of 24/24
Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 Ano 3 - Edição 104 - Lages, 08 de novembro de 2013 R$ 2,00 Viva Serra e suas múltiplas atrações Paramotor Gliders Photos/Reprodução CVC LAGES Via Gastronômica 3222-0887 Hipermercado BIG 3224-9293 O turismo de eventos na região está bastante movimentado em função das belas atrações do Viva Serra. Neste fim de semana tem festival de Paramotor, em Urubici, e festival de aviões em Bom Retiro, entre outros atrativos. | PG. 17 Romildo Titon assume a presidência da Alesc Política 04 Prefeitura de Lages começa a receber novas máquinas Cidade 06 Frigorífico vai estimular produção de peixe Economia 08 Curso ensina técnicas de pintura imobiliária Geral 12 Chegam os primeiros médicos estrangeiros Saúde 15

Vitrine Lageana Edição 104

  • View
    230

  • Download
    5

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana Edição 104

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3Ano 3 - Edio 104 - Lages, 08 de novembro de 2013

    R$ 2,00

    Viva Serra e suas mltiplas atraes

    Param

    otor Gliders P

    hotos/Reproduo

    CVC LAGESVia Gastronmica

    3222-0887Hipermercado BIG

    3224-9293

    O turismo de eventos na regio est bastante movimentado em funo das belas atraes do Viva Serra. Neste fim de semana tem festival de Paramotor, em Urubici, e festival de avies em Bom Retiro, entre outros atrativos. | PG. 17

    Romildo Titon assume a presidncia da Alesc

    Poltica04Prefeitura de Lages comea a receber novas mquinas

    Cidade06Frigorfico vai estimular

    produo de peixe

    Economia08Curso ensina tcnicasde pintura imobiliria

    Geral12Chegam os primeiros mdicos estrangeiros

    Sade15

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3

    A maior, e talvez a mais complexa questo enfrentada por empreende-dores e gestores a motivao de sua equipe. Diferente de outras barreiras que precisam ser ultrapassadas para alcanar o sucesso, no h nenhuma frmula para lidar com pessoas. Como fazer com que elas se sintam satisfeitas com o trabalho e desen-volvam as atividades da melhor forma possvel?

    Em tempos de crise - e de con-sequentes cortes no quadro de funcionrios -, a energia dentro do ambiente corporativo afetada. A ameaa de desemprego um golpe na autoestima do funcionrio e o entra-e-sai de pessoas compromete a coeso de toda a equipe.

    Um gestor-chefe ter mais difi-culdades para compreender e agir nessas circunstncias. Por ter sido moldado no velho estilo de coman-do e controle e na expectativa de resultados imediatos, ele no vai resistir tentao de sofisticar todas as formas de controle para obter produtividade a qualquer custo. Isso pode gerar uma tenso difcil de ser suportada, acionando mecanismos de defesa organizacional como absentesmo, desengajamento, m vontade e cinismo. O resultado a insatisfao de clientes e colabora-dores, alm da perda de qualidade e competitividade por parte da empresa.

    Um gestor-lder entende que os

    resultados so obtidos pelas pesso-as, e que seu papel mobilizar suas competncias potenciais. O gestor--lder tem uma dimenso poltica bem desenvolvida, uma vez que a maior parte do seu dia de trabalho dedicada aos relacionamentos e a conversas com os funcionrios.

    Diferentemente do gestor-chefe, que enfatiza fatores motivacionais extrnsecos, ou seja, recompensas financeiras e benefcios, o gestor--lder enfatiza fatores motivacionais intrnsecos como a possibilidade de realizao da pessoa por meio do trabalho, a possibilidade de apren-dizagem e participao ativa nas decises e resultados.

    Nas organizaes, incentiva-se o trabalho colaborativo ou de times. A metfora do mundo dos esportes levada muito a srio dentro e fora da organizao: existe at o incentivo e patrocnio de torneios de esportes coletivos.

    At mesmo o trabalho remoto (home office), quando da conveni-ncia do empregado e da empresa, bem administrado, fator de moti-vao para quem quer mais tempo para si mesmo e para a famlia, e fator de economicidade para am-bos (custos de transporte e outros recursos que a pessoa utiliza no escritrio).

    Sem dvida, essas recompensas ou fatores motivacionais geram um cus-to adicional significativo. Mas, uma

    vez postas em prtica, percebe-se que elas se tratam de investimentos que em mdio prazo geram lucros. As pessoas motivadas e satisfeitas, que sentem que o seu trabalho est sen-do reconhecido e valorizado, tm o impulso necessrio para trabalhar da melhor forma possvel e solidificar os laos que j possui com a empresa.

    Implementadas de forma criativa e dinmica, as medidas de incen-tivo aumentam a produtividade do funcionrio, suprindo tanto necessidades primrias, como a de segurana, quanto as secundrias, como as sociais, de estima e de auto realizao.

    Talvez esteja aqui a maior diferen-a entre o chefe e o lder: a sensibili-dade para identificar, compreender e atender as necessidades de cada uma das pessoas de sua equipe de trabalho, mobilizando o que elas tm de melhor e ajudando em seu processo de desenvolvimento tanto para a realizao dos objetivos do indivduo quanto da organizao.

    Opinio

    Opinio do Leitor

    Voc lder ou apenas um chefe?

    Espao reservado opinio de nossos leitores. Caso voc queira tambm se ex-pressar, nos envie um email com sua opinio ou sugesto para:[email protected]

    Luiz Alberto FerlaFonte: Revista Incorporativa

    Em Joinville houve at briga durante a discusso de projeto propondo o rebaixa-mento de caladas para a cria-o de estacionamentos em frente dos estabelecimentos comerciais. So os estacio-namentos sobre as caladas. Em Lages, ningum discute, aprova ou desaprova. A cria-o dos estacionamentos par-

    te da deciso do comerciante, ou seja de quem for. No h interferncia. O problema que o estacionamento passa a ser monitorado de forma particular, e retira o espao oblquo, em que qualquer cidado poderia estacionar o carro. O outro passa a ser reservado a clientes. Mais ou menos isso.

    Rebaixamento de caladas

    Desde que os vereadores mu-daram de sede, nunca mais foi dada manuteno Rua Ma-rechal Deodoro, a principal via de chegada ao Hospital Tereza Ramos. Alis, esta rua bem que merece ser totalmente

    asfaltada. Se h previso, tudo bem. Mas, caso contrrio, est mais do que na hora de que a operao tapa buracos contem-ple essa rua, especialmente, na baixada que d acesso ao antigo Vermelho.

    Na Marechal

    Por mais que se discuta ou avancem as aes visando a mobilidade urbana, espe-cialmente, no que tange aos padres das caladas, Lages, em diversos pontos da cida-de, so muitas as construes irregulares. H casos, em re-as perto do Centro, como na

    Rua Otaclio Vieira da Costa, prxima Praa Joca Neves, em uma residncia, parte do barranco toma conta do espa-o da calada at hoje. Nem mesmo a p possvel passar, a no ser pela rua. Imaginem ento um deficiente visual ou cadeirante.

    Em Lages

    Em alguns pontos da Av. Belizrio Ramos, na divisa dos bairros Copacabana e Santa Helena, comum ver sacos de lixo pendurados nas rvores junto ao rio. Impressiona a falta de conscincia de mora-

    dores prximos, que preferem ornamentar as rvores, ao passo que poderiam construir uma lixeira em frente s casas. H, os que no penduram, mas jogam diretamente no Carah.

    Lixo

    Ano aps ano, acontecem nas cidades serranas diversas reuni-es visando fomentar o turismo regional. Destes encontros so redigidos documentos que, em tese, devem ser postos em prtica futuramente. Porm, o futuro vai virando passado, e pouco ou quase nada do que fora discutido, se configura. No de duvidar de que logo outro encontro para debater sobre o turismo serrano, acontea. incompreensvel que aps tantas discusses em torno do tema, a Serra Catarinense no tenha ainda adotado uma postura prtica, avanada, determinada, que possa evidenciar a regio como um polo turstico dentro do Estado, a exemplo do que acontece na Serra Gacha. Alis, exemplo

    visualizado constantemente.Salvo algumas excees, datadas

    no perodo de inverno, quando a geada e a neve cobrem de branco o verde dos campos, e, nesse caso, um turismo natural. As pessoas vem regio para ver as trans-formaes da natureza e sentir o frio. Por outro lado, o Viva Serra, no campo do turismo dos eventos, tem tambm salvado algumas cidades dos ostracismo absoluto, j nas estaes mais quentes. Mas, isso tudo, representa muito pouco para consolidar nossa regio, com um ponto de atratividade e visi-tao em larga escala. O turista, acaba optando, na sua maioria, pelo litoral.

    H necessidade de esforos bem maiores, e com a ampla participa-

    o de todos os municpios serra-nos. No h na raiz da questo, pessoas realmente comprometidas em desenvolver o turismo, a partir dos encantos naturais, aqui exis-tentes. E se tem, no fazem nada para premiar atravs da mdia a divulgao abundante dos mais diversos pontos existentes. Quem sabe pelo Brasil afora da existn-cia, por exemplo, dos Aparados da Serra? Da Coxilha Rica? Com certeza, poucos. Ento meus caros lderes que se dizem entendidos ou defensores do turismo, est mais do que na hora de parar de apenas discutir, e sim avanar em projetos prticos, que possam, de uma vez por todas, planejar, estruturar e fazer acontecer. Este assunto, no encerra aqui.

    Nossa Opinio Turismo no avana

    02

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 03Ruy Sard BehlingEconomista

    Eu nasci sob o signo das ditadu-ras. Em 1933, Hitler foi convidado pelo Presidente Paul Von Hinden-burg para Chanceler da Alemanha, lanou-se ento ao estabelecimen-to da ditadura absoluta. Tudo por culpa do vergonhoso e maldito Tratado de Versalhes. Nasceu na ustria. Estudante medocre, no conseguiu graduar-se no curso secundrio, procurando, ento, em duas tentativas malogradas, ingressar na Academia de Belas--Artes de Viena. Ao irromper a Primeira Guerra Mundial (1914), alistou-se no regimento bvaro. Foi ferido e condecorado por atos de bravura.

    Quando acabou a guerra, ligou--se, como agente do exrcito, ao pequeno Partido Trabalhista Alemo, de Munique. Em 1920, incumbido da propaganda do partido mudou o seu nome para Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemes (Nazi). Em 1921, feito presidente do par-tido com poderes ilimitados, pla-nejou a criao de um movimento de massas, atirando-se a uma srie de comcios. Em 1923, aprovei-tando o descontentamento popu-lar com o Tratado de Versalhes, acrescido da terrvel inflao que assolava o pas, tentou apoderar--se do governo da Baviera e iniciar uma ofensiva contra Berlim; mas o Putsch de novembro falhou, e ele foi condenado a cinco anos de recluso, dos quais cumpriu apenas 9 meses na Fortaleza de Landsberg. Durante este tempo, escreveu o primeiro volume do

    Mein Kampf (Minha Luta), uma exposio de suas ideias e um prognstico de sua futura ao poltica.

    Em 1933, convidado pelo Presi-dente Paul Von Hindenburg para Chanceler da Alemanha, lano-se ao estabelecimento da ditadura absoluta. Joseph Goebbels, como Ministro da Informao e Propa-ganda do Reich, por esse tempo, exercia controle total sobre os rgos de difuso de notcias do pas, promovendo as ideias de Hitler e orientando a opinio p-blica. Morto Hindenburg, Hitler acrescentou aos seus poderes de Chanceler os de Fhrer da Ale-manha, e, em fevereiro de 1938, assumiu o Ministrio da Guerra. A partir de janeiro de 1945, no mais abandonou a Chancelaria de Berlim, afinal aceitando como inevitvel a derrota. A 29 de abril, casou-se secretamente com Eva Braun. Suicidaram-se ambos, no dia seguinte.

    Presidente constitucional da Repblica Getlio Dornelles Vargas (1883-1954), estadista brasileiro, duas vezes presiden-te constitucional da Repblica (1934-1937 e 1951-1954), e duas vezes presidente em regi8me de exceo (1930-1934 e 1937-1945), nascido em So Borja, Rio Grande do Sul, e falecido no Rio de Janeiro. Poltico dos mais hbeis, presidiu uma verdadeira revoluo social controlada, que transformou as estruturas da 1 Repblica. Conduziu as reformas de maneira lenta e gradual, o que

    atenuou os choques e venceu re-sistncias. O Brasil na era Vargas comeou a perder sua feio de pas agrrio e semicolonial para adquirir caractersticas de nao moderna e em desenvolvimento. Criou a grande siderurgia e enca-minhou a soluo do problema do petrleo, em regime de monoplio estatal (aqueles que entregam o seu petrleo aos outros alienam a prpria soberania). Lanou as bases de uma avanada legislao trabalhista, arregimentou o pro-letariado em sindicatos e fundou o Partido Trabalhista Brasileiro (1945), dando aos operrios, pela primeira vez, participao ativa no jogo poltico. Inaugurou, assim, o populismo e a interveno do Estado na ordem econmica. Foi membro da Academia Brasileira de Letras.

    O Queremismo Com o fim da guerra, uma onda de sentimento democrtico varreu o mundo. For-ado a uma srie de concesses liquidao da censura, convocao de eleies e anistia para os presos polticos Vargas sentiu que lhe faltava o apoio militar e poltico, embora estivesse a seu favor a aura popular do queremismo (Quere-mos Getlio e Constituinte com Getlio), que chegou, em vo, a estimular. O movimento fracassou ante a determinao das Foras Armadas. Em 29 de outubro de 1945 era deposto por um golpe militar e retirou-se para So Borja

    Promulgada a nova constituio em 18 de setembro de 1946, s em dezembro Vargas voltou ao Rio de

    Janeiro para assumir sua cadeira de senador pelo Rio Grande do Sul. Mas afora algumas interven-es para criticar a poltica do seu sucessor, deixou-se ficar em So Borja, em exlio voluntrio, at o fim do governo.

    Do Novo Presidente. Em 1950, anunciou sua candidatura pelo Partido Trabalhista Brasileiro e, aps curta e vigorosa campanha, em 3 de outubro, 20. Aniversrio da sua vitria em 1930, estava eleito. A volta de Vargas assinala dois eventos importantes no campo administrativo: a criao da Petrobrs e da Eletrobrs. Na segunda metade do quinqunio presidencial, um incidente em 4 de agosto de 1954 a tentativa de assassinato do jornalista Car-los Lacerda, que custou a vida do Major-Aviador Rubens Florentino Vaz levou o segundo Governo Vargas ao desprestgio. Compelido a renunciar, preferiu se matar (24 de agosto de 1954).

    Com a eleio de 3 de outubro de 1950, o nosso vernculo foi enriquecido com o neologismo cristianizar, em decorrncia de que os simpatizantes do velho PSD terem votado no Getlio, quando por fidelidade partidria deveriam ter votado em Cristia-no Machado, ento candidato Presidncia da Repblica pelo PSD. J, h 63 anos, havia a infidelidade partidria, to comum nos nossos dias atuais, principalmente elos nossos polticos. Getlio Vargas jamais deveria ter voltado Pre-sidncia da Repblica; tambm

    quem tinha um fiel escudeiro como o Gregrio, no precisava de inimigos. Quando Getlio Vargas, em seu primeiro governo, lanou as bases de uma avanada legisla-o trabalhista, contemplando o trabalhador urbano, esqueceu-se do sofrido homem do campo que sempre viveu abandonado pelos nossos Poderes Pblicos, talvez propositalmente, triste sina do nosso homem do campo. Quando Vargas foi deposto em 29 de outu-bro de 1945, ele pediu ao General que o deps, trs dias para retirar os seus pertences do Palcio do Ca-tete. Ouvi dizer certa ocasio, que o Getlio quando acertava, acerta-va contra a sua prpria vontade, fato que eu no posso afirmar. At o final da 2 Grande Guerra Mun-dial o mundo se desenvolvia numa progresso aritmtica e aps o seu final -, o mundo se desenvol-veu numa progresso geomtrica. No obstante certos avanos im-portantes do Governo Vargas, no primeiro quinqunio da dcada de 50, assim mesmo no foi possvel acompanhar o vultoso avano tecnolgico ocorrido ps-guerra. A Alemanha e o Japo arrasados pela guerra, ambos foram rendidos incondicionalmente, tornaram-se j na dcada de 50, para gudio dos disciplinados e trabalhadores ale-mes e japoneses, duas potncias econmicas, s superadas pelos Estados Unidos. Precisamos de uma boa guerra, e perd-la. A guerra o expoente mximo da civilizao e, o expoente nfimo da cultura.

    Ditadura

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 04PolticaAssembleia nas mos do deputado Titon

    Entre os dias 8 e 25 de novem-bro, a Assembleia Legislativa ser comandada interinamente pelo primeiro vice-presidente da Casa, deputado Romildo Titon (PMDB), que recebe o cargo do presidente, deputado Joares Ponticelli (PP), nesta sexta-feira, s 11 horas, no Gabinete da Presidncia. Em segui-da, s 14 horas, Ponticelli assume interinamente a chefia do Governo do Estado, em cerimnia no Teatro Pedro Ivo, no Centro Administrati-

    vo, permanecendo no cargo at 17 de novembro, j que o governador Raimundo Colombo (PSD) e o vice Pinho Moreira (PMDB) estaro no Exterior. No dia 20 de novembro, Ponticelli viaja para Roma, na It-lia, ao lado de Pinho Moreira, para audincia com o papa Francisco. A comitiva pedir a canonizao da beata Albertina Berkenbrock.

    Titon encara a segunda interini-dade deste ano como mais um exer-ccio para 2014, quando assumir a

    Carlos Kilian/Agncia AL

    Titon assume o cargo em substituio a Ponticelli, que estar no comando do Estado

    Presidncia de forma definitiva. Irei cumprir a agenda institu-cional de presidente e aproveitar para conhecer ainda mais o setor administrativo e os funcionrios da Casa, dentro do processo de preparao para 2014, disse o deputado Titon.

    Durante os 16 dias, ele deve cumprir compromissos como sesses solenes fora da Capi-tal e eventos de municpios. Na sexta-feira (8), ele participa de inaugurao do novo Sistema de Abastecimento de gua de Campos Novos, no Meio-Oeste, e da abertura oficial da 8 Festa do Chimarro, em Catanduvas, tambm no Meio-Oeste.

    No sbado (9), ele estar na abertura das Termas Leonense, Barra do Leo, em Campos Novos. Na segunda-feira (11), o presiden-te interino vai at Campo Belo do Sul, na Serra, para a inaugurao da Pequena Central Hidreltrica Joo Borges e ainda participa da sesso solene da concesso de Co-menda do Legislativo Catarinense, na Assembleia Legislativa. Duran-te a passagem pela Presidncia, ele ainda recebe o Ttulo de Cidado Honorrio de Lacerdpolis, no Meio-Oeste.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 05

    Por Paulo ChagasVITRINE POLTICA

    Jaguaruna

    O Aeroporto Regional Sul Hum-berto Ghizzo Bortoluzzi, de Jaguaruna, j est na contagem re-gressiva para a inaugurao. Obteve, inclusive, o sinal verde da Agncia Nacional de Aviao (Anac). Por outro lado, o outro regional, o nosso, em Correia Pinto, segue sem definio de quando inaugura. O pior, que no se sabe ainda quando a obra ficar pronta;

    quando abrem licitao para a compra dos instrumentos; quem vai administrar e qual o sistema de operacionalizao a ser efetivado. E o nome do aeroporto? A sugesto j foi dada: do ex-piloto Ricardo Sell Wagner, j falecido, e que foi um dos responsveis pelo projeto do aeroporto, em Correia Pinto. Algum poderia, pelo menos, responder por tudo isso.

    Posso estar errado

    Diante do panorama poltico que se desenha no pleito de 2014, em especial, nas candidaturas esfera federal, o quadro desanimador. Posso estar errado. Mas, o nmero de propensos candidatos que comea a ser apresenta-do, s vai atrapalhar. Um vai tirar voto do

    outro. Portanto, se no houver consenso, mais uma vez, a Serra Catarinense ficar recheada de suplentes. Carmen Zanotto que o diga. Menos mal que ela assumiu o cargo e nos representa. No caso da Assembleia Legislativa, penso que pelo menos um a Serra eleja.

    Ascom Congresso

    Governador

    A participao temporria do depu-tado estadual Joares Ponticelli, a frente do Governo do Estado, a partir desta sexta-feira (8), tem muito mais razes do que a simples necessidade. O Partido Progressista, do qual o nobre deputado faz parte, j parte integrante da aliana visando a reeleio de Raimundo Colom-

    bo ao Governo. Portanto, o fato de ser o mandatrio no Estado, mesmo por poucos dias, significa uma honra mxima nesse mundo poltico. Ou seja, uma valorizao e tanto. Ponticelli fica no cargo at o dia 17 de novembro, por conta da viagem ao exterior de Raimundo Colombo e do vice, Eduardo Pinho Moreira.

    Carlos Kilian

    O Secretrio de Comunicao do Governo do Estado, Nelson Santiago estar em Otaclio Costa nesta sexta-feira (8), participando da reunio

    Recursos do Fundam

    Pelo menos quatro municpios catarinenses, guas de Cha-pec, Correia Pinto, Iomer e Rio das Antas receberam nesta quinta-feira (7), recursos do Fundo de Apoio aos Municpios (Fundam), que destinar R$ 576 milhes em investimentos em todas as cidades catarinenses. Os con-vnios foram assinados pelo governador Raimundo Colombo. O dinheiro para

    investimentos exclusivamente nas reas de infraestrutura e mobilidade urbana; construo e ampliao de prdios nas reas de educao, sade e assistncia social; construo nas reas de desporto e lazer; saneamento bsico; aquisio de equipamentos, veculos e materiais destinados aos servios de sade e educao; e mquinas e equipamentos rodovirios novos.

    Crise

    Tenho ouvido inmeras queixas dos prefeitos, diante das difi-culdades em que os municpios esto passando por falta de recursos. No en-tanto, fao por bem lembrar, que todos os atuais administradores municipais, deveriam saber a situao em que se

    encontrava o municpio, muito antes de se candidatar ao cargo de prefeito. Por-tanto, agora, com mais de 11 meses de gesto nas costas, afirmo que no cabe nenhum lamento. Ou assume tambm esse nus, ou que deixe o cargo. Chega de choro.

    Homem da comunicaoAscom Governo/SC

    mensal do Conselho de Desenvolvimen-to Regional. Alm disso, na Cmara de Dirigentes Lojistas, ele profere palestra, a partir das 15 horas, num encontro aber-to a jornalistas, publicitrios, assessores de comunicao e outros profissionais que atuam no ramo. Por certo, haver muitos questionamentos ao homem da comunicao de Raimundo Colombo. Por outro lado, na reunio do Conselho, vrios assuntos relacionados Serra Catarinense sero debatidos, e projetos j cadastrados no portal SC Transfe-rncias entraro na pauta de votao. O Conselho presidido pelo secretrio de Desenvolvimento Regional, Gabriel Ribeiro.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 06Cidade

    II Jantar Solidrio da APAE-Lages

    Com a expectativa de repetir o sucesso do ano passado, a Associao de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE) de Lages promove a 2 edio do to esperado jantar beneficente em prol das atividades da enti-dade, a ser realizado neste dia 08 de novembro, a partir das 20 horas, no salo verde do Clube Caa e Tiro.

    Com um especialssimo car-dpio tpico da Regio Serrana base carnes bovina, suna e galeto acompanhado de maione-se, farofa, arroz e saladas. Jun-tamente com o cardpio ser vendido refrigerante, cerveja e gua mineral. O evento pre-tende novamente proporcionar a todos os convidados um mo-mento nico, unindo amizade, lazer e solidariedade. Todos os ingredientes do cardpio foram doados pelos amigos da Apae.

    Durante o jantar acontecero apresentaes de danas como tango e dana de rua com a coreografia do professor Sal-sio Padilha, e alguns alunos da entidade.

    De acordo com a diretora da APAE Lages, Vera Silveira da Silva, o II Jantar Solidrio

    organizado pela instituio, objetiva arrecadar fundos para a construo do Centro de Con-vivncia do Aluno Idoso, no qual j iniciou-se as obras.

    Sero disponibilizados 1.000 lugares para o jantar ao custo de R$ 25,00 cada. As reservas de-vem ser feitas pelo telefone:(49) 3222 2726 ou pelo e-mail [email protected]

    Localizada na Rua Joaaba, 280, Centro, a APAE Lages uma das mais respeitadas e tradicionais entidades da ci-dade, atendendo nos perodos matutino e vespertino alunos deficientes intelectuais de 0 a 60 anos de idade. Para mais infor-maes sobre a entidade, acesse o site: apaedelages.blogspot.com/ ou https://www.facebook.com/apaedelages.lages.

    Elizandra Pandini

    Nilton Wolff

    Vereador Domingos quer estimular o debate sobre a violncia contra a mulher

    Sero investidos mais de R$ 15 milhes na parte de infraestrutura do municpio, como ruas e estradas

    Debate sobre a violncia contra a mulher

    Parte do novo maquinrio j est em Lages

    A proposta do vereador Prof. Domingos, que solicita por meio do requerimento 171/2013, a realizao de uma Audincia Pblica, para debater os temas sobre o combate a violncia con-tra mulher e os reflexos da Lei Maria da Penha em Lages.

    A audincia pblica f icou

    agendada para 25 de novembro, data em que se celebra o Dia Internacional da No Violncia contra a Mulher. A violncia contra mulher um problema mundial que no distingue cama-da social, portanto oportuno justamente nesta data promo-vermos o debate nesta Casa Le-

    Quatro retroescavadeiras novas chegaram, no incio desta semana, e encontram-se na garagem da Prefeitura de Lages, no bairro So Cristvo. O maquinrio, adquiri-do atravs de financiamento feito pela prefeitura junto Agncia de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc), com juros sub-sidiados pelo governo do Estado, faz parte do investimento de mais de R$ 15 milhes anunciados pelo prefeito Elizeu Mattos em setem-bro, durante visita do governador Raimundo Colombo.

    Para a aquisio das mquinas

    foram utilizados cerca de R$ 8 milhes. Alm destas, outras devem chegar nos prximos dias e sero utilizadas na parte de in-fraestrutura do municpio, como manuteno e melhorias de ruas e estradas no permetro urbano e no interior. So aguardadas mais duas escavadeiras grandes, dez caminhes caamba (sendo trs com cabine dupla), quatro patrolas e um kit tapa-buraco com equipamentos como bobcat e um caminho espargidor, utilizado para colocao de asfalto.

    As mquinas sero divididas

    entre as Secretarias de Infraestru-tura, de Agricultura e Pesca e do Meio Ambiente e Servios Pbli-cos. De acordo com o secretrio de Infraestrutura, Joel Netto Momm, os equipamentos chegaram em boa hora, pois, os que estavam disponveis encontravam-se suca-teados. A maioria das mquinas antigas deve ser leiloada. A nova aquisio vai facilitar muito o tra-balho da Secretaria para atender a demanda, garante. O secretrio reitera que esta a maior aquisio de equipamentos de infraestrutu-ra dos ltimos tempos em Lages.

    gislativa, afirmou o legislador que comentou ainda que se o problema no fosse to grave, indubitavelmente no seria ne-cessrio um dia especfico para recordar este tema. A reunio deve acontecer s 14h30min, no Plenrio Nereu Ramos.

    Santa Catarina ocupa a 25 posio no Ranking do Mapa da Violncia contra Mulher, o que configura um destaque positivo no pas, porm, alguns municpios esto includos entre os cem municpios mais violentos. Lages est na 17 posio, Mafra na 45, Crici-ma na 83, Balnerio Cambori 89 e Chapec na 91.

    Sero convidados Cleto Al-berto Ferreira, Grupo de Pes-quisa Educao e Controle Social UNIPLAC, Dr. Joo Castro Filho, Delegacia de Proteo a Mulher a Criana e Adolescente, Joatan Pereira, Diretor Secretaria da Assistn-cia Social, Dra. Erli Camargo, Coordenadora do Conselho da Mulher e o representante do Ministrio Pblico em Lages.

    Termine seus estudos de forma rpida e com qualidade

    fone: (49) 3225-4088

    Supletivo Expresso

    APRESENTANDO ESTE CUPOM A MATRCULA DE GRAA

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 07Cidade

    Pedro Troian

    Produto sai da pizzaria montado e pr-assado. Em casa voc termina e

    serve a gosto

    Rede LEVE PIZZA um jeito diferente de servir pizza

    Voc como todo mundo j deve ter pedido uma pizza para comer em casa com a famlia, a namorada, os amigos. Enfim, na maioria das vezes, s ligar para determinado nmero; fazer o pedido e ficar espera. Alguns minutos depois chega a pizza, que devido ao tempo do transporte geralmente chega menos crocante, mais fria e menos encantadora.

    A REDE LEVE PIZZA, h mais de um ano, chegou para mudar este conceito. Servindo mais de (70)

    sabores voc faz o seu pedido pelo fone: 3224-5394 e cumpre todo o ritual e espera a pizza. Quando ela chega. Voc nota a diferena. As pizzas da REDE LEVE PIZZA so montadas na hora com ingre-dientes frescos e tima qualidade e chegam sua casa pr-assadas, isso quer dizer que voc vai ter-minar de aquec-la. Isso significa que voc, sua famlia e amigos vo saborear uma pizza quentinha, saindo do forno, crocante, e que vai deixar o ambiente com aquele cheirinho encantador.

    Experimente e pea as pizzas da REDE LEVE PIZZA. O Servio Tele Entrega pelo nmero 3224-5394. E se preferir faa o seu pe-dido diretamente na Loja que fica na Rua So Joaquim, 959, que est aberta de tera a domingo das 16 s 23:00h. As pizzas so monta-das na hora, dentro de ambiente climatizado com todo o cuidado e higiene. As embalagens so lacra-das e voc assa sem precisar tirar da forma de papel que prpria para ir ao forno.

    Ento que tal convidar a famlia e os amigos para uma rodada de pizza da REDE LEVE PIZZA? Um jeito diferente e gostoso de servir.

    Sandro Scheuermann

    Daniele Mendes de Melo

    As inscries so gratuitas e vo at o prximo dia 20 na secretaria

    Quem reside no Tributo, Dom Da-niel, Pisani, Vila Esperana e Cristal

    tambm esperado

    Desenvolvimento nos Bairros vai ao Guaruj neste sbado

    Turismo comea a cadastrar artistas

    A Secretaria de Turismo est cadastrando artistas de rua para compor a programao do Natal Felicidade, que acontece de 30 de novembro a 23 de dezembro, com apresentaes nas principais ruas e praas de Lages. As inscries so gratuitas e vo at o prximo dia 20 na secretaria. Para fazer parte, os interessados precisam se encaixar em uma srie de critrios. Eles recebe-

    ro um cach simblico da prefeitura e as contribuies espontneas da comunidade, explica o secretrio Flvio Agustini.

    A ideia envolver os artistas como palhaos, malabaristas, mmicos e esttuas vivas no contexto natalino, havendo interao com lageanos e turistas. Trajando roupas tpicas das festas de fim de ano, eles oferecero a programao cultural comunidade

    e, ao mesmo tempo, potencializaro seu talento, diz. A preferncia ser para artistas locais e as apresentaes acontecero em pontos variados e horrios distintos, focando a arte de cada um, envolvendo quem circula pela cidade. A integrao garantir boas surpresas. Eles sero os porta--vozes do evento, contribuindo para embelezar o Natal Felicidade, des-taca Flvio.

    Depois de movimentar a po-pulao dos bairros So Miguel e Petrpolis, o evento Desenvolvi-mento nos Bairros ser promo-vido no Guaruj neste sbado (9), em estrutura montada no campo de futebol do bairro, em frente Associao de Moradores.

    Segundo o secretrio do Desen-volvimento Econmico, Trabalho e Renda, Lus Carlos Pinheiro Filho, a comunidade do Guaruj e bairros adjacentes (Tributo, Dom Daniel, Pisani, Vila Esperana, Cristal,

    entre outros) ser atendida das 13h s 17h.

    Sero oferecidos os servios do Banco do Emprego (para quem desejar entregar ou preencher cur-rculo, consultar vagas ou receber encaminhamento para selees), do Empreender Lages (informaes sobre abertura registrada de empre-sas e benefcios fiscais municipais), do Servio Brasileiro de Apoio s Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), alm das orientaes, pr-seleo de currculos e candidatos por parte das empresas Flex Contact e Fruticultura Malke.

    Para esse fim de semana est firmada parceria com o Centro de Ateno Integral Criana (Caic) Irm Dulce. Haver apresentaes de ballet, street dance, capoeira, violo e teatro (todos do Projeto de Ativi-dades Culturais Complementares - PACCs), alm da fanfarra (Programa Mais Educao, em parceria com a Associao de Assistncia Social, Trabalho e Cidadania - Samt) e ou-tras parcerias para oferecer piscina de bolinha e cama elstica, por exemplo, s crianas. Ser uma tarde de ser-vios e de lazer, assegura Pinheiro.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 08Economia

    Paulo Chagas

    O diagnstico da audincia de que a piscicultura est crescendo em SC, principalmente a produo em cativeiro

    Frigorfico vai fomentar a piscicultura na Serra CatarinenseA Audincia Pblica realizada

    na noite de quarta-feira (6), na Cmara de Vereadores, em Lages, abriu uma porta gigante para a agregao de nova renda nas pro-priedades rurais. A piscicultura surge com uma nova alternativa de produo em cadeia, mas de forma profissional na Serra Catarinense. Isso vai acontecer, em funo do surgimento de um projeto de abate e industrializao da carne de peixe de gua doce em Lages, atravs da empresa Belo Peixe. O assunto foi amplamente debatido durante a Audincia, numa proposio do vereador Gerson Omar dos Santos.

    O entendimento que todo o processo pode ser conduzido a par-tir da integralizao de produtores credenciados tecnicamente, atravs da orientao especfica da Epagri e demais agentes colaboradores, como o caso da Secretaria de Agri-cultura e da Pesca, da Prefeitura de Lages, e ainda de rgos fomen-tadores, como Banco do Brasil. A Regio Serrana apontada como uma das que tem a melhor quali-dade de gua do Estado e tambm do Brasil, para a criao de peixes de forma sustentvel.

    Conforme disse o empresrio Vil-

    so Isidoro, investidor da fbrica de processamento de peixe em Lages, a empresa j est com o processo burocrtico avanado. A obra deve iniciar a construo em janeiro de 2014; com a concluso prevista para o fim do mesmo ano, e ini-ciar a operao de processamento

    no incio de 2015. As espcies da matria-prima so a truta, tilpia, jundi e carpa. Juntamente com a Epagri foi feita uma pesquisa, e a concluso foi de que em Lages e toda a Regio da Amures tm um potencial muito grande para desenvolver a cadeia produtiva de

    peixes, desde a produo de rao, criao de alevinos at o produto final, destacou Isidoro.

    Pelo lado do Municpio de Lages, a Secretaria de Agricultura e Pesca est desenvolvendo o projeto Porteira a Dentro, que tambm contempla os produtores que qui-

    seremse agregar ao processo. Pois, quanto matria-prima, ficou claro que o projeto vai desencadear no meio rural uma nova alternativa de renda. Tanto, que desde j, os produtores podem comear, bus-cando informaes tcnicas junto Epagri. O secretrio Joo Boia-deiros acredita que est surgindo uma grande alternativa para o fomento das propriedades rurais. No entanto, todos tero que se instrumentalizar tecnicamente, seguindo as normas ambientais, para terem o cadastro efetivado, e assim se tornarem integrados e fornecedores.

    Quanto indstria de abate, o projeto bastante complexo, mas ter a garantia de total controle de sanidade, inclusive, com inspeo federal, do Ministrio da Agricul-tura. Todo o desenrolar do projeto teve e tem o acompanhamento da Secretaria Municipal da Agricul-tura e Pesca, que parceira, e com o conhecimento e a aprovao do prefeito Elizeu Mattos, que con-tribuiu com a doao do terreno e alguns incentivos fiscais. A pretenso atuar com mais de 500 proprietrios rurais, somente na Serra Catarinense, disse Isidoro.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 09

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 10Educao

    Sandro Scheuermann

    Claine Andrade

    Ao longo de 15 dias vrias atividades foram desenvolvidas para motivar os estudantes

    Os presentes sero entregues ao final da ao no Centro de Educao Infantil Municipal - CEIM pelo Papai Noel da UNIPLAC

    rvore dos Sonhos espera dos padrinhos na Uniplac em Lages

    Alunos do abrao da paz em escola

    Um esprito de paz e harmonia paira sobre as escolas do Sistema Municipal de Educao desde que o projeto Educao pela Paz foi lanado e envolveu todos os mais de 16 mil alunos da rede. Na Emeb Prof. Pedro Cndido, no Boqueiro, os estudan-tes e professores programaram um dia especial na segunda-feira (4) para celebrar o tema, com mensagens, msicas, apresentaes teatrais e um abrao simblico na instituio.

    A diretora Jane Salete Bender

    conta que o projeto mobilizou toda a estrutura, desenvolvendo as ati-vidades no coletivo. Foram duas semanas de programao e a cada dia um tema diferente relacionado paz era abordado desde o momento de orao, que realizado sempre an-tes de as aulas comearem. Tambm ocorreram dinmicas que mexessem com o emocional dos alunos, como abraos, filmes que tocavam e deixa-vam seus coraes mais abertos para as mensagens de paz.

    Desde o incio trabalhou-se na sensibilizao dos pais, mandando recadinhos, sementes de rvores a serem plantadas e outros mimos para os motivarem a participarem ativamente do projeto junto com aos filhos. A Secretaria de Educao est dando um grande passo, principal-mente porque cada escola trabalha o tema em sua comunidade. Come-amos em cada bairro e em breve o municpio todo estar contagiado com esse esprito de paz, reflete.

    Est montada no Hall de entrada da Biblioteca UNIPLAC, disposi-o para visitao da comunidade acadmica, a rvore dos Sonhos, uma grande rvore que traz o rosti-nho de 130 crianas, com 0 a 6 anos de idade, que sero adotadas pelos professores, tcnicos administrati-vos e acadmicos, para receberem de presente um brinquedo e uma pea de roupas no Natal deste ano.

    A rvore dos Sonhos um projeto de extenso que tem como objetivo integrar a comunidade acadmica

    e tambm os CEIMs de Lages, reascendendo o esprito natalino e proporcionando um Natal mais hu-mano, alegre e feliz para as crianas apadrinhadas.

    Os padrinhos tem at o 29 de no-vembro para escolher seu afilhado na rvore. Aps escolha, basta ir at o setor de Apoio Comunitrio (SAE) e informar os dados do seu escolhido, sem retirar a foto da criana da rvore. J a entrega dos presentes no SAE deve ser feita at dia 06 de dezembro.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 11Geral

    Rachel Sens Gamborgi Vallim

    Paulo Chagas

    Na safra 2013/14, o BB tem, dis-posio dos produtores mais de R$ 40 milhes, para desembolso at dezem-

    bro, segundo Pamplona

    Parque da Saudade revela os diferenciais a seus clientes

    Programa de estmulo pecuria prossegue

    O Programa lanado em 2011 tem o intuito de valorizar a voca-o econmica de Santa Catarina, em especial da regio serrana, por meio de investimentos que visam a melhora dos indicadores tcnicos que tratam do aumento da taxa de natalidade de terneiros, melhorias genticas, reduo da idade de abate e melhora da produtividade com eficincia na utilizao dos campos nativos.

    A proposta do Programa segue valendo at 2014. Para esse ano, o Governo do Estado apresentou

    Quem opta pelo Parque da Saudade tem conscincia das vantagens, a comear pelo sistema de jardinagem, visveis e inquestionveis. E nesta poca do ano que as flores esto ainda mais evidentes. Alm de ser o mais belo jardim de toda Lages e Regio, no h transtorno algum para os familiares e visitantes com a limpeza, consertos e lavao de tmulos ou outros encargos.

    Outro atrativo e facilitador aos visi-tantes do Parque da Saudade que as pessoas podem encontrar os jazigos dos seus entes queridos com facilida-de, fornecendo o nome do sepultado a empresa localiza imediatamente o local de repouso eterno. Dentro da proposta diferenciada, o cemitrio tem como base a tica e a filosofia de trabalho, com a igualdade absoluta entre os homens, nivelando a todos pelo verde do gramado identificando apenas com uma lpide.

    As famlias buscam eternizar as lembranas dos seus entes queridos em um cemitrio jardim, primeira-mente pela beleza do lugar, o que torna a visitao um verdadeiro ato de evocao da saudade. A organizao e a credibilidade da empresa tambm so elementos que pesam na deciso da escolha da ltima morada.

    Respeito ao meio ambiente

    O Parque da Saudade foi o pri-meiro cemitrio do estado de Santa Catarina a receber a licena am-biental. O sistema de drenagem sob os jazigos evita a contaminao do lenol fretico. Distribudos em todo o Parque existem 5 poos de monitoramento e uma estao de tratamento de efluentes, que capta toda a gua da drenagem, realiza o tratamento adequado e devolve a gua totalmente limpa, inclusive, potvel ao meio ambiente. Quem garante isso a FATMA que recebe a anlise da agua todos os anos.

    Capela tambm como diferencial

    A Capela do Parque da Saudade a maior e melhor estrutura de capela morturia em Lages e regio. Com 4 salas de velrios, equipadas com sala de repouso, ar condicionado, TV e frigobar, floricultura, lanchonete e administrao para fornecer as infor-maes necessrias aos familiares e visitante. Hoje esto vendidos cerca de 5 mil lotes, mas a capacidade total de 20 mil, e ainda, com possibilida-de de extenso.

    Plano comercial

    O trabalho atualmente, alm da venda de lotes e jazigos, dirigido venda de planos de assistncia funeral familiar e tambm um pla-no de funeral para maiores de 60 anos ou pessoas com doenas pr--existentes, e que muitas vezes no so amparadas por seguros; o que evita maiores transtornos, princi-palmente os de ordem financeira no momento de uma fatalidade. Desta forma a famlia no cai em ciladas no momento de grande abalo emocional, resolvendo toda esta degradvel situao com ape-nas um telefonema.

    O Dia de Finados

    O movimento foi intenso o dia todo. Foram realizadas duas missas: a primeira no perodo da manh celebrada pelo Bispo Dom Oneres e o Padre Roberto da Parquia Sagrada Famlia, com participao da Banda Ephata e Coral Encantos da Irmandade. No perodo da tarde, o Padre Juliano da Igreja do Antdio emocionou os visitantes com a Missa da Es-perana.

    projeo de atingir uma produo de terneiros, em torno de 140 mil cabeas. De acordo com dados apresentados pela Secretaria da Agricultura, Santa Catarina importa 40% da carne bovina consumida no Estado e apresenta expectativas positivas tambm no mercado internacional. O pro-grama tem ajudado na renda do pecuarista e, por sua vez, na di-namizao da economia regional.

    Para os produtores que dese-jarem fazer parte do programa, importante lembrar que ele feito a partir da concesso de bnus para pagamento de ju-ros previstos para as operaes de crdito do Programa para Agricultura de Baixo Carbono (ABC). Os agricultores podero financiar at R$ 1 milho para ser pago em at oito anos, com trs anos de carncia. A Secretaria da Agricultura subvenciona os juros quando o valor no ultrapassar R$ 80 mil. O Convnio existe desde dezembro de 2011 e est disponvel para os produtores rurais catarinenses, ressalta o presidente da Associao Rural de Lages, Mrcio Pamplona.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 12Geral

    A produo e direo do msico Luiz Maffei e do jornalista Jhonatan

    Matos, de Florianpolis

    Banco do Emprego est disposio para aqueles que se disponham a e aguardar por uma chance

    Vida do cantor Daniel Lucena mostrada em documentrio

    Parceria propicia curso de pintura

    O filme Certos Amigos, sobre o cantor e compositor Daniel Lucena, ser exibido nesta sexta--feira (8), s 20 horas, no Cine Marrocos, em Lages. O trabalho foca nas composies de Lucena. O longa-metragem tambm registra sua personalidade, os amigos, o incio da carreira e sua trajetria, a ligao com Lages e o sucesso em todo o Estado, alm das opinies dos principais artistas do cenrio musical catarinense e gacho que gravaram suas msicas. Foi um tra-balho de 9 meses, com mais de 20 horas de gravaes, mas resumidas em apenas 1 hora e meia, o tempo do documentrio.

    Daniel Lucena, integrante da banda Expresso Rural, cone nos anos 80 e 90 no Estado, autor de hits como Certos Amigos, Nas Manhs do Sul do Mundo e Reggae na Casa Amarela, alm de ser figura essencial no cenrio cultural catarinense. Todo o do-cumentrio foi sendo talhado a partir da construo das fontes, uma indicando a outra. No filme, detalhes como a forma em que os msicos o veem, com depoimentos

    A Secretaria de Desenvolvi-mento Econmico, Trabalho e Renda recepcionou na noite de segunda-feira (4) mais de 40 pes-soas inscritas para participarem do treinamento tcnico de efeitos decorativos e tintas imobilirias, oferecido gratuitamente pela em-presa Marin, representante das Tintas Suvinil e Tubos e Conexes Tigre. As aulas, ministradas pelo tcnico em tintas Sandro Pilatti comearam na noite de segunda

    e encerram nesta quinta-feira (7). Os alunos tiveram direito a apostila, certificado e carteirinha profissional de pintor.

    O objetivo, segundo o diretor da Marin e da Construmax, Max Ricardo Marin, foi aprofundar a ca-pacitao de pintores profissionais e ensinar tcnicas aos amadores, a fim de agregar valor justo mo de obra e diminuir o risco de proble-mas ocorridos diante do manuseio de tintas de forma errada, propor-

    cionando senso crtico durante a escolha dos produtos adequados e qualidade de esttica. Da pro-gramao fez parte, inclusive, a histria da pintura na humanidade e um compilado de informaes que ir transformar o modo de os pintores trabalharem, aumentan-do a carta de clientes. Alm disso, teve gente participando somente para deixar a prpria casa mais bonita, pois no havia restries para inscries, relembrou Marin.

    Paulo Chagas

    Daniele Mendes de Mel

    sinceros e que mostram detalhes amarrados ao trabalho do msico, com participao direta ou indireta de cada um dos depoentes.

    E imaginar que o longo documen-trio teve incio de um Trabalho de Concluso de Curso - TCC de jorna-lismo. A escolha por contar a vida de Daniel Lucena, recaiu pelo simples fato de que no havia ainda nenhum registro em audiovisuais sobre ele. E, a avaliarem melhor, os produtores descobriram que as canes do artis-ta no eram a nica fonte de talento, mas tambm, as composies. E concluram que Daniel Lucena um artista muito atual.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 13RegionalMinistra do MDS Tereza Campello vem a Lages para seminrio social

    Uma corrida rstica por entre os vinhedos

    A Assembleia Legislativa de San-ta Catarina (Alesc), a Federao Ca-tarinense de Municpios (FECAM) e a Prefeitura de Lages, atravs da Secretaria de Assistncia Social promovem no dia 21 de novem-bro, o Seminrio Catarinense de Desenvolvimento Social, no Salo de Atos da Uniplac em Lages. O evento uma proposio da depu-tada estadual Ana Paula Lima, lder da bancada do PT na Alesc, com apoio do deputado federal Dcio Lima (PT/SC).

    A ministra do Desenvolvimento Social (MDS), Tereza Campello, ser uma das palestrantes que far uma apresentao das atribuies do Ministrio. O momento ser voltado para os prefeitos, secre-trios, gestores tcnicos e profis-sionais que atuam no servio de assistncia social das cidades ca-tarinenses. A inteno atender principalmente os municpios de pequeno e mdio porte, at 100 mil habitantes. So regies que perce-bemos que sofrem com a falta de verba para investimentos na rea social e encontram dificuldade de acessar os recursos disponibiliza-

    O evento esportivo ser realizado pela primeira vez em uma vincola de Santa Catarina. O Circuito dos

    Vinhedos na Villa Francioni, locali-zada em So Joaquim, ir acontecer a partir das 9 horas da manh deste

    Agncia Brasil

    Photographic

    O evento ter como principal palestrante a ministra do MDS, Tereza Campello

    Pela primeira vez fundistas vo correr entre os vinhedos da Serra Catarinense

    Homem do Campo

    ndio GrossoO neologismo grosso, sur-

    giu aps a criao dos CTGs e a expanso dos movimentos tradicionalistas. Uma reao espontnea da cultura urbana por se achar mais culta ou polida que os habitantes rurais.

    Se num jogo de futebol, al-gum atirar sobre a arquiban-cada um saco plstico cheio de urina ao som de palavres contra a me do juiz, so gestos aceitos naturalmente, e no passa de expresso jocosa da boa gente da cidade. Mas se desembarca na Estao Ro-doviria, um homem do cam-po, nos seus rudes trajes de trabalho fora da economia e do fornecimento do prato alimentar- certamente iria escutar chacotas e provocaes por se tratar de um grosso afrontando a finesse urbana. No, no longnquo 1979 os jornais porto-alegrenses in-formavam que fora preso um homem de botas e bombacha por tirar satisfao de risos que despertava. Outra notcia informava que um tiroteio na frente do CTG resultara em dois mortos Eu disse que so mesmo uns bandidos. Se fosse na frente da Igreja diria Um desentendimento resulta em dois mortos, a polcia investiga os motivos.

    Felizmente para todos, o sculo 21 apresenta tendn-cias liberais ao chamado ndio grosso. A forma invarivel

    de seu viver, a gentileza no cavalheirismo rude de um desculpe a mo, a mo do corao. Esta forma austera e autntica de viver tem seduzido as famlias urbanas que vem nos grupos folclricos, nos CTGs, um espcie de escudo; uma proteo providencial de seu filhos, s mazelas mortais disseminadas em todas as es-quinas da urbanidade.

    Os autnticos e os abnega-dos, hoje lavam a alma ao verem jovens acadmicos indo as aulas vestindo pilchas, cavalos e cavaleiros tem se disseminado nas periferias, nas cavalgadas e passeios domingueiros. Este oxignio puro e natural que era exclusividade dos homens de campo, hoje oxigena os pul-mes de homens, mulheres e piazitos que estreitam os laos da vida urbana com os motivos de campo seja nos jogos de lao, no gaitao das bailantas, no dedilhar de uma guitarra, no f-lego que se toma para declamar versos da nostalgia campeira.

    Outro dia ouvi da boca de um piazito de sete aninhos, criado na cidade mas de sangue campeiro, dizer espontane-amente ao entrar e sentir o cheiro de um galpo: Papai, lar doce galpo. Isto de encher os olhos..., e o corao. Isto vida afora inesquecvel, com-pensador e marcante para um ndio Grosso, um homem do Campo.

    [email protected]

    domingo, dia 10 de novembro. Se-ro duas provas de 5 e 10 km com disputas no masculino e feminino. O Circuito ser realizado entre os vinhedos, localizados 1.260 me-tros acima do nvel do mar.

    O principal objetivo dos orga-nizadores estimular a criao de um polo turstico e esportivo agregando as riquezas da regio serrana, fomentando as atividades com conscincia e sustentabilida-de. A coordenao do evento dos profissionais: Sayuri Viegas, An-drea Teixeira e Leonardo Marmitt. A prova que ter a participao de 100 competidores, faz parte da programao do Viva Serra. Mais informaes no site: www.circui-todosvinhedos.com.br.

    dos pelo Governo Federal, des-taca a deputada Ana Paula Lima.

    O objetivo do Seminrio justa-mente levar para os profissionais que atuam com os programas so-ciais nas prefeituras catarinenses informaes que ajudem as equi-pes a elaborarem bons projetos, e fazer com que eles cheguem ao Ministrio de Desenvolvimento Social, para que os municpios se-jam beneficiados. Ser um dia de debates com gestores municipais e pesquisadores para ampliar co-

    nhecimentos sobre o acesso e via-bilidade de programas, projetos, servios e aes do Ministrio de Desenvolvimento Social e Com-bate Fome, pontuou Ana Paula.

    Alm da ministra do Desen-volvimento Social (MDS), Tereza Campello, a secretria Nacional de Assistncia Social do MDS, Denise Colim, e o secretrio Nacional de Segurana Alimentar e Nutri-cional, Arnoldo Campos, daro palestras sobre os programas do Governo Federal.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 14Entrevista

    Ano positivo para a CDL

    Em entrevista com o presidente da Cmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Lages, Nilton Rog-rio Alves, ele fez um relato de como foi o ano de 2013, e as mais diversas aes implementadas na

    entidade. Porm, em 2014, ele se licencia e deixa o cargo para a vice-presidente, Rosani Rodri-gues Pocai.

    Paulo Chagas

    VL Nilton, pode fazer uma rpida avaliao dos trabalhos neste 2013?

    NA - Este ano foi bem positivo. A Cmara de Dirigentes Lojistas teve vrias aes como a do CDL Recicla, da Pscoa, do Natal Premiado, do Dia das Mes, diversos encontros e plenrias que foram sempre reali-zadas na nossa sede social e com a forte participao dos associados e com excelente nvel. Ento, posso dizer com tudo isso que o 2013 re-almente foi um ano bom. A prpria reestruturao da sede administra-tiva, no centro, que passou por uma reforma, propiciando um ambiente moderno e com novo visual. Com isso melhorou tambm o atendimento ao pblico e aos associados, com uma gama de atividades e produtos ofertados. Hoje, a entidade conta com mais de 1.200 scios, e estamos trabalhando para chegar no final de 2014 com esse nmero ampliado para 2 mil associados. Por outro lado, a gente v com tudo isso, um fator bem positivo, pois, a gente quer mesmo fidelizar o associado com os produtos, e que possam ajud-los nos prprios negcios.

    VL - Fale mais especificamente dos produtos e a relao deles tambm com a comunidade?

    NA - Ns tivemos no geral a re-modelao dos produtos, tais como o da CDL Sade, a consolidao da Certificao Digital, o CDL Telefonia, o CDL Empregos, a criao do De-partamento Jurdico, entre outros. E, nesta questo de consolidar tais produtos, pensamos no redesenho deles; com adequao aos novos tempos, diante da necessidade do associado. As vezes a gente imagina uma coisa, mas o associado pensa diferente, por isso, a importncia da readequao. Ainda no que tange aos projetos, destaco o CDL Em-pregos, o qual, desenvolvemos em parceria com o Cedup, Uniplac, Caic, buscando com ele orientar nas ques-tes do empreendedorismo, ou qual a profisso adequada aos jovens, mostrando com isso, o quanto a CDL est inserida na comunidade.

    VL - E sobre o CDL Recicla, o que pode dizer?

    NA - Quanto a este projeto, es-tamos desenvolvendo em parceria com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente, e envolvendo tambm as escolas. E isso tudo tem dado um bom resultado. E, atravs destas parcerias j foram recolhidas mais

    Em 2013 a CDL destacou muito os ex-presidentes. Segundo Nilton

    Alves, quem tem histria, tem futuro

    de 5 toneladas de lixo eletrnico, num trabalho contnuo. At para exemplificar, ao chegar aqui na sede para a entrevista, percebi que a caixa coletora estava quase cheia. Isso mostra que nosso apelo est sendo atendido. Por outro lado, muitas vezes, as pessoas no tm um local para depositar o material. Portanto, no podemos s cobrar e sim dar as condies para que elas possam dar destino correto a esse tipo de lixo, e o que a CDL vem fazendo.

    VL - E que outros projetos esto sendo visualizados?

    NA - Ns estamos tambm acom-panhado o projeto da revitalizao do centro. A CDL est atuando for-temente na questo dando suporte ao pessoal do Centro Lages, que um ncleo da entidade. A partir dos prximos dias, deve-se comear a mexer no projeto. Alis, sobre isso, em conversa com o prefeito Elizeu Mattos tivemos a confirmao que logo ter incio a movimentao em torno do processo de revitali-zao. Tambm em parceria com a Prefeitura, atravs da Secretaria de Desenvolvimento, Emprego e Renda, estamos desenvolvendo outros projetos visando atender ao microempreendedor, colhendo com isso bons frutos.

    VL E sobre os 45 anos da entidade?

    NA - verdade, nesse ano, em julho, chegamos aos 45 anos de atividades. E, neste final de semana,

    num jantar/baile vamos comemo-rar no Serrano Tnis Clube, junto com os associados. Vale lembrar que neste ano realizamos vrias atividades com os ex-scios, tanto aqui na Sede, como na Cmara de Vereadores, sempre tentando homenagear essas pessoas que construram a entidade, pois, como sempre digo, quem tem his-tria, tem futuro.

    VL A quanto s aes visan-do o Natal e o Fim de Ano?

    NA - ns teremos agora a pro-moo do Natal Premiado, com os sorteio de 100 prmios e mais de 600 lojas participando. um evento que est bastante forte, aberto participao dos consumidores. E, j agora na segunda quinzena de novembro, comeam os sorteios. O objetivo incentivar os clientes a comprarem no comrcio local. Alm disso, a CDL, em parceria com a Secretaria do Turismo est desenvolvendo o Natal Felicida-de, que por sua vez, j est com a estrutura sendo montada. A inaugurao est prevista paro o dia 30 de novembro, sendo que o lanamento ocorre no dia 13. Trata-se de um projeto realmente bonito. Enfim, creio que este ser um ano que vamos encerrar com chave de ouro.

    VL Pode falar um pouco da rvore dos Desejos?

    NA - Esta iniciativa muito boni-ta. A estrutura est sendo montada aqui, ao lado da CDL, na Praa do Terminal, e vai possibilitar que as crianas depositem seus pedidos de Natal. Depois, a gente recolhe e juntamente com a comunidade, propiciamos a entrega dos presen-tes para atender o mximo possvel das crianas. O projeto comea a valer a partir de 1 de dezembro.

    VL O Sr. deve deixar o cargo de presidente. Qual a razo?

    NA - Eu estou entrando em licena no incio do ano que vem, e a vice-presidente vai assumir durante todo o perodo de 2014. O propsito deixar que ela tambm possa desenvolver seu trabalho junto entidade. Mas, a gente deixa a CDL com a certeza que de que foi feito dentro do que foi possvel, com tudo encaminhado para o fu-turo, e com os produtos em pleno funcionamento, como o caso do jurdico, que vai estar trabalhando para os associados, dentro da CDL.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 15Sade

    Oneres Lopes

    Sandro Scheuermann

    Conforme Raphael Cascaes, cerca de 200 colaboradores da Ateno Bsica participaro de seminrio na Uniplac

    O jovem mdico srio, Ali Hasan, especialista em sade da famlia, foi recebido com festa

    Serra recepciona os primeiros mdicos Novembro Azul: a vez de zelar pela sade do homem

    O Programa Mais Mdicos faz parte de um amplo pacto de melho-ria do atendimento aos usurios do Sistema nico de Sade, que prev investimento em infraestrutura dos hospitais e unidades de sade, alm de levar mais mdicos para regies onde no existem profissionais. Com a convocao de mdicos para atuar na ateno bsica de periferias de grandes cidades e municpios do interior do pas, o Governo Federal pretende garantir mais mdicos para os municpios do Brasil.

    As vagas foram oferecidas prio-ritariamente a mdicos brasileiros. Como no houve o preenchimento de todas as vagas, o Brasil passou a aceitar mdicos estrangeiros, com a inteno de resolver esse problema, que emergencial para o pas. Segundo fontes do Governo Federal, a criao de um programa para levar mdicos para regies carentes apenas uma vertente de uma srie de medidas estruturantes para aprimorar a formao mdica e diminuir a carncia de profissionais

    Se outubro foi rosa em nome do bem-estar da mulher, o ms de novembro ser marcado como o ms de preveno e promoo sade do homem. Por meio da campanha nacional Novembro Azul, a Secretaria de Sade de La-ges far uma srie de aes referen-tes s doenas que mais acometem o cidado lageano. Neste sbado (9), a partir das 9h, acontece o

    primeiro Mutiro de Atendimento Multiprofissional ao Portador de Diabetes, no parque Jonas Ramos (Tanque), promovido pela equipe de Sade do Idoso.

    Na manh de segunda-feira (11), cerca de 200 colaboradores da Aten-o Bsica do Municpio partici-paro do Seminrio Oficina Sade do Homem, no Centro de Cincias Jurdicas (CCJ) da Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac). Sero abordados temas como os trs tipos de cnceres que mais acome-tem o homem (prstata, intestino e pulmo), tabagismo, alcoolismo e acidentes no trnsito.

    No mesmo evento no Tanque haver tambm ao, proposta por meio de projeto de extenso dos cur-sos de Enfermagem, Odontologia, Educao Fsica, Psicologia. Fisio-terapia e Medicina da Universidade do Planalto Catarinense. O I Mutiro de Atendimento ao Portador de Diabetes busca chamar a ateno da sociedade sobre o impacto do diabetes, sobretudo para estimular polticas pblicas que favoream e possibilitem que os portadores da doena vivam mais e melhor.

    mdicos no pas.Na Serra Catarinense, alguns

    municpios que se habilitaram para o programa, comearam a re-ceber os profissionais da sade de outros pases. Em Bocaina do Sul chegou, na semana passada o m-dico srio Ali Hasan, clnico geral e com especializao em sade na fa-mlia. Um ato de recepo marcou a chegada do mdico, de apenas 26 anos, formado em Cuba. Segundo o prefeito Luiz Schmuler, o mdico ir atender na Unidade de Sade no centro da cidade e nos Postos de Sade do interior.

    Tambm na semana passada foi recepcionada em So Jos do Cerrito a mdica cubana Marieta Santos Garcia, de 47 anos e que ir atuar na Unidade de Sade do centro. Ela exerce a profisso h 22 anos e atua como clnica geral, ginecologista e pediatra e j trabalhou na Venezuela, mas atualmente trabalhava na cidade de Santiago de Cuba. J a cidade de So Joaquim foi contemplada com dois mdicos cubanos, o Alejandro Jose Tortolero Ne-grin e Olga Romelia Valderramos Sanchez. Ambos comearam a atender a populao nesta ltima segunda-feira.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 16

    [email protected]

    Bruno R

    osa

    O jogo das musas da V Models ser no intervalo do jogo principal entre o Inter de Lages Master e o Flamengo Master, evento que dever ter grande pblico presente. As musas levaro a campo muita beleza para os admiradores de futebol. No prometo um time com grandes jogadas, elas entraro em campo para deixar ainda mais bonito o espetculo, diz a diretora da V Models, Letcia Zanchetta. No percam este belo jogo que acontece neste sbado, dia 09 de novembro de 2013, no Estdio Vidal Ramos. O time das MUSAS DA V MODELS patrocinado pelo Jornal Vitrine Lageana, Honolulu e Postos Ipiranga.

    PhotoG

    raphic

    Divulgao/C

    digo

    E Victoria Komoroski mais uma vez desponta em belo comercial na RBS, da Loja Cdigo. Neste comercial ela faz par com o modelo new face, Lucas Marcon. A bela Victoria uma das modelos em maior atividade dentro da Agncia V Models, e far toda a campanha da loja de Primavera-Vero 2013/14.

    Outra modelo que est se destacan-

    do Anna Israel. A bela new face mal iniciou sua carreira e j est sendo solicitada para editoriais de moda. A famlia Israel tem 3 integrantes na V Models. Agora aguardar para ver as demais se destacarem tambm, afinal, a Agncia V Models tem mostrado por que tem o ttulo de N 1.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 17Turismo

    A fotografia do alto outro atrativo aos participantes do Festival

    Tibrio Bianchini (E) um perito em cavalgadas e conhece bem a Coxilha Rica

    Festival de Paramotor em Urubici

    Viva Serra acontece tambm em Lages

    O fim de semana do Viva Serra ser nas alturas. Em Urubici ocorre de sexta a do-mingo (8 a 10/11) o Festival de Paramotor. Pilotos de diferen-tes lugares do Brasil chegam para o evento, que contar tambm com exibio de fal-coaria, reunio Nacional da Confederao de Paramotor e a realizao do concurso fotogrfico Roseli Vieira.

    O Festival inicia ao meio dia desta sexta-feira e encerra no mesmo horrio no domingo. Sbado o evento ocorre duran-te todo o dia. Mais de 50 pilotos devem colorir o cu de Urubici nos trs dias do Festival. Um dos organizadores, Ricardo Maciel, afirma que o evento para a apreciao do pblico em geral e um encontro entre os amigos que gostam de voar.

    O encontro exclusivo

    de parapente motorizado e o pblico em geral pode apre-ciar a movimentao no cu da cidade gratuitamente junto rea de decolagem, loca-lizada no Bairro Esquina, ao lado do posto Baldessar, na SC-439, s margens do Rio Canoas. Ambulncia e UTI mvel estaro disposio dos participantes.

    As belezas naturais de Urubici so um dos atrativos do Festival. Este ano, as paisa-gens registradas em imagens fotogrficas durante o evento podero ser inscritas no con-curso fotogrfico Roseli Vieira. Todas as fotos concorrentes sero doadas prefeitura de Urubici, mesmo as que no forem premiadas pelo jri. As vencedoras recebero como prmios trofus e medalhas, alm de brindes fornecidos

    Para Lages a programa-o tambm extensa. Alm de degustao de vinhos e azeites, atraes para famlia em praa pblica e um show nacional, o festival organiza uma cavalgada Coxilha Rica no dia 23 de novembro tendo a frente o perito no assunto Ti-brio Bianchini. As inscries podem ser feitas no site www.festivalvivaserra.com.br.

    Por outro lado, o Viva Ser-ra segue at final de novem-

    bro com atraes culturais, gastronmicas e esportivas nas cidades de Bom Jardim da Serra, Bom Retiro, Rio Rufino, So Joaquim, Urubici, Urupema e Lages. A realiza-o do Governo do Esta-do de Santa Catarina com intermdio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de So Joaquim e da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional de Lages.

    Agncia So Joaquim Online

    Paulo Chagas

    pela Sol Paragliders.Outro atrativo do Festival

    de Paramotor a exibio de uma guia adestrada, que voa sob o comando do dono. Uma arena ser montada ao lado do posto Baldessar, na SC-439, para a exibio que ocorre no sbado tarde e domingo, pela manh.

    O paramotor est entre os esportes radicais que mais

    vem conquistando os aventu-reiros. Considerado uma adap-tao do parapente, a principal diferena est no motor adap-tado, usado somente para dar propulso na decolagem e para chegar a locais mais dif-ceis. O uso no pouso dispen-svel. O equipamento permite a decolagem de qualquer local plano, independente de altitude e condies de vento.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 18Vitrine CulturalHenrique [email protected]

    Concerto Sinfnico no Marajoara

    Divulgao

    Em Constante

    Banda Hemisfrio com novo lbum

    No Teatro do SESC, nesta sexta-feira (8), s 20 horas, com entrada franca, tem espetculo de dana com o grupo Triz Cia de Dana, de Florianpolis. Em constante busca explorar a con-dio de instabilidade na qual situam-se os corpos da socieda-de contempornea, tomando a noo de devir como condio de existncia do humano. Direcio-

    namos a nossa pesquisa partin-do de situaes e estados onde a constante busca do equilbrio, a fragilidade e o imprevisvel ge-ram pontos de interseco com outras vidas/corpos, encontros e desencontros [consigo e com o outro] construindo resolu-es e equilbrios no estveis, mas dinmicos. Direo: Diana Gilardenghi.

    A banda Hemisfrios, est trabalhando na divulgao do seu novo lbum, intitulado Ptria Amada. O disco foi gra-vado entre maio e julho deste ano, no Lugon Estdio, e est recheado de novidades. Alm de nove composies inditas, trs regravaes fazem parte do disco, sendo elas: Eterna Lembrana (Michel Anderson),

    Tom Natural (Daniel Lucena) e a Ressaca (Hemisfrios), essa ltima j presente no primeiro disco da banda, agora com uma nova roupagem. O disco passa por vrios estilos, folk, blues, pop rock, etc.. Com duas msi-cas de trabalho j tocando nas rdios locais: Longe e Coisas Proibidas, a banda se destaca pela autenticidade das letras.

    Orquestra Sinfnica de Lages far novo concerto, no dia 9 de no-vembro, a partir das 20h, no Teatro Marajoara. A apresentao est inserida na programao do ani-

    versrio da cidade e a entrada ser um quilo de alimento no perecvel. No repertrio, canes nativistas, numa forma de homenagear Lages. O evento ser uma realizao da

    Orquestra Sinfnica, com apoio da FCL. O grupo tambm ser uma das atraes da programao do Natal Felicidade, organizado pela Secretaria de Turismo.

    Divulgao

    Divulgao

    Divulgao

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 19Geral

    Agncia Alesc

    Claine Andrade

    Exposio estar no Museu Thiago de Castro at o final de novembro

    Plano de Demisso Voluntria da Epagri, segundo o presidente Hessmann, deve estimular inscries do Concurso Pblico

    Demisso voluntria tem alta adeso Exposio Memrias da Comunidade Afrolageana

    O recorde de inscries no Plano de Demisso Voluntria Incentivada (PDVI) da Epagri pode influenciar no nmero de candidatos do Cadastro de Reserva convocados para con-tratao. Estas pessoas podem ser chamadas medida que surgirem novas vagas.

    A alta adeso ao Plano de Demis-so supera a expectativa da empresa, que era de cerca de 400 inscries, mas j somam mais de 600. O con-curso da Epagri, que tem validade de dois anos (prorrogveis por mais dois

    anos), est diretamente vinculado ao PDVI. Sendo assim, quanto mais fun-cionrios deixarem a empresa neste perodo, mais candidatos do Cadas-tro Reserva assumiro as funes.

    Segundo o presidente da Epagri, Luiz Hessmann, o concurso, que est com as inscries abertas, oferece 94 vagas e formaes de Cadastro Reserva. Devemos contratar em fe-vereiro e maro mais de 250 tcnicos para renovar o quadro funcional da Epagri, diz.

    O concurso da Epagri recebe ins-

    cries at as 16h de segunda-feira, 11 de novembro. As provas sero realizadas no dia 1 de dezembro. Os salrios vo de R$ 832,71 at R$ 5.996,83, que podero ser acrescidos de vantagem ps-graduao (de 10% a 30% sobre salrio-base) ou adicional de graduao (20% sobre salrio-base).

    As inscries podem ser feitas pela internet e custam R$ 50, R$ 75 ou R$100, de acordo com o cargo. Para se inscrever ou conferir o edital, acesse o site da Fepese.

    O Ncleo de Estudos Afrobra-sileiro Negro, Educao e Indge-na (Uniplac) em parceria com a Pastoral Afro divulga a exposio Memrias da Comunidade Afro-lageana que est no Museu Thiago de Castro (MTC), Centro de Lages, durante todo o ms de novembro.

    Alusiva ao Dia Nacional da Cons-cincia Negra, celebrado no Brasil em 20 de Novembro, a exposio traz uma mostra do interior de uma casa modesta do Afrolageano, um espao de Memria das antigas moradias, trabalho e cotidiano das famlias negras que ajudaram na formao da cidade.

    A exposio apresenta a toda co-munidade imagens, na sua maioria feitas por pessoas annimas, que nos remetem a Lages de outrora, com seus encantos e peculiari-dades, cientes da importncia do MTC para a regio da serra catarinense como guardio da memria coletiva local, espao de ensino e aprendizado frequentado pela comunidade local, turistas e por escolas pblicas e particula-res. Objetiva-se com a pesquisa preparatria para esta exposio resgatar e valorizar a memria sobre a cultura material e histrica Afrolageana.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 20Segurana

    (Perguntas ou sugestes enviem um e-mail para a Redao ou para [email protected], ou visite o blog www.clebinho-oazedo.blogspot.com.br)

    UtilidadePblica

    Cleber de Souza Borges Tenente Coronel PM

    Proteger sua casa de arrombamentos

    Concurso Pblico para Polcia Militar

    Mais mulheres reforam o policiamento

    A Polcia Militar de Santa Cata-rina est com as inscries abertas para o Concurso Pblico para admisso no Curso de Formao de Soldado PMSC, at o dia 18 de novembro de 2013.

    Esto sendo oferecidas 470 vagas somente para o sexo masculino, no h vagas destinadas ao sexo

    feminino no presente concurso, em razo de que as vagas previstas sero preenchidas pelas candidatas aprovadas em concurso anterior.

    Os candidatos aprovados par-ticiparo do Curso de Formao de Soldado (CFSd), com durao aproximada de oito meses.

    Dentre os requisitos, o candidato

    No meio da semana, em reu-nio com o secretrio da Casa Civil, Nelson Serpa; o secretrio de Segurana Pblica, Csar Gruba; e o comandante-geral da Polcia Militar de Santa Catarina, coronel Nazareno Marcineiro; o governador Raimundo Colombo decidiu autorizar o ingresso das

    candidatas aprovadas no ltimo concurso da Polcia Militar e que ficaram de fora em razo da cota de 6%.

    A deciso foi tomada com base no parecer jurdico da Procura-doria Geral do Estado de que a convocao das candidatas apro-vadas atende a lei complementar

    n 587, de 2013, que dispe so-bre o ingresso nas carreiras das instituies militares de Santa Catarina. A autorizao oficial do ingresso das candidatas ser dada pelo governador durante ato p-blico na sexta-feira, 8, em ato, no auditrio do Tribunal de Contas do Estado, em Florianpolis.

    Concurso oferece para admisso ao Curso de Formao de Soldado PMSC, com inscries abertas at o dia 18 de novembro de 2013

    Divulgaot

    deve estar em dia com os deveres do servio militar obrigatrio; possuir altura no inferior a 1,65 metros; ter a idade mnima de 18 anos at a data da incluso; no ter completado a idade mxima de 30 anos at o ltimo dia de inscrio; e comprovar, mediante apresentao de fotocpia auten-ticada de certido de concluso ou de diploma do curso de gra-duao superior correspondente, registrado no rgo competente.

    A remunerao durante o curso de formao ser de R$ 2.402,49 a ttulo de indenizao de ensino, depois de formados sero promovidos a graduao de Soldado PM 3 classe, qualificado por mrito intelectual, passando a receber a remunerao mensal de R$ 2.910,31 com o estmulo operacional e adicional noturno.

    Para maiores informaes acesse a pgina da internet da Polcia Militar de Santa Catarina pelo site: www.pm.sc.gov.br.

    Um dos crimes mais fceis de prevenir furto - tambm um dos mais comuns. Em algum lugar no Brasil um furto cometido a cada 15 segundos. Se isso acontece na sua casa, voc perde mais do que algumas posses. Um arrombamento, mesmo quando voc no est l, tem um grande impacto em sua segurana e da sua famlia de segurana, retirando seu bem-estar.

    Aqui esto algumas dicas que voc pode usar para ajud-lo a manter sua famlia, sua casa e seus bens seguros.

    Dica n 1: no anuncie quando voc estiver ausente A primeira coisa que um ladro procura ao escolher uma casa

    para um arrombamento uma sem ningum dentro. Utilize timers automticos luminosos em toda a casa e programe-

    -as para ligar e desligar de uma forma que simula dos seus padres normais.

    Outras medidas: O mesmo tipo de timers pode ser usado para ligar rdios ou TVs; Considere o uso de cortina automtica temporizada e abridores

    de cortina; Diminua o volume da campainha do seu telefone, para que

    algum de fora no possa ouvi-los tocar; Se voc puder, programe seu telefone para que as chamadas

    sejam transferidas enquanto voc estiver fora. Assaltantes s vezes chamam para ver se algum da casa antes de um arrombamento;

    Providencie para que algum de confiana corte de grama de seus passeios, se voc vai ficar fora por um longo perodo;

    No suspenda seu correio e entrega de jornais. Pea a um vizinho para peg-los e guard-los;

    Pea a um vizinho para usar sua lata de lixo ao longo do tempo; Sempre estacionar o seu carro na garagem e mantenha a porta

    da garagem fechada. Dessa forma, algum olhando no sabe que seu carro no est l quando voc vai viajar;

    No interesse da segurana em casa, nunca deixar notas na porta. Eles simplesmente dizem a um assaltante, ENTRE.

    Dica n 2: dificultar o acesso Os assaltantes procuraram o que mais fcil.

    Nunca deixe portas ou janelas destrancadas, e nunca escon-der a chave da sua casa para fora, onde ela pode ser facilmente encontrada;

    Use portas slidas ou portas de metal que so mais garantidos com fechaduras de qualidade;

    Usando pelo menos um parafuso longo para unir cada dobra-dia de porta ir garantir ainda mais a porta contra arrombamento;

    Tratar a porta entre uma garagem anexa e da casa como uma porta exterior, e usar o mesmo tipo de bloqueios que voc usa na frente e porta dos fundos.;

    Qualquer janela ou painel de vidro da porta que est mais pr-ximo de 42 polegadas da fechadura deve ser reforada com uma pelcula de segurana para que um ladro no quebre o vidro e possa destrancar a porta;

    As janelas devem ser ligadas a um alarme e possuir fechaduras que funcionam a partir do interior, para que possam ser utilizados para fuga. Janelas tambm podem ser feitas mais fortes e mais seguras por revestimento com uma pelcula resistente ao impacto;

    Nas Janelas instale travas que as impedem de ser abertas mais de 10 centmetros por vez. Se voc fizer isso, avise todos em casa para saberem como remover as traves para fazer uma sada de emergncia;

    Usar uma haste de metal ou de madeira na pista de desliza-mento em portas de ptio de vidro para impedir que eles deslizem;

    Nunca deixe uma escada que pode ser usada para acessar o telhado ou uma janela do segundo andar do lado de fora ou em um galpo desbloqueado;

    Cortar galhos de rvores que pendem sobre o telhado, e remover todos os ramos mais baixos das rvores ao lado da casa.

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 21

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 22Esporte

    ltima rodadaO Internacional de Lages ter

    neste domingo em Canelinha contra o Oeste, se ltimo jogo pelo returno do estadual. A partida tornou-se importante para a equipe lageana que pre-cisa vencer para chegar final desta fase. E, chegando final e logrando xito com a conquista do ttulo, o Leo da Serra sagra-

    -se campeo da temporada da Diviso de Acesso, e evita o jogo da deciso do ttulo, pois, foi campeo da primeira fase. Vai ser uma rodada e tanto. Cheia de especulaes e de muitas emoes, mas quem quer ser campeo no pode temer tempo feio. Pensemos nisso enquanto tempo.

    CA EsportesPor Celso Aurlio

    Celso Aurlio

    Em Foco

    Valeu galera, at a prxima edio!

    J est circulando a edio nmero 58 da Revista CA Esportes. Matrias do esporte local em todas suas dimenses fazem parte da revista. Voc pode encontr-la nos ginsios de esportes, academias e lojas de materiais esportivos da cidade.

    JocolAs equipes da Portuguesa

    e Grmio Trs de Novembro fazem neste sbado a final do Campeonato de Futebol da Srie C do Jocol -Jogos Comunitrios

    de Lages. Vai ser uma deciso emocionante reunindo duas equipes que participaram pela primeira vez da competio, e j ascenderam Srie B.

    Internacional enfrenta o Oeste domingo

    Ex-craques do Flamengo faro jogo festivo

    O Internacional no est disposto a ter que apelar matemtica na ltima rodada

    Celso Aurlio

    Passada a folga dada ao elenco na segunda-feira depois da vitria con-tra o Barra, no domingo, por 4 x 0, o Internacional retomou os trabalhos de campo disposto a no depender de outros resultados para chegar deciso do returno da Diviso de Acesso do Campeonato Catarinense. Na ltima rodada da fase de classifica-

    o, neste domingo, o Inter enfrenta o Oeste, em Canelinha, enquanto o Jaragu - concorrente direto do Inter por uma vaga na final da fase - encara o Curitibanos, em Indaial.

    Inter e Jaragu esto empatados na segunda colocao no returno, com 16 pontos. No desempate pelo saldo de gols, o Inter est na frente: so 27

    Neste sbado, dia 9 de novem-bro, o time mster do Flamengo vir a Lages para fazer um jogo amistoso contra os veteranos do Inter. O duelo festivo ser no

    estdio Vidal Ramos Jnior. Os portes sero abertos s 14h, e a partida est prevista para iniciar s 17h. Os amantes do futebol tero a oportunidade de rever craques

    consagrados que defenderam o time mais querido do Brasil em diferentes pocas, alm de matar as saudades de atletas que jogaram pelo colorado lageano.

    gols de saldo do Internacional con-tra 15 do Jaragu. Isso significa que, se o Inter derrotar o Oeste por 1 a 0, o Jaragu ter que fazer no mnimo 13 a 0 para igualar o saldo colorado.

    Mas o Internacional no est dis-posto a ter que apelar matemtica na ltima rodada. Alm de acentuar os treinos das jogadas de ataque, o tcnico Nasareno Silva ter ainda o reforo dos atacantes Aldair Bahia e Elcimar, que estavam contundidos na ltima semana, mas voltaram aos treinos na tera. Com isso, o treinador ganhou mais opes para formar sua linha de frente.

    O Blumenau, que lidera o re-turno, com 17 pontos, enfrenta o Maga na ltima rodada, em casa. Como enfrenta a equipe mais fraca da competio, o BEC est virtual-mente classificado, e em primeiro lugar, para a deciso da fase. As finais do returno sero na prxima quarta-feira (dia 13) e no domingo (dia 17).

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 23Vitrine do Pakinha

    [email protected]

    Equipe de Vendas Konrad

    Marco Mariani e Polaco

    Nosso msico Ricardo Bergha fez aniversrio no dia 06-11

    Os manos Iran e Kiko Os manos Flvio Valente Domingos, Ivan, Sara e Vania Parati na pousada Pardiero no RS

    Parabns! 22 anos de aniversrio do Buticaio

    Mario e Srgio Godinho Mariana e a filha dela, Jlia Mariane

    Grande Pastor e amigo Marcos GirardNosso colunista e Tenente Coronel

    da PM, Cleber Borges, aniversariou no dia 06-11

    Grande dupla - pai e filho Paulinho e Osvaldo Uncini

  • Lages, 08 de novembro de 2013 - Ano 3 24

    CBMSC/Divulgao

    Com o poder de polcia administrativa os bombeiros podero interditar estabelecimentos flagrados em situao irregular com risco s pessoas e ao patrimnio

    Sancionada a lei que concede poder de polcia aos BombeirosO governador Raimundo Co-

    lombo sancionou integralmente a lei que confere poder de polcia administrativa ao Corpo de Bom-beiros Militar de Santa Catarina (CBMSC) para interditar estabe-lecimentos flagrados em situao irregular com risco s pessoas e ao patrimnio. As modificaes apresentadas pelos deputados durante a tramitao do projeto na Assembleia Legislativa foram mantidas pelo Governo do Esta-do. A sano ser publicada no Dirio Oficial do Estado desta sexta-feira (8).

    Ao receber, no dia 17 de ou-tubro, o projeto de lei aprovado pelos deputados, a Secretaria de Estado da Casa Civil enca-minhou o texto para anlise da Procuradoria Geral do Estado e da Secretaria de Estado da Segurana Pblica. Embora a questo relacionada aos bom-beiros voluntrios seja objeto de controvrsias, o governador Raimundo Colombo optou por no vetar as emendas aprova-das pelo parlamento estadual, considerando, inclusive, que lei sobre os convnios entre muni-cpios e bombeiros voluntrios

    Contracapa

    est sob anlise do Supremo Tribunal Federal, que ainda no se posicionou sobre o assunto, explica o secretrio da Casa Civil,

    Nelson Serpa. A lei considerada pelo coman-

    do do CBMSC um grande avano na histria da corporao. Alm

    de estabelecer o poder de polcia administrativa, ela prev uma srie de normas e requisitos para a preveno e segurana contra

    incndio e pnico. Os municpios s podero conceder alvar aos estabelecimentos aps o cumpri-mento dos itens descritos na lei e a expedio de atestados pelo Corpo de Bombeiros. A corpora-o no poder expedir atestado de vistoria para funcionamento sem o prvio atestado de vistoria para habite-se. Os municpios tambm no podero conceder alvar de funcionamento provi-srio para atividades considera-das de alto risco. A lei sancionada probe tambm a realizao de show pirotcnico em ambientes fechados.

    As notificaes previstas no projeto de lei podero se dar na forma de advertncia, multa, em-bargo da obra, interdio parcial ou total e cassao do atestado de vistoria para habite-se ou funcionamento. Haver prazo mximo de seis meses para re-gularizao. As multas previstas variam entre R$ 200 e R$ 10 mil e podem majorar em 50% a cada nova reincidncia. O projeto tambm estabelece o direito de recurso, no prazo de cinco dias teis, ao proprietrio do imvel notificado.