Epistemologia de Popper

  • View
    2.919

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Apresentação sobre alguns tópicos da epistemologia de Karl Popper.

Text of Epistemologia de Popper

  • 1. DISCENTES:ADRIANO MAMEDES SILVA NASCIMENTOGRACIELI DASILVA HENICKAMIRTESCAMPOS PEREIRACUIAB/MTABRIL/20121IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012DISCIPLINA: EPISTEMOLOGIA DAS CINCIASPROFESSORA: Dr. IRAMAIA JORGE CABRAL DE PAULO

2. Filsofo da cincia austraconaturalizado britnico. considerado por muitos como ofilsofo mais influente do sculoXX a tematizar a cincia. Foi tambm um filsofo social epoltico, um grande defensor dademocracia liberal e um oponentedo totalitarismo.2IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 3. Nascido em 28 de julho de 1902, numa famlia deorigem judaica. Em 1928,concluiu o doutorado emfilosofia e lecionou numa escola secundria entre1930 e 1936. Com a ascenso do Nazismo em 1937,levou-o a emigrar para a Nova Zelndia, onde foiprofessor de filosofia. Em 1946, foi viver naInglaterra, tornando-se assistente de lgica e demtodo cientfico, posteriormente professor em1949. Foi nomeado cavaleiro da Rainha Isabel II em1965, e eleito para a Royal Society em 1976.Reformou-se da vida acadmica em 1969, apesar deter permanecido ativo intelectualmente at suamorte, em 17 de setembr0 de 1994.3IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 4. Sua obra foi dedicada sobretudo filosofia doconhecimento e da cincia, mas tambm aopensamento poltico, sendo sua obra TheOpen Society, considerada uma espcie debblia das democracias ocidentais paraBertrand Russell (POPPER,2006).4IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 5. Base de sua filosofia est numa observaomuito simples:assimetria dos enunciados universais Esta assimetria reside no fato de que, enquantonenhum nmero finito de observaes(positivas) permite validar definitivamente umenunciado universal, basta uma observao(negativa) para invalidar ou refutar (Joo CarlosEspada, autor da nota de apresentao de Conjecturas e Refutaes,2006). Exemplo: Cisnes brancos.5IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 6. Basicamente, Karl Popper argumenta que oconhecimento cientfico no assenta nochamado mtodo indutivo, mas numa contnuainterao entre conjecturas(suposio, hiptese, opinio fundada emindcios ou possibilidades) e refutaes(contestao, desmentir, rebater comargumento). O nosso conhecimento fundamentalmenteconjectural e progride por ensaio e erro (Joo CarlosEspada, autor da nota de apresentao de Conjecturas e Refutaes, 2006). 6IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 7. RacionalismoCrticoEmpirismo ClssicoeObservacionalismo-indutivista7IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 8. O racionalismo uma atitude de disposio aouvir argumentos crticos e aprender daexperincia. fundamentalmente uma atitudede admitir que eu posso estar errado e vspodereis estar certos, e, por um esforo,poderemos aproximar-nos da verdade. Em suma, a atitude racionalista (...) muitosemelhante atitude cientfica, crena de quena busca da verdade precisamos de cooperao ede que, com a ajuda da argumentao,poderemos a tempo atingir algo como aobjetividade"(Popper, 1987c, p. 232).8IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 9. 9IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 10. Nenhuma quantidade de observaesconfirmatrias garantir que uma teoria sejaeternamente vlida e imutvel; Uma teoria cientfica sempre conjetural eprovisria, sendo vlida, apenas, at serrefutada (falsificada); Para ser cientfica, uma teoria deve poder serrefutvel (testvel), em princpio; Uma afirmao no refutvel dogmtica,no cientfica; A verdade inalcanvel; apenas pretendemosnos aproximar dela, por tentativas!10IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 11. O progresso cientfico,segundo Popper, noocorre seguindo aordem da concepoindutivista, masseguindo a ordem daconcepo dedutivista. Exemplo deargumento indutivo:IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 11Logo, todos osces tm umcorao.Todos os ces queforam observadostinham umcorao. 12. Os argumentos indutivos, segundoSALMON (1978) apud MARCONI e LAKATOS (2007), tmduas caractersticas bsicas:12IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012I - Se todas as premissas so verdadeiras, aconcluso provavelmente verdadeira, masno necessariamente verdadeira.II - A concluso encerra informao que noestava, nem implicitamente, nas premissas. 13. Exemplo de argumento dedutivo:IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 13Todomamfero temum corao.Ora, todos osces somamferos.Logo, todosos ces tmum corao. 14. Os argumentos dedutivos, segundo SALMON(1978) apud MARCONI e LAKATOS (2007), tm duascaractersticas bsicas:14IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012I - Se as premissas de um raciocnio so verdadeiras,ento a concluso tambm ser; se a concluso forfalsa, ento todas as premissas ou pelo menos algumasdelas sero tambm falsas.II Toda a informao ou contedo fatual da conclusoj estava, pelo menos implicitamente, nas premissas. 15. Concepo indutivista Concepo dedutivistade um singular para umuniversal (p P),de um universal para umsingular (P p);1) observao; 1) a colocao de umproblema;2) generalizao indutivapara atingir leis e teorias;2) a apresentao depropostas como soluespara o problema em pauta;3) confirmao dasgeneralizaes3) a tentativa de refutar asteorias propostas.4) Lgica indutivista 4) Lgica dedutivista15IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 16. O mtodo indutivo criticado justamente por seu salto indutivoepistemologicamente injustificvel do particular para o geral. Para Popper, nenhum nmero restrito de observaes podeacarretar logicamente um enunciado irrestrito.Um milho deevidncias no provam uma teoria! Popper argumentava que possvel derivar conclusesverdadeiras a partir de premissas falsas:"Todo metal conduz eletricidade" (V);"Grafite metal" (F);-> "Grafite conduz eletricidade" (V!) Com isso, v-se que no h retransmisso da verdade dasconcluses (observaes) para as leis, isto , observaesverdadeiras no fazem necessariamente leisverdadeiras, contrariando o princpio da induo.16IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 17. IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 17 18. Segundo MARCONI e LAKATOS (2007), Popperdefende que toda pesquisa tem sua origemnum problema para o qual se procurasoluo, por meio de tentativas (conjecturas,hiptese, teorias) e eliminao de erros. Etapas do Mtodo Hipottico-Dedutivo:IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 18EXPECTATIVASOUCONHECIMENTOPRVIOPROBLEMA CONJECTURAS FALSEAMENTO 19. Portanto, Popper defende esses momentos noprocesso investigatrio: Problema que surge, em geral, de conflitos diantede expectativas e teorias existentes; Soluo proposta consistindo numa Conjectura (novateoria) deduo de consequncias na forma deproposies passveis de teste; Testes de Falseamento tentativas derefutao, entre outros meios, pela observao eexperimentao.IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 19EXPECTATIVASOUCONHECIMENTOPRVIOPROBLEMA CONJECTURAS FALSEAMENTO 20. Para Popper, conhecimento so conjecturas construdas, noapenas racionalmente mas incluindo at elementos metafsicos.Whewell, em 1837, estabeleceu uma distino entre os, assimdenominados (MIGUEL;VIDEIRA, 2011), contexto da justificao, supostamente objetivo, lgico, racional,impessoal, a reconstruo idealmente lgica de hipteses e teorias,descrevendo as estruturas conceituais, os enunciados e os aspectosnormativos de verificao e aceitao seu valor de verdade e o exame desua adequao em relao s evidncias empricas e seus testes, no-histrico e o nico para ser estudado pela Epistemologia, e contexto da descoberta, julgado como subjetivo, ilgico, no-racional, pessoalmente idiossincrtico, estruturado de formaincompleta, historicamente real, descrevendo as origens histricas, odesenvolvimento psicolgico e as condies scio-poltico-econmicas,os aspectos factuais, o estgio inicial de inveno e construo dehipteses e teorias, a ao da imaginao e da criatividade queconstituem seu processo de gnese, e excludo da Epistemologia.20IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 21. Teorias concorrentes passam por um processode eliminao de erros por falsificao o quePopper via como um processo anlogo seleo natural na evoluo biolgica. Asteorias que sobreviverem a esse processo noso mais verdadeiras do que as outras, masso as que se melhor se adaptam situaoemprica. O Racionalismo crtico se serve das seguintesferramentas: a consistncia lgica e aconformidade com os fatos.21IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 22. Retirando uma amostra de umsaco de arroz, observa-se queaproximadamente 80% dosgros so do tipo extrafino.Conclui-se ento que o saco dearroz do tipo extrafino.>>IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 23. Todos homens se locomovemsobre duas pernasNick homemLogo, Nick se locomove sobreduas pernas>>IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 24. A lgica dedutiva funciona de tal maneira que seas premissas de um raciocnio soverdadeiras, ento a concluso tambm ser; sea concluso for falsa, ento todas as premissasou pelo menos algumas delas sero tambmfalsas; Segundo Popper, ela : transmissora da verdade -todos os metais so condutores. retransmissora da falsidade -o grafite metal. no-retransmissora da verdade -o grafite condutor."Todo metal conduz eletricidade" (V);"Grafite metal" (F);-> "Grafite conduz eletricidade" (V!)24IF/UFMT Programa de Ps-Graduao em Ensino de Cincias Naturais -Turma 2012 25. Os fatores scio-histricos gerou distoresda cincia, tornado-a laica