of 30 /30
BULLYING O que é?

Bullying "Gilnei"

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Gilnei

Text of Bullying "Gilnei"

  • 1. BULLYING
    O que ?

2. Bullying um termo de origem inglesa utilizado para descrever atos de violncia fsica ou psicolgica, intencionais e repetidos, praticados por uma pessoa (bully) ou grupo de pessoas, com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivduo incapaz de se defender. A palavra "Bully" significa "valento", o autor das agresses. A vtima, ou alvo, a que sofre os efeitos delas...
3. Estudiosos aceitam geralmente que o bullying contenha trs elementos essenciais:
1 - O comportamento agressivo e negativo;
2 - O comportamento executado repetidamente;
3 - O comportamento ocorre num relacionamento onde h um desequilbrio de poder entre as partes envolvidas.
4. O Bullying divide-se em duas categorias:
- O BullyingDirecto a forma mais comum entre os agressores (bullies) masculinos.
- A agressosocial ou Bullyingindirecto a forma mais comum em bullies do sexo feminino e crianas pequenas, e caracterizada por forar a vtima ao isolamento social. Este isolamento obtido atravs de uma vasta variedade de tcnicas, que incluem:
5. Espalhar fofocas;
Recusa em se socializar com a vtima;
Intimidar outras pessoas que desejam se socializar com a vtima;
Criticar o modo de vestir ou outros aspectos socialmente significativos (incluindo a etnia da vtima, religio, incapacidades etc).
6.O bullying pode ocorrer em diversas situaes, a estrutura de poder tipicamente evidente entre o agressor (bully) e a vtima.
Para aqueles fora do relacionamento, parece que o poder do agressor depende somente da percepo da vtima, que parece estar por demais intimidada para oferecer alguma resistncia.
Todavia, a vtima geralmente tem motivos para temer o agressor, devido s ameaas ou concretizaes de violncia fsica/sexual, ou perda dos meios de subsistncia.
7. Caractersticas dos Bullies
8. Pesquisas indicam que adultos agressores tm personalidades autoritrias, combinadas com uma forte necessidade de controlar ou dominar.
Estudos adicionais tm mostrado que enquanto inveja e ressentimento podem ser motivos para a prtica do bullying, ao contrrio da crena popular, h pouca evidncia que sugira que os bullies sofram de qualquer dficit de auto estima.
9. freqentemente sugerido que os comportamentos agressivos tm sua origem na infncia:
"Se o comportamento agressivo no desafiado na infncia, h o risco de que ele se torne habitual. Realmente, h evidncia documental que indica que a prtica do bullying durante a infncia pe a criana em risco de comportamento criminoso e violncia domstica na idade adulta."
10. Tipos de Bullying
11. Insulta a vtima; acusa sistematicamente a vtima de no servir para nada.
Ataques fsicos repetidos contra uma pessoa, seja contra o corpo dela ou propriedade.
Interferi com a propriedade pessoal de uma pessoa, livros ou material escolar, roupas etc, danificando-os ou fazendo pilhrias por meio deles sobre um indivduo, de qualquer forma.
12. Espalha rumores negativos e fofocassobre a vtima.
Deprecia a vtima sem qualquer motivo.
Faz com que a vtima faa o que ela no quer, valendo-se de ameaas para se assegurar que a vtima seguir as suas ordens.
Coloca a vtima em situao problemtica com algum (geralmente, uma autoridade), ou consegue uma ao disciplinar contra a vtima, por ato que ela no cometeu ou que foi exagerado pelo bully.
13. Faz comentrios depreciativos sobre a famlia de uma pessoa (particularmente a me), sobre o local de moradia de algum, aparncia pessoal, orientao sexual, religio, raa, nvel de renda, nacionalidade.
Isolamento social da vtima.
Usa as tecnologias de informao para praticar o cyberbullying (criar pginas falsas sobre a vtima em sites de relacionamento).
Expresses ameaadoras e chantagem.
Usa de sarcasmo evidente para se passar por amigo enquanto assegura o controle e a posio em relao vtima (isto ocorre com freqncia logo aps o bully avaliar que a pessoa uma "vtima perfeita").
14. Locais onde acontecem o Bullying
15. Escolas
Em escolas, o bullying geralmente ocorre em reas com superviso adulta mnima ou inexistente. Ele pode acontecer em praticamente qualquer parte, dentro ou em torno do prdio da escola.
16. O bullying nas escolas pode tambm assumir, por exemplo, a forma de avaliaes abaixo da mdia, no retorno das tarefas escolares, segregao de estudantes competentes por professores incompetentes ou no-atuantes, para proteger a reputao de uma instituio de ensino. Isto feito para que seus programas e cdigos internos de conduta nunca sejam questionados, e que os pais (que geralmente pagam as taxas), sejam levados a acreditar que seus filhos so incapazes de lidar com o curso.
17. Local de trabalho
O bullying em locais de trabalho descrito pelo Congresso Sindical do Reino Unido (TUC, 1998) como:
"um problema srio que muito freqentemente as pessoas pensam que seja somente um problema ocasional entre indivduos. Mas o bullying mais do que um ataque ocasional de raiva ou briguinha. uma intimidao regular e persistente que solapa a integridade e confiana da vtima do bully. E freqentemente aceita ou mesmo encorajada como parte da cultura da organizao".
18. Vizinhana
Entre vizinhos, o bullying normalmente toma a forma de intimidao por comportamento inconveniente, tais como barulho excessivo para perturbar o sono e os padres de vida normais ou fazer queixa s autoridades (tais como a polcia) por incidentes menores ou forjados. O propsito desta forma de comportamento fazer com que a vtima fique to desconfortvel que acabe se mudando da propriedade. Nem todo comportamento pode ser caracterizado como bullying: a falta de sensibilidade pode ser uma explicao.
19. Alcunhas ou apelidos (dar nomes)
Normalmente, uma alcunha (apelido) dada a algum por um amigo, devido a uma caracterstica nica dele. Em casos extremos, professores podem ajudar a populariz-la, mas isto geralmente percebido como inofensivo ou o golpe sutil demais para ser reconhecido. H uma discusso sobre se pior que a vtima conhea ou no o nome pelo qual chamada. Todavia, uma alcunha pode por vezes tornar-se to embaraosa que a vtima ter de se mudar (de escola, de residncia ou de ambos).
20. Efeitos do bullying
21. Efeitos sobre o indivduo incluem:
Depresso Reativa, uma forma de depresso clnica causada por eventos exgenos;
Estresse de desordem ps-traumtica;
Tornar-se tambm um agressor;
Ansiedade;
Problemas gstricos;
Dores no-especificadas;
22. Perda de auto-estima;
Medo de expressar emoes;
Problemas de relacionamento;
Abuso de drogas e lcool;
Auto-mutilao;
Suicdio (tambm conhecido como bullycdio).
23. Efeitos numa escola incluem:
Nveis elevados de evaso escolar;
Alta rotatividade do quadro de pessoal;
Desrespeito pelos professores;
Alto nvel de faltas por males menores;
Porte de arma por parte de crianas visando proteo;
24. Efeitos sobre a organizao (tal como um local de trabalho):
Perda de moral;
Nveis elevados de faltas por depresso, ansiedade e dor nas costas;
Queda de produtividade e lucro;
Altos nveis de rotatividade de pessoal.
25. Por no existir uma palavra na lngua portuguesa capaz de expressar todas as situaes de BULLYING possveis, o quadro, a seguir, relaciona algumas aes que podem estar presentes:
26. Colocar apelidos Ofender Zoar Gozar Encarnar SacanearHumilharFazer sofrerDiscriminarExcluir
27. Isolar IgnorarIntimidar Perseguir AssediarAterrorizar Amedrontar TiranizarDominar
28. Agredir Bater Chutar EmpurrarFerir Roubar Quebrar pertences
29. Seja qual for a atuao de cada aluno, algumas caractersticas podem ser destacadas, como relacionadas aos papis que venham a representar:
30.

  • Alvos de Bullying - so os alunos que s sofrem Bullying; 31. Alvos/autoresde Bullying - so os alunos que ora sofrem, ora praticam Bullying; 32. Autores de Bullying - so os alunos que s praticam Bullying;

- Testemunhas de Bullying - so os alunos que no sofrem, nem praticam Bullying, mas convivem em um ambiente onde isso ocorre.