Vitrine Lageana 119

  • View
    230

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana 119

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 28 dE FEVEREIRO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Presidente da Cmara de Vereadores assumiu o

    comando

    Poltica 4

    TRE cassa prefeito e vice de

    Anita

    Municpios da Amures tambm foram contemplados

    Cidade 6

    PAC 2 entrega mquinas a municpios

    Colombo em Lages pela segunda semana consecutiva

    Geral 13

    Governador inaugura novas obras na regio

    Lages, Sexta-feira 28 de Fevereiro de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 119

    O co nosso de cada diaLages contabiliza aproximadamente 90 mil animais entre ces e gatos, soltos pelas ruas. Eles precisam de cuidados.

    Fbio Ram

    os

    No oficialmente. Nem todo municpio ou estado considera

    como feriado.

    Carnaval feriado?

    A providncia est sendo tomada. Nos prximos dias o Municpio efetiva o servio de castrao em ces de rua. Pg. | 03

    Av. Duque de Caxias, 333, Centro, Lages - SC

    Fone: (49) 3222-6020

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 28 dE FEVEREIRO de 2014Que bom! Estamos em crise!A crise a melhor beno que pode ocorrer com as pessoas e pases (e empresas), porque a crise traz pro-gressos. A criatividade nasce da angs-tia, como o dia nasce da noite escura. na crise que nascem as invenes, os descobrimentos e as grandes estrat-gias. Quem supera a crise, supera a si

    mesmo sem ficar superado.Quem atribui crise seus fracassos e penrias, violenta seu prprio talento e respeita mais aos problemas do que as solues. Sem crise no h desafios, sem desafios, a vida uma ro-tina, uma lenta agonia. Sem crise no h mrito. na crise que aflora o melhor de cada um.Quando as coisas esto bem, natural que nos acomodemos com os bons resultados e caminhemos para uma Zona de Conforto. Quando as crises aparecem, contudo, existem duas escolhas possveis: Zona de Desistncia ou Zona de Aprendizagem.As crises, seja na vida pessoal ou profissional, so, de fato, grandes

    oportunidades de reinveno, cresci-mento e realizao. A vida, a carreira, os relacionamentos, o casamento, as atitudes, o relatrio, o resultado, a lider-ana, enfim, tudo pode melhorar um pouquinho, desde que estejamos disp-ostos a nos empenhar neste processo.Com crise, ou sem crise, algumas perguntas que nos ajudaro a focar na soluo e no no problema, e assim enxergar alm do estamos vendo, so: o que eu posso fazer para melho-rar ou resolver essa situao? O que eu

    preciso parar de fazer? O que eu preciso comear a fazer? O que eu preciso con-tinuar fazendo?Por isso, uma das responsabili-dades do lder inspirar a supe-rao, de uma crise, quando ela se apre-sentar, ou de um bom resultado, que apesar de estar bom, pode certamente ficar melhor.

    (*) Marco Fabossi Conferencista, Escritor e Consultor

    Nossa Opinio

    Independente dos desenten-dimentos com os parceiros polticos, o gover-nador Raimundo Colombo tem motivos de sobra para comemorar os picos de sua administrao. Alm do bom andamento dos projetos do Pacto Por Santa Catarina, e que, inclusive, tem lhe ren-dido homenagens por onde tm passado, no caso do Oeste, na semana passada, os dados do ndice de Atividade Econmica Regional (IBCR-SC) apontam crescimento da economia (4,1%), acima da mdia nacional (2,5%).Os nmeros dos apon-tamentos ilustram um panorama extremamente positivo para o Estado, que, a partir da forte diversifi-cao econmica, especial-mente na indstria, consti-tui um modelo de economia avanado, e que na opinio

    dos especialistas do Depar-tamento de Economia da Federao das Indstrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc), precisa ser conser-vado. Conforme disseram, em 2013 o Estado cresceu mais no campo da Agro-indstria e na Pecuria.Tais indicadores sur-gem em boa hora para o Governo que sofre certa turbulncia interna poltica dos prprios aliados. Um desconforto que precisa da superao a partir de fatores concretos e que se configurem perante a opinio pblica, como sendo o resultado das polticas administrativas, construdo com base na proposta direta do governante. Com certeza, Raimundo Colombo saber tirar proveito do timo momento em que o Estado atravessa na sua economia.

    Pode comemorar

    Grimpa

    Quanto mais alertados sobre os problemas ambi-entais e a necessidade de respeito com a nature-za, e mais ainda, das facilidades que hoje so criadas para o destino correto do lixo, em Lages, h quem no tenha o mnimo de conscincia. So mais de 30 pon-tos, ou seja, em ruas mais afastadas e terrenos baldios, que se percebe a ignorncia de pessoas que no esto nem um pouco preocupadas com o meio ambiente. O acmulo surpreende as autoridades, que apesar de procederem a limpeza rotineiramente, no conseguem vencer a irresponsabilidade de muitos. Simplesmente lamentvel...Semconscincia

    No se sabe em que p anda a lei municipal, em Lages, e que deve vingar para o controle dos sons automotivos. Na cidade, tanto os que detm carros publicitrios quanto os jovens que costumam montar verdadeiros aparatos de som em seus carros, torram a pacincia da populao. O som alto parece motivado apenas pelo praz-er de fazer barulho. J os veculos de publicidade, ao funcionarem nas ruas, precisam apenas controlar o volume. E ento vereadores, como anda o processo?

    !

    ...

    Difcilcompreenso ?SonsautomotivosA opo de ir a um estdio de fute-bol, especialmente em grandes centros, infelizmente, no motivo apenas de alegria ou confraternizao, e ver o time do corao. O gostar do futebol tambm provoca medo. As torcidas adversrias se hostilizam a todo o momento. Basta lembrar o que aconteceu em Santa Catarina, no ano passado, entre os torcedores de Vasco da Gama e Atltico Paranaense. No fi-nal de semana que passou, torcedores do So Paulo agrediram e mataram um torcedor do Santos. Uma selvage-ria ftil, que foge os limites da razo!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 28 dE FEVEREIRO de 201403

    Con ra outros produtos e formas de acumular nmeros em sorteemcamposicredi.com.br

    = nmerosda sorte2ouem depsitos a prazoR$ 200 R$ 300em poupana*Ttulo da

    mod

    alid

    ade

    ince

    ntiv

    o em

    itid

    o pe

    la Ic

    atu

    Capi

    taliz

    ao

    S/A

    , CN

    PJ/M

    F n

    74.

    267.

    170/

    0001

    -73,

    Pro

    cess

    o SU

    SEP

    n 1

    5414

    .900

    130/

    2013

    -82.

    A a

    prov

    ao

    de

    ste

    ttu

    lo p

    ela

    SUSE

    P n

    o im

    plic

    a, p

    or p

    arte

    da

    Aut

    arqu

    ia,

    ince

    ntiv

    o ou

    re

    com

    enda

    o

    su

    a aq

    uisi

    o,

    repr

    esen

    tand

    o, e

    xclu

    siva

    men

    te, s

    ua a

    dequ

    ao

    s

    nor

    mas

    em

    vig

    or.

    Serv

    io

    de I

    nfor

    ma

    o a

    o Ci

    dad

    o SU

    SEP:

    080

    0 02

    1 84

    84

    (dia

    s t

    eis,

    das

    9h3

    0 s

    17h

    ) ou

    ww

    w.s

    usep

    .gov

    .br.

    Ouv

    idor

    ia I

    catu

    Se

    guro

    s: 0

    800

    286

    0047

    . Fun

    dos

    de in

    vest

    imen

    to n

    o c

    onta

    m c

    om a

    gar

    anti

    a do

    adm

    inis

    trad

    or d

    o fu

    ndo,

    do

    gest

    or d

    a ca

    rtei

    ra,

    de q

    ualq

    uer

    mec

    anis

    mo

    de s

    egur

    o ou

    , ain

    da, d

    o Fu

    ndo

    Gar

    anti

    dor

    de C

    rdi

    to -

    FG

    C. A

    ren

    tabi

    lidad

    e ob

    tida

    no

    pa

    ssad

    o n

    o re

    pres

    enta

    ga

    rant

    ia

    de

    rent

    abili

    dade

    fu

    tura

    .

    reco

    men

    dada

    a l

    eitu

    ra c

    uida

    dosa

    do

    pros

    pect

    o e

    do r

    egul

    amen

    to d

    o fu

    ndo

    de i

    nves

    tim

    ento

    pel

    o in

    vest

    idor

    ao

    aplic

    ar o

    s se

    us r

    ecur

    sos.

    Pro

    mo

    o v

    lid

    a du

    rant

    e o

    per

    odo

    de 2

    0/01

    a 3

    1/07

    /201

    4, p

    ara

    os a

    ssoc

    iado

    s da

    s co

    oper

    ativ

    as

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Con

    sult

    e o

    regu

    lam

    ento

    com

    plet

    o da

    pro

    mo

    o e

    m

    sort

    eem

    cam

    posi

    cred

    i.com

    .br

    ou n

    as c

    oope

    rati

    vas

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Pr

    odut

    os e

    ser

    vio

    s su

    jeit

    os

    dis

    poni

    bilid

    ade

    na s

    ua c

    oope

    rati

    va d

    e cr

    dit

    o.

    Para

    info

    rma

    es s

    obre

    pro

    duto

    s e se

    rvi

    os e

    con

    di

    es d

    e co

    ntra

    ta

    o, d

    irija

    -se

    a um

    a de

    nos

    sas

    unid

    ades

    de

    aten

    dim

    ento

    . Pr

    mio

    s pa

    gos

    em m

    oeda

    cor

    rent

    e na

    cion

    al e

    lq

    uido

    s de

    im

    post

    os.

    SAC

    Sicr

    edi

    - 08

    00 7

    24 7

    220

    / D

    e c

    ient

    es

    Aud