of 16/16
Opinião Saúde Segurança Turismo Cidade Educação Entrevista Cultura Lages, sexta-feira, 6 de junho de 2014 R$ 2,00 Ano 04 - Edição 133 Começa o “esquenta” da Festa O Recanto do Pinhão, que é parte do começo da Festa, abre neste sábado (7). A estrutura está praticamente pronta para uma semana de programação. | Pg. 3 Paulo Chagas Festa do Pinhão Secretários anunciam que os trabalhos vão seguir Cidade 6 Obras não param durante a Festa Estão expostas as novidades para o setor em SC Geral 8 Começa a Feira da construção civil Será a terceira chamada do Concurso para professores Educação 10 Governo faz nova chamada para o Magistério Show de sábado transferido para o Parque Conta Dinheiro Pinhão Blues Festival

Vitrine Lageana Edição 133

  • View
    217

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana Edição 133

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Lages, sexta-feira, 6 de junho de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 133

    Comea o esquenta da FestaO Recanto do Pinho, que parte do comeo da Festa, abre neste sbado (7). A estrutura est praticamente pronta para uma semana de programao. | Pg. 3

    Paulo C

    hagas

    Festa do Pinho

    Secretrios anunciam que os

    trabalhos vo seguir

    Cidade 6

    Obras no param durante

    a FestaEsto expostas as novidades para o setor em SC

    Geral 8

    Comea a Feira da

    construo civil Ser a terceira

    chamada do Concurso para professores

    Educao 10

    Governo faz nova chamada para o MagistrioCopa do

    MundoShow de sbado transferido para o Parque Conta Dinheiro

    Pinho Blues Festival

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014AutoestimaQuando se fala em autoestima, pensa-se logo em um bem estar consigo mesmo, algo positivo, diferente da baixa autoestima que caracterizada como algo negativo. No decorrer de nossa vida, vamos construindo crenas mediante nossa cul-tura e o ambiente em que estamos inseri-dos. Nessas perspectivas que formamos

    a autoestima. Mas, o que significa autoes-tima? Autoestima a percepo que temos de ns mesmos, a maneira com que nos sentimos a nosso respeito, se pensamos e sentimos positivamente, teremos autoes-

    tima, do contrrio, com emoes e pensa-mentos negativos, torna-se o oposto que seria a baixa autoestima. Todos os nossos sentimentos, nosso estado de humor, nossas emoes, partem do princpio dos nossos pensa-mentos, a viso do mundo e das coisas e a autoestima provm do conceito que temos de ns mesmos, do que projeta-mos em nossos pensamentos consciente ou inconscientemente, uma avaliao do que somos e de quem somos caracter-izadas de autoconceito. Se essas cren-as nucleares forem positivas a nosso respeito, teremos o autoconceito posi-tivo resultando na autoestima. Se forem negativas, como sentimentos de inap-tido, fracasso, inadequao, rejeio, por exemplo, o autoconceito ser nega-tivo resultando na baixa autoestima. Para melhorar a autoestima do indivduo, faz-se necessrio aumentar o contedo posi-tivo da percepo de si mesmo, modifi-cando os pensamentos automticos, o que pensamos repetidamente, as distor-es cognitivas que refletem no prprio

    comportamento desse sujeito. Por fim, para ter uma boa, excelente autoestima, sem dvida, necessria uma reestruturao cognitiva, uma mudana significativa nas suas crenas centrais negativas para que se eleve a autoestima e tenha uma melhor e mais satisfatria qualidade de vida.

    (Gilmara CascaesPsicloga

    CRP 12/12774)

    Nossa Opinio

    Quantos lageanos sabem sobre a histria do municpio. Especificamente, suas ori-gens. Caso pesquise, muito fcil descobrir. A regio era habitada at o sculo 18 por ndios caingangues e xoclen-gues. A partir desse sculo, com a construo da estrada ligando as provncias do Rio Grande do Sul e de So Paulo, foram implantadas, na regio, fazendas de gado e de explo-rao de erva-mate e madeira por colonos no ndios. Fundada em 1766, pelo bandeirante paulista Antonio Correia Pinto de Macedo, Lages servia inicial-mente como estalagem para a rota comercial entre o Rio Grande do Sul e So Paulo, principalmente na passagem do gado dos campos gachos para abastecer os trabalha-dores da extrao de ouro em Minas Gerais. Correia

    Pinto batizou-a assim devido abundncia da pedra laje na regio. O nome original era Nossa Senhora dos Prazeres dos Campos das Lajens.Prestes a comemorar 248 anos, Lages, o maior municpio de Santa Catarina em extenso territo-rial. No entanto, at hoje, ainda no sabe como deve melhor aproveitar tanta terra. A mais nova informao de que se trata da ltima fronteira agr-cola do Estado, mas que ainda pouco produz, exceto gado e madeira plantada. Para as demais culturas, as de gros, os campos se oferecem, mas, para aonde se planeja plantar, a Coxilha Rica, os impedimentos surgem a partir da histria, e pelas causas ambientais. Talvez os que realmente decidem, pos-sam abastecer suas despensas apenas com carne e palitos de dentes, feitos de pinnus.

    Sobre as origens

    Grimpa

    As campanhas do agasalho, independente de quem as realiza, so extremamente teis para amenizar a dor do frio de muitas famlias carentes em Lages. No entanto, ainda falta ser feito algo. A referncia dirigida a alguns casos de moradores de ruas que tm dormido ao relento, sob marquises e paredes de prdios. A quem se pode recorrer para que seja dada alguma assistncia a essas pessoas? Todos ns pecamos, por no tomar nenhuma atitude, ao menos de informar alguma autoridade competente. No d mais para ficarmos alheios a isso...

    A dordo frio

    O que se quer, e o que se est tra-balhando na forma da lei, so instrumentos para conter abusos por parte de alguns que no tem controle da altura de seus sons, em plena via pblica, independente da hora. Outros tipos de rudos tambm entram no Projeto de Lei 009/2014. Por outro lado, nunca ningum questionou a soltura de bombas em dias de festa de igrejas, por exemplo. simplesmente uma tortura, voc ter que ficar ouvindo os estouros repetidos s 6 horas da manh, em pleno domingo. Algo pode ser feito tambm nesse caso?

    !

    ...

    PasseiosPblicos ?O volumedo SomSeguidamente a imprensa bate no assunto dos passeios pblicos em Lages, mostrando as deformi-dades existentes, e a falta de padro. H muita verdade sobre esses dois pontos. Basta percorrer ruas tanto no Centro como nos bairros para con-statar as aberraes. Logicamente, o Poder Pblico no passado, nunca se importou com as construes dos passeios. A populao construiu sem-pre como achou que devia. Assim, para corrigir a questo se torna muito complexa. O importante tentar fazer com que tudo o que seja feito a par-tir de agora, siga um novo padro!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 201403DESTAQUE

    Primeiros eventos da Festa neste sbadoO esquenta passa pelo Recanto

    Uma semana antes da aber-tura da Festa do Pinho, o Recanto, como chamado, comea a partir de uma vari-ada programao, a contagiar a cidade com o clima do maior evento gastronmico de Santa Catarina. Montado no Calado da Praa Joo Costa, no Centro, o pblico, a partir deste sbado (7), de manh, quando abre ofi-cialmente, vai poder contem-plar at o sbado seguinte (14), 62 atraes, sendo 55 de msi-cas e 6 de danas, com a partici-pao e apresentao dos CTGs Anita Garibaldi, Barbicacho Colorado e Planalto Lageano.A estrutura tem basicamente o mesmo formato usado em 2013. Sero seis estandes para entidades filantrpicas, todos cobertos por tendas, num tamanho considerado ideal, de 5 X 3 m. J o palco, com tamanho ampliado, ocupa o canto tradicional do Calado, tem uma composio mais tcnica, de alumnio, seguindo todas as normas de segurana. inclusive, at mais em conta do que o de madeira.Conforme explicou o diretor de polticas culturais, da Funda-o Cultural, Gilson Mximo de Oliveira, de madeira mesmo, somente a Casa do Turista, com amplo espao para a recepo dos visitantes. Em anexo, haver um ponto para a venda do arte-sanato lageano. Alm disso,

    Noite do Blues em Lages

    Recanto do Pinho considerado o esquenta da Festa maior

    O chileno Gonzalo Araya ser umta das grandes atraes do Festival

    O lageano Marzio Lenzi j participou do Festival em 2013

    Fotos: Divulgao / P

    aulo Chagas

    Fotos: Paulo C

    hagas

    Con ra outros produtos e formas de acumular nmeros em sorteemcamposicredi.com.br

    = nmerosda sorte2ouem depsitos a prazoR$ 200 R$ 300em poupana*Ttulo da

    mod

    alid

    ade

    ince

    ntiv

    o em

    itid

    o pe

    la Ic

    atu

    Capi

    taliz

    ao

    S/A

    , CN

    PJ/M

    F n

    74.

    267.

    170/

    0001

    -73,

    Pro

    cess

    o SU

    SEP

    n 1

    5414

    .900

    130/

    2013

    -82.

    A a

    prov

    ao

    de

    ste

    ttu

    lo p

    ela

    SUSE

    P n

    o im

    plic

    a, p

    or p

    arte

    da

    Aut

    arqu

    ia,

    ince

    ntiv

    o ou

    re

    com

    enda

    o

    su

    a aq

    uisi

    o,

    repr

    esen

    tand

    o, e

    xclu

    siva

    men

    te, s

    ua a

    dequ

    ao

    s

    nor

    mas

    em

    vig

    or.

    Serv

    io

    de I

    nfor

    ma

    o a

    o Ci

    dad

    o SU

    SEP:

    080

    0 02

    1 84

    84

    (dia

    s t

    eis,

    das

    9h3

    0 s

    17h

    ) ou

    ww

    w.s

    usep

    .gov

    .br.

    Ouv

    idor

    ia I

    catu

    Se

    guro

    s: 0

    800

    286

    0047

    . Fun

    dos

    de in

    vest

    imen

    to n

    o c

    onta

    m c

    om a

    gar

    anti

    a do

    adm

    inis

    trad

    or d

    o fu

    ndo,

    do

    gest

    or d

    a ca

    rtei

    ra,

    de q

    ualq

    uer

    mec

    anis

    mo

    de s

    egur

    o ou

    , ain

    da, d

    o Fu

    ndo

    Gar

    anti

    dor

    de C

    rdi

    to -

    FG

    C. A

    ren

    tabi

    lidad

    e ob

    tida

    no

    pa

    ssad

    o n

    o re

    pres

    enta

    ga

    rant

    ia

    de

    rent

    abili

    dade

    fu

    tura

    .

    reco

    men

    dada

    a l

    eitu

    ra c

    uida

    dosa

    do

    pros

    pect

    o e

    do r

    egul

    amen

    to d

    o fu

    ndo

    de i

    nves

    tim

    ento

    pel

    o in

    vest

    idor

    ao

    aplic

    ar o

    s se

    us r

    ecur

    sos.

    Pro

    mo

    o v

    lid

    a du

    rant

    e o

    per

    odo

    de 2

    0/01

    a 3

    1/07

    /201

    4, p

    ara

    os a

    ssoc

    iado

    s da

    s co

    oper

    ativ

    as

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Con

    sult

    e o

    regu

    lam

    ento

    com

    plet

    o da

    pro

    mo

    o e

    m

    sort

    eem

    cam

    posi

    cred

    i.com

    .br

    ou n

    as c

    oope

    rati

    vas

    de c

    rdi

    to p

    arti

    cipa

    ntes

    . Pr

    odut

    os e

    ser

    vio

    s su

    jeit

    os

    dis

    poni

    bilid

    ade

    na s

    ua c

    oope

    rati

    va d

    e cr

    dit

    o.

    Para

    info

    rma

    es s

    obre

    pro

    duto

    s e se

    rvi

    os e

    con

    di

    es d

    e co

    ntra

    ta

    o, d

    irija

    -se

    a um

    a de

    nos

    sas

    unid

    ades

    de

    aten

    dim

    ento

    . Pr

    mio

    s pa

    gos

    em m

    oeda

    cor

    rent

    e na

    cion

    al e

    lq

    uido

    s de

    im

    post

    os.

    SAC

    Sicr

    edi

    - 08

    00 7

    24 7

    220

    / D

    e c

    ient

    es

    Aud

    itiv

    os o

    u de

    Fal

    a - 0

    800

    724

    0525

    . Ouv

    idor

    ia S

    icre

    di -

    0800

    646

    251

    9.

    E Concorra a

    por semana

    e a

    RS30 mil

    no FInal da promoo.

    RS 250 mil

    INVISTA

    dois portais, tambm de madeira, vo ornamentar as extremidades da praa. A decorao, caso dos bonecos das gralhas e as demais, foram feitas pelo nosso artista plstico Odilon Luiz Vieira. Estamos prontos. Vamos comear a festa, salientou Gilson Maximo.FuncionamentoO Recanto do Pinho vai abrir durante os dias de semana, s 9h30min, com encerramento das apresentaes por volta das 21 horas. A exceo est nos dias de jogos do Brasil, na Copa do Mundo, 12 e 17, com encerramento da programao s 15h30min, e sem retorno, depois dos jogos.

    Lages repete neste ano, tam-bm uma semana antes da abertura da Festa Nacional do Pinho, as apresentaes do Festival de Blues, no Palco 1, no Parque Conta Dinheiro. A mudana de local devido previso de chuva no sbado (7). O evento deve receber um grande nmero de pessoas. Os portes abrem s 17 horas, j que o show comea s 18 horas. A novidade desta vez a apre-sentao de quatro cantores internacionais. Para quem organiza, trata-se de um verda-deiro espetculo de vozes mar-cantes e acordes de guitarra ao ar livre.O secretrio de turismo de Lages, Flvio Agustine conta que, pela terceira vez Lages est inserida na rota dos grandes nomes do blues, reconhecidos mundialmente. A exemplo do

    ano passado, a Praa Joca Neves ser o cenrio do Pinho Blues Festival, um evento gratuito, e que realmente deve atrair milhares de fs do estilo. Para compormos os custos tivemos que buscar patrocinadores, lembrou Flavinho.Estaro no palco, a diva do soul/blues ingls, Bex Mar-shall; Donny Nichilo, cantor e pianista, de Chicago, a terra do blues. E ainda a atrao chilena Gonzalo Araya, com participa-o nos principais festivais de blues e jazz na Amrica do Sul. O evento ainda conta com o grupo Red River Combo, que a mistura de msicos com culturas e idiomas diferentes. E, para finalizar, a apresenta-o, o lageano Marzio Lenzi, msico apontado como um dos melhores guitarristas de blues e rock do Sul do pas.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014pOLTicA04

    Campanha Conselheiro Cidado foi lanada esta semana na Alesc

    Vereadores subiram Tribuna com a boca fechado por adesivos

    Ascom

    deputado Dirceu D

    resch

    Cris

    Men

    egon

    Projeto veta polticos ao TCE

    O fato de os vereadores de oposio irem tribuna, na Cmara de Vereadores de Lages, com a boca tapada com fita adesiva, repercutiu no meio poltico esta semana. Segundo informaes, a Presidncia da Casa proibiu a TV Cmara de transmitir vdeos que mostravam uma reportagem da RBS TV sobre o Pronto Atendimento munic-ipal. O argumento usado de

    Vereadores protestam

    Com o objetivo de ampliar a participao da sociedade civil e tornar mais transparente o pro-cesso de escolha dos membros do Tribunal de Contas do Estado (TCE) foi lanada na noite de tera-feira (3), na Assembleia Legislativa, a campanha Con-selheiro Cidado por um Tri-bunal da Contas da Sociedade Catarinense. Durante o lana-

    mento da campanha, ocorreu a apresentao do Projeto de Lei Complementar (PLC) 16/2014, de autoria dos deputados Dirceu Dresch (PT) e Sargento Amauri Soares (PSOL), que nor-matiza o processo de escolha dos conselheiros. A proposta estabelece como condio para candidatar-se a conselheiro estar h pelo menos trs anos

    desfiliado de partido poltico e sem ocupar cargo prprio de agente poltico, eletivo ou no. O projeto tambm esta-belece um prazo maior para a apresentao das candida-turas.Pela Constituio Estad-ual, qualquer cidado, maior de 35 anos, com conduta ilibada, idoneidade moral e com formao comprovada no campo do direito, contabi-lidade, economia ou admin-istrao pode participar do processo de seleo para o cargo de conselheiro do Tribunal de Contas. Porm, nunca houve por parte da Assembleia Legislativa um comunicado pblico sobre isso, e prevalece escolha de um ex-parlamentar para o cargo. Dos atuais sete con-selheiros do TCE, cinco so ex-deputados estaduais.

    que s seria autorizada a veic-ulao da matria mediante autorizao da emissora.Outro vdeo que os vereadores de oposio que-riam apresentar lembrava algumas promessas de cam-panha do ento candidato e hoje prefeito de Lages, Elizeu Mattos. Por outro lado, o Jurdico da Cmara informou que a proibio das matrias se deve ao fato de que se tor-nariam campanha eleitoral.Nas redes sociais, a verea-dora Aidamar Hoffer disse que a sua experincia dela e de seus colegas na cmara de vereadores, na noite do dia 3 de junho, possa contribuir para a formao de jovens mais crticos e participativos. Os jovens de hoje precisam indignar-se, pois a pior das atitudes a indiferena, res-saltou.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO DE 2014pOLTicA [email protected]

    Por Paulo ChagasVITRINE POLTICA

    Festa do PinhoPoliticamente a Festa do Pinho, alm de todos os atrativos, palco e tanto para quem gosta de visualidade. A classe poltica de todo o estado tem um prato cheio este ano. Afinal, trata-se de um ano poltico e a presena dos polticos, garante a eles,

    pelo menos, uma lembrana a quem os v. Portanto, apertos de mos e bati-dinhas nas costas no vo faltar. Por outro lado, considero importante a presena das autoridades. Sempre foi assim, independente do fator eleitoral. sempre um prestgio.

    BoCa FeChadaO fato de os vereadores de oposio irem tribuna, na Cmara de Vereadores de Lages, com a boca tapada com fita adesiva, reper-cute no meio poltico. O ato foi uma forma de protesto contra decises da Mesa Diretora em no permitir

    veiculaes de reportagens de TV, no circuito interno da Casa, mesmo em sesses deliberativas. Assim, os verea-dores da oposio esto se vendo cer-ceados de seus direitos democrticos de expresso. Uma prtica incomum, no meio poltico. Cartada de LhsEm resposta conversa de Raimundo Colombo com os progressistas no incio da semana, o amigo do governador fez outro jogo poltico, ao procurar o presi-dente do PT, Cludio Vignatti, para uma conversa e propor aliana. Luiz Henrique da Silveira pediu ao petista para que aceite a vaga de senador na majoritria, em possvel unio com o

    PMDB e PSD, no pleito de outubro. O senador entende que poderia ser uma sada para afastar definitivamente o PP das conversas de aliana, de interesse de Raimundo Colombo. Por outro lado, dentro do PT, h intran-signcias demais para entender que atravs dessa unio entraria definiti-vamente no poder em SC, atravs da forma mais fcil do que se imagina.

    Cartada de raimundoNa ltima segunda-feira (2), o governador Raimundo Colombo conversou com lideranas do Partido Progressista (PP), com a mesma plataforma empregada na reunio com o PMDB, h cerca de 20 dias. Logicamente, o ponto de vista era bem outro. Raimundo quer o PP na aliana visando o pleito de outubro. Tem na cabea uma majoritria com o vice do PMDB, e na vaga do senado, algum do PP. No entanto, uma nova hiptese se abriu, com a indicao de dois nomes para concorrer ao senado, e a, entra tambm o PMDB. Nenhuma definio oficial foi sacramentada neste encontro de segunda-feira. Por outro lado, comisses pr-definidas vo seguir trabalhando e conversan-do, para, ainda neste ms, definirem a melhor alternativa do projeto de governo. Vale lembrar, que, para o eleitor, de nada vale os acertos polti-cos. O candidato o que conta.

    Paulo M

    arques

    Reunio com o PP definiu alguns pontos

    Divulgao

    aBerturaO Recanto do Pinho abre ofi-cialmente neste sbado (7), s 9h30min. , sem dvida, o maior esquenta para o evento maior no Parque Conta Dinheiro, a partir da prxima sexta-feira (13). Mas, alm da movimen-tao no Parque Conta Dinheiro, a maior atrao do fim de semana, o encontro com o blues, no Parque Conta Dinheiro, na noite deste sbado. Simplesmente, imperdvel. As vrias atraes inter-nacionais devem atrair um pblico gigante. Estima-se que 20 mil pessoas devam conferir. E no para menos, afinal, teremos as presenas da nata do Blues internacional, a Bex Marshal, o Donny Nichilo, Gonzalo Araya, Red River e Marzio Lenzi. Coisas de Flavinho. A inglesa Bex Marshal ser uma das atraes do Blues Festival

    observo que:O senador Luiz Henrique e o governador Raimun-do Colombo passaram a travar uma luta para ver quem pode mais. No deveria ser assim. Ambos podem tomar decises conjuntas, sem que a relao estremea;Dentro do PSD h quem j esteja com o Plano B articulado, caso se desfaa a parceria com o PMDB. O PP indica o vice, Joares Ponticelli ou ngela Amin, e a vaga ao senado entra em nova nego-ciao, podendo ser algum do prprio PSD;Campanha Serrano Vota em Serrano est de-morando para ser lanada. Tem muito cabo eleitoral lageano firmando com gente de fora. Um prejuzo difcil de ser recuperado.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014ciDADE06

    Na ltima tera-feira (3), as principais secretarias munici-pais que executam trabalhos nas reas centrais da cidade, juntamente com a Cmara de Dirigentes Lojistas, inclusive, o promotor pblico Ren Braga mantiveram encontro com a imprensa, exatamente para esclarecer sobre os procedimen-tos dos trabalhos, em virtude da realizao da 26 Festa Nacio-nal do Pinho. O entendimento de que as obras no vo sofrer

    paralizaes, mas que, nos tra-jetos onde elas esto sendo exe-cutadas, o controle ser maior, porm, sempre com abertura de fluxo de veculos para no preju-dicar a mobilidade.A cidade, especialmente a zona central, est impactada pelos projetos sendo executa-dos por vrios setores. A Semasa, por exemplo, est efet-uando a troca de redes de gua e esgoto. J a Infraestrutura e Planejamento coordenam o

    Obras no param durante a Festa

    Alimentos foram adquiridos com recursos da Fundao Nova VidaSecretrios anunciam que as obras no param em funo da Festa

    Fbi

    o R

    amos

    Toninho Vieira

    Na quarta-feira, 4, a Funda-o Nova Vida entregou mais dois mil quilos de alimentos no perecveis ao programa Lages 100 Fome. Eles foram adquiridos com recursos repas-sados pelo governo do Estado instituio, sediada em Flori-anpolis. A entrega aconteceu pela manh, durante visita do secretrio de Desenvolvimento Regional, Joo Alberto Duarte, e do gerente de Assistncia Social da SDR, Gladison Santos,

    ao centro social Luprcio de Oliveira Koeche (sede do pro-grama), no bairro Santa Helena.Os alimentos sero utiliza-dos pelos cozinheiros vol-untrios na preparao do sopo servido s pessoas de baixa renda que residem no municpio. Segundo o coorde-nador do Lages 100 Fome, Joo Volni da Silva, o programa serve mensalmente cerca de dez mil refeies em vrios bairros. A ao mantida por doaes.

    Doaes ao Lages 100 Fome

    cabeamento subterrneo e o projeto de revitalizao. A do meio ambiente tem procu-rado melhorar a aparncia da cidade com a revitalizao de praas. Estamos procurando deixar tudo bem organizado, em especial no entorno do Calado, onde acontece o Recanto do Pinho e tambm nas ruas prximas ao Parque Conta Dinheiro, salientou o secretrio de meio ambiente, Mushue Hampel.No tocante revitalizao da Rua Emiliano Ramos, a da Via Gastronmica, houve pedido dos empresrios que a obra no sofra nenhuma interrupo por causa da Festa. Assim, a via manter a abertura para a passagem de veculos, mas os trabalhos tero continuidade, embora com bastante cuidado por parte das autoridades do trnsito.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO DE 2014 07pUBLiciDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 201408 GERAL

    A tera-feira desta semana marcou o dia mais frio do ano na Serra

    Mar

    lia

    Oliv

    eira

    O frio chegou com fora total em Santa Catarina, principal-mente na madrugada de tera-feira (03). As temperaturas despencaram deixando marcas negativas. A mnima aferida no estado foi em Urupema chegando marca dos -5,6C, segundo medies da Epagri/Ciram.A cidade amanheceu conge-lada, com uma forte geada que cobriu de branco os campos, o telhado das casas, os carros que ficaram expostos ao ar livre, enfim, poas de gua conge-

    laram com o frio rigoroso. Pela manh, por volta das 9h, apesar do sol, as temperaturas con-tinuavam negativas na cidade mais fria do Brasil.Em So Joaquim a geada provocou tambm um visual bonito. E foi assim que aman-heceu a cidade de So Joaquim, na tera-feira (3): exuberante-mente e gelada. Esta foi a mais forte geada j registrada em So Joaquim em 2014 e a de nmero 30. Em So Joaquim o frio sem-pre d este espetculo.

    Frio chega com foraFeira Construir no Centro Serra

    A Feira Construir SC abriu nesta quinta-feira, dia 05 de junho, e acontece com o intuito de fomentar ainda mais um mer-cado da construo civil. Atrair investidores, empreendedores, lojistas, imobilirias, estudantes, construtoras e indstrias, assim como os profissionais que atuam na rea, o objetivo do evento que tem em sua programao a exposio dos setores, e pal-estras com assuntos inerentes rea de construo.A Universidade do Planalto

    Catarinense - Uniplac expositora e parceira do evento e participar com os cursos de Arquitetura, Engenharia Civil, Engenharia de Produo, Engenharia Eltrica, Engenharia Mecnica e Tecno-logia em Design de Interiores. Na Feira em um espao especial-mente elaborado para receber os visitantes, estes contaro com dois ambientes: em um deles haver espao para conversa, convivncia e a apresentao de obras e materiais de referncia nas reas dos cursos; j o outro

    Centro Serra ser o palco da Feira constuir/SC

    Divulgao

    ambiente mais acadmico ter a apresentao e explanao de trabalhos e projetos desen-volvidos pelos estudantes, por meio de exposio de maquetes e painis, alm da presena de uma impressora 3D que estar imprimindo prottipos in loco.A Construir SC marcar a regio serrana de Santa Cata-rina pela inovao de conheci-mentos e gerao de oportuni-dades de negcios, em uma feira em que estaro reunidos setores da construo civil, indstria, decorao, prestao de servios e o mercado imo-bilirio. Paralelamente Feira CONSTRUIR/SC, ocorrer o Feiro da Caixa Econmica Federal. O evento ser real-izado no CENTROSERRA em Lages/SC, e seus realizadores tm a expectativa de receber mais de 30 mil visitantes.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 201409SADE

    O projeto teve a parceria das Secretarias de Sade e de Educao

    Toninho Vieira

    Alunos realizam Feira da Sade

    As atividades sero realizadas no salo da igreja de Cedro Alto

    Div

    ulga

    o

    Equipes de profissionais da Secretaria de Sade se des-locaro no dia 11 de junho a Cedro Alto levando atendimen-tos tambm populao de Passo dos Fernandes, Floresta e Manfri. Presentes, equipes de todos os programas em um dia de trabalhos articulados pela Sade do Interior. As ativi-dades sero realizadas no salo da igreja, das 10h s 15h.Sero oferecidos servios com os Agentes Comunitrios de Sade (ACSs); consultas mdicas; enfermagem; dis-

    pensao de medicamentos; liberao e encaminhamen-tos para exames; atendimento com psicloga e nutricioni-sta; verificao de carteirinha de vacinas e outros servios: coleta de exame Papanicolau (preventivo ao cncer do colo do tero); exame clnico das mamas; fornecimento e libera-o de mamografia e orienta-es acerca da sade da mul-her e planejamento familiar. Ao pblico masculino haver ori-entaes e encaminhamentos para exame de prstata.

    Sade levada ao interior

    A segunda-feira (2) foi de visitao e exposio de tra-balhos dos alunos do Centro de Ateno Integral Criana (Caic) Nossa Senhora dos Praz-eres, no bairro Santa Catarina. Cerca de 600 alunos, do 1 ao 9 ano, envolveram-se na Feira da Sade, projeto desenvolvido na instituio em parceria com as Secretarias de Sade e de Edu-cao, atravs do programa

    Sade na Escola.Cada estande montado abordava um tema diferente. Alunos de outras escolas visi-taram a feira e receberam ori-entaes sobre cada trabalho. Havia espao para se falar sobre sexualidade, contracep-o, preveno s drogas, ali-mentao saudvel, atividades fsicas e higiene bucal. As alu-nas, de 9 a 12 anos, receberam

    O benefcio da ginstica elaboralA ginstica laboral possibilita melhor utilizao das estruturas oestomioarticulares com maior

    eficincia e menor gasto ener-gtico por movimento espec-fico; combate e previne o sed-entarismo, estresse, depresso e ansiedade; melhora a flexibili-dade, fora, coordenao, ritmo, agilidade e resistncia, promov-

    endo maior mobilidade e mel-hor postura; promove a sensa-o de disposio e bem-estar para a jornada de trabalho; reduz a sensao de fadiga; contribui para a promoo da sade e da qualidade de vida do trabalhador; atravs dos exerc-cios, relaxa o corpo e colabora para os sistemas cardaco, res-

    piratrio e esqueltico. Na rela-o dos benefcios psicolgicos esto a motivao por novas rotinas; melhora do equilbrio biopsicolgico, da autoestima e da autoimagem; desenvolvi-mento da conscincia corporal; combate s tenses emocionais e melhora da ateno e concen-trao s atividades.

    vacina contra o vrus HPV. Antes houve uma conversa de esclarecimento aos pais, para que entendessem o propsito da vacina e deste trabalho, que visa orien-tao aos estudantes sobre esses temas que, muitas vezes, no so abordados em casa, comenta a gestora Joelci Cristina Melo.Os trabalhos foram de-senvolvidos atravs da di-sciplina de cincias, sob a coordenao da professora Gabriela Leite Brigo, com colaborao dos professo-res de histria e geografia. No estande sobre alimenta-o saudvel os alunos apre-nderam como reaproveitar alimentos e fizeram um bolo utilizando cascas de ceno-ura, banana e ma, com linhaa e farelo de aveia, que foi servido aos visitantes.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 201410 EDUcAO

    Chamada do concurso do magistrio

    Expedio para Reserva Biolgica

    Divulgao

    O concurso realizado em 2012 j efetivou 3.836 professores e para a terceira chamada abriu mais 924 vagas

    Esto abertas as inscries para as ltimas vagas da Expe-dio Reserva Biolgica de Sooretama no Espirito Santo, que acontecer de 14 a 25 de julho deste ano. Esta ser a segunda edio nesta reserva, organizada pelo Projeto Puma em parceria com o ICMBIO e com o Instituto Marcos Daniel. A reserva abriga muitas esp-cies de interesse para conser-

    vao, como a ona-pintada, o puma, o tatu-canastra, e inclu-sive a harpia ou gavio real.O Projeto Puma uma ONG sem fins lucrativos com sede em Florianpolis e Lages que atua desde 1993 com a preser-vao de espcies da fauna e flora e do meio ambiente como um todo, em parceria com a Uniplac. Expedies, pesquisa, intercmbios, realizao de

    planos de manejo e a partici-pao ativa no ensino superior em nvel de graduao e ps-graduao, so algumas das atividades promovidas pelo Projeto.Para inscrio, basta seguir as instrues da ficha de inscrio no site (http://www.projeto-puma.org/Formulario.doc ), e entrar em contato com a equipe do Projeto Puma.

    A Secretaria de Estado da Edu-cao (SED) realizar, nos dias 10 e 11 de junho, a escolha de 924 vagas na terceira chamada do Concurso Pblico de Ingre-sso no Magistrio Pblico Esta-dual para atuao no cargo de professor, nas sries iniciais e

    A Expedio coordenado pelo professor doutor Marcelo Mazzolli

    Divulgao

    nos nveis de ensino funda-mental e ensino mdio, nas unidades escolares da rede pblica estadual de ensino.A escolha de vagas ser por regio, de acordo com a classificao do candidato, podendo ter carga horria de 10, 20, 30 ou 40 horas, exceto para a disciplina de anos Iniciais do Ensino Fun-damental (1 ao 5 ano do Ensino Fundamental), que sero oferecidas apenas 20 ou 40 horas semanais.Na Serra, a escolha das vagas ser realizada nas dependncias das Gern-cias Regionais de Educao (Gered) de Lages e So Joa-quim. Os candidatos devero apresentar-se com a carteira de identidade. Aqueles que no se apresentarem, bem como aqueles que estiverem presentes e no aceitarem nenhuma das vagas ofereci-das perdero todos os direi-tos sobre esta escolha e pas-saro a integrar o cadastro de reserva.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014SEGURANA 11

    por Cleber de Souza Borges - Tenente Coronel PM

    UtilidadePblica

    A violncia um problema social que est presente nas aes dentro das escolas, e se manifesta de diver-sas formas entre todos os envolvidos no processo educativo. Isso no deveria acontecer, pois escola lugar de formao da tica e da moral dos sujeitos ali inseridos, sejam eles alunos, professores ou demais funcionrios.

    Alm disso, a violncia estampada nas ruas das cidades, a violncia domstica, os latrocnios, os contrabandos, os crimes de colarinho branco tm levado jovens a perder a credibilidade quanto a uma sociedade justa e iguali-tria, capaz de promover o desenvolvimento social em iguais condies para todos, tornando-os violentos, conforme esses modelos sociais.

    Muito se diz sobre o combate violncia, porm, levando ao p da letra, combater significa guerrear, bombardear, batalhar, o que no traz um conceito correto para se revogar a mesma. As prprias instituies pblicas se utilizam desse conceito errneo, princpio que deve ser o motivador para a falta de engajamento dessas aes.

    Levar esse tema para a sala de aula desde as sries iniciais uma forma de trabalhar com um tema con-troverso e presente em nossas vidas, oportunizando momentos de reflexo que auxiliaro na transformao social.

    Os professores podem levantar discusses acerca do tema numa possvel forma de criar um ambiente de respeito ao prximo, considerando que todos os en-volvidos no processo educativo devem participar e se engajar nessa ao, para que a mesma no se torne contraditria. E muito alm das discusses e momentos de reflexo, os pro-fessores devem propor solues e anlises crticas acerca dos problemas a fim de que os alunos se percebam capacitados para agir como cidados.

    Afinal, a credibilidade e a confiana so as melhores for-mas de mostrar para crianas e jovens que possvel vencer os desafios e problemas que a vida apresenta.

    Violncia e a Escola

    O prdio ter dois mil e trezentos metros quadrados, divididos em dois pavimentos

    Delegado Geral da Polcia Civil de Santa Catarina, Aldo Pinheiro Dvila

    Fbio Ram

    os

    Divulgao

    Obras da nova Delegacia Regional

    SC tem menor taxa de homicdios

    Na tera-feira, 3, o Secretrio de Desenvolvimento Regional, Joo Alberto Duarte, a delegada regional, Luciana Rodermel, e o fiscal de obras da secretaria de Segurana Pblica (SSP), Joo Loureno, fizeram uma visita tcnica as obras do prdio que ir sediar a 8 Delegacia de Pol-cia Civil, na avenida Belizrio Ramos, em Lages. O Governo do Estado est investindo um total de R$ 3 milhes na estru-tura. A ao faz parte do Pacto Por Santa Catarina. A segunda

    etapa da constru-o foi ini-ciada em abril deste ano, e o contrato prev que a empresa executora conclua os trabal-hos em dezembro. Atualmente, vinte funcionrios esto enga-jados na obra, dedicando-se a edificao das paredes e colu-nas do primeiro piso. Segundo o fiscal da ssP, Joo Loureno, o cronograma vem sendo cum-prido normalmente. O obje-tivo do investimento dinami-zar o trabalho da polcia, mel-horando a prestao dos ser-

    vios a populao, ressalta o secretrio Joo Alberto Duarte. Hoje, a delegacia regional funciona em um prdio de 600 metros quadrados, construdo na dcada de 1930, poca em que a populao da regio era bem menor que nos dias atuais. De acordo com a delegada Luciana Rodermel, aps a con-cluso das novas instalaes, o local continuar abrigando a Central de Polcia, a 1 Delega-cia de Polcia e a Delegacia da Mulher.

    Santa Catarina o Estado com a menor taxa de homic-dios no pas (um dos princi-pais medidores de violncia pelo mundo), registrando 12,8 homicdios para cada grupo de 100 mil habitantes, de acordo com oMapa da Violncia 2014. Os Jovens do Brasil elab-orado com dados referentes a 2012. Esta taxa menor que a mdia nacional, de 29 homic-dios para cada 100 mil habi-tantes, conforme este estudo.Um dos aspectos para esta reduo a ao eficiente da Polcia Civil na resoluo dos casos. O nosso Estado tem uma mdia, ao final dos lti-mos anos, em torno de 65% de resolubilidade dos casos de homicdios, enquanto a mdia

    (Fonte: http://www.brasilescola.com)

    nacional de 22,28%. Como os autores de assassinatos nor-malmente no saem impunes, isso acaba sendo um fator rel-evante para refrear estes deli-tos, apontou o Delegado Geral, Aldo Pinheiro Dvila. Em 2011, 151 municpios catari-nenses no registraram ocor-rncia dolosa que resultaram em morte, em 2012 foram 150 e em 2013 foram 142 cidades.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014REGiONAL12

    homem do Campopor Cesar Missioneiro

    [email protected]

    O quarto monge O combatente II

    Em meados de 1912 Jose Maria reuniu em Taqua-ru (Curitibanos), grande nmero de gente expulsa das terras, trabalhadores desemprega-dos e fieis de boa f que o aceitavam como legitimo sucessor de So Joo Maria. Aps uma grande festa religiosa, mais ou menos uns 300 homens no volta-ram para suas casas, ficaram por vrios dias rezando, cantando e dando vivas a So Joo Maria e a monarquia, o que cheirava conspirao e preocupao a autoridade local. Um destacamento policial vai a Taquaru e de alguma forma convence Jos Maria atravessar o rio do Peixe e passar para a zona contestada sob juris-dio do Paran os campos do Irani.

    O governo paranaense entende o fato como uma provocao e ordena ao Coronel Joo Gualberto de S Filho que v ao encontro da expedio saber das intenes do grupo. Na madrugada de 22 de outubro de 1912, os soldados investiram sobre o acampamento dos rebeldes. A luta foi cruel na sua mensurao, no houve prisioneiros, o que sobrou foram corpos dilacerados por tiros, golpes de arma branca e desertores. Jos Maria leva um tiro fatal. O Coronel Joo Gualberto depois de haver abatido Jose Maria e esta era aos olhos dos pesquisadores a principal inteno do Coronel, viu-se cercado e chacinado a golpes de faco.

    Conta a lenda que o monge havia profetizado sua morte e que ressuscitaria. bvio que Jos Maria ou Miguel Lucena havia convencido aquele povo, cuja sabedoria no ia alm do limite cotidiano da sobrevivncia cabocla e da obedincia religiosa , que ele prprio seria a reencarnao do esprito do monge So Joo Maria. Os seguidores estavam to certos disso que no se entristeceram nem sepultaram o monge, apenas cobriram o corpo com algumas tbuas, porque tinham certeza que Jos Maria retornaria dentre os mortos para gui-los a guerra santa. o inicio da sangrenta Guerra do Contestado que durou oficialmente quatro anos.

    fascinante que nos dias de hoje muitos de ns, contemporneos do sculo 21 sentamos atra-o e comoo pelas narrativas das estrias sobre o monge, o imaginrio de muitos de ns, nos reporta a imagem viva do monge. As profecias, as curas, a forma abnegada de viver, a filosofia reli-giosa e ajuda humanitria fez desta figura inusitada do sculo 19, um homem santo na histria do sul do Brasil, O Monge do Bem. O exerccio da fora mental humana em beneficio da sade do semelhante e at de animais, nos d a sensao de que este ou estes monges, foram o conjunto em revelao fsica de um pouco de monge que existe dentro de muitos de ns.

    Seminrio nacional sobre frutas

    Audincia define prioridades Serra

    O Senafrut propiciou a troca de conhecimentos e tecnologias aos participantes

    Ana

    Cer

    on

    A pavimentao da SC-456, trecho entre Anita Garibaldi a Abdon Batista, construo, ampliao e reforma de escolas e a construo de prdio e insta-lao de equipamentos de Poli-clnica Regional sob a gesto do Consrcio Intermunicipal de Sade da Amures. Foram as propostas regionais elei-tas e aprovadas na audincia Pblica da Assembleia Legisla-tiva, durante a noite de quarta-

    feira (04), no auditrio Caverna do Campus da Udesc de Lages. O deputado estadual presi-dente da Comisso de Finan-as e Tributao e da Comisso Coordenadora do Oramento Estadual Regionalizado Gil-mar Knaesel conduziu os tra-balhos e falou da importncia de eleger prioridades region-ais que sero includas na Lei Oramentria Anual de 2015. Num primeiro momento houve

    apresentao das prioridades escolhidas para o Plano Pluri-anual PPA 2012-2015.Depois foram escolhidas as prioridades a serem includas na Lei Oramentria 2015. Os secretrios Regionais de Lages, So Joaquim e Curitibanos acompanharam a audincia e em nome da Amures, o pre-feito de Urubici Fidelis Schappo representou os 18 prefeitos da Serra Catarinense.

    De tera a quinta-feira (3 a 5 de maio), So Joaquim, na Serra Catarinense, foi sede do 11 Senafrut -Seminrio Nacio-nal sobre Fruticultura de Clima Temperado, um dos maiores eventos do pas para atualiza-o tcnica e negcios do setor. Com mais de 40 empresas expositoras e diversas palestras e debates, o Seminrio recebeu mais de 900 participantes, entre produtores, tcnicos e estu-dantes. Representando o gov-ernador Raimundo Colombo, o secretrio de Estado da Agri-cultura e da Pesca, Airton Spies, esteve no Parque Nacional da Ma, em So Joaquim, na aber-

    tura oficial do evento. Durante os trs dias, foram apresentadas e debatidas no Senafrut as inovaes tecnolgi-cas para a fruticultura, em espe-cial, para a cultura da ma. Segundo o secretrio Airton Spies, o seminrio sempre uma oportunidade para tcni-cos, produtores, pesquisadores e empresas do setor trocarem conhecimento e se atualizarem no que h de mais recente em tecnologia e oportunidades para melhorar a produo de frutas em todos os elos da cadeia produ-tiva. O secretrio assegurou tam-bm a continuidade do repasse aos fruticultores do subsdio

    do seguro agrcola da ma por parte do Governo do Estado at final do ano, no valor que corre-sponde a 50% da parte que cabe ao produtor, complementando o subsdio federal.Na ocasio, a secretria de Estado de Desenvolvimento Regional, Solange Scortegagna Pagani, anunciou o apoio do Governo do Estado, atravs da Fapesc (Fundao de Amparo Pesquisa e Inovao de Santa Catarina) ao projeto da Coopermuse, cooperativa de mulheres agricultoras, que ir desenvolver produtos de valor agregado a partir de mas de baixo valor comercial.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014ESpORTE 13

    CA Esportes

    Ganhando forma

    O Internacional de Lages comea dar forma equipe para a temporada 2014. J fez dois amistosos pela regio e comearam a chegar atletas que integraro, de maneira efetiva, o plantel para o estadual da Segunda Diviso do Catarinense. A equipe est se estruturando e ganhando ateno da torcida. importante que essa sintonia exista para que a temporada de 2014 tenha o mesmo xito da caminhada de 2013.

    Pensemos nisso enquanto tempo.

    por Celso Aurlio [email protected]

    Cel

    so A

    url

    io

    Valeu galera, at a prxima edio!

    O time representou bem nossa cidade

    Parajasc

    O Poder Legislativo comemorou a passagem dos 10 anos dos Jogos Abertos Paradesportivos de Santa Catarina (Parajasc) na noite desta tera-feira (3) com homenagem s instituies, atletas e dirigentes que lograram fixar no calendrio desportivo do Estado, uma competio que permite aos deficientes romper limites fsicos e psicolgicos. hora de celebrar, declarou a deputada Angela Albino (PCdoB), propositora da Sesso Especial.

    Inter da Serra j tem novos destinos

    Celso A

    urlio

    A equipe apresentou novas contrataes

    O Internacional de Lages con-firmou os prximos trs destinos da excurso Inter da Serra. A iniciativa, que faz parte da pr-temporada do clube, tem levado o Colorado Lageano para enfrentar equipes amadoras da Regio Ser-

    rana. A prxima parada ser em So Jos do Cerrito. O jogo, contra um combinado de atletas que rep-resenta a Fundao Municipal de Esportes nas competies region-ais, ser realizado neste domingo, s 15h. Esta ser a segunda vez

    Em Foco

    Aconteceu na tarde de sbado, 31 de maio, no ginsio de esportes do Colgio Santa Rosa de Lima o I Campeonato de Capoeira do Planalto Serrano (Campeonato Aberto Sem Contato). Participaram capoeiristas de Lages, Rio do Sul, Capinzal e de outras localidades. O evento foi uma promoo da Associao Planalto de Capoeira. A coordenao foi do Mestre Silvio Moreira

    I Campeonato de Tiro Esportivo Livre

    Celso A

    urlio/Arquivo

    Celso A

    urlio

    A competio foi sucesso absoluto

    Encerrou no domingo dia 1 de junho, o I Campeonato de Tiro Esportivo Livre. O evento foi organizado pelo desportista Jos Luiz Correia, popular Z da Mor-phos, e teve o apoio da Ki-Bola Esportes, Sesi e colaboradores. O Local da competio foi Centro Esportivo do Sesi Lages.Classificao final:

    1 lugar - Carlos Alemo com 199 pontos2 lugar - Jack Jonathan com 186 pontos3 lugar - Gabriel Neto com 173 pontos4 lugar - Hlio Nazarenocom 166 pontos5 lugar - Jean Tarcisiocom 103 pontos

    que a excurso Inter da Serra passar por So Jos do Cerrito. A cidade abriu a excurso no ano passado - e, naquele jogo, o Colo-rado Lageano teve sua nica der-rota fora de casa desde o incio do projeto. A seleo de So Jos do Cerrito venceu por 2 a 1.Depois do jogo em So Jos do Cerrito, o Inter desembarca no dia 14 de junho, em Correia Pinto. Na cidade, o Colorado Lageano disputar o Trofu Vnio Forster, oferecido pela prefeitura local.A excurso Inter da Serra j se mostra uma atrao tambm fora da Regio Serrana. No dia 21, os colorados viajam a Rio do Sul, no Vale do Itaja, para enfrentar o Atltico Alto Vale. A equipe, que j disputou at a Primeira Diviso do Campeonato Catarinense, est reativando suas atividades no futebol.

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO DE 201414 pUBLiciDADE

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO DE 2014 15

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO de 2014

    VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA, 6 dE JUNHO DE 201416 cONTRAcApA

    Posse do novo Reitor da Uniplac deve acontecer em at 30 dias

    Todas as aes chamaram a ateno de estudantes e demais visitantes

    Paulo C

    hagas Pau

    lo C

    haga

    s

    Pfleger eleito Reitor da Uniplac Semana do Meio Ambiente

    O professor Luiz Carlos Pfleger foi o candidato eleito pelo Conselho de Administ-rao da Fundao Uniplac (CONSAD) para exercer o mandato de quatro anos como reitor da Universidade do Plan-alto Catarinense. A posse est prevista para acontecer em at 30 dias. Antes

    de ser escolhido em eleio entre os membros do CONSAD, o professor Luiz Carlos e o con-corrente dele ao cargo, o pro-fessor Geraldo Augusto Locks, tiveram as propostas de gesto universitria ouvidas pelos membros do Colgio Eleito-ral Especial, que em seguida, votaram nos dois nomes e os

    A Semana Ambiental em Lages encerrou nesta quinta-feira (5), exatamente no o Dia Mundial do Meio Ambiente, com eventos no Teatro Mara-joara. tarde esteve reservada para o Cinema Circuito Tela Verde. noite, a partir das 19 horas, foram realizadas duas palestras, sobre Unidades de Conservao e sua importncia no Bioma Mata Atlntica, e outra que tratou da Restaurao Flo-restal Sistmica. Este ano, o Dia Mundial do Meio Ambiente teve como foco as Mudanas Climti-cas com o tema Aumente sua voz, no o nvel do mar. Na quarta-feira (4), ainda

    como parte das atividades, vrias entidades e projetos concentraram-se na Praa Joca Neves. Todas as instituies parceiras do evento, promov-ido pela Secretaria de Meio Ambiente, montaram estandes e receberam visitas de estu-dantes, profissionais ligados rea e comunidade.Durante todo o dia foram realizadas exposies, orien-taes sobre sustentabilidade, palestras sobre reciclagem e coleta de materiais eletrnicos e de leo de cozinha. O evento foi um sucesso, ainda mais com a presena macia dos alunos da rede municipal e estadual.

    encaminharam para anlise do Conselho da Fundao.A proposta de Gesto Uni-versitria do Professor Luiz Carlos Pfleger traz como objetivo Construir juntos uma nova universidade/real-idade, atravs da consolida-o da Uniplac como Univer-sidade e do estmulo e apoio para o fortalecimento dos cursos e existentes, de proje-tos de pesquisa e extenso e da criao de novos cursos em graduao e ps-graduao.O professor Luiz Carlos Pfleger docente na Uni-plac desde o ano de 1990 e responde como Reitor Inter-ino da Universidade desde outubro de 2013. Graduado em Cincias Econmicas pela Uniplac, possui espe-cializao em Administrao da Qualidade e Produtivi-dade (Uniplac), em Econo-mia de Empresas (UFSC) e doutorado em Administra-o Educacional (Concrdia International University). professor da rea de econo-mia da Uniplac.