Versos Waldorf

  • View
    32

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

PEDAGOGIA WALDORF

Text of Versos Waldorf

Tindolel

abre a roda tindolel,e abre a roda tindolal,e abra a roda tindolel,tindolel, tindolal

E bate o p tindolel,e bate o p tindolal,e bate o p tindolel,tindolel, tindolal.

E vai andando tindolel...

E vai girando tindolel...

E bate palma tindolel...

E bem baixinho tindolel...

Lanai um sorriso no ar

Lanai um sorriso no arComeai o dia a cantarTra-la-l la la la la la la la ltra-la-l tra-la-l

versos da manhaBom dia SolBom dia Sol, bom dia luz,o seu amor o que nos conduz.Pssaros voando, flores no jardim,todos se reunem, vo cantando assim...Verso da professoraRecolhendo as luzes douradas do Solpara nossa coroa luminosa.Recolhendo o calor do Solpara aquecer nossos coraes.E com nossa coroa iluminadae nossos coraes aquecidos,ns oferecemos ao mundoos nossos tesouros.Verso da ManhCom sua luz queridao sol clareia do dia,e o poder do esprito,que brilha na minha alma,d fora aos meus membros.No brilho da luz do sol, oh Deus,venero a fora humanaque tu, bondosamente,plantaste na minha alma.Para que eu possa estaransioso em trabalhar.Para que eu possa terdesejo de aprender.De Ti, vem luz e fora.Para Ti refluemamor e gratido.BO DIA QUERIDAS CRIANAS DO ....BOM DIA QUERIDA PROF...

Projeto Identidade - Tudo sobre mim - Pr IIPROJETO IDENTIDADE NA EDUCAO INFANTILTema: TUDO SOBRE MIM!Turma: Pr II (5 anos)

JUSTIFICATIVA:Este projeto tem o intuito do conhecimento global do ser humano: conhecendo seu corpo, ampliando conceitos de higiene e sade, descobrindo que o indivduo est presente em todas as comunidades, relacionando-se com outros seres e com todo o ambiente onde vive.

OBJETIVOS:

Proporcionar ao aluno a apropriao de sua identidade, conhecendo a histria e o significado de seu nome. Desenvolver a ateno para futura identificao de partes do corpo humano e construo de outros valores de vida. Conhecer a historia de sua vida e conhecer seus antepassados. Diferenciar os vrios tipos de famlia e os membros que a compe, conhecer seus antepassados.Adquirir noes de higiene e reconhecer a importncia e a necessidade de se ter uma boa higiene corporal, bucal e mental. Desenvolver o hbito de cuidar de si mesmo, valorizar seu corpo, sua sade e sua vida.Desenvolver o hbito de cuidar de si mesmo, valorizar seu corpo, sua sade, sua vida, seu meio social e ambiental, estabelecer uma relao com a sociedade. Conhecer diversas estruturas familiares no mundo.Possibilitar que a criana construa a sua identidade e autonomia, por meio das brincadeiras, das interaes socioculturais e da vivncia de diferentes situaes. Desenvolver a independncia, a autoconfiana e a autoestima participando das atividades propostas, brincadeiras e da organizao da rotina diria.

ESTRATGIASVamos fazer um autorretrato bem divertido, fora do comum! Cada amigo vai desenhar apenas o seu rosto e o cabelo ser feito pintura com canudinho: (Krokotak.com)

Conhecendo tudo sobre o meu Nome - Construindo um crach: Vamos conversar sobre como pode ser nosso crach para sala de aula. Pensaremos sobre a funo uso de crachs. Cada amigo confeccionar seu prprio crach com papel carto, a escrita do nome de cada um que dever ser copiado nos crachs. Voc tambm pode optar por crachs feito em eva e a criana ir apenas escrever o nome:

tem muito mais namgica do evaBrincadeiras: Misture os crachs no cho para que separem os dos meninos dos das meninas. Misture os crachs para que separem os que comeam com a mesma letra. Distribua os crachs ao acaso entre os alunos para que cada um encontre o seu. Trabalhe o nmero de letras de cada crach

Partes do corpo, num primeiro momento desenhar o que est faltando, depois escrever os nomes de algumas partes, como: Mo, p, brao, cabea, etc.

(Colmagno)O que tem dentro do meu corpo? Usando sucatas variadas vamos fazer o corpo por dentro e dar nomes as partes:Nosso corao um rgo importantssimo, vital para nosso corpo! Conversaremos sobre as emoes que dizemos sentir no corao, pessoas que dizemos guardar no corao! Agora, vamos fazer uma arte com um corao:

Achei noAtividades para MaternalRomero BrittoPorque temos ossos? O que aconteceria se no tivssemos ossos dentro do nosso corpo? Depois de conversarmos sobre isso, vamos observar o esqueleto da escola:

Agoira, vamos escrever os nomes de alguns dos nossos ossos:

Olha os ossos da nossa mo:

Toda criana quando nasce, tem direito Certido de Nascimento, mas ns vamos fazer uma identidade, com nome e foto!

Minha famlia - Fala sobre as pessoas da famlia- Livro: Um amor de famlia - Ziraldo

- Livro: O livro da famlia - O livro abaixo fala sobre as diferenas entre as famlias: cor, quantidade de pessoas, a distncia, por quem esta famlia composta

rvore genealgica - pode ser dado como LIO DE CASA - A criana e a famlia vo juntos construir a rvore genealgica da famlia, colocando nomes ou desenhos (com fotos tambm fica bem interessante!!)Foto:ColmagnoMinha casa - Primeiro vamos ler o livro: Cada um mora onde pode - Ziraldo -Baixe aqui

Agora, vamos desenhar como a nossa casa

Foto: ColmagnoComo posso cuidar do meu corpo? A alimentao deve ser balanceada, nutritiva e em hora certa!

foto: ColmagnoReconhecer as noes de higiene e a importncia e necessidade de se ter uma boa higiene corporal, bucal e mental vamos conversar na roda de conversa sobre o tema e depois vamos separar alimentos que fazer bem para nossos dentes e os que no fazem :

Outra sugesto, criar grfico do creme dental preferido da sala:

Cartelas Numricas:

Pblico Alvo: educao infantil e 1 ano

As cartelas auxiliam os pequenos a construirem o conceito de numeral entendo e compreendendo o que a sua representao grfica e o que comporta quantativamente.

Convidei um aluno de cada vez para colaborar na confeco da decorao do numeral. Para tanto optei por utilizar materiais diversos a fim de fugir do colorir com lpis e giz de cera. Em cada cartela fiz a representao grfica dos numerais de 0 a 9 e colei atrs um pedao de corda destas que usamos como varal para roupas. Com os algarismos decorados, os alunos ordenaram a sequncia numrica e partiram para o enfeite dos prendedores que anexariam nas cordas. Coletivamente, prendemos a respectiva quantidade de prendedores em cada corda de acordo o numeral representado. Neste "varal numrico", os discentes simplismente brincam conforme sua vontade, organizam e desorganizam, contam e recontam bem como participam de situaes problemas e clculos mentais elaborados por mim. Trabalho adio e subtrao tranquilamente, respeitando a hiptese e a maturidade cognitiva de cada um.

Seguem os materiais utilizados em cada algarismo:

0: cola colorida

1: palito de picol2: pintura a dedo3: canudos4: l5: pedaoes de e.v.a6: boto7: tecido8: giz de cera raspado9: restos de lpis quando apontados no apontador

Calendrio:a prtica diria de preencher o calendrio, acompanhar a sucesso dos dias, semanas, meses e anos, oportuniza inmeras situaes matemticas. Diariamente preenchemos o calendrio. Na apresentao do calendrio no incio do ano, questionei os alunos sobre como sabemos que hoje dia de ir escola, por que alguns dias no vamos escola, quanto tempo duram as frias, quando ser a Pscoa, o dia da mes, o nosso aniversrio, o dia dos pais, o dia das crianas, o natal e tal. Sem esperar uma resposta lgica e bvia, os ouvi e os convidei a acompanharmos e preenchermos o calendrio que um dos instrumentos que utilizamos para medio do tempo e etc. Assim, combinamos os smbolos que usariamos para marcar os dias que temos e os dias que no temos aula bem como aniversrios, festas comemorativas, frias e afins. Com essa "ritualidade", fao certeiras problematizaes matemticas em que os alunos usam o clculo mental para solucion-las. Procuro estimular com estas intervenes aprendizagens significativas que os acompanharo e serviro de subsdios para a compreenso de termos e conceitos matemticos mais elaborados nas prximas etapas de escolarizao.

Para dias que temos aula utilizamos X, sbados e domingos 0 ( bolinha), feriados tringulo, aniversrios fotos, frias flores. Estes dados sao organizados em uma legenda para no nos perdermos.

A saber costumo perguntar, no necessariamente nesta ordem? "Que dia hoje?" "Ontem foi 26 e hoje?" "ontem foi quarta-feira e hoje?" " estamos em que ms?" "quantos meses tem este ano?" "que perodo estvamos de frias?"" quantos dias tem este ms que estamos entrando?" quantos dias faltam para acabar o ms?" e assim por diante de acordo com a data/ms em que estamos.

Para refletirmos: " O espao jamais neutro. A sua estruturao, os elementos que o formam, comunicam ao individuo uma mensagem que pode ser coerente ou contraditria com o que o educador quer fazer chegar criana. O educador no pode coformar-se com o meio tal como lhe oferecido, deve comprometer-se com ele, deve incidir, transformar, personalizar o espao onde desenvolve a sua tarefa, torn-lo seu, projetar-se, fazendo desse espao um lugar onde a criana encontre o ambiente necessrio para desenvolver-se." (Pol e Morales, apud Zabalza, 1998)

Quantos somos hoje?

Outro recurso que utilizo diariamente para envolver os discentes em situaes cotidianas de ensino de matemtica, o cartaz Quantos somos hoje. Feito em uma placa de e.v.a com letras e desenho de menina e menino em e.v.a, fazemos a contagem de quantas meninas esto presentes na aula, quantos meninos, quantos somos ao total e quem faltou. Como material concreto para representar estas respostas, os alunos desenharam seus rostinhos em circulos de papel de cartolina tamanho ofcio, anexando cabelos com l e, ainda, utilizam os algarismos que podem ser colocados ao lado dos fantoches. Estas problematizaes podem at parecerem bobinhas e repetitivas, mas afirmo, no so. Os questionamentos podem ser articulados de vrias maneiras a fim de trabalhar a interpretao e clculo