Eps educação permanente em saúde

Embed Size (px)

Text of Eps educação permanente em saúde

Educao Permanente em Sade

Polticas Pblicas de Educao em Sade

Introduo s Prticas Docentes em Sade Coletiva

progressotecnologiasRelaes de produoOrganizao socialRealidade (demandas sociais)Servios de sadePolticas Pblicas

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

AutoformaoAutodidaxiaEducao continuadaEducao progressivaEducao no formalAndragogiaAs vantagens de um quadro conceitual impreciso, que cada um pode model-lo segundo suas necessidades e interesses (Gadotti, p. 74)

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Revoluo industrial (sc. 18 e 19)Momento histricoartesanalmquinasTrabalho mercadoria regulado pelo mercadoCategoria pobreza ganha centralidade

capitalpobrezatrabalhoeducao permanente

Transio das relaes de produo

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

E P S ideologialiberdadeprogressoemancipaoFilosfica

Fenomenolgica

Hermenutica Garantia do capital desvelamento das condies humanas Consumo / acumulao algo que vem, que traz significado.... Por isso ultrapassa o fato (p. 55). ideologia, mecanismo de dependncia scio cultural, despolitizao da massaLao Ts (antes de Cristo) a Educao Permanente no uma ideia recente. Na China o filsofo Lao-Ts, sculos antes de Cristo, dizia que ... todo estudo interminvel (TAO T KING, 1967 p. 84 apud GADOTTI, 1982 p. 56). Gadotti, 1982

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Frana 1891: Constituio - Ser criada e organizada uma instruo pblica comum a todos os cidados, gratuita no que se refere ao ensino indispensvel a todos os homens (FRANA, 1791 apud GADOTTI,1982, p. 58Inglaterra 1919: Relatrio do Ministrio da Reconstruo - A educao deve corresponder s necessidades sentidas pelas pessoas durante toda a vida.Frana 1938: Gaston Bachelard educao contnua no decorrer da vida inteira, sob pena de negar a prpria cultura cientfica, pois sem escola permanente no existe cincia.Frana - 1946: Plano Langevin- Wallon da Reforma do Ensino: A nova organizao do ensino deve permitir o contnuo aperfeioamento do cidado e do trabalhador. Frana 1955: Pierre Arents - Liga Francesa: emprega o termo EDUCAO PERMANENTE pela 1 vez1956 EP foi oficializada em um projeto do Ministrio da Educao...... A promoo do trabalho j no pode ser assegurada pela oficina ou pela fbrica. Cabe Educao Permanente promov-la.

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Bum de iniciativas em EP At 1970, 5.564 ttulos foram publicados em francs. Evoluo de um campo de estudo em educaoUNESCO, Conselho da Europa e Organizao da Cooperao e Desenvolvimento Econmico aps 1968 substituir o sistema tradicional de ensino por um sistema de EP.A Educao Permanente passou a ser o princpio da Poltica Educacional da UNESCO, divulgada pelo projeto Cidade Educativa Centro de pesquisa em EP Criao de EP em Montreal Cidade Educativa 1970 : UNESCO

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

educao permanente

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Como eventoEvento algo que traz significado.... Que vem.. Por isso ultrapassa o fato (p. 55).A Educao Permanente tem suas razes no real, ou seja, na evoluo real da educaoComo discursoDiversidade e impreciso de conceitos (p. 74)Expectativa ...remdio para todos os males Como projeto e aoResponder s exigncias do presenteSe a EP projeto e ao...... Quem deve pens-lo? Como?

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

eventoO discurso veicula o projeto (projeo) educacional que no fica somente ao nvel do discurso, mas se prolonga em uma ao concreta.

Da mesma forma, essa ao intervm diretamente sobre o projeto. Ela o com- condiciona e d peso.

Assim fenmeno, discurso, projeto, e ao formam um todo homogneo.

A Ep pode ser considerada como um dis- curso sobre educao, como fenmeno ob- servvel, como projeto educacional e como ao pedaggica orientada para uma finalida- de, mas todas estas categorias formam um s fenmeno.Concluses a partir das categorias de anlise

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Desenvolvimento individualPrincpio de organizao da educaoEstratgia de desenvolvimento culturaatividadesIndividualColetivacoletivaorganizaoNo h sistema globalprogramasPromotor Terico (produo cientfica)Gestores da educaoGestoresFormadores de RH

Pierre Furter Educao Permanente e o desenvolvimento cultural, 1974.Categoria apropriada pelo campo da sade para criao de uma estratgia de Estado- A Educao Permanente em sade

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Transio demogrfica e epidemiolgica

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Aumento dos ndices de presso arterial na comunidade YestratgiasAo transformadoraNa cidade de Maracand, a equipe do PSF, reunida na avaliao mensal, discutia um problema levantado pela enfermeira Roslia e pelos Agentes Comunitrios de Sade ACS. Os dados indicavam um alto ndice de hipertenso arterial

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Arco da Problematizao de Maguerez (exerccio da cadeia dialtica da ao)

qual o proble-ma a ser en-frentado?).Reflexo sobre as possveis causas do problemarelao de pontos essenciaisque devero ser estudadosna busca por solues de interveno.

busca de informaes sobre o problema (teorias, conceitos, dados etc.).

propostas (crticas e criativas) de soluo e interveno na realidade ( o qu? Como?) evidncia dos compo- nentes social e polti- co. Implica em com- promisso com o meio.

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Aumento dos ndices de presso arterial na comunidade YestratgiasAo transformadoraNa cidade de Maracand, a equipe do PSF, reunida na avaliao mensal, discutia um problema levantado pela enfermeira Roslia e pelos Agentes Comunitrios de Sade ACS. Os dados indicavam um alto ndice de hipertenso arterial

qual o proble-ma a ser en-frentado?).Reflexo sobre as possveis causas do problemarelao de pontos essenciaisque devero ser estudadosna busca por solues de interveno.

busca de informaes sobre o problema (teorias, conceitos, dados etc.).

propostas (crticas e criativas) de soluo e interveno na realidade ( o qu? Como?) evidncia dos compo- nentes social e polti- co. Implica em com- promisso com o meio.

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Grupos operativos para homens e mulheres

alimentao saudvel

atividade fsicaEducao Permanente em Sade

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

A partir da situao-problema, pode-se evidenciar no cotidiano das equipes a oportunidade para refletir sobre as prticas realizadas, motivadas pelos problemas identificados no cotidiano dos servios. Essas reflexes podem se debruar sobre questes relacionadas gesto, ao processo de trabalho e produo de conhecimento.

Como voc percebe a relao entre educao e trabalho na situao apresentada?

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Como voc percebe a relao entre educao e trabalho na situao apresentada?gesto processo de trabalhoproduo de conhecimento

formao profissional em sadeSaberes da prtica so os saberes desenvolvidos na execuo do trabalho em si. O trabalhador desen- volve toda uma habilidade prtica na execuo da ao, s vezes muito diferente das orientaes advin- das de estudos cientficos com- tidas nos manuais.

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

http://www5.ensp.fiocruz.br/biblioteca/dados/txt_406622461.pdfDo ponto de vista da gesto:Reunir todos os atores para discutir coletivamente o processo de trabalho.

Definir os problemas inerentes ao processo de trabalho junto com o conselho gestor e a instituio formadora

Definir coletivamente quais desses problemas demandam aes educativas.

Desenvolver o Plano de Educao Permanente em Sade da unidade de sade.

Desenvolver aes para reflexo, identificao de possibilidades e proposio

Desenvolver projetos conjuntos

Introduo s Prticas Docentes em Sade ColetivaEducao Permanente em Sade

Lacunas na formao em sade (falhas nas prticas das equipes de sade)OPAS (1970)

4 Conferncia Nacional de Sade (1967)Registro da preocupao dos recursos humanos da sade Foco nas especificidades da formao dos profissionaisBusca nos documentos da UNESCO as bases para a EP8 Conferncia Nacional de Sade (1986)Conferncia Nacional de Recursos Humanos em Sade Constituio cidadArt. 196 - a sade dever do Estado e direito de todos.Art. 200 - Ao SUS compete [...] III. Ordenar a formao dos recursos humanos na rea da sade. (Brasil, 2003, p.77) Lei 8080 set 1990 Dispe sobre a criao e fun-es da Comisso Permanen-te de Integrao entre Ensino e Servios de SadePortaria N 198/GM/MS (13/02/2004)Institui a Poltica Nacional de Educao Permanente em Sade (como estratgia do SUS para a formao de