Apresentação CIT/CEFET Divinópolis - Outubro 2013

  • Published on
    19-Oct-2014

  • View
    275

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentao da Coordenao Geral de Inovao para o CEFET-MG Campus Divinpolis em 11/10/2013.

Transcript

<p>Slide 1</p> <p>COORDENAO GERAL DE INOVAO TECNOLGICACITOUTUBRO - 2013</p> <p>Vinculada diretamente Diretoria de Pesquisa e Ps-Graduao-DPPG, a Coordenao Geral de Inovao Tecnolgica - CIT foi incorporada estrutura administrativa do CEFET-MG a partir de 2007, de acordo com a reestruturao homologada pela Resoluo CD-122/07 (alterada pela Resoluo CD-039/11).</p> <p>A estruturao da CIT se deu mediante apoio da Fundao de Amparo Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG), por meio de recursos dos editais anuais de Apoio Criao e Manuteno de Ncleos de Inovao Tecnolgica e Proteo ao Conhecimento (ACN) e recursos disponibilizados pela Rede Mineira de Propriedade Intelectual RMPI/FAPEMIG.CRIAO DA CITEstiveram frente da gesto da Coordenao Geral de Inovao Tecnolgica: </p> <p>-Prof. Nilton da Silva Maia: desde 2012.-Prof. Renato Guimares Ribeiro: 2010 a 2011.-Prof. Ivete Peixoto Pinheiro Silva: 2006 a 2009.</p> <p>A CIT o setor responsvel pela formulao, gesto e execuo da poltica de propriedade intelectual, inovao tecnolgica e transferncia de tecnologia do CEFET-MG, conforme estabelecido no Art. 17 do decreto N 5.563/05, que regulamenta a lei de Inovao n 10.973.GESTO DA CIT</p> <p>So atividades desenvolvidas pela equipe da CIT:</p> <p>-Elaborao de termos de sigilo (para bancas, empresas, redatores e pesquisadores);</p> <p>-Pareceres sobre clusulas de PI nos contratos de transferncia de tecnologia e termos de parceria;</p> <p>-Pareceres quanto patenteabilidade e processo de proteo formal;</p> <p>-Orientaes: busca de anterioridade e redao de pedido de patente;</p> <p>-Disseminao das tecnologias protegidas a partir dos portflios da RMPI e PRONUTI;ATIVIDADES DA CIT</p> <p>ATIVIDADES DA CIT</p> <p>-Avaliao dos projetos com potencial de gerar tecnologia passvel de proteo intelectual e transferncia de tecnologia;</p> <p>-Disseminao da cultura da Propriedade Intelectual e Inovao;</p> <p>-Parceria com a NASCENTE Incubadora de empresas/CEFET MG (DEDC);</p> <p>-Representar o CEFET-MG nas articulaes nacionais relativas inovao tecnolgica (FORTEC, RMPI, etc.);</p> <p>-Submeter projetos anuais aos editais de apoio aos NITs;</p> <p>-Gesto do portflio interno de tecnologias.As atividades da CIT tm como pblico alvo:</p> <p>-a comunidade do CEFET-MG, -entidades de Cincia, Tecnologia, Inovao e Ensino Superior (ECTIES),-empresas parceiras,-inventores independentes. </p> <p>So disponibilizadas orientao sobre Propriedade Intelectual e legislao especfica, busca de anterioridade e avaliao da modalidade adequada tecnologia e se ela atente a todos os requisitos especficos de proteo formal.</p> <p>PBLICO ALVO</p> <p>DESAFIO DA CITDescentralizao das atividades da Coordenao:</p> <p>Com o aumento do desenvolvimento de tecnologias nas unidades do CEFET-MG e a crescente demanda destas unidades por apoio e informaes sobre Propriedade Intelectual e Inovao, a CIT percebeu a necessidade de expandir suas atividades.</p> <p>Objetivo: manter em cada Unidade um Coordenador Local de Inovao devidamente capacitado, com vistas a multiplicar a cultura da Inovao e PI, bem como o atendimento comunidade local interna e externa ao CEFET-MG.</p> <p>A CIT dar apoio irrestrito aos Coordenadores, com vistas a facilitar este trabalho na Unidade.</p> <p>DESCENTRALIZAO - CLICoordenao Local de Inovao</p> <p>A Proposta de descentralizao tem amparo em projeto submetido ao edital ACN/FAPEMIG e chancelada pela direo do CEFET-MG.</p> <p>Os campi avanados previstos no projeto so:</p> <p>-Arax-BH: Nilton da Silva Maia-Curvelo: Neolmar de Mattos Filho-Contagem: Gray Farias Moita-Divinpolis-Leopoldina: Rodrigo Lacerda Sales-Nepomuceno: Bruno Senna-Timteo: Felipe Almeida Vieira-Varginha: Carlos Alberto Carvalho CastroO que ?</p> <p>Propriedade Intelectual um ramo que trata dos direitos sobre as atividade inventivas e da criatividade humana em seus aspectos cientficos, tecnolgicos, artsticos e literrios, incluindo seus direitos de obteno e explorao. </p> <p>Para a maioria das formas de proteo h legislao especfica, como o caso da propriedade industrial (marcas, patentes de inveno e modelo de utilidade, desenho industrial e concorrncia desleal), direitos de autor, cultivares.</p> <p>PROPRIEDADE INTELECTUALPorqu proteger?</p> <p>A Propriedade Industrial regulamentada no Brasil pela Lei 9.279, de 14 de Maio de 1996, que trata dos direitos e obrigaes relativos s:</p> <p>-Obter exclusividade na explorao comercial por tempo determinado;-Acirrar a competio no mercado;-Impedir que terceiros reproduzam ou comercializem sem autorizao do detentor dos direitos de Propriedade Intelectual;-Gerar parcerias entre as ECTIES com empresas e governo, de forma a completar o ciclo fomento x pesquisa x produo.</p> <p>VANTAGENS DA PROTEO</p> <p>MODALIDADES DE PROTEO</p> <p>Realizar uma busca de anterioridade - no s nas bases de peridicos e artigos cientficos, mas tambm nos bancos de patentes - fundamental antes do incio da pesquisa. Desta forma, o pesquisador/inventor garante que no estar reinventando a roda.</p> <p>A busca de anterioridade facilita o levantamento do Estado da Tcnica, dando acesso a documentos de patentes que devem ser citados na redao do pedido. Neste pedido de patente, que dever ser depositado pela CIT no INPI, o pesquisador dever descrever a inovao introduzida no seu produto/processo em relao aos que j esto compreendidos no Estado da Tcnica.</p> <p>BUSCA DE ANTERIORIDADEComo fazer: Combinar palavras-chave com classificaes internacionais de patentes (IPC), datas de depsito, depositantes, inventores, etc. Ou seja, toda informao relativa ao pedido de patente pode facilitar a recuperao de documentos relevantes para sua redao.</p> <p>Estrutura do pedido de patente (documentao tcnica): Redao, contendo estado da tcnica, descrio detalhada da inveno, campo de aplicao; reivindicaes; resumo; desenhos (quando for necessrio para melhor compreenso da inveno).</p> <p>BUSCA DE ANTERIORIDADEPara buscar documentos de patentes depositadas no Brasil http://www.inpi.gov.br/index.php/patente/busca</p> <p>Documentos de patentes na base europeia: http://worldwide.espacenet.com/advancedSearch?locale=en_EP</p> <p>Base de patentes americana: http://patft.uspto.gov/netahtml/PTO/search-bool.html</p> <p>Para buscar patentes de diversos pases: http://patentscope.wipo.int/search/en/search.jsf</p> <p>Dentro do CEFET, atravs do acesso ao portal CAPES possvel acessar o Derwent Index Innovation DII:http://www.periodicos.capes.gov.br.ez107.periodicos.capes.gov.br/index.php?option=com_phome</p> <p>ONDE REALIZAR A BUSCAINOVAO TECNOLGICALei de Inovao N 10.973/04: Esta Lei estabelece medidas de incentivo inovao e pesquisa cientfica e tecnolgica no ambiente produtivo, com vistas capacitao e ao alcance da autonomia tecnolgica e ao desenvolvimento industrial do Pas.</p> <p>Definio de Inovao Tecnolgica: Introduo de novidade ou aperfeioamento no ambiente produtivo ou social que resulte em novos produtos, processos ou servios;</p> <p>INOVAO TECNOLGICAParceria entre ICTs e Empresas: facultado ICT prestar a instituies pblicas ou privadas servios compatveis com os objetivos desta Lei, nas atividades voltadas inovao e pesquisa cientfica e tecnolgica no ambiente produtivo; ou seja a ICT poder celebrar acordos de parceria para realizao de atividades conjuntas de pesquisa cientfica e tecnolgica e desenvolvimento de tecnologia, produto ou processo, com instituies pblicas e privadas.</p> <p>IMPORTANTE: As partes devero prever, em contrato, a titularidade da propriedade intelectual e a participao nos resultados da explorao das criaes resultantes da parceria, assegurando aos signatrios o direito ao licenciamento.</p> <p>Art. 12 Lei de Inovao: vedado a dirigente, ao criador ou a qualquer servidor, militar, empregado ou prestador de servios de ICT divulgar, noticiar ou publicar qualquer aspecto de criaes de cujo desenvolvimento tenha participado diretamente ou tomado conhecimento por fora de suas atividades, sem antes obter expressa autorizao da ICT.</p> <p>Art. 6 Lei de Inovao: facultado ICT celebrar contratos de transferncia de tecnologia e de licenciamento para outorga de direito de uso ou de explorao de criao por ela desenvolvida.</p> <p>INOVAO TECNOLGICATransferncia de Tecnologia: trata-se de um processo que consiste de vrias etapas, que inclui a revelao da inveno, o patenteamento, o licenciamento, o uso comercial da tecnologia pelo licenciado e a percepo dosroyaltiespela universidade (Ritter e Solleiro. 2004, p.787). </p> <p>Pode ocorrer sob a forma de licenciamento exclusivo ou no, a ttulo gratuito ou oneroso, sempre mediante instrumento formal, o CONTRATO.</p> <p>Art. 211 da LPI: O INPI far o registro dos contratos que impliquem transferncia de tecnologia, contratos de franquia e similares para produzirem efeitos em relao a terceiros.</p> <p>TRANSFERNCIA DE TECNOLOGIA</p> <p>A CIT EM NMEROS:</p> <p>A CIT EM NMEROS:</p> <p>A CIT EM NMEROS:</p> <p>A CIT EM NMEROS:</p> <p>EXEMPLOS DE MARCAS DO CEFET-MG</p> <p>EQUIPE E CONTATOSEquipe:</p> <p>Nilton Maia: Coordenador</p> <p>Laura Alice Souza: Gestora de Informao</p> <p>Renata Werneck: Assessora Jurdica</p> <p>Douglas Sthfanno: Estagirio</p> <p>Contatos: </p> <p>cit.cefetmg.brfacebook.com/pages/Citcefet31 3319-7173</p>