of 12 /12
ISSN 0798 1015 HOME Revista ESPACIOS ! ÍNDICES ! A LOS AUTORES ! Vol. 38 (Nº 26) Año 2017. Pág. 14 Eliminação do processo de queima na fabricação de arame tubular para soldagem Elimination of the burning process in manufacturing of tubular welding wire Juliana RAMOS Costa de Assis 1; William de Paula FERREIRA 2; Gleisson ASSIS 3; Antônio Mendes de Oliveira NETO 4 Recibido: 16/12/16 • Aprobado: 17/01/2017 Conteúdo 1. Introdução 2. Metodologia 3. Revisão da bibliografia 4. Resultados e discussão 5. Conclusões Referencias RESUMO: Os arames tubulares são consumíveis utilizado em processos de soldagem. O objetivo deste trabalho é, através de um estudo de caso, analisar a viabilidade da eliminação do processo de queima na fabricação do arame tubular OK TUBROD 81 W. Os ensaios mecânicos, análise de composição química, teste de feedability, soldabilidade e de hidrogênio difusível foram realizados em pares. Concluiu-se que não existem diferenças significativas nas propriedades do arame 81W que o impeçam de ser produzido sem o processo de queima. Resultando na redução do custo de transformação. Palavras-chaves: Arame Tubular. Processo de Queima. Solda. Melhoria. ABSTRACT: The tubular welding wire are consumables used in welding processes. The objective of this work is, through a case study, examine the feasibility to eliminate the burning process of the manufacturing process of the tubular welding wire OK TUBROD 81W. The mechanical tests, chemical composition analysis, feedability, weldability and diffusible hydrogen tests were performed in pairs. It was concluded that there are no significant differences in 81W wire properties that prevent it from being produced without the burning process. Resulting in transformation cost reduction. Key words: Tubular Wire. Firing process. Welding. Improvement. 1. Introdução Os arames tubulares foram desenvolvidos principalmente para atender à necessidade das empresas manterem sua competitividade, através do aumento da produtividade e da redução

Vol. 38 (Nº 26) Año 2017. Pág. 14 Eliminação do processo ... · soldagem Elimination of the burning process in manufacturing of tubular welding wire ... vantagens da soldagem

Embed Size (px)

Text of Vol. 38 (Nº 26) Año 2017. Pág. 14 Eliminação do processo ... · soldagem Elimination of the...

ISSN 0798 1015

HOME Revista ESPACIOS ! NDICES ! A LOS AUTORES !

Vol. 38 (N 26) Ao 2017. Pg. 14

Eliminao do processo de queima nafabricao de arame tubular parasoldagemElimination of the burning process in manufacturing of tubularwelding wireJuliana RAMOS Costa de Assis 1; William de Paula FERREIRA 2; Gleisson ASSIS 3; Antnio Mendes deOliveira NETO 4

Recibido: 16/12/16 Aprobado: 17/01/2017

Contedo1. Introduo2. Metodologia3. Reviso da bibliografia4. Resultados e discusso5. ConclusesReferencias

RESUMO:Os arames tubulares so consumveis utilizado emprocessos de soldagem. O objetivo deste trabalho ,atravs de um estudo de caso, analisar a viabilidade daeliminao do processo de queima na fabricao doarame tubular OK TUBROD 81 W. Os ensaiosmecnicos, anlise de composio qumica, teste defeedability, soldabilidade e de hidrognio difusvel foramrealizados em pares. Concluiu-se que no existemdiferenas significativas nas propriedades do arame81W que o impeam de ser produzido sem o processode queima. Resultando na reduo do custo detransformao. Palavras-chaves: Arame Tubular.Processo de Queima. Solda. Melhoria.

ABSTRACT:The tubular welding wire are consumables used inwelding processes. The objective of this work is,through a case study, examine the feasibility toeliminate the burning process of the manufacturingprocess of the tubular welding wire OK TUBROD 81W.The mechanical tests, chemical composition analysis,feedability, weldability and diffusible hydrogen testswere performed in pairs. It was concluded that thereare no significant differences in 81W wire propertiesthat prevent it from being produced without the burningprocess. Resulting in transformation cost reduction. Key words: Tubular Wire. Firing process. Welding.Improvement.

1. Introduo Os arames tubulares foram desenvolvidos principalmente para atender necessidade dasempresas manterem sua competitividade, atravs do aumento da produtividade e da reduo

file:///Volumes/CHOVET%20EXT%201TB/Archivos/espacios2017/index.htmlfile:///Volumes/CHOVET%20EXT%201TB/Archivos/espacios2017/a17v38n26/17382614.html#file:///Volumes/CHOVET%20EXT%201TB/Archivos/espacios2017/a17v38n26/17382614.html#file:///Volumes/CHOVET%20EXT%201TB/Archivos/espacios2017/a17v38n26/17382614.html#https://www.linkedin.com/company/revista-espaciosfile:///Volumes/CHOVET%20EXT%201TB/Archivos/espacios2017/a17v38n26/17382614.html#iden5

de custos. Os arames tubulares com gs de proteo para a soldagem de aos carbono foramdesenvolvidos no incio da dcada de 1950 e tornaram-se comercialmente disponveis em 1957.Nas dcadas de 1960 e 1970 foi observado um substancial crescimento deste processo nosEstados Unidos e tambm no Japo na dcada de 1980. Em 1991 uma empresa multinacional elder mundial do setor de soldagem trouxe ao Brasil uma unidade de produo de aramestubulares, localizada em Contagem/Minas Gerais, sendo esta unidade fabril escolhida para osestudos realizados neste trabalho (Fortes, 2004).O arame tubular um tipo de arame utilizado na soldagem e cujo interior preenchido por umfluxo, garantindo ao processo de soldagem caractersticas especiais (Kannan & Murugan, 2006).A combinao desse fluxo, acompanhado da utilizao de proteo gasosa externa, produzsoldas de alta qualidade, arco estvel e baixo nvel de respingos. Este tipo de produto pode seraplicado na construo de pontes, viadutos, tanques e vages, entre outras aplicaes, eapresenta excelentes caractersticas operacionais (Stridh, 2006).Segundo Rodrigues (2005) e Starling, Modenesi e Borba (2011), a soldagem a arco com arametubular (em ingls Flux-cored arc welding - FCAW) um processo que acumula as principaisvantagens da soldagem com arame macio e proteo gasosa (em ingls Gas Metal Arc Welding- GMAW) e tambm as vantagens da soldagem manual com eletrodos revestidos (em InglsShielded Metal Arc Welding SMAW).Em meio competitividade entre as empresas que oferecem esse tipo de consumvel, constante a busca pela melhoria dos seus indicadores de desempenho, tais como: reduo dotempo no processamento e entrega, aumento da qualidade e reduo do custo final do produtoacabado, conforme destaca F. H. Marques e Vidal (2012) e Garcia e Scotti (2009).No Brasil, a unidade de fabricao de arame tubular na empresa abordada neste estudo sofreuinfluncias das unidades de fabricao dos Estados Unidos da Amrica, que tm histrico deprodutos queimados, e da Europa, que tm histrico de produtos no queimados. Por estarazo ainda existem produtos que so queimados e produtos que no so queimados, e aindah dvidas quanto ao impacto que o processo de queima traz ao produto fabricado no Brasil.Neste contexto, o objetivo deste trabalho realizar um estudo para anlise da viabilidade daeliminao do processo de queima, com foco no arame OK TUBROD 81 W. Baseando-se naoportunidade real desta empresa em melhorar seus resultados, considerando que este processoocupa aproximadamente 15 horas no tempo de fabricao deste material.Esse trabalho est organizado da seguinte forma: partindo-se da introduo e objetivos aquiapresentados, segue-se para a seo 2 em que a pesquisa classificada e mtodos sodetalhados. A seo 3 apresenta uma reviso da literatura. Uma srie de experimentos, e seusrespectivos resultados, bem como a anlise e discusso so apresentados na seo 4 e 5.Finalmente, na seo 6, so expostas as concluses e consideraes finais.

2. MetodologiaDo ponto de vista de sua natureza, esta uma pesquisa aplicada, uma vez que objetiva gerarconhecimentos para aplicaes prticas dirigidas soluo de problemas especficos. Do pontode vista dos objetivos, trata-se de uma pesquisa exploratria e descritiva. Quanto forma deabordagem ao problema, uma pesquisa combinada, j que considera aspectos das pesquisasqualitativas e quantitativas (Mello & Turrioni, 2007). Do ponto de vista dos procedimentostcnicos, trata-se de um estudo de caso, definido como uma investigao emprica de umfenmeno contemporneo dentro de seu contexto da vida real (Yin, 2010).A empresa estudada uma multinacional, lder mundial do setor de soldagem, presente noBrasil desde 1991 em sua unidade de produo de arames tubulares. Para coleta de dados noestudo de caso foram utilizadas as seguintes tcnicas: anlise da documentao tcnica;observao diretas; entrevistas estruturadas e no estruturadas com os colaboradores, lderese gerente da fbrica.A pesquisa foi realizada nas seguintes etapas: 1) Acompanhamento da produo durante a

fabricao de um lote de teste do arame 81W; 2) Teste de soldabilidade; 3) Ensaios mecnicos;4) Testes de composio qumica; 5) Teste de hidrognio difusvel; 6) Avaliao da oxidao; 7)Anlise dos resultados; 8) Concluses. Todos os testes foram realizados em pares, semprecomparando o arame queimado com o arame no queimado. A fim de avaliar se alguma dascaractersticas citadas ou no afetada pela retirada do processo de queima.

3. Reviso bibliogrfica

3.1 Fabricao de arame tubularSegundo Fortes (2004), o processo de fabricao dos arames tubulares (Figura 1) feito apartir de bobinas de fitas metlicas e de um p denominado fluxo com formulaes especficas. A fita alimentada continuamente sendo deformada por meio de rolos conformadores, at quefique com a forma de um U e em seguida preenchida com o fluxo que formar o interior doarame. Aps esta etapa a fita passa por rolos de fechamento at adquirir a forma de tubo, como fluxo na parte interna.

FIGURA 1 Incio do Processo de Fabricao de Arame Tubular. Fonte: Fortes (2004).

Aps passar pelas etapas iniciais de adio do fluxo e fechamento do tubo, o arame tubular levado at sua dimenso final por meio de um processo mecnico de reduo de dimetro, quepode ser por laminao e/ou por trefilao. O arame do estudo desenvolvido passa peloprocesso de laminao.Ao final da linha, onde feita a laminao, o arame sai em carreteis de aproximadamente umatonelada. Em seguida seguem para o forno e posteriormente para o processo de bobinamento.Neste processo os arames so enrolados cuidadosamente em bobinas menores, usualmente de15 kg, para no ocorrerem excentricidades ou dobras. As bobinas so embaladas em sacosplsticos com um material dessecante para absorver a umidade que estiver no interior daembalagem. Esse conjunto ento colocado em uma caixa de papelo para proteo durante otransporte e facilidade de empilhamento. Aps este processo as caixas so paletizadas.P. V. Marques (1991) destaca a importncia da qualidade no processo de fabricao dos aramestubulares. Segundo Fortes (2004), este processo requer rigoroso controle de qualidade,principalmente em relao composio qumica do fluxo e da fita metlica. Ambos devem serinspecionados, uma vez que sero adicionados poa de fuso. Fatores importantes paragarantir a produtividade, como explica Widgery (1994).

3.2 O processo de queima do arameNo processo de queima (Figura 2), um forno a gs preenchido com 12 toneladas de arame,que permanecem 7 horas 320 C. Entretanto necessrio um tempo adicional de cerca de 4horas at que este patamar de temperatura seja atingido, aumentando ainda mais o lead timedo processo. Aps a queima, o arame fica por aproximadamente 4 horas fora do forno para quese resfrie e possa seguir para o processo de bobinamento. Sendo assim, pode-se estimar que,para a realizao do processo de queima, so necessrias em mdia 15 horas. Observou-se quena queima o estado fsico do arame permanece o mesmo, o nico aspecto visual que se altera a colorao superficial do arame que se torna mais escura.No processamento dos arames que so queimados, como o OK TUBROD 81 W, o material levado ao forno aps ter sido laminado com um tipo de lubrificante, que neste trabalho citadocomo lubrificante A, que somente utilizado em arames cujo processo de fabricao sersubmetido uma temperatura elevada. Por este motivo, atualmente entende-se que necessrio a queima, para que o lubrificante possa aderir ao arame e no trazer problemas nasoldagem. Em arames que no so queimados usa-se outro lubrificante, aqui citado comolubrificante B.

FIGURA 2 - Fluxograma do Processo de Queima. Fonte: elaborado pelos autores.

3.3 O arame OK TUDROD 81 WO OK TUBROD 81 W foi desenvolvido especialmente para a soldagem de aos patinveisresistentes corroso tipo Cor- Ten, SAC 41, SAC 50, SAC 300, SAC 350, e outros. Este arame do tipo rutlico para soldagem em passe nico ou multipasse em todas as posies. Para estasoldagem necessrio a utilizao de gs de proteo (75% Argnio e 25% Dixido decarbono) (Fortes, 2004). Um exemplo de arame tubular pode ser visto da Figura 3.Este arame classificado como ao de baixa liga, que so ligas Ferro-Carbono com adiointencional de pequenos teores de outros elementos de liga como, por exemplo, Mangans,Silcio, Nquel, Cromo, Cobre, Molibdnio e Vandio visando a obteno de propriedades

diferenciadas. O teor total de liga nessa classe de aos varia de 1,5 a 5,0% (Fortes, 2004;Ordez, 2004).

FIGURA 3 Bobina e forma de seo transversal de arames tubulares. Fonte: Adaptado de Machado (1996).

3.4 Controle de qualidadeO controle de qualidade de solda fundamental (Li, Wang, & Ding, 2008). Segundo osprocedimentos operacionais da empresa estudada, todo arame tubular aps ser produzido inspecionado, antes que seja liberado para envio ao cliente. Os requisitos de qualidade quedevem ser atendidos e os mtodos de anlise so apresentados a seguir:

A Composio Qumica: Para todos os lotes produzidos, uma solda feita utilizando-se o arameem anlise, em seguida limalhas desta solda so enviadas ao laboratrio que analisar a composioqumica por meio do equipamento ICP (Inductively Coupled Plasma, em portugus, Plasma AcopladoIndutivamente) e Eltra. Os resultados devem estar dentro da faixa estabelecida pelas normasinternas e handbooks. B Propriedades Mecnicas: Os testes de propriedades mecnicas s sero realizados quandosolicitado e consiste na aplicao de carga de trao uniaxial crescente em um corpo de provaespecfico at a ruptura. Visa a obteno de dados quantitativos das caractersticas mecnicas dosmateriais.C Soldabilidade: Na avaliao da soldabilidade os seguintes itens so verificados: estabilidade doarco, escria (aparncia, cobertura e remoo), porosidade, aparncia do cordo e alimentao doarame. Quando o soldador verifica uma m alimentao do arame no momento da solda, realiza-seo teste de feedability para confirmao do problema.D Feedability: O teste de feedability (fora que aplicada sobre o arame para a realizao dasolda) tambm realizado mediante solicitao, no fazendo parte do plano de controle dosprodutos, entretanto se no controle de qualidade o soldador no momento da avaliao dasoldabilidade observar que a alimentao do arame no teve bom desempenho, o arame pode serencaminhado para o teste de feedability, desta forma possvel mensurar graficamente estapercepo e registrar a evidncia de no conformidade. O objetivo do teste mensurar a fora que aplicada sobre o arame para a realizao da solda. Neste teste, condies reais de soldagem sosimuladas e o princpio da medio baseia-se na resistncia alimentao do arame, que transformada em um sinal eltrico e a resistncia alimentao exibida em um mostradornumrico e no grfico que gerado. Baixos valores encontrados neste grfico representam bonsresultados e boa estabilidade de arco e alimentao do arame no momento da soldagem.E Hidrognio Difusvel: Para determinao de Hidrognio Difusvel utiliza-se o equipamentoRailTrac. Nos resultados do teste, quanto menor o teor de hidrognio difusvel no metal de base dasolda, menor a probabilidade de formao de trincas na solda induzidas pela presena desseelemento.

4. Procedimentos de anlises

4.1 Testes de arame queimado e no queimadoA primeira etapa no desenvolvimento deste trabalho se deu a partir do acompanhamento daproduo para a fabricao de um lote de teste do arame 81 W. O acompanhamento foinecessrio para garantir que as modificaes no processo seriam obedecidas, pois duasalteraes foram feitas quando comparado a um lote de produo normal. A primeira alteraofoi a substituio do lubrificante A pelo lubrificante B na laminao, pois o lubrificante Bapresenta melhor performance de soldagem em arames que so produzidos sem a queima. Asegunda alterao, foco deste trabalho, foi no submeter o arame ao processo de queima, queaconteceria logo aps a laminao. Sendo assim, conforme j ilustrado na Figura 2, o arameem teste passou diretamente do processo de laminao para o processo de bobinamento. Aquantidade produzida foi de 30 kg para que todos os testes pudessem ser realizados.Com os mesmos lotes de matrias primas utilizados para a produo do arame sem queimar,produziu-se tambm 30 kg do arame seguindo o processo normal que inclui a queima, para queas duas produes pudessem ser comparadas nos testes de qualidade. O nmero deste lotecom as amostras de arame queimado e no queimado foi VT514T7026.

4.2 Testes de soldabilidade e feedabilityAps a produo do arame, as amostras seguiram para o teste de soldabilidade. Neste testeuma caixa de cada arame, queimado e no queimado, foi encaminhada ao soldador para aavaliao da qualidade no momento da solda. Segundo um dos procedimentos operacionais daempresa, para uma avaliao positiva quanto soldabilidade, a solda deve apresentar: boaestabilidade do arco, boa aparncia da escria, boa cobertura e remoo, pouca porosidade,boa aparncia do cordo e boa alimentao do arame. Esses itens so avaliados visualmentepelo soldador.O feedability avaliado por meio de um grfico que gerado pelo equipamento que realiza asolda e esboa a fora que o arame exerce para realizar a solda. Provado empiricamente, ovalor que tem sido adotado na empresa 20 N, pois este resultado considerado timo por setratar de um valor baixo. Uma vez que quanto maior o valor pior o desempenho do arame,caso o grfico apresente uma mdia de at 20 N o produto pode ser considerado com excelentealimentao na solda. Caso os valores encontrados sejam maiores que 20 N, o arame j noapresenta um desempenho excelente, mas ainda assim aceitvel, e para valores superiores a80 N o arame deve ser rejeitado.

4.3 Ensaios mecnicosOs ensaios de trao para anlise das propriedades mecnicas foram realizados pelo setor deProcess Centre na empresa. Para a realizao dos testes enviou-se ao departamento uma caixade cada amostra produzida. Foi utilizado nos testes a mquina universal de ensaioLOSENHAUSEWERK srie 19096/1965. Nos ensaios de propriedades mecnicas foramanalisados os itens descritos na Tabela 1.

TABELA 1 Especificao das Propriedades Mecnicas baseado na norma SFA 5.29 da ASME

Propriedades MecnicasAnalisadas

FaixaNormativa

Limite de Escoamento (MPa) 470

Resistncia a Trao (MPa) 550-690

Alongamento mnimo (%) 19

Estrico (%) -

Resistncia ao Impacto (J) 27

Fonte: Fortes (2004)

4.4 Testes de composio qumicaDe acordo com as normas da empresa a composio qumica um parmetro fundamental paraa qualificao e aprovao de um arame para uso final devido aplicao que cada aramerecebe. As anlises foram realizadas pelo departamento de qualidade no laboratrio qumico daempresa. Foi necessrio que um soldador efetuasse uma solda na superfcie de uma placametlica utilizando o arame em teste. Desta forma tem-se o metal depositado que enviado aosetor de usinagem para que limalhas possam ser retiradas.As anlises da composio qumica do metal depositado foram feitas utilizando-se doisequipamentos. Para analisar a concentrao de C e S nas amostras utilizou-se o equipamentoEltra modelo CS800, e para analisar as concentraes de Mn, P, Si, Cr, Ni e Cu utilizou-se oequipamento ICP modelo Optima 7000D.As especificaes das faixas estabelecidas para cada elemento esto indicadas na Tabela 2.Esses valores so provenientes de normas seguidas pela empresa. Quando os resultados dacomposio qumica se apresentam fora da faixa especificada o arame considerado noconforme e deve ser descartado.

TABELA 2 Especificao Qumica do Metal Depositado

ElementoAnalisado

Faixa Normativa(%)

C 0,030 - 0,120

Si 0,350 - 0,800

Mn 0,500 -1,300

P 0,000 - 0,030

S 0,000 - 0,030

Cr 0,450 - 0,700

Ni 0,400 - 0,800

Cu 0,300 - 0,750

Fonte: dados coletados na empresa

4.5 Teste de Hidrognio DifusvelPara realizao do teste de hidrognio difusvel foi necessrio preparar 4 placas que so

soldadas pelo arame. Cada placa posicionada entre duas outras peas e a soldagem realizada. As 2 peas da extremidade so descartadas e a placa central utilizada, garantindoque a solda da placa central tenha sido originada por um arco mais estvel. Em seguida, asplacas so colocadas em um recipiente contendo gelo seco (CO2) para evitar o contato com oar atmosfrico; as peas so, ento, enviadas ao laboratrio qumico. No laboratrio qumico cada pea mergulhada numa soluo de amnia e em seguida, pesada. O peso inserido no software acoplado ao equipamento e a pea colocada dentro dotubo do equipamento Bruker Juwe modelo J8 Galileo (Figura 4), que realiza a leitura dohidrognio. Todo o processo, at a insero da pea no tubo cronometrado e deve durar nomximo 2 minutos para evitar exposio da pea com o ar atmosfrico e no causar alteraesno resultado. Em seguida o teste iniciado e o equipamento leva 15 minutos para exibir oresultado da anlise. O mesmo procedimento repetido at que as 4 peas sejam analisadas eo resultado final do valor de Hidrognio difusvel calculado por meio da mdia desses 4resultados. Para o arame 81 W as normas limitam o teor de Hdif em no mximo 8 mL/100 g demetal depositad

FIGURA 4 - Bruker Juwe modelo J8 Galileo. Fonte: empresa estudada

4.6 Avaliao da OxidaoConforme j citado neste trabalho acredita-se que o processo de queima do arame reduz atendncia de oxidao durante o armazenamento e transporte at que o produto chegue aocliente. Devido a este aspecto, armazenaram-se amostras de arame queimado e no queimadoem condies crticas de exposio umidade durante o perodo de 12 meses para avaliao damudana do aspecto do arame quanto oxidao. Aps este perodo as amostras foramretiradas de sua embalagem original e avaliadas.

5. ResultadosOs resultados obtidos no teste de hidrognio difusvel e trao esto dispostos na Tabela 3.Percebe-se que no houve nenhuma variao fora da faixa normativa tanto para o aramequeimado quanto para o no queimado, sendo assim, a ausncia do processo de queima no

causou interferncias nos resultados destas propriedades.

TABELA 3 Resultado das propriedades mecnicas dos arames de lote VT514T7026

Propriedadesmecnicas

FaixaNormativa

Valores Obtidos

Arame noqueimado

ArameQueimado

Limite de Escoamento(MPa):

470 579 539

Resistncia a Trao(MPa):

550-690 609 580

Alongamento mnimo(%):

19 27 29

Estrico (%): - 71 71

Resistncia ao Impacto(J):

27 73 38

H Difusvel (ml/100 gM.D.)

8 5,01 4,03

Fonte: dados coletados na empresa

Os resultados de composio qumica, conforme listados na Tabela 4, tambm ficaram dentroda faixa normativa, no havendo variao fora da faixa na composio qumica dos aramescomparados.

TABELA 4 Resultado da composio qumica do metal depositado dos arames de lote VT514T7026

Composioqumica

FaixaNormativa %

Valores Obtidos

Arame noqueimado

Aramequeimado

C 0,030 - 0,120 0,048 0,030

Si 0,350 - 0,800 0,470 0,460

Mn 0,500 -1,300 0,870 0,550

P 0,000 - 0,030 0,013 0,030

S 0,000 - 0,030 0,007 0,005

Cr 0,450 - 0,700 0,480 0,460

Ni 0,400 - 0,800 0,490 0,440

Cu 0,300 - 0,750 0,500 0,350

Fonte: dados coletados na empresa

Os dois grficos gerados no teste de feedability foram digitalizados e expostos na Figura 5. Ogrfico a esquerda referente ao arame no queimado do lote em teste e o da direita doarame queimado.

Arame no queimado Arame queimado

FIGURA 5 Teste de Feedability dos arames de lote VT514T7026. Fonte: dados coletados na empresa.

Para melhor anlise do teste de feedability escolheu-se 13 pontos em cada grfico parapossibilitar o clculo da mdia dos resultados expostos. O intervalo entre cada pontorepresentou aproximadamente 23 segundos de soldagem, pois a durao total do teste de 5minutos.Conforme consta na Tabela 5, a mdia do feedability para o arame queimado e no queimadofoi semelhante, havendo um aumento de apenas 7% no arame que no foi queimado. Esteaumento desprezvel quando comparado aos resultados de feedability de produtos que soreprovados por no se apresentarem com bom desempenho na alimentao do arame nasoldagem.Os resultados quanto oxidao do arame aps 12 meses foram satisfatrios. No houvenenhuma variao no aspecto do arame no queimado quando comparado ao arame queimado.

TABELA 5 Resultado do Teste dos Arames de Lote VT514T7026

Feedability Lote VT514T7026

Arame no queimado Arame queimado

6 36

20 38

24 28

32 20

36 18

50 26

46 40

42 50

24 40

32 30

30 16

26 14

24 14

Mdia = 30 Mdia = 28

Fonte: dados coletados na empresa

5. ConclusoPor meio de todos os testes pode-se concluir que no existem diferenas nas propriedades doarame 81W que o impea de ser produzido sem o processo de queima, confirmando a hiptese.Uma das razes de unidades fabris localizadas em outros pases, com clima mido, utilizarem oprocesso de queima para reduzir o valor de hidrognio difusvel. No entanto, este no ocaso da fbrica de arame tubular no Brasil. Conforme confirmado pelos resultadosapresentados. importante expor que para que a deciso de eliminar o processo de queima no fosse combase em apenas um lote testado, todas as anlises expostas neste trabalho referente ao loteVT514T7026 foram repetidas em outros lotes do arame 81W e tambm para alguns outrostipos de arame que tambm so queimados. Os resultados desses outros lotes analisados noforam expostos neste trabalho para que um grande volume de dados da empresa em estudono fosse divulgado, entretanto todos os testes tambm foram satisfatrios, podendo entoreforar a concluso de que o processo de queima de arame tubular no necessrio por nohaver variaes no produto final quando comparado ao arame queimado.A eliminao do processo de queima impacta diretamente o lead time, uma vez que no maisnecessrio aguardar cerca de 15 horas no processo de queima, possibilitando que o produtofinal seja produzido num tempo muito menor, chegando ao cliente de maneira bem mais rpida.Alm disso, o trabalho trouxe empresa uma reduo de 13% do custo de transformao doarame 81W. Esta reduo foi calculada com base nos gastos envolvidos desde o gs para aqueima at a mo de obra necessria.Ao iniciar o projeto, aps a escolha da equipe, os operadores, escolhidos para realizar afabricao dos experimentos junto Engenharia de Processos, foram treinados e informadosquanto possibilidade de mudanas no processo. Durante a etapa de realizao dosexperimentos, foi necessrio o constante monitoramento de cada atividade realizada e atenoaos mnimos detalhes durante as operaes, principalmente na linha de fabricao, a fim decercar e controlar as variveis do processo.Para validao final do trabalho, em novembro de 2015, iniciou-se a fabricao do arame 81Wem larga escala, totalizando 9 toneladas, sem o processo de queima. Este lote de numeraoVT547T8208 foi acompanhado em todos os quesitos de qualidade, com resultadosextremamente satisfatrio.

RefernciasFortes, C. (2004). Apostila Arames Tubulares. ESAB BR.Garcia, R. P., & Scotti, A. (2009). Uma metodologia para Anlises Comparativas da Capacidade

Produtiva entre Arames Macios (MIG/MAG) e Tubulares (Eletrodo Tubular). Soldagem Insp.,14(1), 10-25.Kannan, T., & Murugan, N. (2006). Effect of flux cored arc welding process parameters onduplex stainless steel clad quality. Journal of Materials Processing Technology, 176(1), 230-239.Li, Z. Y., Wang, B., & Ding, J. B. (2008). Quality measure and control system for the wholeprocess of arc welding. In J. Niu, Z. Y. Liu, C. Jin & G. Zhou (Eds.), Physical and NumericalSimulation of Materials Processing, Pts 1 and 2 (Vol. 575-578, pp. 722-727).Machado, I. (1996). Soldagem e Tcnicas Conexas-Processos: Livro. Porto Alegre.Marques, F. H., & Vidal, P. G. (2012). Objetivos de desempenho de operaes e sua influnciana competitividade: A importncia para as empresas no Brasil. Jovens Pesquisadores-Mackenzie, 8(2).Marques, P. V. (1991). Tecnologia da soldagem. Belo Horizonte: ESAB.MELLO, C., & TURRIONI, J. (2007). Metodologia de pesquisa: estratgias, mtodos e tcnicaspara pesquisa cientfica em engenharia de produo. Programa de Ps-Graduao daUniversidade Federal de ItajubUNIFEI.Ordez, R. E. C. (2004). Soldagem e caracterizao das propriedades mecnicas de dutos deao API 5L-X80 com diferentes arames tubulares. (Dissertao de Mestrado), UniversidadeEstadual de Campinas.Rodrigues, L. d. O. (2005). Anlise e otimizao de parmetros na soldagem com arametubular. (Dissertao de Mestrado (Instituto de Engenharia Mecnica)), Universidade Federal deItajub - UNIFEI, Itajub.Starling, C. M. D., Modenesi, P. J., & Borba, T. M. D. (2011). Caracterizao do Cordo naSoldagem FCAW com um Arame Tubular" Metal Cored. Soldagem & Inspeo, So Paulo, 16,285-300.Stridh, L. E. (2006). Flux cored arc welding. Mig Welding Guide, 80-89.Widgery, D. (1994). Tubular wire welding: Elsevier. Yin, R. (2010). Estudo de caso:planejamento e mtodos Bookman: Porto Alegre: Brasil.

1. Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia de So Paulo (IFSP).2. Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia de So Paulo (IFSP).3. Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia de So Paulo (IFSP)[email protected] Instituto Federal de Educao, Cincia e Tecnologia de So Paulo (IFSP).

Revista ESPACIOS. ISSN 0798 1015Vol. 38 (N 26) Ao 2017

[ndice]

[En caso de encontrar algn error en este website favor enviar email a webmaster]

2017. revistaESPACIOS.com Derechos Reservados

mailto:[email protected]:///Volumes/CHOVET%20EXT%201TB/Archivos/espacios2017/a17v38n26/in173826.htmlmailto:[email protected]