Aula 1 Introducao, Tipologia - Agencias

  • View
    248

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Aula 1 Introducao, Tipologia - Agencias

  • 1. AGNCIAS DE NOTCIASHISTRICO / FUNCIONAMENTO / ROTINA DE TRABALHO / TIPOLOGIA

2. HISTRIA DAS AGNCIAS DE NOTCIASINTRODUOO surgimento das agncias acompanha o desenvolvimento do capitalismo. Elas surgem primeiramente nos pases em que o capitalismo industrial pioneiro (Inglaterra, EUA e Frana)A funo elementar das agncias o intercmbio de material jornalstico, principalmente o contedo financeiro e econmico.No Brasil, o movimento diferente, pois interessa inicialmente apenas a importao de material noticioso. 3. SURGIMENTO DAS PRIMEIRAS AGNCIASEUROPACharles Louis Havas (1783-1858)Banqueiro francs (de origem hngara)1832 Havas, que havia financiado o exrcito de Napoleo e posteriormente falido, estabelece um escritrio de traduo em Paris, aproveitando sua rede de contatos pela Europa, a Agence de Feuilles Politiques et Correspondance Gnrale1835 em 1835, o escritrio passa a se chamar Agncia Havas, especializando-se em informaes ligadas economia (investimentos, cotaes de mercadorias, safras, decises polticas, tributrias etc) 4. 1851 Julius Reuter, alemo naturalizado ingls, ex- funcionrio de Havas, funda sua prpria agncia, a Reuters, especializada na cobertura do mercado de aes e sediadaem Londres.A Reuters uma das principais agncias de notcias do mundo, com 14 mil funcionrios que operam em 204 cidades e fornecendo textos em 19 lnguas.Em 2007 foi incorporada pela canadense Thomson, formando a Thomson Reuters, a maior agncia de notcias do mundo. 5. Em 1849, Bernard Wolf, outro ex-empregado de Havas,funda a Wolff a maior agncia de notcias alem. Hoje conhecida como DPA (Deutsch Presse Agentur) 6. SURGIMENTO DAS PRIMEIRAS AGNCIASEUADcada de 1820 cinco jornais de NY cooperavam para obter notcias de navios mercantes oriundos da Europa. O reprter de cada veculo deveria fornecer informaes comuns aos demais.Dcada de 1840 os cinco jornais originais, mais o NY Tribune consolidam a Harbor News Association.O telgrafo estava em uso comercial desde 1844 e os reprteres se revezavam na cobertura de notcias. 7. Durante a Guerra Civil Americana, os maiores jornais norte-americanos formaram uma cooperativa para cobrir o conflito. Esse pool de correspondentes deu origem Associated Press (AP), fundada em 1846, que manteve o monoplio da informao por mais de meio sculo.Todos os jornais formadores da AP eram representantes da chamada Penny Press (jornais populares que eram vendidos 1 centavo) 8. TECNOLOGIA UTILIZADAAntes dos telgrafos, a primeira tecnologia empregada para a transmisso de notcias foi a dos correios que, na Frana de Havas, era monoplio estatal. Em seguida, com a introduo do telgrafo na Europa (em 1844-1845 na Frana, e 1848 na Inglaterra, embora no o modelo de Morse), os correspondentes passam a despachar suas matrias por meio de estaes urbanas, a um custo alto pago pelas agncias. Nos locais que a rede telegrfica no alcanava, Havas e Reuter empregam pombos-correio, que chegavam a voar 124 km, percorrendo a distncia entre Aachen e Bruxelas, ltimo trecho que faltava para conectar linearmente Paris a Berlim. O sistema durou apenas trs anos, entre 1848 e 1851, perdendo sentido quando foi instalado o cabo submarino entre Dover, na Gr-Bretanha, e Calais, na Frana, o que fez Reuter mudar-se para a Inglaterra (SALINAS, 1984; 35). 9. OLIGOPLIO DA INFORMAOAs trs agncias (Havas, Reuters e Wolf) logo perceberam as dificuldades econmicas na competio pela cobertura mundial e decidiram firmar um cartel, repartindo as reas de cobertura do mundo entre as trs, cada um com o seu monoplio. 10. SCULO XXO mapa dos cartis operou at a Primeira Guerra Mundial, quando a Wolff foi debilitada pela derrota alem.Em 1907, o monoplio da informao foi quebrado pela Suprema Corte dos EUA, quando ento a UP (United Press) foi criada. Dois anos depois foi fundada a International News Service. As duas se fundiram em 1958 dando origem UPI (United Press International), existente at hoje. 11. A Agncia Havas foi acusada, durante a Segunda Guerra, de colaborar com o nazismo. Por isso foi obrigada a mudar de nome, sendo hoje conhecida como AFP (Agncia France Press) 12. Em 1923, foi criada a Tass, agncia de notcias sovitica.Aps o trmino da Segunda Guerra, uma nova configurao oligopolista se formou, seguindo os moldes da Guerra Fria. Do lado capitalista estavam AP, UPI, Reuters e AFP, enquanto a TASS era a maior do lado comunista. 13. Nos pases do ento chamado Terceiro Mundo, coube apenas a compra de material fornecido pelas grandes. Como veremos adiante, no Brasil, o mercado de agncias de notcias se desenvolveu de uma forma diferente do mercado mundial.Os principais jornais fundaram agncias com o intuito de alimentar os prprios veculos de informao. 14. PRINCIPAIS AGNCIAS DE NOTCIAS DO MUNDOITAR-TASS fundada em 1925 pelo governo sovitico e existente at hoje 15. PRINCIPAIS AGNCIAS DE NOTCIAS DO MUNDOANSA (1945) Agncia de Notcias Italiana 16. PRINCIPAIS AGNCIAS DE NOTCIAS DO MUNDOXinhua Agncia oficial de notcias do governo chins 17. PRINCIPAIS AGNCIAS DE NOTCIAS DO MUNDONa frica, recebe destaque a PANA (Agncia de Notcias Pan-Africana), formada por agncias de Gana e Nigria. 18. AGNCIAS DE NOTCIASBRASIL 19. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILA agncia de notcias pioneira foi a ABN Agncia Brasileira de Notcias, fundada em 1924, por Jaime Adour da Cmara, Amrico Fac e Raul Bopp. A ABN sucedeu a Agncia Americana de Notcias (1922). ainda hoje uma empresa privada, com sedes em Braslia, Rio e So Paulo, atuando globalmente sob a marca ABN NEWS, com sucursais em 29 pases, fazendo parte do GRUPO ABN S/A. 20. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILLogo depois, a Agncia Meridional de Notcias, foi fundada em 1931, por Assis Chateaubriand. Em 2007 passou a se chamar D.A. Press. 21. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILA Agncia Nacional foi criada nos anos 1930, durante o governo de Getlio Vargas, com o objetivo de "divulgar os atos da administrao federal e as notcias de interesse pblico, alm de distribuir a publicidade dos rgos governamentais".Com a queda de Getlio (1945), a Agncia Nacional foi mantida. Em 1979, no governo Joo Figueiredo, a Agncia Nacional foi substituda pela Empresa Brasileira de Notcias. No governo Collor foi criada a Agncia Brasil, que em 2007, j no governo Lula, passou a integrar a Empresa Brasil de Comunicao (EBC). 22. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILFundada nos anos 1980. Conta com 450 jornalistas, 15 correspondentes internacionais e 15 correspondentes nacionais. Distribui reportagens, fotografias, colunas e coberturas especiais dos jornais O Globo, Extra e respectivos sites; 23. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILFundada em 1970, possui servio direcionado a empresrios, executivos, instituies financeiras e governamentais. Foi pioneira na distribuio de informaes online em tempo real. lder de mercado, com mais de 12 mil usurios em sua base. 24. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILA Folhapress, antiga Agncia Folha de Notcias, responsvel pela produo e distribuio do material noticioso produzido pelo Grupo Folha. Disponibiliza textos para publicao simultnea com a Folha ou com o "Agora", cadernos temticos, sees, artigos, reportagens especiais e artes. Conta ainda com um grande nmero de colunistas, como Clvis Rossi, Janio de Freitas, Carlos Heitor Cony, Ruy Castro, Marcelo Coelho, Jos Simo, Juca Kfouri, Tosto, PVC, Pasquali Cipro Neto etc. 25. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILA Agncia Senado e a Agncia Cmara so exemplos de agncias pblicas, que fornecem diariamente noticirio sobre o andamento dos trabalhos, discusses, projetos, propostas e votaes realizados nas duas casas legislativas. 26. AGNCIAS DE NOTCIAS NO BRASILAs estruturas de uma agncia de notcias so largamente utilizadas por outros setores da sociedade, como o Terceiro Setor e a iniciativa privada. Acima voc tem dois exemplos: o portal Filantropia.org, que divulga aes e pautas do Terceiro Setor e, ao lado, a Agncia Notisa, uma agncia privada especializada em notcias da rea de sade e de jornalismo cientfico. 27. FUNCIONAMENTO DAS AGNCIASagnciasEscritrios locais / correspondentesassinantes 28. ROTINA DE TRABALHO-Monitoramento do noticirio rdio escuta-Ronda-Produo de boletins noticiosos-Produo de pr-pautas, pautas e contedo noticioso-Comercializao de colunas, infogrficos, fotos e vdeo 29. ROTINA DE TRABALHO22h produo de pr-pauta8h 17h cobertura do material noticioso factual8h30 reunio de pr-pauta9h30 veiculao da pr-pauta11h cotao do dlar abertura do mercado13h cotao do dlar15h cotao do dlar16/17h reunio de pauta17h30 veiculao da pauta17h cotao do dlar fechamento do mercado17h 21h30 transmisso do material noticioso consolidado 30. ROTINA DE TRABALHOBOLETINS NOTICIOSOS (p/ rdio) Transmitidos s: 0h / 5h / 8h / 10h / 12h / 14h/ 16h / 18h / 20h / 22h 31. TIPOLOGIA TEXTUAL1) Flash informao rpida e curta, variando de uma a trs linhas em mdia. Comunica um fato grandioso, espetacular, confirmado, mas que ainda est em processo de apurao 2) Factual o relato de um fato se atendo estritamente ao lead. 3) Agenda a informao de um fato que est previsto para acontecer 4) Repercute a repercusso de um fato com uma (ou mais) fonte(s ) a partir de um factual 5) Consolidado o texto jornalstico completo, reunindo o factual e os desdobramentos dele, incluindo detalhes e repercusses. 32. TIPOLOGIA TEXTUAL6) Side o perfil de um personagem 7) Registro a recuperao de uma notcia veiculada pelo concorrente e que o jornal publica para no deixar de informar o seu leitor 33. BIBLIOGRAFIAAGUIAR, Pedro. Por uma Histria do Jornalismo Internacional no Brasil In: VI Encontro Nacional de Histria da Mdia, Anais, 2008 (CD-ROM). Niteri: Rede Alfredo de Carvalho, 2008.