Descolonizacao da Africa e Asia

  • View
    23.275

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Descolonizacao da Africa e Asia

  • 1. A descolonizao da frica e da sia

2. ::: Origens do processo Colonizador ::: Mesmo os pases vencedores da II Guerra Mundial no tinhamcondies de manter seus exrcitos coloniais . A desmoralizao poltica da Europa abriu espao para as lutas de independncia das colnias. A formao da ONU tambm favoreceu o processo de descolonizao dos continentes dominados. Dos processos de independncia (alguns violentos) surgiram naes frgeis, que formaram oTerceiro Mundo . 3. ::: Os Trs Mundos ::: Economista Alfred Sauvy (1952): Primeiro Mundo:pases capitalistas desenvolvidos. Segundo Mundo:correspondia aos pases socialistas, de economia planificada. Terceiro Mundo:reunia todos os pases subdesenvolvidos. 4. 5. ::: A Conferncia de Bandung (1955) ::: 29 pases africanos e asiticos reunidos na Indonsia. Discutiram polticas de cooperao mtua e estratgias para preservar a independncia. A deciso dono-alinhamentonem aos EUA, nem Unio Sovitica (URSS) teve grande repercusso mundial. 6. 7. sia 8. ::: A Descolonizao da sia ::: Durante a II Guerra Mundial osjaponesesinvadiram vrias colnias europeias na sia. Com o final da guerra, os europeus tentaram reconquistar a regio, mas os movimentos anticoloniais impediram. Grande parte das colnias conquistaram suas independncias entre os anos de 1945 e 1954. 9. 10. 11. ::: A ndia ::: Na ndia Britnica, a maior parte da populao seguia o hindusmo, havendo, contudo, uma minoria muulmana. O movimento de resistncia (entre 1920 e 30) ficou sob o controle de dois partidos:Partido do Congresso (hindu) e a Liga Muulmana . Um dos principais lderes da luta pela independncia foi Mohandas Karamchand Gandhi, advogado de formao britnica. Osmtodos pacficosde luta contra o colonialismo incluam jejuns, longas marchas e boicote aos produtos ingleses. 12. 13. 14. ::: A Partilha da ndia ::: A minoria muulmana, temendo o domnio dos hindus, passou a reivindicar um Estado independente. As disputas violentas entre hindus e muulmanos fez com que Gandhi, Nehru e Patel aceitassem a diviso da ndia. A ideia de separao deu origem ao Paquisto, Bangladesh, Ceilo e Birmnia. Em 17 de janeiro de 1948,Gandhi foi assassinadopor um nacionalista hindu fantico. 15. 16. ::: A Guerra Civil em Timor Leste ::: Colnia portuguesa at 1975. Com a sada dos portugueses, as tropas indonsias invadiram a regio, iniciando uma ocupao longa e sangrenta. Contra a presena indonsia, lutavam aFrente Revolucionria de Timor Lestee asForas Armadas de Libertao do Timor Leste . No final do sculo XX, a populao decidiu libertar-se da Indonsia. Contudo, grupo paramilitares armados pela Indonsia invadiram o Timor Leste e mataram centenas de pessoas. A resistncia timorense, apoiada internacionalmente, derrotou os indonsios. Xanana Gusmo foi eleito presidente em 2002. 17. 18. frica 19. ::: A descolonizao da frica ::: Ao desenhar o mapa da frica, as potncias dividiram o territrio segundo seus interesses polticos e econmicos. Desconsideravam as caractersticas histricas, tnicas e culturais dos povos que o habitavam. As metrpoles reuniram inimigos no mesmo territrio. Os europeus fizeram isso para manter os africanos divididos. Essas medidas produziam tenses que transformariam a frica em um verdadeiro barril de plvora. 20. 21. ::: O Pan-africanismo ::: Um dos primeiros movimentos de libertao da frica foi opan-africanismo , surgido no final do sculo XIX. Defendia a unio dos povos africanos como forma de fortalecer o continente no contexto internacional. O movimento, popular entre as diversas etnias locais, contribui para a criao daOrganizao para a Unidade Africana , 1963. Resolvemos ser livres. Povos colonizados e subjugados do mundo, uni-vos (V Congresso Pan-Africano). 22. ::: A descolonizao da frica ::: frica Inglesa:a estratgia do governo britnico foi transferir o poder para as mos de lderes escolhidos por um representante do governo ingls. Acirrou as disputas tnicas. frica Francesa:foi de certa forma pacfico. Lei-Quadro: os colonos de cada territrio teriam direito de voto para eleger representantes para as assembleias locais e para os conselhos de Estado. Formao da Comunidade Francesa, com o francs como lngua oficial. O que permitiu que os movimentos de independncia ocorressem de forma negociada. Com exceo daArglia . 23. 24. ::: A Guerra da Arglia ::: A guerra mobilizou a opinio pblica mundial a favor da libertao dos povos africanos, tamanha a violncia do confronto. AFrente de Libertao Nacional (FLN)uniu camponeses e guerrilheiros urbanos. A Batalha de Argele, 1957, marcou o acirramento da luta contra os franceses e a morte de inmeras pessoas. Num plesbicito em 1961, a Frana comeou a negociar com os argelinos. Em 1962, a Arglia estava independente. 1 milho de argelinos morreram na guerra. 25. 26. ::: O Congo Belga ::: A colonizao do Congo foi terrvel. Os congoleses eram considerados propriedade da Coroa belga, depois propriedades do Estado belga. O movimento de independncia do Congo iniciou em 1955. O movimentoConscincia Africanapublicou um manifesto contra a Comunidade Belgo-congolesa. A associao culturalAbakotransformou-se em partido poltico e passou a liderar a luta pela independncia. Desse movimento surgiu oMovimento Nacional Congols , liderado por Patrice Lumunba. 27. 28. ::: O Congo Belga ::: A primeira eleio no Congo ocorreu em 1957. As eleies foram marcadas por protestos violentos, que provocaram as mortes de dezenas de pessoas. A partir de 1959, grupos locais, estimulados pelos colonizadores, passaram a lutar entre si. Em 1960, umaconferncia em Bruxelasevoluiu para um acordo que garantiu a independncia do Congo e a constituio de um governo. 29. ::: Angola ::: A colonizao portuguesa transformou a regio em fornecedora de escravos para o Ocidente. Calcula-se que3 milhes de angolanosforam enviados como escravos para o Brasil. Formao de trs grupos que resistiam ao domnio portugus:MPLA(Movimento Popular de Libertao de Angola),FNLA(Frente Nacional de Libertao de Angola) eUNITA(Unio Nacional de Independncia Total de Angola). 30. 31. ::: Angola ::: Tratado de Alvor (1975): previa a formao de um governo provisrio entre as trs faces angolanas. O desacordo entre os grupos provocou umasangrenta guerra civil , levando a populao a migrar para outros pases. Em 1975, tropas sul-africanas ajudaram a UNITA e tropas cubanas o MPLA. Agostinho Neto , lder do MPLA, ascendeu presidncia da repblica, tornando Angola um pas socialista. 32. 33. 34. ::: Angola::: Mesmo com a posse de Agostinho, a UNITA continua a luta armada apoiada pelos EUA e a frica do Sul. Em 1991, um acordo entre MPLA e UNITA promoveu eleies para tentar acabar com a guerra civil. No reconhecendo a derrota nas eleies de 1992, a UNITA continuou a guerra civil. OAcordo de Lusaka (1994)e ocessar-fogo de 2002colocaram fim ao conflito entre o MPLA e a UNITA. 35. ::: frica do Sul e o Apartheid ::: Na chegada dos europeus, a regio era habitada por diversos grupos como os bosqumanos (san), os hotentotes (khoi), os xhosas e os zulus. A regio foi ocupada por holandeses, franceses e alemes. Eram denominadosberes ou africandrese tinha uma lngua prpria, o africner. A partir de 1913, a minoria branca promulgou leis que consolidaram o domnio sobre a maioria negra. Com a chegada ao poder do Partido Nacional (PN), basicamente afrincnder, foi implantada uma poltica segregacionista, oapartheid . 36. 37. ::: frica do Sul e o Apartheid ::: O apartheid impediu o acesso aos negros propriedade da terra e participao poltica. Obrigava a maioria negra a viver em zonas residenciais separadas dos brancos. Tambm os casamentos e as relaes sexuais entre brancos e negros eramilegais . OCongresso Nacional Africano(CNA, 1912) combateu o apartheid. NoMassacre de Sharpeville , bairro negro, 67 pessoas foram mortas pela polcia do governo. Em 1967, o lder do CNA,Nelson Mandela , foi preso e condenado priso prpetua. 38. 39. 40. 41. 42. ::: frica do Sul e o Apartheid ::: Entre os anos de 1958 e 1978, a poltica do apartheid se agravou, classificando os negros em diferentes grupos tnicos e lingusticos. Criao dosbantustes , territrios tribais independentes onde os negros viviam em condies precrias. Em 1984, uma revolta contra o apartheid levou o governo a decretar alei marcial . A comunidade internacional e a ONU declararam sanes frica do Sul como forma de presso contra o apartheid. 43. ::: frica do Sul e o Apartheid ::: Em 1990, Nelson Mandela libertado e o CNA recuperou a legalidade.Ser eleito presidente em 1995 (at 1999) . O governo revogou as leis raciais. 1993: primeira eleio multirracial do pas. 1994: o parlamento aprovou a Lei de Direitos sobre a Terra, restituindo propriedades s famlias negras. Comisso de Reconciliao e Verdade (CRV):criada para investigar, esclarecer, julgar e anistiar crimes contra os direitos humanos durante o apartheid. 44. 45. 46. ::: O legado do Colonialismo ::: A descolonizao pouco alterou a estrutura econmica de muitas naes da frica e sia. Na frica, asconstantes guerras civis e tribais , contriburam para destruir pases e afastar os investimentos necessrios para os avanos cientficos e tecnolgicos. A frica do Sul tenta transformar-se num pas em desenvolvimento, ao lado de Brasil, ndia e Rssia. Recentemente, uma onda derevoltas no Norte da fricacontribuiu para aumentar a instabilidade poltica de um continente j com muitos problemas. 47. 48. 49. 50. Egito 51. Lbia 52. 53. ::: Bibliografia ::: BRAICK, Patrcia Ramos. Histria: das cavernas ao terceiro milnio. So Paulo: Moderna, 2006. www.google.com.br