Deus Em Questao Apresenta

  • View
    4.192

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Deus Em Questao Apresenta

  • 1. Apresentaes O autor Armand M. Nicholi Jr., 77 anos, psiquiatra e professor de Harvard. Professor por 35 anos da disciplina Sigmund Freud e C. S. Lewis: duas vises de mundo contrastantes

2. Apresentaes A tradutora Gabriele Greggersen, doutora em Filosofia da Educao pela USP, especialista em C. S. Lewis, professora e coordenadora do ensino distncia da Faculdade Teolgica Sul- Americana, em Londrina, PR. 3. Apresentaes Os personagens Sigmund Freud e Clive Staples Lewis 4. Freud Austraco, de famlia judaica, nascido na metade do sculo 19 (1856), neuropatologista, fundador da psicanlise, um dos pensadores que mais influenciaram o mundo moderno (Freud estava para o comportamento assim como Marx, para a economia, e Darwin, para a biologia). 5. Freud Devem-se a ele os termos ato falho, complexo, ego, id, inibio, neurose, projeo, psicose, psicanlise, represso, superego, transferncia etc. Freud trouxe a psiquiatria dos manicmios para a sociedade culta e transferiu a prtica da psiquiatria do manicmio para o consultrio (Dan Blazer). 6. FreudAutor de vrios livros (OMal-estar da Civilizao,Totem e Tabu, Moiss e oMonotesmo, O Futuro deuma Iluso, Trs Ensaiossobre a Teoria daSexualidade etc.) 7. Freud Trabalhou em Viena a vida inteira, exceto no ltimo ano de vida, quando se mudou para Londres, por causa do nazismo (junho de 1938). Portador de um cncer no palato dos 67 aos 83 anos (1923-1939), quando morreu. 8. C. S. Lewis Irlands, de famlia protestante, nascido no final do sculo 19 (1898), crtico literrio e professor de literatura inglesa em Oxford e de literatura medieval e renascentista de Cambridge, reconhecido como o mais popular defensor da f no sculo 20. 9. C. S. Lewis Autor de vrios livros As Crnicas de Nrnia, Os Quatro Amores, Surpreendido pela Alegria, Cartas de um Diabo a seu Aprendiz, Cristianismo Puro e Simples, O Problema do Sofrimento, Milagres, O Regresso do Peregrino, Longe do Planeta Silencioso, Cartas a Malcom: Principalmente a Respeito da Orao etc. 10. C. S. Lewis Casou-se aos 58 anos com a escritora, novelista e crtica cinematogrfica, Joy Davidman, judia americana que havia experimentado uma mudana do atesmo para o cristianismo, por influncia dos livros de Lewis. Ficou vivo aos 62 anos, morreu trs anos depois, trs dias antes de completar 65 anos (1898-1963). 11. C. S. Lewis Para expressar sua alegria em Cristo, Lewis optou pela literatura infanto-juvenil e escreveu os sete volumes de As Crnicas de Nrnia (entre 1950 e 1956). A primeira estria O Leo, a Feiticeira e o Guarda-Roupa ser lanado em filme agora em dezembro em todo o mundo pela Walt Disney. 12. C. S. Lewis Em Os Quatro Amores (1958), Lewis divide o amor humano em quatro categorias: afeio entre os membros de uma famlia (storge), amizade (philia), o amor romntico entre pessoas apaixonadas (eros) e o amor que se tem a Deus e ao prximo (gape). 13. As muitas semelhanas entre Freud e Lewis Ambos tiveram uma vida muito sofrida: morte de entes queridos, crises de depresso, doenas graves e problemas com a guerra. Ambos nasceram de famlias muito religiosas e foram educados no temor de Deus. 14. As muitas semelhanas entre Freud e LewisAmbos renegaram a herana religiosa e tornaram-se ateus convictos. Ambos eram pensadores, filsofos e escritores de larga influncia em todo o mundo. (H 400 mil sites dedicados a Lewis.) 15. As muitas semelhanas entreFreud e LewisAmbos mantiveram intensa correspondncia com seus fs e amigos.Ambos morreram na Inglaterra e foram sepultados a noroeste de Londres. 16. A enorme diferena entreFreud e Lewis Os escritos de Freud (que nunca abandonou sua posio anti-religiosa) levaram e tm levado muitos ao atesmo. Os escritos de Lewis (que abriu mo de seu atesmo em 1929) levaram e tm levado muitos f crist. 17. O atesmo de Freud Ele se dizia um mdico sem Deus, um materialista, um ateu, um descrente, um infiel. Jamais em minha vida particular ou nos meus escritos eu escondi o fato de que sou um descrente de cabo a rabo. No pretendo me entregar. No tenho temor nenhum do Todo-poderoso. Se ns viermos a nos encontrar um dia, provavelmente terei mais queixas contra Ele, do que Ele poderia ter contra mim. 18. Freud resistiu s oportunidades para deixar de ser ateu ama-seca feia e bastante velha, catlica, que lhe falava de Deus e o levava missa. s aulas do filsofo alemo Franz Brentano (1838-1917) sobre a existncia de Deus, na Universidade de Viena, em 1874 (aos 18 anos). 19. Freud resistiu s oportunidades para deixar de ser ateu comovente dedicatria da velha Bblia oferecida pelo pai em 1891: Voc enxergou neste livro a viso do Todo-Poderoso, voc ouviu de boa vontade, voc praticou e tentou voar alto nas asas do Esprito Santo. Desde ento eu preservei a mesma Bblia. Agora, no seu trigsimo quinto aniversrio, eu tirei o p dela e a estou enviando a voc, como prova de amor do seu velho pai. 20. Freud resistiu s oportunidades para deixar de ser ateu leitura de livros como a Bblia, A Imitao de Cristo (do telogo alemo Toms de Kempis), O Paraso Perdido (de John Milton), O Peregrino (de John Bunyan), o poema Lzaro (do alemo Heinrich Heine). 21. Freud resistiu s oportunidades para deixar de ser ateu Aos 30 anos de correspondncia com o seu mais chegado e perseverante aluno e amigo, o pastor suo Oskar Pfister (1873-1856), 17 anos mais novo. 22. Freud resistiu s oportunidades para deixar de ser ateu Ao encontro com o ex-ateu e famoso filsofo e psiclogo americano William James (1842-1910), professor de Harvard, erudito quanto existncia e natureza de Deus, em sua nica viagem aos EUA, em 1909. 23. difcil entender como Freud se tornou smbolo da liberdade sexualO jovem neuropatologista seapaixonou por MarthaBernays em abril de 1882(aos 26) e s se casou emsetembro de 1886 (aos 30), 4meses depois de abrir a suaclnica em Viena. Nesteperodo de 4 anos escreveumais de 900 cartas para anoiva (quase uma por dia). 24. difcil entender como Freud se tornou smbolo da liberdade sexual O casal teve 6 filhos em 8 anos. Para no aumentar a prole, Freud (aos 38) e Martha passaram a viver em abstinncia sexual. O casal teve de enfrentar 4 anos de separao quando Martha foi obrigada a ficar ao lado da me em Hamburgo. Nesse tempo, eles s se viram umas dez vezes, mas trocaram centenas de cartas. 25. difcil entender como Freud se tornou smbolo da liberdade sexual A maioria dos bigrafos concorda que Freud no teve experincias sexuais antes de conhecer Martha nem durante o longo noivado. Depois de casado, permaneceu fiel esposa o tempo todo. 26. difcil entender como Freud se tornou smbolo da liberdade sexual Freud ensinava que as obrigaes morais com relao sexualidade devem ser aprendidas no perodo de confirmao religiosa e que uma comunidade est perfeitamente justificada, psicologicamente, a proibir o comportamento sexual das crianas, pois no haver perspectiva de refrear os apetites sexuais dos adultos, se a base para tanto no tiver sido preparada na infncia. 27. Tentando explicar o atesmo de Freud O caso do bon de pele. A influncia dos dois Ludwig alemes: o filsofo Ludwig Feuerbach (1804-1872) dizia que Deus uma criao da espcie humana e no um ser auto-existente e eterno e o mdico Ludwig Bchner (1824-1899) dizia que Deus suprfluo. A pergunta feita a Pfister aos 62 anos: Por que nenhum de todos estes devotos criou a psicanlise? Por que foi necessrio esperar por um judeu completamente ateu? 28. Tentando explicar o atesmo de Lewis O sofrimento: a morte da me, o destempero emocional do pai, o professor que dava chibatadas nos alunos (e que era tambm clrigo anglicano), a guerra de 1914 e a morte de seu amigo Edward. A me substituta que acreditava em Deus, mas vivia zanzando de um culto para outro. O desejo de livrar-se da interferncia de algum em particular, a interferncia de Deus, o Intruso Transcendental. 29. Tentando explicar o atesmo de Lewis A influncia do professor Kirkpatrick, que no impunha o seu atesmo aos alunos, mas forneceu a Lewis munio suficiente para ele defender sua postura contrria religio. A influncia da universidade, onde estudantes e professores escrutinam cada aspecto possvel do universo desde os bilhes de galxias, at partculas subatmicas , mas evitam rigorosamente examinar as suas prprias vidas. 30. Tentando explicar o atesmo de Lewis A influncia poderosa da nova psicologia de Freud, que estava nos penetrando a todos, embora no a engolssemos por completo. Lewis aprendeu com o mdico de Viena que a f em Deus no passa de projeo de fortes desejos e necessidades internas e que a idia de um super- homem idealizado dos cus algo infantil e o mundo no uma creche. 31. Uma vez ateu, sempre ateu?No caso de Freud, sim; no caso de Lewis, no. O pai da psicanlise morreu ateu aos 83 anos, e o autor dos sete volumes de As Crnicas de Nrnia renunciou ao atesmo na metade de sua vida, aos 31. Em abril de 1929, no domingo da Pscoa, Lewis admitiu que Deus era Deus e ento dobrou os seus joelhos diante dele e orou. Ele mesmo conta: Naquela noite, quem sabe, eu era o mais deprimido e relutante convertido de toda a Inglaterra. No ms seguinte, Freud escrevia a seu amigo Pfister: A vida no fcil em si e seu valor duvidoso. 32. Uma vez ateu, sempre ateu? Como se chama a experincia pela qual passou Lewis? Embora significativas e esclarecedoras, as palavras alterao, transio e mudana so muito pobres. Para explicar to grande, to profunda, to definitiva e to misteriosa transformao, Lewis prefere usar as palavras converso e novo nascimento (Jo 3.3; 2 Co 5.17). Em novembro de 1898, Lewis nasceu da me, e em abril de 1929, nasceu de novo, nasceu do Esprito. 33. Deus antes e depois da metania Do atesmo, Lewis passou para o tesmo (1929) e do tesmo, para o cristianismo (1931). No atesmo, no acreditava em nenhum Deus. No tesmo, passou a acreditar num Ser Sobrenatural, numa Inteligncia Superior, numa Autoridade ltima, num Governador do Universo. No cristia