Click here to load reader

Vitrine Lageana Edução 130

  • View
    219

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Vitrine Lageana Edução 130

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 16 dE MAIO de 2014Opinio SadeSegurana Turismo CidadeEducaoEntrevista Cultura

    Lages, Sexta-feira 16 de Maio de 2014R$ 2,00

    Ano 04 - Edio 130

    Valor da gua reajustadoDirigentes da Semasa reuniram a imprensa para explicar as razes do reajuste de 19,75%. O novo valor ser sentido na fatura de julho. | Pg. 3

    Paulo C

    hagas

    Nova oportunidade para bons

    negcios no setor

    Destaque 3

    Feira de Gado Geral no Conta

    DinheiroH benefcios

    para quem comprar antecipado

    Cidade 6

    Ingressos da Festa do Pinho

    vendaProcesso pode

    encaminhar o fim da interveno

    Educao 10

    Uniplac prxima da escolha do

    novo reitor

    Mesmo sem ter sede

    Tomegua

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 16 dE MAIO de 2014Mes ensinam a cuidar do outroMs de maio, ms das mes! Ora, as mulheres, em especial as mes, so reconhecidamente dignas de nossas maiores homenagens. Com elas, aprendemos a cuidar do outro com acu-

    rado esmero e sacrifcio. Desejamos ver raiar o dia em que, afinal, nos reconhea-mos como irmos, componentes de uma nica famlia, convivendo pacificamente nesta morada global.Era o que sonhava a costureira Rosa Parks (1913-2005), ativista dos

    direitos civis dos afro-americanos. Essa destemida mulher, certa vez, declarou: Eu acredito que estamos aqui, no pla-neta Terra, para viver, crescer e fazer o que ns podemos para que este seja um mundo melhor e para que todas as pes-soas tenham liberdade.Costumo afirmar que a humildade , acima de tudo, corajosa. E Rosa Parks tornou-se um cone na luta pela igualdade racial e pelo fim do precon-ceito nos Estados Unidos. Seu gesto apa-

    rentemente pequeno quando, em 1 de dezembro de 1955, se recusou a ceder lugar a um homem branco em um nibus da cidade de Montgomery, Alabama significou quebrar algemas da tirania do racismo. quela poca, mesmo havendo diviso entre assentos para brancos e negros, estes eram obrigados a se levan-tar para os brancos, caso todos os lugares do veculo estivessem preenchidos.Exemplos como esse s reforam o que h dcadas repito: Valorizar

    a mulher dignificar o homem. E vice-versa.Assim encerrei o documento que escrevi recentemente para a 58 sesso da Comisso sobre a Situao da Mulher, que ocorreu na ONU, em Nova York.

    Jos de Paiva Netto, jornalista, radialista e escritor.

    Nossa Opinio

    O Brasil se posi-ciona na reta final para o incio da Copa do Mundo do Futebol.

    A Seleo Brasileira pro-tagoniza a abertura, no dia 12 de junho, s 17 horas, contra a Seleo da Crocia. At a nada de novo. Alis, todo o passado e o presente da organizao denotam algo novo. A no ser a prox-imidade do evento. H quem esteja no dilema de torcer ou no pela Seleo. Coisa que duvido que decida ficar contra. Mas, o que se passa na cabea de muita gente o fato de tantos problemas ocor-ridos na construo destes inmeros estdios, at aqui. Pois , o povo no engole os superfaturamentos, a desorganizao e a falta de investimentos em setores essenciais. Talvez, seja por isso que misture os assuntos, e demonstre insatisfao, inclu-indo, sem pensar o selecio-

    nado, que no tem nada com isso. O problema administra-tivo, organizacional e poltico. Sendo assim, fica a certeza de que, quando a camisa ama-rela entrar nos gramados, o encanto aparece com fora, mas somente em torno da Seleo. A conta do resto, ser cobrada aps a Copa.Quanto ao que se fez para a construo desses estdios, isso no ser apagado to facilmente da memria do povo. Uma mino-ria se apronta para manifestar. Por outro lado, segurana para os visitantes tambm no deve faltar. Os turistas tambm no tm culpa da complexa desorganizao em torno dos investimentos na construo dos mega-estdios. O povo deve receb-los da melhor forma possvel. Por fim, diante de tudo isso, infelizmente, est em jogo mais ainda, a j abalada imagem do Brasil.

    Torcer ou no torcer

    Grimpa

    A gasolina do Brasil, embora falem em autossuficin-cia, est entre as mais caras do mundo. Mesmo diante dessa vergonha nacional, a Petrobras j comea

    a pincelar a necessidade de novo aumento, moderado, diz. Sem poder fazer nada, o consumidor apenas aguarda. O aumento deve

    ocorrer em dezembro, bem depois das eleies. Na casa dos R$ 3 reais, sabe-se l para quanto vai o preo. Gastar dinheiro em demasia com negcios escusos, no conta. Agora, o argumento de que os preos precisam estar alinhados com o mercado externo. Falta gesto e algo mais. Que a CPI da Petrobras, cumpra o objetivo. uma esperana...

    Preoda gasolina

    A Av. Duque de Caxias sem dvida, o maior calo da admin-istrao. Um projeto executado com demora alm da conta e repleto de controvrsias, para no dizer erros. Agora, uma coisa certa: o fato de ter que buscar retorno em pontos mais distantes no justifica tanta reclamao. Em cidades grandes, tem lugares que voc anda quilmetros para retornar. No sero os pouco mais de mil metros da Avenida que se tornaro problema para o retorno. Mas tem um detalhe: quem entra na Avenida, sentido Centro, e no sabe as manhas, se perde, ou no?

    !

    ...

    Careceesclarecer ?Duquede CaxiasEmbora a Procuradoria Geral do Municpio tenha enviado nota de esclarecimento sobre o episdio envol-vendo a batida do Gaeco na Secretaria de Segurana e Ordem Pblica, na semana passada, tudo precisa ser mais bem esclarecido. A transparncia tem sido palavra frequente na Prefeitura. um caso que precisa ter abertura, para que no surjam especulaes a respeito da ocorrncia. Por outro lado, o no pronunciamento do secretrio Paulo Della Giustina, tambm deixa margem para especulaes. O homem simplesmente sumiu do cenrio. Deve-ria ser o primeiro a pronunciar-se!

    Opinio1202

  • VITRINE LAGEANA - LAGEs, SEXTA-FEIRA 16 dE MAIO de 201403DESTAQUE

    Leilo de gado geralSemasa reajusta o valor da gua

    Neste sbado (17) no Parque Conta Dinheiro mil animais voltam a tomar conta da pista de arremates Jos Arruda Ramos durante a Feira de Gado Geral. O evento abre s 14h. Embora o leilo reserve espao a vacas para engorda, vacas prenhas, bois e novil-has, estaro na pista cerca de 800 terneiros e terneiras. Os negcios podero superar um faturamento superior a R$ 1 milho de reais. No mesmo leilo de 2013, foram inscritos 600 animais. Tivemos este ano um incremento em par-ticipao de quase 100%. Isso sem contar com cerca de mais 300 animais que no puderam ser inscritos pela falta de espao nas mangueiras, tam-bm ocupadas por cavalos cri-oulos, salientou o presidente da Associao Rural de Lages, Mrcio Pamplona.Conforme explica o diri-gente rural, o mercado favorvel deste ano provo-cou uma reao positiva ao agronegcio. Isso se deve ao crescimento das reas cul-

    tivveis, o que possibilitou mais oferta de alimentos para o gado nessa poca de inver-nia, favorecendo a procura de animais para engorda nas pastagens e principalmente, em confinamento.

    Cavalos crioulos

    Desde quinta-feira (15), esto sendo acomodados no Parque Conta Dinheiro os cavalos crioulos, que partici-pam da Exposio Morfolgica Crioulo e do 7 Leilo Crioulo da Serra, numa promoo do Ncleo dos Criadores de Cavalos Crioulos. Alm da exposio, nesta sexta-feira (16), noite, acontece o leilo da noite do criador, com fmeas destacadas na pista. J no sbado, logo aps o leilo de gado geral, potros e potran-cas, ganham vez em novo leilo de cavalos crioulos. Vale lembrar, que os animais que forem adquiridos se habilitam a concorrer a uma premiao de R$ 20 mil, no leilo crioulo de 2015.

    O reajuste da gua em Lages, em 19,75% ser sentido no bolso do consumidor na fatura do prximo ms de julho. Os argumentos para o repasse do ndice foram explanados durante coletiva imprensa, na tarde desta quinta-feira (15) pelo secretrio municipal de gua e Saneamento, Jos Wolney Constante e pelo dire-tor tcnico, Wilson Rodrigues. Conforme eles, a tarifa prati-cada pela Semasa est defasada desde 10 de janeiro de 2011. Por conta disso, a empresa recebeu orientaes tcnicas da Agncia Reguladora de Ser-vios de Saneamento Bsico de Santa Catarina (Agesan), para que procedesse a majora-o. Tenho orientao do pre-feito Elizeu Mattos, para fazer

    uso dos recursos oriundos do reajuste, somente em investi-mentos externos, salientou o Secretrio.

    Outra justificativa para o reajuste, est na comparao da diferena de valores entre a Semasa e a Casan, ou seja, em torno de 50% na tarifa residencial, e 59% nas tarifas comercial, industrial e pblica. Em valores, o preo da tarifa residencial da Semasa sobe de R$ 19,90 para R$ 23,83. J a da categoria comercial, indus-trial e pblica, o salto de R$ 27,76 para R$ 33,24. Na Casan, a residencial de R$ 29,92 e as demais, R$ 44,16. A Semasa tem um faturamento mdio mensal de R$ 2,3 milhes. Com o reajuste, deve ficar em torno de R$ 2,7 milhes, evidenciou o

    gerente administrativo e finan-ceiro, Aldo Roberto Pereira. Por outro lado, a maior preo-cupao dos tcnicos com as perdas de gua. Somente em 2013, a Semasa contabilizou 54%. Um desperdcio que liter-almente corre pelo ralo. Mesmo com investimentos atravs do Plano de Reduo e Perdas, a reduo foi de apenas 8%, mas significa um grande volume de gua. Novas obras seguem na programao.

    No entanto, o desperdcio dever ser enfrentado tambm com uma forte campanha de conscientizao junto comu-nidade, em especial, nas esco-las. Em 2013, os investimentos foram de R$ 7 milhes. Em 2014, a previso se aproxima de R$ 4 milhes.

    Com agronegcio em alta mil animais vo leilo neste sbado em Lages

    O Plano Municipal de Saneamento Bsico gera um grande demanda de recursos

    Pau

    lo C

    haga

    sNilton Wolf

    Con ra outros produtos e formas de acumular nmeros em sorteemcamposicredi.com.br

    = nmerosda sorte2ouem depsitos a prazoR$ 200 R$ 300em poupana*Ttulo da

    mod

    alid

    ade

    ince

    ntiv

    o em

    itid

    o pe