As virtudes cardeais no ambiente profissional

Embed Size (px)

DESCRIPTION

As virtudes cardeais no ambiente profissional

Text of As virtudes cardeais no ambiente profissional

  • As virtudes Cardeais no ambiente profissional

    Prof. Raul Bernardo Vidal PessolaniTEM - UFF

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Qualidade:Pensar bem => PrudnciaRelacionar-se bem => JustiaAgir bem => FortalezaDominar-se => Temperana

    So Cardeais:Encabeam muitas outras virtudes

    Virtudes = Qualidade

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Diferencial do Profissional

    Atuar com boa f. Ser competente. Trabalhar com

    diligncia. Cooperar com os

    demais. Criar um ambiente

    de convivncia e solidariedade.

    PRUDNCIA

    JUSTIA

    FORTALEZA

    TEMPERANA

    Qualidadede deciso

    Qualidade derelacionamento

    Qualidade deempreendimento

    Qualidadeemotiva

  • QUALIDADE DE DECISO

    1. Prudncia

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    FAZER BEM - AGIR BEM

    Definio de Prudncia: a reta razo no agir. a Educao da inteligncia

    a excelncia na deciso

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    ETAPAS DA DECISO DE QUALIDADE

    DELIBERAR BEMDELIBERAR BEMDELIBERAR BEMDELIBERAR BEMJULGAR BEMJULGAR BEMJULGAR BEMJULGAR BEMDECIDIR BEMDECIDIR BEMDECIDIR BEMDECIDIR BEM

    EXECUTAR COM EXECUTAR COM EXECUTAR COM EXECUTAR COM FIRMEZAFIRMEZAFIRMEZAFIRMEZA

    ADQUIRIR CRITADQUIRIR CRITADQUIRIR CRITADQUIRIR CRITRIOS PARA AGIR BEMRIOS PARA AGIR BEMRIOS PARA AGIR BEMRIOS PARA AGIR BEME FAZER BEME FAZER BEME FAZER BEME FAZER BEM

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    DELIBERAR BEM

    REFLEXOPASSADOPRESENTEFUTURO

    DECIDIR BEM TER CRITRIOJULGAR BEM

    EXECUTAR COMFIRMEZA

    PROVIDNCIACIRCUNSPECOPRECAUOCONSTNCIA

    ETAPAS DA QUALIDADE DECISO

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    CONHECER A REALIDADE

    Desenvolver a capacidade de:

    observar distinguir entre fatos e opinies. distinguir o importante do secundrio. buscar informao. selecionar fontes. reconhecer os prprios preconceitos. anlise crtica da informao. relacionar causa e efeito. reconhecer informaes so necessrias. recordar.

    Prudncia!

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    DECIDIR BEM - JULGAR COM CRITRIO

    Aperfeioar a capacidade de julgar bem exige a aquisio de critrios. Os critrios dirigidos ao

    fazer pertencem aos conhecimentos tcnicos especficos da atividade profissional.

    REGRA DO JARDINEIRO!!

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Exerccios Prticos para a Prudncia

    Pensar bem antes de falar! Reconhecer os prprios erros. Ouvir a opinio dos outros. Aprofundar na formao tica e moral. No se desviar de tarefas pensadas. Dizer no aos primeiros impulsos.

  • QUALIDADE DE RELACIONAMENTO

    2. Justia

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Hbito constante de dar a cada um o que seu.

    Virtude fundamental para o relacionamento.

    Cumprir os direitos e os deveres e respeitar osdemais como pessoas

    Virtudes Correlatas: Sinceridade, Veracidade, Humildade, Solidariedade, Religio.

    Educao da Vontade

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    O que voc diria de um profissional como esse?

    (Quase Deuses)

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    LEALDADE

    cumprir do prometido. agir com franqueza. assumir a responsabilidadepelas aes e omisses: No maquiar os resultados No apropriar-se dos resultados alheios

    Os relacionamentos verazesexigem a virtude da lealdade.

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Lealdade e Honestidade

    Sermos ns mesmos: Assumir o que sabe, e responder pelos atos. No usar de meios ilcitos para se safar!

    Ex: Assumir os trabalhos dos outros No jogar a culpa pelos fracassos nos outros.

    Ex: Culpar o outro porque foi mal Sinceridade: Ouvir as criticas e aceita-las

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Muitas vezes no estamos preocupados apenas em sermos bons mas queremos ser mais que os demais. Queremos no s ter um carro (celular, MP3, etc)

    bom, mas que seja melhor do que o do vizinho. No queremos s passar de ano, mas sim ser o

    melhor da turma.

    Superar o individualismo. O nosso bem no exclui o dos demais.

    O nosso bem deve incluir o dos demais!

    Solidariedade

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Para subir no preciso passar os demais para trs. Sair do Ganhar/Perder, para a da Ganhar/Ganhar:

    Buscar Ganhos recprocos

    Formar um esprito de equipe. Vencer a tendncia de s

    pensar em s. No esconder os macetes

    dos demais. Ajudar os colegas

    Ensinar, emprestar,...

    Construir uma nova lgica

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Capital a servio da pessoa

    Trabalho a servio do capital

    Capital

    A servio da pessoaSubordinao da pessoa

    Trabalhonfase na pessoanfase no resultadoDirigente

    Procura a cooperao, a

    ajuda.

    Limita-se a evitar conflitosRelacionamento

    Prevalece o bem comum

    Prevalece o interesse individualValores

    Nos deveresNos prprios direitosRelacionamentonfase

    TranscendenteExtrnseca IntrnsecaMotivaoPersonalistaIndividualista

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Em qualquer grupo humano, se todos formosindividualistas, o

    relacionamento serinsustentvel.

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Outras Virtudes no relacionamento Correo (Educao)

    Falar com os demais, conforme gostaramos que falassem conosco.

    Ex: Por favor,...

    Gratido: Aprender a reconhecer os servios que nos prestam Isso far com que valorizemos mais os demais.

    Ex: Obrigado

    Compreenso: Colocar-se no lugar do outro.

    Ouvir, conhecer as circunstncias dos nossos colegas

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Exerccios prticospara a Justia

    No fazer juzos precipitados Ser leal e Veraz Respeito no modo de tratar os outros No fazer comentrios negativos

    Difamao Calnia

    Ser pontual nos compromissos Ser honesto nas tarefas.

  • QUALIDADE DE EMPREENDIMENTO

    3. Fortaleza

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    ENFRENTAR/FUGIR

    Qualidade especial da vontade em regular os movimentos do apetite irascvel: enfrentar/fugir.

    Enfrentar desafios, navegarem guas turbulentas !

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    ENFRENTAR/FUGIR

    Racionalizar uma determinada reao sensvel: estimular o impulso, refre-lo ou desvi-lo obtendo assim aes de qualidade.

    Vencer o medo das dificuldades !

    Fortaleza a que enfrentaos perigos e suporta ostrabalhos! (Ccero)@

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    ESFORO As aes de qualidade

    esto num ponto mais esforado.

    Virtude exige esforo pessoal.

    Hbito de vencimento de tendncias que nos afastam das aes valiosas.

    Onde a maioria desiste,ns comeamos !

    My place is at the top !

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    LEI DO MNIMO ESFORO Lei do mnimo

    esforo, a lei do gosto e a de levar vantagem obstaculizam a prtica das virtudes.

    No se lapida um pedregulho vulgar !

    As dificuldadeslapidam o tempe-

    ramento !

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    HBITOS

    Nada conseguimos implementar sem quatro condies de hbito da vontade:

    Deciso Dedicao DisciplinaDeterminao

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    HBITOS

    Tempo de planejar. Tempo de decidir. Tempo de executar. Tempo de esperar os

    resultados.

    Leis da lavoura !

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    PERSEVERANA Thoms Alva Edison: O gnio

    1% de inspirao e 99% de transpirao.

    No h expediente a que o homem no recorra para evitar o verdadeiro esforo de pensar.

    Ainda no falhamos. Como j conhecemosmil coisas que no do certo, estamos tantas vezes mais perto de encontrar

    uma que d !

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    Exerccios Prticos da Fortaleza Planejar o plano de estudo (ou algo que

    precisamos) Decidir a coloca-lo em prtica Executar: cumprir o plano Esperar: ter pacincia para esperar os

    resultados. Virtudes Correlatas: Pacincia,

    Perseverana, Constncia,...

  • QUALIDADE EMOCIONAL

    4. Temperana

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    MedoIra

    Controle das emoes

    Sensibilidade

    AGRESSIVIDADE - MEDO

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    EMOES

    So alteraes da sensibilidade diante da avaliao da realidade e sua conseqente atrao ou repulsa.

    Das duas possveis reaes diante da realidade- desejo ou repulsa- nascem os sentimentos ou emoes.

    APARNCIA DE BEMOU DE MAL

    DESEJOOU REPULSA

    EMOO

    AVALIAO

    AO / REAO

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    FIRMEZA E DEBILIDADE

    A Excelncia pessoal exige convices fortes e determinao no agir.

    As rvores de plancie so mais fracas do queas de montanha, poisno enfrentaramdificuldades.

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    SOCIEDADE DO BEM ESTAR A nossa sociedade de

    consumo facilita o bem estar.

    O pouco esforo da vontade causa o debilitamento da personalidade.

    IBM

    TBC

  • Prof. Raul Bernardo Vidal Pessolani - TEM - UFF

    TER PERSONALIDADE ! H um animal dentro de ns

    que dev