Click here to load reader

Figuras linguagem Completo

  • View
    390

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of Figuras linguagem Completo

  • FIGURAS DE

    PALAVRAS

    FIGURAS DE

    PENSAMENTO

    FIGURAS DE

    CONSTRUO

    Comparao

    Metfora

    Catacrese

    Sinestesia

    Antonomsia

    Sindoque

    Metonmia

    Onomatopeia

    Smbolo

    (alegoria)

    Anttese

    Paradoxo

    Ironia

    Perfrase

    Eufemismo

    Disfemismo

    Hiprbole

    Gradao

    Prosopopeia

    Apstrofe

    Elipse - Zeugma

    Polissndeto

    Assndeto

    Pleonasmo

    Hiprbato

    Anacoluto

    Anfora

    Silepse

    Anadiplose

    Dicope - Epstrofe

    Assonncia

    Aliterao

    Paranomsia

  • SINTTICAS SEMNTICAS FONTICAS

    FIGURAS

  • Figuras Semnticas Metfora

    Comparao

    Prosopopia

    Sinestesia

    Catacrese

    Metonmia

    Perfrase

    Anttese

    Paradoxo

    Eufemismo

    Hiprbole

    Ironia

  • o emprego de um termo com significado de outro em

    vista de uma relao de semelhana entre ambos. uma

    comparao subentendida.

    "No sei que nuvem trago neste peito

    que tudo quanto vejo me entristece..."

    (Alexandre de Gusmo)

    " Sua boca um cadeado

    E meu corpo uma fogueira"

    (Chico Buarque de Holanda)

    No fique pensando que o povo nada, carneiro, boiada, dbil mental pra lhe entregar tudo de mo beijada. (Chico Buarque de Holanda)

  • a aproximao de dois termos entre os quais existe alguma

    relao de semelhana, como na metfora. A comparao,

    porm, feita por meio de um conectivo e busca realar

    determinada qualidade do primeiro termo.

    A chuva caa como lgrimas de um cu entristecido.

    "E h poeta que so artistas E trabalham nos seus versos como carpinteiro nas tbuas!..." (Alberto Caeiro)

    Como um grande borro de fogo sujo O sol posto demora-se nas nuvens que ficam." (Alberto Caeiro)

  • Tambm chamada personificao ou animismo,

    uma espcie de metfora que consiste em atribuir

    caractersticas humanas a outros seres.

    "Ah! cidade maliciosa

    de olhos de ressaca

    que das ndias guardou a vontade de andar

    nua". (Ferreira Gullar)

    Com a passagem da nuvem, a lua se

    tranquiliza.

  • Personifica-

    o da

    mesa.

  • uma espcie de metfora que consiste na unio de

    impresses sensoriais diferentes.

    O cheiro doce e verde do capim trazia recordaes da fazenda, para onde nunca mais retornou.

    (cheiro = sensao olfativa; doce = sensao gustativa; verde = sensao visual)

    Um doce abrao indicava que o pai desculpara.

    (doce = sensao gustativa; abrao = ttil)

    Dia de luz , festa de sol Um barquinho a deslizar no macio azul do mar... (O barquinho - Tom Jobim) (azul = sensao visual; macio = sensao ttil)

  • o emprego de um termo figurado por falta de um termo prprio

    para designar determinadas coisas. uma metfora

    desgastada pelo uso excessivo.

    Sentou-se no brao da poltrona para

    descansar.

    No me lembro do seu nome, mas ainda

    vejo as suas eternas mas do rosto

    avermelhadas.

    A asa da xcara quebrou-se.

  • Usamos a catacrese em expresses como orelha

    de livro ou dente de alho.

    O termo engarrafamento, usado para designar o

    congestionamento de automveis, ou o verbo

    embarcar, usado no sentido de entrar no carro, no

    avio ou no trem, so exemplos de catacrese.

  • Inutilidades, Jos Paulo Paes

    Ningum coa as costas da cadeira.

    Ningum chupa a manga da camisa.

    O piano jamais abana a cauda.

    Tem asa, porm no voa, a xcara.

    De que serve o p da mesa no anda?

    E a boca da cala se no fala nunca?

    Nem sempre o boto est em sua casa.

    O dente de alho no morde coisa alguma.

    Ah! se trotassem os cavalos do motor ...

    Ah! se fosse de circo o macaco do carro ...

    Ento a menina dos olhos comeria

    At bolo esportivo e bala de revlver.

  • a substituio do sentido de uma palavra ou expresso por

    outro sentido, havendo entre eles uma reao lgica.

    O autor pela obra.

    Ouvi Mozart com emoo. (a msica de Mozart)

    Leio Graciliano Ramos porque ele fala da realidade brasileira.

    (obra de Graciliano Ramos)

    O continente (o que contm) pelo contedo (o que est contido).

    Ele comemorou tomando um copo de caipirinha. (Continente: um copo; Contedo: caipirinha contida no copo)

  • A parte pelo todo.

    " o bonde passa cheio de pernas." (Drummond)

    (pernas = pessoas)

    So muitas as famlias que procuram um teto

    para morar. (teto = casa)

    O singular pelo plural.

    " Todo homem tem direito vida, liberdade e

    segurana pessoal. (Art.3-Declarao Universal dos Direitos Humanos)

    (homem = Humanidade)

    A mulher foi chamada para ir s ruas na luta

    contra a violncia. (mulher = todas as

    mulheres)

  • o instrumento pela pessoa que o utiliza.

    Os microfones corriam atropelando at o entrevistado. (microfone = reprteres)

    Ele um bom pincel, o problema que seus quadros so caros. (pincel = pintor)

    Ele um bom garfo. (garfo = come de mais)

    o abstrato pelo concreto.

    A juventude corajosa e nem sempre conseqente. (juventude = jovens)

    A infncia saudavelmente desordeira. (infncia = crianas)

  • o efeito pela causa

    Com muito suor o operrio construiu sua casa.

    (suor = casa)

    As industrias despejam a morte nos rios.

    (morte = poluio)

    a matria pelo objeto

    Os bronzes tangiam avisando a hora da missa:

    (bronze = sino)

    Os cristais tiniam na bandeja de prata.

    (cristais = copos)

  • a marca pelo produto

  • Expresso que designa um ser atravs de alguma de suas

    caractersticas ou atributos, ou de um fato que celebrizou.

    Em termos gerais, perfrase designa qualquer sintagma ou

    expresso idiomtica (e mais ou menos bvia ou direta) que

    substitui outra.

    A Cidade Luz continua atraindo visitantes do mundo

    todo. (cidade luz = Paris)

    A Cidade Maravilhosa segue cheia de sol. (cidade maravilhosa = Rio de Janeiro)

    O povo lusitano foi bastante satirizado por Gil Vicente.

    (povo lusitano = os portugueses)

  • Quando a perfrase indica uma pessoa, recebe

    o nome de ANTONOMSIA.

    O Prncipe dos poetas tambm teve outras

    atividades que o tornaram famoso; por exemplo: a

    luta pelo servio militar obrigatrio. (Prncipe dos

    poetas = Olavo Bilac)

    O Presidente dos Pobres suicidou-se em 1954.

    (Presidente dos Pobres = Getlio Vargas)

    "A dama do teatro brasileiro foi indicada para o

    Oscar." (dama do teatro brasileiro = Fernanda

    Montenegro)

  • Figura que consiste no emprego de termos com sentidos

    opostos.

    " Tristeza no tem fim. felicidade sim ...." (Vincius de Moraes)

    " Eu preparo uma cano que faa acordar os homens e adormecer as crianas". (Drummond)

    "H de surgir uma estrela no cu cada vez que voc sorrir, h de apagar uma estrela no cu cada vez que voc chorar" (Gilberto Gil)

  • Anttese

  • uma proposio aparentemente absurda,

    resultante da reunio de idias contraditrias.

    "Pra se viver do amor

    H que esquecer o amor."

    (Chico Buarque de Holanda)

    No discurso, sindicalista afirmou que o operrio

    quanto mais trabalha mais tem dificuldades

    econmicas.

  • Figura que consiste no abrandamento de uma

    expresso de sentido desagradvel.

    Aqueles homens pblicos apropriam-se do

    dinheiro. (apropriar-se = roubar)

    Cssia Eller partiu dessa para melhor.

    (partiu dessa para melhor = morrer)

  • Figura que atravs do exagero procura tornar mais

    expressiva uma idia.

    Na poca de festa junina, sempre morro de medo de

    fogos de artifcio.

    Ela gastou rios de dinheiro.

    "Ser que eu tenho sempre que te lembrar

    todo dia, toda hora.

    Eu te imploro,

    Por favor. " (Alice, Kid Abelha)

  • Consiste na inverso de sentido: afirma-se o contrrio do

    que se pensa, visando stira ou ridicularizao.

    Cada vez que voc interrompe seu colega,

    sem pedir licena, percebo como bem-

    educado

    Na charge, na verdade, o pobre

    fica sem comer, porque no

    pode comprar. Logo, nem paga

    imposto.

  • Seu andar veloz como uma tartaruga!

  • FIGURAS FONTICAS

    ONOMATOPIA

    ASSONNCIA

    ALITERAO

  • Consiste na imitao do som ou da voz natural dos

    seres.

    "Sem o coaxar dos sapos ou o cricri dos grilos

    como que que poderamos dormir tranqilos a

    nossa eternidade?" (Mrio Quitanda)

    "No Tic Tic Tac do meu corao, renascer..."

    (Timbalada)

  • - "Sou um mulato nato no sentido lato

    mulato democrtico do litoral"

    (Caetano Veloso - Ara Azul)

    Anule aliteraes altamente abusivas manual de redao humorstico (aliterao em A)

    a repetio de vogais na mesma frase.

    Na publicidade Ka/Ko

    aliterao e

    assonncia

  • Consiste na repetio de fonemas no incio ou

    interior das palavras.

    O rato roeu a roupa do rei de Roma.

    Pedro Pedreiro penseiro esperando o trem/

    Manh parece, carece de esperar tambm/

    Para o bem de quem tem bem de quem no

    tem vintm.Chico Buarque (vrias figuras)

    Aqui tambm h

    assonncia em