Vers£o dos jornalistas 151

  • View
    217

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

A primeira edição do ano de 2016 do Versão dos Jornalistas faz um alerta para a sociedade dos casos de violência física, agressões verbais e cerceamento da liberdade praticados contra profissionais da imprensa no Rio Grande do Sul durante a cobertura da passagem do deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) pelo Estado. A publicação conta também com o perfil da jornalista Jurema Josefa, com histórias da passagem dela por diferentes redações e assessorias de imprensa gaúchas e o comentário de colegas sobre o seu trabalho.

Text of Vers£o dos jornalistas 151

  • Verso Publicao do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do RSRua dos Andradas, 1270/133 - CEP 90.020-008Ano 24 - N 151 - Maro de 2016 - Porto Alegredos Jornalistaswww.jornalistas-rs.org.br

    Jornalistas podero estudar em Cuba atravs de parceria

    SINDICATO

    Pginas 6 e 7 Pgina 8

    PERFIL

    DIA INTERNACIONAL DA MULHER

    Do jornal lido no cho chefia de reportagem, a trajetria de Jurema Josefa Atos em Porto Alegre

    marcam o ms de maro

    Pgina 3

    Intolerncia e desrespeito democracia

    Pginas 2, 4 e 5

    Porto Alegre registra pelo menos quatro casos de agresso fsica e verbal a jornalistas durante a passagem do deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) pelo Estado. Situao compromete a funo do Jornalismo de informar a sociedade

    Lauro aLves/agncia rBs

    roBinson estrsuLas

  • Verso dos Jornalistas - Rio Grande do Sul - Maro de 20162

    Verso dos Jornalistas uma publicao do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS). Rua dos Andradas, 1270/133 Centro Histrico Porto Alegre, RS CEP 90020-008Fones: (51) 3226-0664 - www.jornalistas-rs.org - web@jornalistasrs.org

    Edio: Jorge CorreaEdio executiva e reportagem: Bruna Fernanda SuptitzEdio de Fotografia: Elson Semp PedrosoDiagramao: Lus Gustavo Schuwartsman Van OndheusdenImpresso: Grfica PioneiroTiragem: 3 mil exemplares

    Diretoria ExecutivaPresidente - Milton Simas1 Vice Presidente - Luiz Armando Vaz2 Vice Presidenta - Vera Daisy Barcellos1 Secretrio Ludwig Larr2 Secretria Mrcia de Lima Carvalho1 Tesoureiro Robinson Luiz Estrsulas2 Tesoureiro - Renato BohuschSuplentes - Jos Maria Rodrigues Nunes e Luiz Salvador Machado Tadeo

    Diretoria GeralCelso Antonio Sgorla, Fernando Marinho Tolio, Carlos Alberto Machado Goulart, Cludio Fachel Dias, Elson Semp Pedroso, Mauro Roberto Lopes Saraiva Junior, Lo Flores Vieira Nuez, Alan da Silva Bastos, Jeanice Dias Ramos, Jorge Luiz Correa da Silva, Mrcia Fernanda Peanha Martins, Ana Rita Marini, Clarissa Leite Colares, Neusa Nunes, Pedro Luiz da Silveira Osrio

    Conselho FiscalCelso Augusto Schrder, Jos Carlos de Oliveira Torves, Antonio Eurico Ziglioli Barcellos, Adroaldo Bauer Spindola Correa, Cludio Garcia Machado

    Comisso de ticaAntnio Silveira Goulart, Antnio Carlos Hohlfeldt, Carlos Henrique Esquivei Bastos, Cristiane Finger Costa, Flvio Antnio Camargo Porcello, Jos Antnio Dios Vieira da Cunha, Celestino Meneghini, Edelberto Behs, Sandra de Ftima Batista de Deus, Marcos Emilio Santurio, Moiss dos Santos Mendes

    Versodos Jornalistas

    Filiado:

    EDITORIAL

    Este ano comeou com um episdio lamentvel categoria dos jornalistas. Agentes da democracia, profissionais de imprensa tiveram o direito de exer-cer o seu trabalho impedido pela intolerncia de pessoas que querem fazer prevalecer seu ponto de vista, em detrimento da informao.

    A passagem do deputado federal Jair Bolsonaro (PP/RJ) pelo Rio Grande do Sul representa um ca-ptulo triste da nossa memria. No dia 26 de janei-ro de 2016, jornalistas foram agredidos, ameaa-dos e intimidados a no cumprir a premissa bsica da comunicao: dar voz a todos os envolvidos em um acontecimento.

    A falta de compreenso, por parte de algumas pessoas, de que o acesso informao um direi-to, leva a situaes que preocupam a nossa entidade de classe, a categoria e a sociedade. Tentar fazer do jornalista um servil caracterstica dos regimes de exceo, avessos democracia, multiplicidade e pluralidade.

    O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul (SINDJORS), mantendo o seu com-promisso de agir pelos interesses da categoria, busca atravs de diferentes iniciativas atenuar as consequ-ncias de atos como o relatado nas pginas centrais desta publicao.

    Uma dessas aes busca incluir na pauta de rei-vindicaes dos jornalistas gachos uma clusula que pede comprometimento das empresas para que forneam equipamentos de segurana e proteo para trabalhos externos.

    A negociao deste item no tem avanado devi-do s negativas por parte da patronal. Mesmo assim, o tema segue sendo reivindicado pelo Sindicato dos Jornalistas, que entende necessria esta garantia no acordo da categoria.

    Outra medida ser a realizao de um novo trei-namento para profissionais da imprensa que atuam em situaes de conflito. O treinamento, que aten-der os mesmos moldes do praticada em 2014, atra-vs de parceria com o Batalho de Operaes Espe-ciais da Brigada Militar, ser estendido ao interior do Estado. O objetivo desta iniciativa capacitar jornalistas para que saibam como agir com seguran-a em eventos de risco.

    Para episdios como o registrado na Assembleia

    Legislativa do Rio Grande do Sul, a melhor preven-o conscientizar a populao de que o jornalista agente do interesse pblico na busca por atender com fidedignidade a informao dos fatos.

    O SINDJORS reitera a manifestao prestada em nota, divulgada na sequncia do episdio de agres-so sofrido pelos colegas no ms de janeiro: no admite que os profissionais que atuam para melhor esclarecer a populao se tornem alvo de qualquer

    grau de violncia ou do cerceamento ao seu trabalhoA liberdade de imprensa e a liberdade de expres-

    so so pilares da democracia e o papel dos jornalis-tas fundamental para a garantia do Estado Demo-crtico de Direito.

    Milton SimasPresidente do SINDJORS

    Repdio violncia e luta por segurana da categoria

  • Verso dos Jornalistas - Rio Grande do Sul - Maro de 2016 3

    SINDICATO

    Cartilha traz dados sobre acordo coletivo

    O Sindicato dos Jornalistas Profis-sionais do Rio Grande do Sul produziu uma cartilha com o Acordo Coletivo de Trabalho 2015-2016 da categoria. A publicao traz ainda informaes sobre convnios com estabelecimentos comerciais e prestadores de servio, que concedem desconto a jornalistas sindicalizados, e cdigo de tica da

    categoria. O material est sendo dis-tribudo nas redaes, assessorias de imprensa, rgos pblicos e delegacias regionais. Com isso, a entidade quer que os profissionais possam se apro-priar do contedo, a partir de infor-maes pertinentes sobre seus direitos trabalhistas. Quem desejar pode bus-car seu exemplar na sede do Sindicato.

    Parceria de qualificao com Cuba

    Faculdades iniciam o ano com nova grade curricular

    Fenaj completa 70 anos em 2016

    O Sindicato dos Jornalistas Profis-sionais do Rio Grande do Sul (SIND-JORS) e o Instituto Internacional de Periodismo Jos Marti, da Unin de Pe-riodistas e Escritores de Cuba (Upec), planejam parceria que beneficiar jor-nalistas gachos sindicalizados.

    Com o acordo, os profissionais do nosso Estado podero participar dos cursos ministrados pelo Instituto com condies especiais. A parceria tam-bm prev a vinda de cubanos para o

    Rio Grande do Sul, onde ministraro cursos e palestras.

    Estamos buscando essa parceria desde 2010, quando o SINDJORS par-ticipou de um colquio de comunicao na ilha promovido pela Fundao. Alm da qualificao dos jornalistas, o conv-nio vai promover um intercmbio de conhecimento e de culturas entre ga-chos e cubanos, explica o presidente do SINDJORS, Milton Simas. A confirma-o deve ocorrer nos prximos dias.

    Vania Barbosa com a primeira vice-presidenta da Upec, Aixa Hevia

    Passa a vigorar neste ano a obriga-toriedade das novas Diretrizes Curri-culares do Jornalismo. O documento foi elaborado por uma comisso no-meada em 2009 que debateu o pro-jeto durante quase cinco anos at sua homologao, em setembro de 2013. O Conselho Nacional de Educao (CNE) concedeu prazo de dois anos para adequao, que terminou em 1 de outubro de 2015.

    A mudana conta com orientao para o equilbrio entre disciplinas te-ricas e prticas, a sada do jornalis-

    mo do campo da comunicao social, tornando-o autnomo, o aumento da carga horria para o mnimo de 3.200 horas, sendo 200 para o est-gio obrigatrio e supervisionado, e a regulamentao do Trabalho de Con-cluso de Curso (TCC) individual.

    Tambm passa a ser obrigatrio in-cluir na formao rotinas de trabalho do jornalista em assessoria de impren-sa e estmulo ao empreendedorismo, a partir da observao de necessidade de preparar profissionais para exercer a atividade como autnomos.

    A Federao Nacional dos Jornalistas (FENAJ) lanou, em janeiro, um novo selo de identificao para marcar o incio das comemoraes dos 70 anos da en-tidade. Fundada em 20 de setembro de 1946, a Federao realizar, ao longo de 2016, uma srie de atividades comemo-rativas s sete dcadas de lutas em defesa do Jornalismo e seus profissionais.

    Hoje, a entidade conta com 27 sindi-catos de jornalistas de abrangncia esta-dual e 4 com abrangncia municipal ou regional. A iniciativa resultou, tambm, na qualificao da formao profissional, com a criao dos cursos de Jornalismo no pas, no aperfeioamento da regula-mentao da profisso e no fim da dita-dura civil-militar. Tambm atua na am-pliao das liberdades democrticas e na insero de dispositivos na Constituio do pas que favorecem a democratizao da comunicao.

    A essas pautas somam-se demandas atuais como a luta pela aprovao da PEC do Diploma, o combate violn-

    O episdio envolvendo uma aborda-gem policial no justificada do pales-trante Paulo Srgio Medeiros Barbosa no Frum Social Mundial Temtico em Porto Alegre, no dia 21 de janeiro, mobi-lizou organizaes para a realizao de um ato que alerte para o tratamento das autoridades de segurana pblica com a populao negra. A atividade ser reali-zada em 21 de maro, Dia Internacional contra a Discriminao Racial.

    Entenda o casoSob a alegao de que o professor

    pernambucano apresentava atitude suspeita, a Brigada Militar o abordou no Parque da Redeno, impedindo sua passagem em direo ao Auditrio Arajo Viana, onde ministraria pales-tra. Um grupo de ativistas pediu a li-

    berao de Barbosa, o que gerou con-fuso. Uma equipe de reportagem da TVE gravou imagens e sonoras com os envolvidos, tanto ativis