VI CONGRESSO INTERNACIONAL CONSTITUCIONALISMO E .Constitucionalismo e Democracia: O Novo Constitucionalismo

  • View
    213

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of VI CONGRESSO INTERNACIONAL CONSTITUCIONALISMO E .Constitucionalismo e Democracia: O Novo...

  • VI CONGRESSO INTERNACIONAL CONSTITUCIONALISMO E

    DEMOCRACIA: O NOVO CONSTITUCIONALISMO LATINO-

    AMERICANO

    PLURALISMO JURDICO E DIFERENAS

  • P735

    Pluralismo jurdico e diferenas [Recurso eletrnico on-line] organizao Rede para o

    Constitucionalismo Democrtico Latino-Americano Brasil;

    Coordenadores: Jos Ribas Vieira, Ceclia Caballero Lois e Mrio Cesar da Silva

    Andrade Rio de Janeiro: UFRJ, 2017.

    Inclui bibliografia

    ISBN: 978-85-5505-510-2

    Modo de acesso: www.conpedi.org.br em publicaes

    Tema: Constitucionalismo Democrtico e Direitos: Desafios, Enfrentamentos e

    Perspectivas

    1. Direito Estudo e ensino (Graduao e Ps-graduao) Brasil Congressos

    internacionais. 2. Constitucionalismo. 3. Pluralismo jurdico. 4. Diferenas. 5. Amrica Latina.

    6. Novo Constitucionalismo Latino-americano. I. Congresso Internacional

    Constitucionalismo e Democracia: O Novo Constitucionalismo Latino-americano (6:2016 :

    Rio de Janeiro, RJ).

    CDU: 34

    _____________________________________________________________________________

  • VI CONGRESSO INTERNACIONAL CONSTITUCIONALISMO E DEMOCRACIA: O NOVO CONSTITUCIONALISMO LATINO-

    AMERICANO

    PLURALISMO JURDICO E DIFERENAS

    Apresentao

    O VI Congresso Internacional Constitucionalismo e Democracia: O Novo

    Constitucionalismo Latino-americano, com o tema Constitucionalismo Democrtico e

    Direitos: Desafios, Enfrentamentos e Perspectivas, realizado entre os dias 23 e 25 de

    novembro de 2016, na Faculdade Nacional de Direito (FND/UFRJ), na cidade do Rio de

    Janeiro, promove, em parceria com o CONPEDI Conselho Nacional de Pesquisa e Ps-

    Graduao em Direito, a publicao dos Anais do Evento, dedicando um livro a cada Grupo

    de Trabalho.

    Neste livro, encontram-se captulos que expem resultados das investigaes de

    pesquisadores de todo o Brasil e da Amrica Latina, com artigos selecionados por meio de

    avaliao cega por pares, objetivando a melhor qualidade e a imparcialidade na seleo e

    divulgao do conhecimento da rea.

    Esta publicao oferece ao leitor valorosas contribuies tericas e empricas sobre os mais

    diversos aspectos da realidade latino-americana, com a diferencial reflexo crtica de

    professores, mestres, doutores e acadmicos de todo o continente, sobre PLURALISMO

    JURDICO E DIFERENAS.

    Assim, a presente obra divulga a produo cientfica, promove o dilogo latino-americano e

    socializa o conhecimento, com criteriosa qualidade, oferecendo sociedade nacional e

    internacional, o papel crtico do pensamento jurdico, presente nos centros de excelncia na

    pesquisa jurdica, aqui representados.

    Por fim, a Rede para o Constitucionalismo Democrtico Latino-Americano e o Programa de

    Ps-Graduao em Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (PPGD/UFRJ)

    expressam seu sincero agradecimento ao CONPEDI pela honrosa parceira na realizao e

    divulgao do evento, culminando na esmerada publicao da presente obra, que, agora,

    apresentamos aos leitores.

    Palavras-chave: Pluralismo jurdico. Diferenas. Amrica Latina. Novo Constitucionalismo

    Latino-americano.

  • Rio de Janeiro, 07 de setembro de 2017.

    Organizadores:

    Prof. Dr. Jos Ribas Vieira UFRJ

    Profa. Dra. Ceclia Caballero Lois UFRJ

    Me. Mrio Cesar da Silva Andrade UFRJ

  • 1 Mestranda do Programa de Ps Graduao em Direito e Justia Social da Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Advogada e Funcionria Pblica

    2 Mestre pelo Programa de Ps Graduao em Direito e Justia Social pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Professor efetivo da Graduao FURG e Advogado.

    1

    2

    A POLTICA PBLICA DE SADE BSICA NAS COMUNIDADES QUILOMBOLAS COMO INSTRUMENTO DE EFETIVAO DA CIDADANIA

    SOCIAL EXISTENCIAL

    A PUBLIC POLICY OF BASIC HEALTH IN COMMUNITIES QUILOMBOLAS AS EFFECTIVE INSTRUMENT OF SOCIAL CITIZENSHIP EXISTENCIAL

    Carla Rosane Pereira Cruz 1Fernando Amaral 2

    Resumo

    Trata o presente artigo em investigar a evoluo dos direitos de cidadania social existencial e

    a insero da poltica pblica de sade pblica nas comunidades quilombolas dentro do seu

    contedo. Superado este ponto buscou-se na tradio doutrinria posta o contedo mnimo da

    dignidade da pessoa humana onde esta tratada dentro da espcie normativa regra,

    destacando que com esta abordagem quando este contedo no cumprido pelo Estado o

    cidado no existe juridicamente de forma digna. Concluiu-se, por fim, que h um dficit na

    questo da sade bsica destinada as essas comunidades no intuito de propici-las a cidadania

    social existencial. Utilizou-se da pesquisa bibliogrfica e jurisprudencial.

    Palavras-chave: Polticas pblicas, Sade bsica, Comunidades quilombolas, Cidadania social

    Abstract/Resumen/Rsum

    It this article to investigate the evolution of existential social citizenship rights and the

    inclusion of public policy on public health in the quilombo communities within your content.

    Surpassed this point sought to the doctrinal tradition put the minimum amount of human

    dignity where it is treated within the normative rule species, noting that this approach when

    this content is not fulfilled by the State the citizen does not exist legally in a dignified

    manner. It was concluded finally that there is a deficit in the issue of basic health destined to

    these communities in order to propitiate them existential social citizenship. It used the

    bibliographical and jurisprudential research.

    Keywords/Palabras-claves/Mots-cls: Public policy, Basic health, Quilombo communities, Social citizenship

    1

    2

    121

  • 1.INTRODUO

    O presente artigo tem por escopo investigar, atravs da pesquisa bibliogrfica e

    jurisprudencial, a evoluo dos direitos de cidadania social, sua dimenso existencialista e a

    possibilidade de insero da previdncia social neste contedo.

    O desenvolvimento do artigo est estruturado em trs partes.

    A primeira parte se ocupou em demonstrar a evoluo geracional dos direitos do

    homem, destacando a sua leitura dentro dos direitos de cidadania iniciando na cidadania civil

    e culminado na cidadania social.

    A segunda parte ocupou-se por demonstrar que dentro da cidadania social h um

    contedo mnimo de dignidade e que a mesma deve ser aplicada modularmente dentro da

    espcie regra (norma/conduta) demonstrando que no cumprido este contedo de cidadania

    social existencial o cidado est em estado de indignidade.

    O terceiro momento se preocupou com a investigao de uma poltica pblica de

    sade bsica nas comunidades quilombolas e sua emergente insero no rol dos direitos

    sociais da cidadania social existencial e, assim, contribuir para o contedo da dignidade da

    pessoa humana e da cidadania como forma de efetivao dos direitos de minorias tnicas.

    Assim, diante da emergncia social existencial busca-se com a presente pesquisa o

    incremento dos direitos de cidadania, mais precisamente no campo da poltica pblica de

    sade bsica nas comunidades quilombolas e, dessa forma, contribuir para a evoluo jurdica

    deste tema.

    2. A EVOLUO DOS DIREITOS DE CIDADANIA

    A evoluo dos direitos uma necessidade constante da vivencia social. A cada fato

    social novo, poder ter um olhar axiolgico do Direito para se verificar a necessidade de

    juridicizao e transformar os elementos deste fato social num suporte ftico para incidncia

    da norma, assim qualificando este fato em fato jurdico1.

    1 Dentro da sua finalidade social, o Direito regulamenta alguns fatos da vida e, atravs dos textos jurdicos

    estatais ou paraestatais dentro de uma perspectiva do pluralismo jurdico de matriz, por exemplo, Wolkmeriana

    (UFSC)-, eleva-os a categoria de fatos jurdicos. Dentro desse raciocnio, Miguel Reale, na sua teoria

    tridimensional do direito demonstra que a norma jurdica a coexistncia concreta de fatos segundo valores

    distintos. Preconiza REALE (Lies Preliminares de Direito. 24. ed. So Paulo: Saraiva, 1998, p. 65, grifamos)

    que Onde quer que haja um fenmeno jurdico, h, sempre e necessariamente, um fato subjacente (fato

    econmico, geogrfico, demogrfico, de ordem tcnica etc.); um valor, que confere determinada significao a

    esse fato, inclinando ou determinando a ao dos homens no sentido de atingir ou preservar certa finalidade ou

    objetivo; e, finalmente, uma regra ou norma, que representa a relao ou medida que integra um daqueles

    momentos ao outro, o fato ao valor. Reis Friede (Cincia do Direito, Norma, Interpretao e Hermenutica

    Jurdica, 6. ed. Rio de Janeiro: forense universitria, 2004, p. 108) destaca que alguns estudiosos criticam a

    122

  • Alguns direitos, no entanto, possuem uma qualificao especial. De fato, aqueles

    direitos qualificados como direitos do homem merecem uma ateno especial devido a

    fundamentalidade existencial do indivduo, e por estarem estritamente ligados, de acordo com

    a doutrina, com outros temas fundamentais. Nestes termos Bobbio, (2004, p. 1) destaca que

    h uma relao de existncia entre direitos do homem, democracia e paz. Para este autor

    italiano s h democracia numa sociedade de cidados, e estes, s existem, no sentido jurdico

    da palavra, quando lhe so reconhecidos alguns direitos fundamentais.