VI ENCONTRO REGISTRAL IMOBILIÁRIO USUCAPIÃO ... - .- Os pleitos extrajudiciais de usucapião não

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of VI ENCONTRO REGISTRAL IMOBILIÁRIO USUCAPIÃO ... - .- Os pleitos extrajudiciais de usucapião não

VI ENCONTRO REGISTRAL IMOBILIRIO

USUCAPIO EXTRAJUDICIAL

12 de maro de 2016

Hotel Majestic Florianpolis, SC

(O / A) USUCAPIO EXTRAJUDICIAL ASPECTOS PRTICOS (ARTIGO 216-A DA

LRP)

Este material fruto da reunio de opinies, pareceres e textos emitidos por

profissionais do direito no mbito de encontros que tiveram por tema a Usucapio

Extrajudicial (XLII Encontro dos Oficiais de Registro de Imveis do Brasil 19 a 23

de outubro de 2015 / Encontro Estadual do CORI-MG 12 e 13 de novembro de

2015), bem como fruto da reproduo de trechos extrados da seguinte obra:

Usucapio Administrativa, da Editora Saraiva, 1 Edio, 2016, de autoria de

Leonardo Brandelli

1 OFENSA AO DIREITO DE ACESSO IRRESTRITO JUSTIA

- No h que se falar em ofensa aos preceitos do artigo 5, XXXV da Constituio

Federal (direito de acesso irrestrito justia), uma vez que no h leso ou ameaa

de leso diante da oportunidade de consensualidade pela via extrajudicial, com

dispensa da interveno do Estado-Juiz. (no h lide instaurada, face aos acordos

expressos ou tcitos entabulados)

- Alguns autores j esto defendendo que ir ao judicirio para propor usucapio sem

esgotar a oportunidade da via extrajudicial implicar em carncia de ao.

2 NO INTERVENO DO MINISTRIO PBLICO

- Artigo 216-A da LRP dispensa atuao do Ministrio Pblico. (curador permanente

dos registros pblicos)

- A dispensa do Ministrio Pblico nos feitos de usucapio est prescrita na

recomendao n 16 de 2010 do Conselho Nacional do Ministrio Pblico.

Artigo 5 - Perfeitamente identificado o objeto da causa e respeitado o

princpio da independncia funcional, desnecessria a interveno

ministerial nas seguintes demandas e hipteses:

XI Ao de usucapio de imvel regularmente registrado, ou de coisa

mvel, ressalvadas as hipteses da Lei n 10.257, de 10 de julho de 2001;

- Face a no reproduo das disposies do artigo 944 do Cdigo de Processo Civil

vigente, restar o debate sobre a obrigatoriedade, ou no, de atuao do Ministrio

Pblico nos feitos extrajudiciais de usucapio.

Para os que defendem a atuao em comento, o embasamento encontra-

se contido nos seguintes dispositivos legais:

Artigo 178, III do NCPC: o Ministrio Pblico ser intimado para, no prazo

de trinta dias, intervir como fiscal da ordem jurdica nas hipteses

previstas em lei ou na Constituio Federal e nos processos que

envolvam:

...

III- litgios coletivos pela posse de terra rural ou urbana.

Artigo 176 do NCPC: O Ministrio Pblico atuar na defesa da ordem

jurdica, do regime democrtico e dos interesses e direitos sociais e

individuais indisponveis.

(destaque: os procedimentos extrajudiciais de usucapio tm por objeto

direitos disponveis propriedade)

3 NATUREZA JURDICA DA USUCAPIO EXTRAJUDICIAL

- O procedimento de usucapio extrajudicial de natureza administrativa, e no

jurisdicional. (reviso jurisdicional sempre possvel, desde que antes do prazo

prescricional)

- Os pleitos extrajudiciais de usucapio no induzem litispendncia nem tampouco

fazem coisa julgada qualidades da jurisdio.

4 MOMENTO DA AQUISIO PELA USUCAPIO NO BRASIL

- Para Leonardo Brandelli, a usucapio declaratria do direito, e constitutiva do

ttulo e da disponibilidade.

A natureza jurdica da sentena que reconhea a aquisio meramente

declaratria do direito adquirido, e no constitutiva. Visa apenas

possibilitar a aquisio de um ttulo para o registro. Neste sentido

constitutiva do ttulo registrvel.

A posse um direito real inter-partes, pois a aquisio pela usucapio

independe de registro. (por no depender de registro, no se pode

atribuir aos efeitos da sentena de usucapio a condio de erga omnes)

5 INEXISTNCIA DE MATRCULA OU DE TRANSCRIO NA USUCAPIO

EXTRAJUDICIAL

6o Transcorrido o prazo de que trata o 4 deste artigo, sem pendncia

de diligncias na forma do 5 deste artigo e achando-se em ordem a

documentao, com incluso da concordncia expressa dos titulares de

direitos reais e de outros direitos registrados ou averbados na matrcula

do imvel usucapido e na matrcula dos imveis confinantes, o oficial de

registro de imveis registrar a aquisio do imvel com as descries

apresentadas, sendo permitida a abertura de matrcula, se for o caso.

- O qu significa sendo permitida a abertura de matrcula, se for o caso?

1 Se a descrio do imvel usucapido for diferente da constante da Matrcula ou da

Transcrio abre-se nova Matrcula?

1.1 - imvel usucapido integralmente: encerra e abre outra matrcula?

1.2 imvel usucapido parcialmente: baixa rea usucapida por averbao

(fica saldo) e abre matrcula nova para rea usucapida?

2 - Mesmo no havendo Matrcula ou Transcrio, a usucapio poder findar-se pela

via extrajudicial, oportunidade em que ser inaugurada a Matrcula?

OPINIO:

- Havendo consenso, cabvel a usucapio pela via extrajudicial mesmo nas

hipteses de ausncia de Matrcula ou de Transcrio.

- Se no h oposio oferecida por proprietrio (inexistncia de Matrcula ou de

Transcrio) aps a publicao do Edital destinado a todo e qualquer da sociedade,

o deferimento cabvel.

- Para Lamana Paiva: a usucapio pela via extrajudicial no se destina somente s

hipteses de imveis matriculados ou transcritos ( uma das hipteses, mas no a

nica). No havendo Matrcula ou Transcrio o tabelio dever instruir a Ata Notarial

com a certido negativa de existncia de Matrcula ou de Transcrio.

- Para Leonardo Brandelli: no havendo Matrcula ou Transcrio no cabvel a

usucapio pela via extrajudicial. Assevera que apesar de continuar sendo,

certamente, aquisio originria, a necessidade de que seja amigvel, isto , de que

haja a anuncia dos titulares de direitos do imvel usucapido bem como dos

confrontantes, faz com que haja a necessidade de se localizar a matrcula ou

transcrio do imvel objeto da usucapio bem como dos seus confinantes, sem o

que inviabilizado estar o procedimento de usucapio extrajudicial registral.

- Destaque-se que o fato de o imvel no possuir Matrcula ou Transcrio no o

inclui no rol dos bens pblicos, uma vez que, a ttulo de exemplo, pode ter sido

recebido por sucesso causa mortis anteriormente a 1916 sistema em que as

sucesses causa mortis no tinham assento obrigatrio no registro de imveis.

6 CINCIA DOS INTERESSADOS E FORMA DE CIENTIFICAO DE CADA UM

DOS INTERESSADOS

- Manifestao de qualquer interessado: 15 dias. (prazos so contnuos e

peremptrios e no podem ser dilatados nem por autoridade judiciria)

- Formas de ofertar cincia: edital e notificao

1 - Edital:

- 1 (uma) publicao em jornal de grande circulao;

- No havendo jornal de grande circulao na comarca, a publicao ser em

comarca vizinha ou em jornal de alcance estadual, o que for mais eficaz;

- Proprietrio do imvel usucapido (no se aplica);

- Proprietrios dos imveis confinantes (no se aplica);

- Detentores de direitos (imveis usucapido e confinantes) (no se aplica);

- Entes Federados (no se aplica);

- Terceiros eventualmente interessados (aplicao cabvel);

4o O oficial de registro de imveis promover a publicao de edital em

jornal de grande circulao, onde houver, para a cincia de terceiros

eventualmente interessados, que podero se manifestar em 15 (quinze)

dias.

- Terceiros eventualmente interessados (alcance):

- Hiptese 1: Ausncia de Matrcula ou de Transcrio? (imvel usucapido

ou confinante)

- No h como se exigir anuncia de proprietrio desconhecido

tratamento ser o de terceiro interessado.

- Soluo: pratica-se o ato. O Poder Judicirio tambm s poderia se valer

do edital. No foi atribudo ao registrador o poder de dirimir lide, mas no

h lide.

- Hiptese 2: Presena de Matrcula ou de Transcrio com notificado em

local incerto ou no sabido? (imvel usucapido ou confinante)

- Soluo: a remessa para o judicirio s implicar na publicao de edital.

Mesmo assim, no ser conveniente o deferimento na via extrajudicial

aps valer-se somente do Edital para tentar cientificar as partes

(proprietrio do imvel usucapido, dos imveis confinantes e dos

detentores de direitos). Ser interpretado como contorno determinao

de que o silncio do interessado identificado importa em recusa

vedao posta no 2.

ALTERNATIVAS PARA AS HIPTESE DE INTERESSADO CONHECIDO MAS EM

LOCAL INCERTO E NO SABIDO

A) Proprietrio usucapido identificado (mas em local incerto e no sabido):

- No cabe cientificao por edital; ou

- At cabe cientificao por edital, mas o silncio aps edital importa em

recusa.

B) Proprietrio usucapido no identificado (ausncia de matrcula ou de

transcrio):

- Cabe cientificao por edital, e o silncio aps edital importa em

aquiescncia.

C) Confinantes identificados (mas em local incerto e no sabido):

- No cabe cientificao por edital; ou

- At cabe cientificao por edital, mas o silncio aps edital importa em

recusa.

D) Confinantes no identificados (ausncia de matrcula ou de transcrio):

- Cabe cientificao por edital