso de presso;c) tipo do vaso de presso;d) data de inicio e trmino da inspeo;e) tipo de inspeo executada;f) descrio dos exames e testes executados;g) resultado das inspees e intervenes executadas;h) concluses;i) recomendaes e providncias necessrias;j) data prevista para a prxima inspeo;k) nome legvel, assinatura e nmero do registro no conselho profissional do "Profissional Habilitado", nome legvel e assinatura de tcnicos que participaram da inspeo.

  • Placa de Identificao

  • As vlvulas de segurana dos vasos de presso devem ser desmontadas, inspecionadas e recalibradas por ocasio do exame interno peridico.

    Os servios previstos nesse item podero ser realizados pela remoo da vlvula e deslocamento para oficina ou no prprio local de instalao.5 - Dispositivos de Segurana

  • Conforme ASME VIII , Boiler & Pressure Vessel Code, Division 1, part UG-126, page 94:

    Todos os vasos de presso devem ser protegidos por uma vlvula de alvio de presso, que deve garantir que a presso no suba acima de 10% ou 3 psi da presso mxima de trabalho admissvel (PMTA).5 - Dispositivos de Segurana

  • O que risco grave e iminente?

    A falta de:

    a) vlvula ou outro dispositivo de segurana com presso de abertura ajustada em valor igual ou inferior a PMTA, in