Volvuvaginites- Parte I.doc Revisado

Embed Size (px)

Text of Volvuvaginites- Parte I.doc Revisado

VULVOVAGINITES (PARTE I) PROF: CALIL I- IMPORTNCIA: uma das mais freqentes queixas que ns encontramos. Isso vcs vo ver todos os dias nas suas consultas no ambulatrio. A primeira coisa que nos temos que chamar ateno que embora a grande maioria das mulheres no compreendam e algumas delas no aceitam que a mulher tem secreo vaginal diria de quantidade que pode ser mensurada. Secretam atravs de que? Atravs da mucosa vaginal,da gandula de skinin, da glndula de bartolin. Ento a vagina ela sempre mida, vc v pela anatomia da vagina, que ela uma cavidade em fundo cego,ela tem a entrada, o entrito vaginal, ela no tem fundo,termina no frnice vaginal junto ao colo do tero, no tem sada, sempre mida pq no tem secrees e em mal-ventilada. Agrega-se a anatomia os hbitos da mulher hoje, que usam roupas muito mais fechadas do que abertas. (cala jeans apertadas!).A paciente precisa entender que ela produz secrees, e as vezes ela quer que vc trate o corrimento fisiolgico dela, quer um remdio para que ela fique sequinha, no tem jeito! Principalmente a mulher que esta na vida reprodutiva dela, pode ser que na menopausa isso diminua um pouco, em funo da diminuio hormonal mas ela sempre vai ter secrees vaginais. normal na vagina tem bactrias,fungos e etc.. pq que no d corrimento? Pq tem equilbrio. Porque tem mecanismos de defesa. quando isso se desbalanceia para um lado ou pro outro acontecem os corrimentos. Outra coisa quando a paciente ta no perodo ovulatrio, o perodo em que h uma grande quantidade de muco e essa grande quantidade pra favorecer a entrada do espermatozide, faz com que ela tenha uma secreo mais abundante que ela v sair na roupa e se vc pegar no dedo, ela estica e quanto mais ela esticar melhor o seu muco no perodo ovulatrio para engravidar. Vc pode at pesquisar em pacientes que tem dificuldade para engravidar o estado do muco cervical, se ele esta esticando ou no. Esse muco bom facilita a penetrao do espermatozide pela vagina at chegar no colo uterino. Isso no mundo inteiro. a principal causa de consultas em ginecologia. Secreo vaginal (1,98 + 0,129/24h) Milhares de consultas em todo mundo Principais agentes: 1) Candida sp 2) Trichomonas vaginalis 3) Gardnerella vaginallis (vaginose) 4) Clamidia Trachomatis Os principais agentes alm do gonococo que no esta aqui vc tem a cndida albicans, a gardnerella e a clamidia. 1/3 a das consultas ginecolgicas tem como queixa principal ou secundria o corrimento vaginal. Pode ser um sinal ou pode ser um sintoma. Pode ser um sintoma a paciente que apresenta disuria, dispareunia, prurido intenso. Pode ser um sinal quando vc olha l e v um corrimento branco, ou amarelado, ou esverdeado, se grumoso, fluido, homogenio, acizentado.

Aspecto Pesquisa Odor Na clnica ns vamos pesquisar, o aspecto do corrimento, Viscosidade, Quantidade, se tem ou no odor. Prurido Queixas Disuria Dispareunia Corrimento As queixas da paciente, disuria,prurido,dispaurenia, o prprio corrimento em si. (Qual a caracterstica dele?) Clnica Tratar adequadamente Temos que tratar adequadamento para evitar as complicaes. Resistncia Complicaes Recorrncia E quais so as complicaes? a resistncia pelo uso inadequado de medicamentos e a recorrncia que muito freqente. Uma outra coisa que a paciente procura muito que ela quer um remdio ou tratamento que ela no vai ter mais corrimento. E vc tem que explicar,orientar a sua paciente que isso um processo fisiolgico do organismo dela, e que pode ocorrer devido a inmeros fatores prprios do organismo ou dos hbitos dela, e que ela pode ficar longos perodos sem ter e depois ter novamente, assim como tambm tem pacientes que chegam e dizem: Nunca tive corrimento. II FATORES QUE INFLUENCIAM NA FLORA BACTERIANA Anatmicos: Fstulas, Prolapsos Fatores anatmicos: as pacientes que tem prolapso como nos vimos naquela figura, o colo dela est totalmente desprotegido, est no meio externo, em contato com as vestes, sendo as vezes at lesado,escarificado, ou mesmo a fistula que se originou por qualquer motivo,as vezes pos cirrgico, entre o reto e a vagina, o contato com esses meios,principalmente o reto jogando secrees pra dentro da vagina,e vai levar dali elementos bactrias e isso influencia a flora bacteriana.

Glicognio do Epitlio Vaginal O glicogenio do epitlio vaginal que atua principalmente atravs da ao de hormnios, os hormnios podem alterar esse glicognio do epitlio.

Idade Hormnios Ciclo menstrual Gravidez O hormnio tanto varivel de acordo com a idade. Ns temos pouco hormnio ou quase nada na menina,um aumento progressivo na adolescncia, a amplitude desse hormnio durante a menacme, e depoois uma diminuio desses hormnios na menopausa e esses hormnios tb so bastante alterados na gravidez, h uma inundao desses hormnios durante a gravidez.

Secrees trato genital superior Sangue menstrual Lquios As secrees do trato genital superior: sangue menstrual e loquios, loquiao so aquelas secrees que saem aps o parto. Fez o parto,retirou a placenta e a esse tero comea a contrair e eliminar aquele material que esta dentro do tero e isso vai

permanecer durante todo o perodo de puerprio. Primeiro um sangue vivo, depois um sangue avermelhado escuro,depois vem uma loquiao, uma secreo amarelada,e por fim o lquios branco que j a fase final do puerprio, nessa ordem gradativamente. normal a paciente no puerperio reclamar de uma secreo esbranquiada, aps 30,31 dias de puerprio, e isso normal at o final dele. O sangramento menstrual interfere, interfere porque aumenta o ph e facilita a colonizao de vermes, ento nos vemos ver a frente que a presena de sangue no perodo mesntrual, o prprio esperma como vamos ver pra frente,podem alterar o ph da vagina e isso influenciar na flora bacteriana.

Traumas: parto, cirurgias

Os traumas,partos, cirurgias.

Alteraes metablicas Diabetes Uremia Neoplasia

As alteraes metablicas, diabetes,uremia, neoplasia so todos fatores que podem alterar ou disponibilizar um tipo ou outro de doena. Corpos estranhos: -Tampo O uso de tampo,diu,diafragma,cremes vaginais, dentro de tampes esta o OB,existem pacientes que usam o OB de maneira indiscriminada, usam o OB pra tudo, e ele deve ser usado somente em momentos muito necessrios, como uma reunio, um passeio que tem piscina, uma situao espordica quando se usa o OB, existem pacientes que usam constantemente por se sentirem mais seguras e isso acaba alterando a flora. -DIU O DIU que um corpo estranho que est l dentro do tero que pode favorecer essa mudana e eventualmente pode favorecer a colonizao, mas isso no impede o uso e indicao do DIU. -Diafragma Diafragma um capuz que coloca no colo uterino para evitar a gravidez, e essa colocao do diafragma ela tem que ser precedida e orientada pq as vezes no o diafragma que est levando essa colonizao, mas o manuseio do diafragma. Como que ele guardado? Como colocado? Como higienizado? A higiene das mos? ento como tudo isso feito o que facilita a colonizao de bactria. -Cremes vaginais E o uso de cremes vaginais tb indiscriminado Relacionamento sexual: coito, ejaculao A relao sexual, as vezes pela prpria descamao do tecido com a relao sexual ou mesmo pelo esperma que tem um ph alcalino e pode alcalinizar o ph da vagina. muito comum voc ter algumas colonizaes, ns vamos ver l na frente, em conjunto com o smen, relacionadas com a ejaculao.

Drogas Antibiticos Imunossupressores ACO Uso de drogas, principalmente imunossupresoores, ACO que modifica o epitlio vaginal, uso indiscriminado de ABT que vai alterar a flora.

Fsico: Radioterapia A radioterapia que altera de forma geral todo o tecido e tb a radioterapia de regio plvica por destruio das clula

Biolgico: Aderncia bactrias as clulas vaginais E tambm por agentes biolgicos principalmente em relao a gardnerella que ela pode por ao da bactria ela pode se unir a superfcie das clulas, a imagem que o citologista observa quando ele coloca l provvel gardnerella vaginalis uma clula vaginal espoliada descamada, e que tem agregada a ela umas bactrias em sua superfcie. Ento esse conjunto chamado de clue cells, so clulas de aderncia

VAGINOSE BACTERIANA Generalidades: Principal agente: Gardnerella vaginalis, cocobacilo no mvel, anaerbico Das vulvovaginites, a primeira que ns temos a vaginose bacteriana. Vaginose pq na verdade vc tem um elemento principal que a gardnerella vaginalis mas em geral ela esta associada a outros elementos tb como mycoplasma e bacterides. Ento alm da gardnerella que o elemento principal h tbm a associao de outros patgenos..

Associado:

Mobilucuns Mycoplasma Bacterides

Diminui concentrao Lactobacilos Diminui a concentrao de lactobacilos e com isso se diminui a concentrao deles, eles no tem como diminuir o ph da vagina, assim tornando o meio alcalino e esse meio alcalino muito bom para o desenvolvimento e manuteno da gardnerella. Ela gosta de ph alcalino. Aumenta pH vaginal (7,0) 17 - 19% Planejamento Familiar 24 37% DST Prevalncia: 16 29% Gestantes Mulheres negras Uso DIU Tabagista Gestao prvia Em qualquer setor que vc atue, sendo no planejamento familiar ou no ambulatrio de DST, em ambulatrio de pr natal, a incidncia da vaginose importante. Alm disso acomete mais as mulheres negras,aquelas que usam DIU, tabagistas e as que tiveram gestao previa. Esse so achados epidemiolgicos.

Epidemiologia: 33% das vaginites 40 68% mulheres sexualmente ativas assintomticas mulheres infectadas: 80 90% presente na uretra masculina 58% homens sexualmente ativos assintomticos

Na epidemiologia vc tem das vaginites, das infeces que ocorrem na vagina, um tero por gardnerella ento um incidncia muito importante. At 68% das mulheres sexualmente ativas podem ter gardnerella mas serem assintomticas. Ento as vezes vc achar como achado de exame,a paciente as vezes refere que tem um corrimento muito discreto,pequeno e que vc colhe exame e no resultado vem a presena de gardnerella. Ela no tem