Click here to load reader

Versão dos jornalistas 149

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Chegou da gráfica a edição 149 do Versão dos Jornalistas, publicação mensal do Sindicato Jornalistas do Rio Grande do Sul. O jornal traz matérias muito especiais: a terceira parte da série sobre a democratização da comunicação, os projetos da fotojornalista Dulce Helfer, o fechamento do acordo coletivo da categoria no Estado e a importância de a CUT-RS ter um jornalista comandando o seu setor de imprensa. Em breve, o Versão estará circulando nas redações, nas assessorias e nas ruas. Quem quiser, pode buscá-lo na entidade. Boa leitura!

Text of Versão dos jornalistas 149

  • Verso dos Jornalistas - Rio Grande do Sul - Outubro de 2015 1

    Verso Publicao do Sindicato dos Jornalistas Pro ssionais do RSRua dos Andradas, 1270/133 - CEP 90.020-008Ano 23 - N 149 - Outubro de 2015 - Porto Alegredos Jornalistaswww.jornalistas-rs.org.br

    Novos pisos salariais j esto valendo

    sindicato

    Pgina 7

    Projetos especiais so focos do trabalho de Dulce Helfer fora das redaes

    perfil

    Pgina 8

    Pginas 4 e 5

    entreVista

    Jornalista assume coordenao de imprensa da CUT-RS

    Pgina 3

    PARA DEMOCRATIZAR A COMUNICAO

    Entidades e sociedade se unem em projetos que pretendem divulgar a proposta de democratizao da mdia. ideia central proporcionar o debate ignorado pelos meios tradicionais.

    FOtO: RObiNSON EStRSuLAS/SiNDJORS

    FOtO: RObiNSON EStRSuLAS/SiNDJORS

  • Verso dos Jornalistas - Rio Grande do Sul - Outubro de 20152

    Verso dos Jornalistas uma publicao do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS). Rua dos Andradas, 1270/133 Centro Histrico Porto Alegre, RS CEP 90020-008Fones: (51) 3226-0664 - www.jornalistas-rs.org - [email protected]

    Edio: Jorge CorreaEdio executiva e reportagem: Bruna Fernanda SuptitzEdio de Fotografia: Robinson EstrsulasDiagramao: Lus Gustavo Schuwartsman Van OndheusdenImpresso: Grfica PioneiroTiragem: 3 mil exemplares

    Diretoria ExecutivaPresidente - Milton Simas1 Vice Presidente - Luiz Armando Vaz2 Vice Presidenta - Vera Daisy Barcellos1 Secretrio Ludwig Larr2 Secretria Mrcia de Lima Carvalho1 Tesoureiro Robinson Luiz Estrsulas2 Tesoureiro - Renato BohuschSuplentes - Jos Maria Rodrigues Nunes e Luiz Salvador Machado Tadeo

    Diretoria GeralCelso Antonio Sgorla, Fernando Marinho Tolio, Carlos Alberto Machado Goulart, Cludio Fachel Dias, Elson Semp Pedroso, Mauro Roberto Lopes Saraiva Junior, Lo Flores Vieira Nuez, Alan da Silva Bastos, Jeanice Dias Ramos, Jorge Luiz Correa da Silva, Mrcia Fernanda Peanha Martins, Ana Rita Marini, Clarissa Leite Colares, Neusa Nunes, Pedro Luiz da Silveira Osrio

    Conselho FiscalCelso Augusto Schrder, Jos Carlos de Oliveira Torves, Antonio Eurico Ziglioli Barcellos, Adroaldo Bauer Spindola Correa, Cludio Garcia Machado

    Comisso de ticaAntnio Silveira Goulart, Antnio Carlos Hohlfeldt, Carlos Henrique Esquivei Bastos, Cristiane Finger Costa, Flvio Antnio Camargo Porcello, Jos Antnio Dios Vieira da Cunha, Celestino Meneghini, Edelberto Behs, Sandra de Ftima Batista de Deus, Marcos Emilio Santurio, Moiss dos Santos Mendes

    Versodos Jornalistas

    Filiado:

    editorial

    Chega ao fim mais uma campanha de negociao coletiva dos jornalistas gachos. Com a homologa-o do acordo, os pisos e todos os demais salrios recebem o reajuste da inflao. Este foi um ano que, sob a justificativa da crise econmica pela qual o pas est passando, grande parte das empresas fe-charam seus acordos com a categoria sem conceder aumento real, tendo alguns casos que sequer atingi-ram o INPC. O Sindicato dos Jornalistas Profissio-nais do Rio Grande do Sul considera importante a manuteno do reajuste de acordo com o INPC na data base da categoria.

    Na edio deste ms, apresentamos uma ma-tria sobre a democratizao dos meios de comu-nicao, a ltima reportagem da srie que falou

    sobre a distribuio e renovao de concesses pblicas, o conceito de oligoplio no setor da m-dia e como sua aplicao no Brasil foge aos prin-cpios constitucionais.

    Levantar o debate sobre uma mdia democrtica e levar a informao aos diferentes grupos sociais tambm papel das entidades de classe, que repre-sentam os trabalhadores da comunicao e enten-dem que a pluralidade na produo de contedo fundamental na busca por igualdade.

    Nesta perspectiva, comemoramos que a diretoria de comunicao da CUT-RS esteja agora sob res-ponsabilidade de um jornalista, parceiro da nossa entidade na garantia da manuteno dos direitos dos trabalhadores.

    Alm disso, a entidade tem participado ativa-mente de um dos eventos culturais mais importan-tes do Estado, a Feira do Livro de Porto Alegre. o caso do grupo que participou da Oficina de Criao Literria, responsvel pela edio de um livro de contos. Tambm na campo cultural, promovemos o debate com o escritor cubano Raul Antonio Capote Fernndez e apoiamos o lanamento do documen-trio sobre a luta armada contra a ditadura civil--militar no Brasil.

    Milton SimasPresidente do SINDJORS

    Negociao garante reposio do INPC

    pesquisaViolncia contra jornalistas

    Uma pesquisa sobre o controle edi-torial nas redaes brasileiras preten-de identificar o que pensam os jorna-listas sobre presses provenientes de interesses alheios ao bem-pblico.

    O questionrio est sendo aplicado em todo Brasil por meio de formulrio online at o dia 7 de dezembro de 2015. O roteiro annimo, composto de 50 per-guntas e pode ser respondido em aproxi-madamente 10 minutos. Todos os jorna-listas interessados podem participar.

    A pesquisa nacional vem sendo orga-nizada pelo grupo de pesquisa Comuni-cao e Democracia, do Departamento de Comunicao da Universidade Fede-ral do Paran (UFPR) e promovida pela Federao Nacional dos Jornalistas (FE-NAJ) e Sindicatos de Jornalistas.

    Questionrio avalia profisso FENAJ pede fim da impunidadeApenas uma em cada dez mor-

    tes de profissionais da comunica-o em todo mundo investigada, denuncia a Federao Nacional dos Jornalistas (FENAJ). Na ava-liao da entidade, isso faz com que a impunidade seja o verdadei-ro combustvel da violncia.

    Por isso, em 2 de novembro, Dia Mundial contra a Impunidade para os Crimes Contra Jornalis-tas, as entidades representativas da categoria, no Brasil e no mun-do, reivindicam apurao dos ca-sos de violncia contra os profis-sionais da comunicao e punio para os culpados.

    As agresses contra jornalis-tas so, na verdade, atentados s liberdades de expresso e de im-prensa. A segurana dos jornalis-tas fundamental para a garantia dessas liberdades, porque jorna-listas ameaados e amedrontados,

    assim como sem condies dignas de trabalho, ficam limitados na sua misso profissional de informar os cidados e cidads para que pos-sam exercer sua cidadania.

    s empresas de comunicao, reivindicamos que assumam sua parte de responsabilidade pela segurana dos jornalistas, adotan-do o protocolo de trabalho seguro que inclui, entre outras medidas, a criao de comisses de segu-rana por local de trabalho.

    Para a FENAJ, a segurana dos jornalistas e demais pro-fissionais da comunicao condio imprescindvel para a produo e veiculao das infor-maes de interesse pblico, em qualquer pas do mundo. Igual-mente, a investigao dos casos de violncia, com a identificao e punio dos culpados, uma necessidade imperiosa.

    Utilize o leitor de QR Code para acessar a

    pesquisa:

  • Verso dos Jornalistas - Rio Grande do Sul - Outubro de 2015 3

    sindicato

    Realizado entre os dias 1 e 3 de outu-bro, o XX Encontro Nacional de Jorna-listas em Assessoria de Imprensa (Enjai) reuniu mais de 300 pessoas, entre pro-fissionais e estudantes de todo o Brasil. Fortaleza, capital do Cear, foi o lugar escolhido para receber os debates e ofi-cinas sobre a profisso, norteados pelo tema A credibilidade da informao jor-nalstica na era da comunicao digital.

    O Rio Grande do Sul esteve repre-sentado por uma comitiva formada pelo presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RS (SINDJORS), Mil-

    ton Simas, quatro delegados e um ob-servador, alm de dois diretores gachos que compem a executiva da Federao Nacional dos Jornalistas (FENAJ).

    As teses apresentadas pelo SIND-JORS, sendo uma aditiva tese-guia da Fenaj e outra avulsa, foram aprova-das por unanimidade na plenria final do Enjai. No ltimo dia do encontro, foi apresentada a Carta de Fortaleza, que alerta para a necessidade de regulamen-tao da comunicao, da constituio do Conselho Federal de Jornalistas e da volta da obrigatoriedade do diploma.

    No dia 28 de outubro, foi homo-logado pelo Ministrio do Trabalho e Emprego o acordo coletivo de tra-balho 2015 do Sindicato dos Jorna-listas Profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS).

    A conveno foi aprovada em as-sembleia geral da categoria no dia 29 de setembro e define a reposio do INPC no perodo (8,76%) para to-dos os salrios. Com isso, o piso passa a ser de R$ 2.127,24 na capital e R$ 1.811,40 no interior.

    Os profissionais que no recebe-rem o retroativo referente data--base (1 de junho) e o piso atualiza-do em novembro devem comunicar o SINDJORS. Quem foi demitido entre junho e outubro tem direito resciso complementar.

    Alm do reajuste salarial, o acor-

    do tambm traz a alterao da clu-sula que diz respeito ao adicional por viagem. Agora, o complemento vale para quem estiver em viagem e no retornar empresa dentro do seu horrio de trabalho.

    O acordo apresenta uma tabela de reajuste proporcional aos trabalha-dores admitidos aps 1 de junho de 2014, sem prejuzo aos que recebem

    o piso. Ou seja, caso a soma do percentual no perodo remune-rao atual resulte em um valor abaixo do

    mnimo para a categoria, o emprega-do passar a receber o piso.

    Se a empresa pagar salrios abai-xo do piso usando esta ou outra justificativa, a mesma dever ser denunciada junto ao Sindicato dos Jornalistas RS ou Ministrio do Tra-balho e Emprego.

    Mais uma vitria em ao que beneficia a categoria

    Homologado acordo coletivo dos jornalistas gachos

    O Sindicato dos Jornalistas Profissio-nais do Rio Grande do Sul, atravs do escritrio jurdico Surez & Golgo Advo-gados, ganhou em primeiro grau a ao coletiva que tramita contra a Unio Fe-deral pedindo a no incidncia da con-tribuio previdenciria (INSS) sobre o tero constitucional de frias gozadas.

    Por ser representante legal da catego-ria no estado, a ao ganha pelo Sindicato atinge todos os jornalistas gachos, sin-dicalizados ou no. Ainda exis