of 19/19
Bullying Julieta Lopes – PES Março 2014

Bullying 1

  • View
    153

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Bullying 1

  • 1. Cuidado O Bullying um crime punvel com vrios anos de priso. 20% dos casos as vtimas de uns so os agressores de outros. Exemplo: Se um mido agredido pelos pais ento ele acha-se com direito a fazer o mesmo aos midos, colegas ou irmos mais novos.

2. Bullying um termo utilizado para descrever atos de violncia fsica ou psicolgica, intencionais e repetidos, praticados por um indivduo (do ingls bully, tiranete ou valento) ou grupo de indivduos causando dor e angstia, sendo executadas dentro de uma relao desigual de poder. Na escola o bullying praticado longe do olhar dos adultos. 3. Tipos de Bullying Psicolgico chamar nomes ao outro ou famlia, rebaixar a pessoa, gozar com alguma caracterstica da vtima, ameaar ou fazer chantagem. Cyber-bullying via internet. Agresso fsica atentar contra a integridade fsica da vtima. As agresses podem ser feitas por um individuo ou por um grupo com as mesmas caractersticas acima referidas. 4. Como se inicia Adolescentes agressores tm personalidades autoritrias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar. Inveja e ressentimento podem ser motivos para a prtica das agresses. Problemas de comunicao por no entenderem o que a vtima lhes disse ou o que fez e pensam ser contra o agressor. 5. Na Escola Bullying espalhar comentrios, boatos, etc; recusar-se socializar com a vtima; intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vtima; ridicularizar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vtima, religio, incapacidades, etc). 6. Violncia domstica contra: Homem ou mulher inclui assdio sexual, falta de cuidados de sade, maus tratos fsicos ou morais Filhos inclui pedofilia, pouca ateno ou abandono. 7. Causas do Bullying Falta de auto-estima do agressor este sente-se melhor quando bate, ou humilha, e fica a achar-se muito forte, corajoso, uma pessoa mais importante. A falta de inteligncia, de educao e da capacidade de viver com as suas frustraes, ou obsesses, manifesta- se agredindo o outro. Baixa auto-estima da vtima normalmente a vtima no se sabe defender, pode ter menor constituio fsica ou algum problema em enfrentar o agressor e denunci-lo s autoridades. 8. Exemplos das tcnicas de assdio escolar: insultar a vtima; acusar sistematicamente a vtima de no servir para nada; ataques fsicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade. interferir com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas, etc, danificando-os. espalhar rumores negativos sobre a vtima; 9. Exemplos das tcnicas de assdio escolar: depreciar a vtima sem qualquer motivo; fazer com que a vtima faa o que ela no quer, ameaando-a para seguir as ordens; colocar a vtima em situao problemtica com algum (geralmente, uma autoridade), ou conseguir uma ao disciplinar contra a vtima, por algo que ela no cometeu ou que foi exagerado pelo bully (agressor); fazer comentrios depreciativos sobre a famlia de uma pessoa (particularmente a me), sobre o local de morada de algum, aparncia pessoal, orientao sexual, religio, etnia, nvel de vida, nacionalidade ou qualquer outra inferioridade da qual o agressor tenha tomado conhecimento; 10. Exemplos das tcnicas de assdio escolar: isolamento social da vtima; usar as tecnologias de informao para praticar o cyberbullying (criar pginas falsas, comunidades ou perfis sobre a vtima em sites de relacionamento com publicao de fotos, etc); chantagem, que vai contar um segredo ou uma mentira; expresses ameaadoras; grafitagem depreciativa; usar de sarcasmo evidente para se passar por amigo (para algum de fora) enquanto assegura o controle e a posio em relao vtima (isto ocorre com frequncia logo aps o bully (agressor) avaliar que a pessoa uma "vtima perfeita"); fazer que a vtima passe vergonha na frente de vrias pessoas. 11. O Bullying evita-se Com os bons exemplos da famlia e dos pares. Chamando a ateno para os perigos da violncia na formao dos jovens. Formando grupos de amigos que sejam contra o Bullying e se defendam uns aos outros em caso de ameaa externa ao grupo. Com punies jurdicas para os agressores do tipo multas, trabalho comunitrio, priso, etc. 12. Na Escola Deve-se encorajar os alunos a participarem ativamente da superviso e interveno dos atos de bullying, pois o enfrentamento da situao pelas testemunhas demonstra aos autores do bullying que eles no tero o apoio do grupo. Os educadores e pessoal auxiliar devem arranjar forma de castigar os agressores de forma exemplar. 13. Na Escola devem existir Programas projetados para promover a cooperao entre os estudantes, bem como o treino de alunos como moderadores para intervir na resoluo de disputas, configurando uma forma de suporte por parte dos pares. 14. Entre pases A violncia entre pases ocorre quando um pas decide impr sua vontade a outro. Isto feito, normalmente, com o uso de fora militar, a ameaa de que ajuda e doaes no sero entregues a um pas menor ou no permitir que o pas menor se associe a uma organizao de comrcio. O exemplo mais recente passou-se entre a Rssia e a Ucrnia pela anexao do territrio da Crimeia, pertena da Ucrnia, pela Rssia, indevidamente. 15. Entre vizinhos A intimidao por comportamento inconveniente, tal como barulho excessivo para perturbar o sono e os padres de vida normais ou fazer queixa s autoridades (tais como a polcia) por incidentes menores ou forjados. O propsito desta forma de comportamento fazer com que a vtima fique to desconfortvel que acabe por se mudar da propriedade. Nem todo o comportamento inconveniente pode ser caracterizado como violncia, a falta de sensibilidade pode ser uma explicao. 16. Se fores vtima de qualquer tipo de agresso avisa as autoridades ou uma pessoa da tua confiana. No tenhas medo de represlias por denunciares um crime. Assim evitas que outras vtimas possam ficar traumatizadas ou agredidas como tu.