1185617336 260.animacaoeducacao infantil

Embed Size (px)

Text of 1185617336 260.animacaoeducacao infantil

  • A CRIANAA SOCIEDADE: MUDANAS SOCIAIS, FAMILIARES, ECONMICAS, CULTURAISDETERMINAM O ESTABELECIMENTO DOS OBJECTIVOS GERAIS DA EDUCAO INFANTILATINGEM-SE ATRAVS DO TRABALHO E DAS EXPERINCIAS NOS MBITOS OU REAS CURRICULARESEDUCAO INFANTIL : PLANO CURRICULAR

  • MBITOS OU REAS CURRICULARESFORMAO PESSOAL E SOCIALA CRIANA E O SEU CORPO EXPRESSO PSICOMOTORA DESENVOLVMENTO AFECTIVO E SOCIALIZAOCONHECIMENTO DO MUNDOO MEIO SOCIAL O MEIO FSICOEXPRESSO E COMUNICAO COMUNICAO LINGUSTICA DESENVOLVIMENTO LGICO E REPRESENTAO MATEMTICA EXPRESSO PLSTICA; EXPRESSO MUSICAL; EXPRESSO CORPORAL E DRAMATIZAOTEMAS TRANSVERSAISA EDUCAO NO SEXISTA; A EDUCAO PARA A PAZ; A EDUCAO AMBIENTAL; A EDUCAO PARA A SADE; A EDUCAO RODOVIRIA; A EDUCAO PARA O CONSUMO

  • OBJECTIVO GERAL DA EDUCAO INFANTILSATISFAO DAS NECESSIDADES BSICAS: SEGURANA, HIGIENE, ALIMENTAO, REPOUSO, BRINCADEIRA E NECESSIDADES DE AFECTO E CARINHO, BEM COMO PROMOVER O SEU DESENVOLVIMENTO FSICO, PSQUICO E SOCIO-AFECTIVO, ATRAVS DA ESTIMULAO DOS SEUS SENTIDOS PARA A DESCOBERTA DO ESPAO E DOS MATERIAIS, COM A APLICAO DE DIVERSAS ACTIVIDADES SOCIO-EDUCATIVAS

  • VALNCIAS DE APOIO INFNCIA E JUVENTUDEAMAS (DL n. 158/84 de 17 de Maio)CRECHES FAMILIARES (4 MESES 3 ANOS)CRECHES (4 MESES 3 ANOS)ESTABELECIMENTO DE EDUCAO PR-ESCOLAR (3 ANOS 5/6 ANOS)CENTRO DE ACTIVIDADES DE TEMPOS LIVRES (6 ANOS- 10/12 ANOS OU MAIS)LARES DE CRIANAS E JOVENSCENTRO DE ACOLHIMENTO TEMPORRIO

  • INSTITUIES DE APOIO INFNCIA E JUVENTUDE

    PBLICAS PRIVADAS COM FINS LUCRATIVOSPRIVADAS (PARTICULARES) SEM FINS LUCRATIVOS E/OU IPSS (Instituio Particular de Solidariedade Social)

  • DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DA PERSONALIDADE NOS MBITOS MOTOR, COGNITIVO E AFECTIVODESENVOLVER: AUTONOMIA, SOCIALIZAO, AUTO-CONFIANA E EXPRESSO VERBAL COGNIO, CRIATIVIDADE ATENO, CONCENTRAO, INTERESSE MOTRICIDADE GLOBAL E FINA ORGANIZAO MENTAL E ESPACIALOBJECTIVOS ESPECFICOS DA EDUCAO INFANTIL

  • OBJECTIVOS EDUCAO PR-ESCOLAR Artigo 10. da Lei n. 5/97

    a) Promover o desenvolvimento pessoal e social da criana com base em experincias de vida democrtica numa perspectiva de educao para a cidadania;b) Fomentar a insero da criana em grupos sociais diversos, no respeito pela pluralidade das culturas, favorecendo uma progressiva conscincia do seu papel como membro da sociedade;c) Contribuir para a igualdade de oportunidades no acesso escola e para o sucesso da aprendizagem;d) Estimular o desenvolvimento global de cada criana, no respeito pelas suas caractersticas individuais, incutindo comportamentos que favoream aprendizagens significativas e diversificadas;

  • OBJECTIVOS EDUCAO PR-ESCOLAR Artigo 10. da Lei n. 5/97e) Desenvolver a expresso e a comunicao atravs da utilizao de linguagens mltiplas como meios de relao, de informao, de sensibilizao esttica e de compreenso do mundo;f) Despertar a curiosidade e o pensamento crtico;g) Proporcionar a cada criana condies de bem-estar e de segurana, designadamente no mbito da sade individual e colectiva;h) Proceder despistagem de inadaptaes, deficincias e precocidades, promovendo a melhor orientao e encaminhamento da criana;i) Incentivar a participao das famlias no processo educativo e estabelecer relaes de efectiva colaborao com a comunidade.

  • OBJECTIVOS ESPECFICOS DOS CATL (Despacho Normativo n 96/89 de 21 de Outubro de 1989, Norma II):a) Proporcionar s crianas experincias que concorram para o seu crescimento como pessoa, satisfazendo as suas necessidades de ordem fsica, intelectual, afectiva e social; b) Criar um ambiente propcio ao desenvolvimento da personalidade de cada criana, por forma a ser capaz de se situar e expressar num clima de compreenso, respeito e aceitao de cada um; c) Favorecer a inter-relao famlia-escola/comunidade-estabelecimento, em ordem a uma valorizao, aproveitamento e recuperao de todos os recursos do meio.

  • CRECHE

    SALA DOS BEBS (BERRIO) - AT 12 MESESSALA DE 1 ANO 12 MESES AOS 24 MESESSALA DOS 2 ANOS 24 MESES AOS 36 MESESDespacho Normativo n. 99/89 SUMRIO: Aprova as Normas Reguladoras das Condies de Instalao e Funcionamento das Creches com Fins Lucrativos.O Decreto-Lei n 133-A/97, de 30 de Maio estabelece o regime de licenciamento e fiscalizao de estabelecimentos e servios de apoio social, onde se incluem as creches, definindo o conjunto de procedimentos necessrios para a concesso do alvar de funcionamento das creches.

  • ESTABELECIMENTO DE EDUCAO PR-ESCOLARSALA HOMOGNEA:SALA DOS 3 ANOSSALA DOS 4 ANOSSALA DOS 5 ANOS

    SALA HETEROGNEA: SALAS COM CRIANAS DE TODAS AS IDADES 3,4 E 5 ANOS

  • ACTIVIDADES PEDAGGICASACTIVIDADES LDICAS COM COMPONENTE EDUCATIVA. IMPLICAM A EXISTNCIA DE UM OU MAIS OBJECTIVOS PEDAGGICOS, SO REALIZADAS COM A FINALIDADE DE DESENVOLVER ALGO NA CRIANA.

  • TCNICAS DE ANIMAO PEDAGGICA PICOTAR RECORTAR COLAR RASGAR COM OS DEDOS ESTAMPAR ( com batatas, rolhas de cortia, esponjas...) IMPRESSO (de diferentes objectos)MODELAGEM: barro, pasta de papel, madeira, moldar, plasticina, massas de cor...TCNICAS DE PINTURA TCNICAS DE DESENHO TCNICAS DE COLAGEM (diferentes materiais)EXPRESSO DRAMTICAEXPRESSO MUSICALEXPRESSO PSICOMOTORA

  • TCNICAS DE ANIMAO PEDAGGICAEXPRESSO PLSTICA, CONSTRUESJOGOS PEDAGGICOSDANAHISTRIAS E CANES INFANTISVISITAS COMUNIDADE, PASSEIOS, VISITAS DE ESTUDOCINCIA DIVERTIDACULINRIAJOGOS DIDCTICOS (BRINQUEDOS)ESPAOS PEDAGGICOS (CANTINHOS: GARAGEM, BIBLIOTECA, CARPINTARIA)

  • ACTIVIDADES PEDAGGICAS: METODOLOGIA1) ACTIVIDADES EM PEQUENO GRUPO (4/5)2) ACTIVIDADES EM GRANDE GRUPO3) ACTIVIDADES INDIVIDUAIS

  • EXECUO DAS DIFERENTES ACTIVIDADES LDICO-PEDAGGICAS* TRABALHAR OS HBITOS DE HIGIENE E LIMPEZA* UTILIZAR DIFERENTES MATERIAIS E TCNICAS* ESTIMULAR A ACTIVIDADE COGNITIVA ATRAVS DA OBSERVAO DIRECTA, MANIPULAO E EXPERIMENTAO; REFORAR A AUTONOMIA* BOA PLANIFICAO DA SESSO, ACTIVIDADES E MATERIAL A UTILIZAR* MOTIVAR AS CRIANAS, EXPLICAR O QUE VO FAZER E PORQU

  • * SITU-LAS NO CONTEXTO DE CADA TEMA* DESPERTAR A CURIOSIDADE E A VONTADE* MOSTRAR A UTILIDADE DA ACTIVIDADE, INTEGRAR NA REALIDADE QUE ENVOLVE A CRIANA* ESCOLHER O MOMENTO IDEAL E DIVIDIR AS TAREFAS A REALIZAR POR ACTIVIDADE E POR VRIAS SESSES* CRIAR UM AMBIENTE SERENO, DESCONTRADO E ABERTO S EXPERINCIAS ESTTICASEXECUO DAS DIFERENTES ACTIVIDADES LDICO PEDAGGICAS

  • * TER EM CONTA QUE AS CRIANAS SE CANSAM FACILMENTE DAS ACTIVIDADES* FAZER AS ACTIVIDADES PRINCIPALMENTE NO INICIO DA MANH E PONTUALMENTE NO INICIO DA TARDE* DAR IMPORTNCIA AOS INTERESSES, MOTIVAES E ESTADO DE ESPRITO DAS CRIANAS. NO FORAR* RESPEITO PELAS PRODUES PRPRIAS E DOS OUTROSEXECUO DAS DIFERENTES ACTIVIDADES LDICO-PEDAGGICAS

  • FORMAR O GRUPO POR ACTIVIDADES (COMPLEXIDADE DAS TAREFAS, CARACTERSTICAS DAS CRIANAS)OCUPAR AS CRIANAS QUE NO ESTO A PARTICIPAR NA ACTIVIDADE ORIENTADANO TIRAR O PROTAGONISMO DAS CRIANAS. NO SER EXIGENTE AO QUERER TRABALHOS PERFEITOS. EVITAR A EXCESSIVA CRTICA REALISTANO DIRIGIR CONSTANTEMENTE AS ACTIVIDADES. AJUDAR QUANDO NECESSRIOEXECUO DAS DIFERENTES ACTIVIDADES LDICO-PEDAGGICAS

  • Esta uma homenagema todos os amigosque assim como eu,devez em quandoficam estressados...

  • s vezes,a presso tanta...as horas no passam...as coisas no andam...Parece que o mundo todo conspira contra voc!Sabe qual a soluo?

  • Assovie!

    Faa de conta que no com voc!

  • Banque o bobo! E da?

  • No d ouvidos aos que s queremte por para baixo!

  • Disfarce!

    Faa de conta quevoc uma abbora!

  • Pare de prestar ateno...

  • Procure fazer algoque te d prazer!

  • Quem se importa?

    Abuse!

  • Seja ainda mais carinhoso...

  • D mais atenos coisasque so banais,

    mas que tedivertem...

  • Ria dasinconvenincias...

  • Deixe de ladoo medo e...

    Seja ridculo...

  • Ningum develutar pelaperfeio...

    ... mas temque curtirum monte aspequenas coisasque faz!

  • A vida s no mais divertidaPorque a gente no deixa...

    ...ento, deixa...

  • E o maisImportante:

    a vida no acaba neste instante,

  • nem comea denovo amanh, como o desabrochar das flores...

  • Ela no para... cada minuto estressado, tempo perdido.

  • Por isso, te desejo:

    um pouquinho de loucura e um pouquinho de pureza. Para enxergar a vida, muito diferente e melhor do que s vezes ela realmente .

  • E no esquea:

    Sorria, na vida tudo melhor com um pouquinho de alegria!.

  • CANES INFANTISDESENVOLVE O SENTIDO ARTSTICO: BELEZA E HARMONIA DA MELODIA, O RITMO, A POESIA DA PALAVRADESENVOLVE A LINGUAGEM VERBAL E NO VERBALTRANSMITE NOVOS CONHECIMENTOS ESTABELECE UM CLIMA DE COMUNICAO E DE UMA RELAO AFECTIVAPROVOCA MOTIVAO, ENTUSIASMO E INTERESSEEXPLORA OS SONS E OS RITMOS

  • TCNICAS DE DESENHO

    DESENHAR REPRESENTAR GRAFICAMENTE OBJECTOS, ANIMAIS, CENAS,ETC., POR MEIO DO TRAADO DE LINHAS. ACTIVIDADE PLSTICA NATURAL E MUITO FREQUENTE NA ETAPA INFANTIL

  • DESENHO INFANTIL

    INDICADOR DO DESENVOLVIMENTO MATURATIVO E INTELECTUAL DA CRIANARELAO ENTRE O DESENVOLVIMENTO DO DESENHO INFANTIL E O DAS APRENDIZAGENS INSTRUMENTAIS (SOBRETUDO A ESCRITA)FAVORECE A ACTUALIZAO E A AQUISIO DE CONHECIMENTOSPODE CONSTITUIR UM IMPORTANTE MEIO DE DIAGNSTICO E TERAPIA INFANTIL

  • EVOLUO GRFICAVRIAS FASES EVOLUTIVASA EVOLUO GRFICA TEM INFLUNCIA DE NUMEROSOS FACTORES: AMADURECIMENTO NEUROFISIOLGICO, CAPACIDADE PERCEPTIVA E MOTORA, A EXERCITAO E EXPERIMENTAO PREMATURAS, SUA SEGURANA AFECTIVA

  • PINTURAPINTAR REPRESENTAR UMA IMAGEM GRFICA POR MEIO DE FORMAS E CORES. FINALIDADE: REPRESENTATIVA, EXPRESSIVA E DECORATIVA

  • ORGANIZAO DA SALADISPOR CONVENIENTEMENTE AS ZONAS OU ESPAOS DE PI