VI Domingo da Pscoa
VI Domingo da Pscoa
VI Domingo da Pscoa
VI Domingo da Pscoa

VI Domingo da Pscoa

  • View
    218

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of VI Domingo da Pscoa

  • Com.: Caros irmos e irms, estamos re-unidos em comunho na Casa do Senhor! O Tempo Pascal est se aproximando do fim e Jesus prepara os discpulos e a ns para assumirmos a misso de continuar o que Ele ensinou e viveu. No tenhamos medo, porque o Senhor est conosco e nos envia seu Santo Esprito! Iniciemos este encontro, com alegria e esperana!

    01. CANTO DE ENTRADA

    02. SAUDAO

    P.: Em nome do Pai e do Filho e do Esp-rito Santo. T.: Amm.

    P.: O Deus da esperana, que nos cumu-la de toda alegria e paz em nossa f, pela ao do Esprito Santo, esteja convosco.T.: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

    03. ATO PENITENCIAL

    P.: De corao contrito e humilde, apro-ximemo-nos do Deus justo e santo, para que tenha piedade de ns, pecadores, can-tando.

    Canto...

    P.: Senhor, que sois o eterno sacerdote da Nova Aliana, tende piedade de ns. T: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NS. P.: Cristo, que nos edificais como pedras vivas no templo santo de Deus, tende pie-dade de ns. T: CRISTO, TENDE PIEDADE DE NS. P.: Senhor, que nos tornais concidados dos santos no reino dos cus, tende piedade de ns.T: SENHOR, TENDE PIEDADE DE NS.P.: Deus todo-poderoso tenha compaixo de ns, perdoe os nossos pecados e nos conduza vida eterna.T: AMM.

    04. HINO DE LOUVOR

    05. ORAO DO DIA

    P.: Oremos (silncio): Deus todo-podero-so, dai-nos celebrar com fervor estes dias de jbilo em honra do Cristo Ressuscita-do, para que nossa vida corresponda sem-pre aos mistrios que recordamos. Por nosso Senhor Jesus Cristo.T.: Amm.

    Com.: Ao ouvirmos a Palavra, damos sentido nossa esperana e confiana: Je-sus est conosco e nos fortalece na misso que nos confia, apesar de todas as dificul-dade e desafios.

    06. I LEITURA(At 15,1-2.22-29)

    Leitura dos Atos dos Apstolos - Naque-les dias, chegaram alguns da Judeia e ensi-navam aos irmos de Antioquia, dizendo: Vs no podereis salvar-vos, se no for-des circuncidados, como ordena a Lei de Moiss. Isto provocou muita confuso, e houve uma grande discusso de Paulo e Barnab com eles. Finalmente, decidiram que Paulo, Barnab e alguns outros fos-sem a Jerusalm, para tratar dessa ques-to com os apstolos e os ancios. Ento os apstolos e os ancios, de acordo com toda a comunidade de Jerusalm, resolve-ram escolher alguns da comunidade para mand- los a Antioquia, com Paulo e Bar-nab. Escolheram Judas, chamado Brsa-bas, e Silas, que eram muito respeitados pelos irmos. Atravs deles enviaram a seguinte carta: Ns, os apstolos e os an-cios, vossos irmos, saudamos os irmos vindos do paganismo e que esto em An-tioquia e nas regies da Sria e da Cilcia. Ficamos sabendo que alguns dos nossos causaram perturbaes com palavras que transtornaram vosso esprito. Eles no fo-ram enviados por ns. Ento decidimos, de comum acordo, escolher alguns repre-sentantes e mand-los at vs, junto com nossos queridos irmos Barnab e Paulo, homens que arriscaram suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo. Por isso, estamos enviando Judas e Silas, que pessoalmente vos transmitiro a mesma mensagem. Porque decidimos, o Esprito Santo e ns, no vos impor nenhum fardo, alm dessas coisas indispensveis: abs-terse de carnes sacrificadas aos dolos, do sangue, das carnes de animais sufocados e das unies ilegtimas. Vs fareis bem se evitardes essas coisas. Saudaes! - Palavra do Senhor.- Graas a Deus.

    07. SALMO RESPONSORIAL(Sl 66 (67))

    DIA DO SENHOR

    VI domingo da pscoaAno C, n 39 - 1 de Maio de 2016

    Parquia do Beato Andr de Soveral - Parnamirim/RN

    Semanrio litrgico

    RITOS INICIAIS

    LITURGIADA PALAVRA

  • 2 3

    R.: Que as naes vos glorifiquem, Senhor, que todas as naes vos glori-fiquem!

    1. Que Deus nos d a sua graa e sua bn-o, / e sua face resplandea sobre ns! / Que na terra se conhea o seu caminho / e a sua salvao por entre os povos.

    2. Exulte de alegria a terra inteira, / pois-julgais o universo com justia; / os povos governais com retido / e guiais, em toda a terra, as naes.

    3. Que as naes vos glorifiquem, Se-nhor, / que todas as naes vos glorifi-quem! / Que o Senhor e nosso Deus nos abenoe, / e o respeitem os confins de toda a terra!

    08. II LEITURA(Ap 21,10-14.22-23)

    Leitura do Livro do Apocalipse de So Joo - Um anjo me levou em esprito a uma montanha grande e alta. Mostrou--me a cidade santa, Jerusalm, descendo do cu, de junto de Deus, brilhando com a glria de Deus. Seu brilho era como o de uma pedra preciosssima, como o bri-lho de jaspe cristalino. Estava cercada por uma muralha macia e alta, com doze portas. Sobre as portas estavam doze an-jos, e nas portas estavam escritos os no-mes das doze tribos de Israel. Havia trs portas do lado do oriente, trs portas do lado norte, trs portas do lado sul e trs portas do lado do ocidente. A muralha da cidade tinha doze alicerces, e sobre eles estavam escritos os nomes dos doze aps-tolos do Cordeiro. No vi templo na cida-de, pois o seu Templo o prprio Senhor, o Deus Todo-poderoso, e o Cordeiro. A cidade no precisa de sol nem de lua, que a iluminem, pois a glria de Deus a sua luz e a sua lmpada o Cordeiro. - Palavra do Senhor.- Graas a Deus.

    09. ACLAMAO AO EVANGELHO

    Quem me ama realmente guardar minha Palavra, / e meu Pai o amar, e a Ele ns viremos!

    10. EVANGELHO(Jo 14,23-29)

    Dic.: O Senhor esteja convosco.

    T.: Ele est no meio de ns.Dic.: Proclamao do Evangelho de Je-sus Cristo + segundo Joo.T.: Glria a vs, Senhor.

    Naquele tempo, disse Jesus a seus disc-pulos: Se algum me ama, guardar a minha palavra, e o meu Pai o amar, e ns viremos e faremos nele a nossa morada. Quem no me ama, no guarda a minha palavra. E a palavra que escutais no mi-nha, mas do Pai, que me enviou. Isso o que vos disse enquanto estava convosco. Mas o Defensor, o Esprito Santo, que o Pai enviar em meu nome, ele vos ensina-r tudo e vos recordar tudo o que eu vos tenho dito. Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; mas no a dou como o mundo. No se perturbe nem se intimide o vosso corao. Ouvistes que eu vos disse: Vou, mas voltarei a vs. Se me amsseis, fi-careis alegres porque vou para o Pai, pois o Pai maior do que eu. Disse-vos isto, agora, antes que acontea, para que, quando acontecer, vs acrediteis. Palavra da Salvao. Glria a vs, Senhor.

    11. HOMILIA

    12. PROFISSO DE F

    Creio...T. Amm.

    13. ORAO DOS FIIS

    P.: Apresentemos ao Senhor, confiantes no seu amor e presena junto de ns, as nossas preces e oraes:

    1) Senhor, olhai por vossa Santa Igreja, para que nunca se deixe tomar pelo medo, mas que busque viver seu testemunho proftico na misso e vocao, ns vos pedimos: T.: Senhor, acolhei a nossa prece!

    2) Senhor, neste Dia Mundial do Traba-lho, fortalecei o nimo e a coragem de to-dos os trabalhadores e trabalhadoras, para que lutem sempre por seus direitos e res-peito por sua dignidade, ns vos pedimos: T.: Senhor, acolhei a nossa prece!

    3) Senhor, auxiliai com vossa graa e perseverana todos os desempregados e desempregadas, especialmente nestes tempos de crise econmica, para que no

    percam a esperana de encontrar um tra-balho digno, ns vos pedimos: T.: Senhor, acolhei a nossa prece!

    4) Para que a visita da imagem de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, seja um sinal de beno e de paz para toda a nossa parquia e, sobretudo os doentes e aqueles que mais sofrem, ns vos pe-dimos:T.: Senhor, acolhei a nossa prece!

    P.: Acolhei, com bondade, Senhor, as preces e oraes do vosso povo, que em Vs confia, e atendei-nos em vossa mise-ricrdia e providncia, por Cristo Nosso Senhor. T.: Amm

    Com.: Ao apresentarmos po e vinho, frutos de nosso trabalho e esforo, que-remos renovar nossa misso de sermos presena do Ressuscitado junto a todas as pessoas.

    14. PREPARAO DAS OFERTAS

    P.: Orai, irmos e irms.T.: Receba o Senhor por tuas mos este sacrifcio, para a glria de seu nome, para o nosso bem e de toda a Santa Igreja.

    15. SOBRE AS OFERENDAS

    P.: Subam at vs, Deus, as nossas pre-ces com estas oferendas para o sacrifcio, a fim de que, purificados por vossa bon-dade, correspondamos cada vez melhor aos sacramentos do vosso amor. Por Cris-to, nosso Senhor.T.: Amm.

    16. ORAO EUCARSTICA II

    P.: O Senhor esteja convosco.T.: Ele est no meio de ns.P.: Coraes ao alto.T.: O nosso corao est em Deus.P.: Demos graas ao Senhor, nosso Deus.T.: nosso dever e nossa salvao.

    Na verdade, justo e necessrio, nosso dever e salvao dar-vos graas, sempre e em todo lugar, mas sobretudo neste tem-po solene em que Cristo, nossa Pscoa,

    LITURGIAEUCARSTICA

  • 2 3

    foi imolado. Pela oblao de seu corpo, pregado na cruz, levou plenitude os sa-crifcios antigos. Confiante, entregou em vossas mos seu esprito, cumprindo in-teiramente vossa santa vontade, revelan-dose, ao mesmo tempo, sacerdote, altar e cordeiro. Por essa razo, transbordamos de alegria pascal e celebramos vossa gl-ria, cantando (dizendo) a uma s voz:

    T. Santo, Santo, Santo...

    CP. . Na verdade, vs sois santo, Deus do universo, e tudo o que criastes pro-clama o vosso louvor, porque, por Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, e pela fora do Esprito Santo, dais vida e san-tidade a todas as coisas e no cessais de reunir o vosso povo, para que vos oferea em toda parte, do nascer ao pr-do-sol, um sacrifcio perfeito.

    T.: Santificai e reuni o vosso povo!

    CC. Por isso, ns vos suplicamos: san-tificai pelo Esprito Santo as oferendas que vos apresentamos para serem consa-gradas, a fim de que se tornem o Corpo e o Sangue de Jesus Cristo, vosso Filho e Senhor nosso, que nos mandou celebrar este mistrio.

    T. Santificai nossa oferenda, Senhor!

    Na noite em que ia ser entregue, ele to-mou o po, deu graas e o partiu e deu a seus discpulos, dizendo:

    TOMAI, TODOS, E COMEI: ISTO O MEU CORPO, QUE SER ENTRE-GUE POR VS.

    Do mesmo modo, ao fim da ceia, ele to-mou o clice em suas mos, deu graas nova