Volume 4 Agropecuaria

  • View
    9.594

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Volume 4 Agropecuaria

  • 1. MINAS GERAIS DO SCULO XXI TRANSFORMANDO O DESENVOLVIMENTO NA AGROPECURIA VOLUME IV

2. MINAS GERAIS DO SCULO XXIVOLUME IV TRANSFORMANDO O DESENVOLVIMENTO DAAGROPECURIABanco deDesenvolvimento deMinas Gerais 3. BANCO DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS S.A. - BDMG Conselho de Administrao Jos Augusto Trpia Reis - Presidente Murilo Paulino Badar - Vice-Presidente Edgard Martins ManeiraElvira Fonseca GarciaFbio Proena DoyleJos Pedro Rodrigues de OliveiraDiretoria Murilo Paulino Badar - PresidenteFrancisco Jos de Oliveira - Vice-PresidenteJos Lana RaposoIgncio Gabriel Prata NetoJlio Onofre Mendes de OliveiraCoordenao do ProjetoTadeu Barreto Guimares - Coordenao GeralMarco Antnio Rodrigues da Cunha - Coordenao Executiva Marilena Chaves - Coordenao Tcnica Equipe Tcnica do Departamento de Planejamento, Programas e Estudos Econmicos D.PE Bernardo Tavares de AlmeidaFrederico Mrio MarquesGislaine ngela do Prado Juliana Rodrigues de Paula ChiariMarco Antnio Rodrigues da Cunha Marilena Chaves Tadeu Barreto Guimares - Gerente Apoio AdministrativoCristiane de Lima Caputo Diully Soares Cndido GonalvesHenrique Naves PinheiroHiram Silveira AssunoMarta Maria Campos3 Introduo 4. As idias expostas nos textos assinados so de responsabilidade dos autores,no refletindo necessariamente a opinio do BDMG. BANCO DE DESENVOLVIMENTO DE MINAS GERAIS S.A. - BDMG Rua da Bahia, 1600, Lourdes 30160.907 Caixa Postal 1.026 Belo Horizonte - Minas GeraisTel : (031) 3219.8000 http://www.bdmg.mg.gov.br e-mail: contatos@bdmg.mg.gov.brEditorao de Textos IDM / Tcnica Composio e Arte Criao da Capa Fernando Fiza de Filgueiras Projeto e Produo Grfica Fernando Fiza de FilgueirasOtvio BretasRona Editora Ltda Avenida Mem de S, 801 Santa Efignia 30260-270 Belo Horizonte/ MG Telefax: (31) 3283-2123Reviso e Normalizao Dila Bragana de MendonaElzira Divina Perptua (Coordenao)Marlene de Paula Fraga Raquel Beatriz Junqueira GuimaresVicente de Paula AssunoVirgnia Novais da Mata Machado Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais Minas Gerais do Sculo XXI / Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. B213m 2002 Belo Horizonte: Rona Editora, 2002. 10 v. : il. - Contedo: v.1 - O Ponto de Partida. v. 2 - Reinterpretando o Espao Mineiro.v. 3 - Infra-Estrutura: sustentando o desenvolvimento. v. 4 - Transformando oDesenvolvimento na Agropecuria. v. 5 - Consolidando Posies naMinerao. v. 6 - Integrando a Indstria para o Futuro. v. 7 - DesenvolvimentoSustentvel: apostando no futuro. v. 8 - Investindo em Polticas Sociais. v. 9 -Transformando o Poder Pblico: a busca da eficcia. v. Especial Uma Viso do NovoDesenvolvimento 1. Condies econmicas Minas Gerais. 2. Desenvolvimento econmico Minas Gerais. I. Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. II. BDMG. III. TtuloCDU: 338.92(815.1) Catalogao na publicao: Biblioteca BDMG4 Minas Gerais do Sculo XXI - Volume I - O ponto de partida 5. VOLUME 4TRANSFORMANDO ODESENVOLVIMENTO DA AGROPECURIA Coordenao do ProjetoTadeu Barreto Guimares - Coordenao GeralMarco Antnio Rodrigues da Cunha - Coordenao ExecutivaMarilena Chaves - Coordenao TcnicaCoordenador Tcnico do Volume Gislaine Angela do Prado 6. ECCON - Estudos, Sistemas e Consultorias em Negcios Ltda. Universidade Federal de Viosa - UFVEQUIPE TCNICACoordenaoRbio de AndradeEduardo A. P. CampeloViviani Silva LrioElaborao Rbio de AndradeEduardo A. P. CampeloViviani Silva LrioBrcio dos Santos ReisMarlia Fernandes Maciel GomesWilson da Cruz Vieira ApoioCleiton Ladeira FaustinoElaine Cristina PintoKarine Ribeiro RaslanMichele Costa e SouzaPatrcia Lopes Rosado 7. SUMRIO1. INTRODUO9 2. NOTAS METODOLGICAS 11 3. PANORAMA DA AGROPECURIA NACIONAL E ESTADUAL173.1. ASPECTOS RELEVANTES DA AGROPECURIA BRASILEIRA173.2. VISO GERAL DA AGROPECURIA DE MINAS GERAIS 21 4. AS CADEIAS AGROINDUSTRIAIS EM MINAS GERAIS514.1. A CADEIA AGROINDUSTRIAL DO CAF514.2. AS CADEIAS AGROINDUSTRIAIS DE CARNES 594.3. A CADEIA AGROINDUSTRIAL DO LEITE 864.4. A CADEIA AGROINDUSTRIAL DAS FRUTAS 964.5. A CADEIA AGROINDUSTRIAL DA CANA-DE-ACAR1154.6. A CADEIA AGROINDUSTRIAL DO ALGODO 126 5. AS CADEIAS AGRCOLAS EM MINAS GERAIS1345.1. AS CADEIAS AGRCOLAS DE GROS1345.2. A CADEIA AGRCOLA DA BATATA1625.3. A CADEIA AGRCOLA DA MANDIOCA167 6. PROPOSIES POLTICAS 1736.1. O AMBIENTE INSTITUCIONAL RELATIVO S CADEIAS AGROINDUSTRIAIS 1746.2. O MARCO LEGAL DO SETOR AGROPECURIO ESTADUAL 1796.3. PROPOSTAS PARA A POLTICA AGRCOLA ESTADUAL181 7. REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS190 8. ANEXO - SUMRIO EXECUTIVO 199 8. BDMG 40 anos1. Introduo Na ltima dcada, o setor agropecurio nacional - e tambm o mineiro - vm passando por modificaes estruturais em suas atividades mais relevantes. A par de um importante processo de modernizao tecnolgica e gerencial, que resultou na profissionalizao de parcela relevante das atividades produtivas, observa-se um significativo rearranjo espacial no sentido da concentrao na direo Oeste do Pas (e do Estado de Minas Gerais), paralelamente a uma integrao crescente da produo primria agroindstria, com aumento do porte e reduo do nmero de unidades produtivas.Esses movimentos foram reflexo de um intenso processo de modernizao, em boa parte induzido pela abertura da economia nacional competio internacional e pela retirada do governo do estabelecimento e operacionalizao das principais polticas pblicas para o setor, que causavam distores competitivas e desequilbrios de alocao de recursos. A estrutura geral de preos agropecurios resultante desse processo tornou-se incompatvel com as prticas produtivas que no fossem comercialmente competitivas. A sobrevivncia econmica do setor rural passa a ser definida pela situao tecnolgica dos produtores e sua capacidade de insero empresarial nos mercados agropecurios, cujas estruturas so as mais competitivas da economia nacional. Como conseqncia, atividades localizadas em regies com custos de produo - associados a condies naturais edafoclimticas ou a dificuldades logsticas de acesso aos mercados - menos competitivos, esto sendo induzidas a se deslocar para regies competitivas, como estratgia de sobrevivncia econmica. Em Minas Gerais, a evoluo desse cenrio em transformao no se fez acompanhar por levantamentos sistemticos e estudos que permitam o conhecimento objetivo de sua economia rural, suas tendncias e o estabelecimento de diretrizes estratgicas para o seu fomento. Com efeito, os ltimos estudos abrangentes sobre a agropecuria estadual foram realizados h muitos anos, sendo os mais relevantes aqueles constantes do diagnstico da economia mineira realizado pelo BDMG em 19891, os estudos de cenrios das principais cadeias produtivas desenvolvidos pela Secretaria da Agricultura, Pecuria e Abastecimento em 19942 e o levantamento de dados sobre a agropecuria mineira feito pela Fundao Joo Pinheiro em 2001, com dados de 1995/ 963. Em funo da dinmica setorial, esses estudos, naturalmente, j esto defasados. Assim, o planejamento de polticas setoriais e implantao de aes de fomento produo agropecuria estadual requerem uma nova avaliao da realidade desse setor.As cadeias produtivas sob anlise neste trabalho foram selecionadas pela sua relevncia econmica e social para o Estado e para o Pas. Atualmente, Minas Gerais o primeiro produtor nacional de caf, abacaxi, batata e leite; o segundo na produo de milho e gado bovino; o terceiro em feijo e sunos, o quarto em cana-de-acar e laranja; o sexto na produo de banana e aves, o stimo na produo de soja, mandioca e algodo e o oitavo na produo de arroz. Em todas essas cadeias, existe grande potencial de expanso tanto na esfera produtiva quanto no processamento e comercializao de seus subprodutos.BDMG. Economia Mineira 1989: diagnstico e perspectivas. Belo Horizonte, 1989. 1SEAPA. Cenrios e tendncias da agropecuria mineira. Belo Horizonte, 1994. 2FJP/Rocha, Patrcia A. M. (Coord.). Indicao e anlise das transformaes do setor agropecurio, 1995-96, com nfase em 3Minas Gerais. Belo Horizonte, julho de 2001.9 Transformando o Desenvolvimento da Agropecuria 9. Ainda que o Estado seja importante produtor de outros produtos, em especial de produtos BDMG 40 anos da olericultura - a exemplo do alho, tomate e outros - as reas ocupadas e a renda gerada por eles so, relativamente s cadeias consideradas, pouco relevantes, razo pela qual no so aqui abordados.H de se mencionar, ainda, a ausncia, neste trabalho, da produo florestal. Com efeito, Minas Gerais ocupa a primeiro lugar nacional em plantios de madeira (eucalipto e pinus), com cerca de 35% do total, em uma rea reflorestada de 1,27 milhes de hectares, o que coloca essa cultura na primeira posio estadual em rea ocupada. No obstante, no caso de Minas Gerais, a madeira uma matria-prima eminentemente industrial, destinada produo de carvo para a indstria siderrgica. Os grandes macios foram implantados por um reduzido nmero de grandes empresas de siderurgia para o auto-abastecimento de carvo siderrgico. Assim, a vinculao principal desse segmento no com o setor agropecurio, mas com a cadeia produtiva minero- metalrgica, ainda que as florestas disputem os mesmos fatores de produo com os demais produtos agrcolas (terra, insumos, sol e gua).Concluindo, o presente trabalho tem por objetivos: Apresentar um panorama agregado do setor agropecurio mineiro, destacando a realidadeatual e tendncias gerais dos principais indicadores rurais do Estado; Caracterizar a estrutura e o funcionamento das cadeias produtivas agroindustriaisselecionadas em de Minas Gerais; Identificar os fatores que afetam o desempenho atual e futuro do sistema; e Quando oportuno, propor estratgias empresariais e polticas pblicas para a melhoriado seu desempenho.10 Minas Gerais do Sculo XXI - Volume IV - Transformando o Desenvolvimento da Agropecuria 10. BDMG 40 anos2. Notas Metodolgicas A anlise de cadeias produtivas agroindustriais tem sido realizada a partir de diferentes abordagens metodolgicas, que contemplam desde simples estudos exploratrios at complexas anlises quantitativas. Assim sendo, a opo metodolgica definida, a princpi