Ged Parte I

Embed Size (px)

Text of Ged Parte I

  • 1. MINISTRIO DA EDUCAOUNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOSFACULDADE DE EDUCAOPROGRAMA DE PS GRADUAO - MESTRADO EM EDUCAO
    Trabalho apresentado a disciplina Estudos em Gesto Educacional sob orientao da Prof. Dr. Paulo Gomes Lima
    Mestranda Kellcia Rezende Souza

2. Gesto escolar democrtica: discursos de transformao ou conservao? (Parte I)
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
SimoneVieira de Melo Shimamoto
3. Simone Vieira de Melo Shimamoto
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
Graduao em Pedagogia pela Universidade Federal de Uberlndia (1987) e Mestrado em Educao pela mesma universidade (2011). Tem experincias nas reas de educao bsica e ensino superior, atuando na docncia, gesto e capacitao de profissionais da educao.
4. Objetivo Problematizar questes concernentes a polticas pblicas e gesto escolar, tendo como foco a prxis da gesto escolar democrtica (GED) no Brasil a partir dos anos de 1980.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
5. AUTORES NCORAS
OTIMISTAS
CRTICOS
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
6. PRESSUPOSTO - A GED processo inexistente, apesar de situar-se legal e discursivamente no contexto contemporneo, sendo componente usualmente empregado na criao de modelos para a prtica gestora das instituies escolares.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
Anlise crtica perspectiva DIALTICA
7. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
Concepes neoliberais - SLOGANS
8. Possibilidades de gesto no contexto escolar
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
9. Gesto democrtica definido na legislao brasileira
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
DEMOCRACIA LIBERAL
10. GESTO ESCOLAR DEMOCRTICA: PARA ALM DA LEGITIMAO INSTRUMENTAL
Neoliberalismo no Brasil Frtil terreno
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
O capitalismo ocultando a explorao e a expropriao, na defesa da ideia de liberdade democrtica e direitos iguais. Os discursos postos tm camuflado novas roupagens nas quais velhas aes continuam se concretizando e se fortalecendo. O triunfo neoliberal foi mais ideolgico e cultural do que propriamente econmico.
11. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
A escola, espao micro cujos papis pautam-se diretamente no modelo de sociedade posto, numa relao dialtica de reproduo e contestao, tambm se organiza, pensa e repensa, considerando-se as razes nas quais se materializa. A prxis desenvolvida na educao escolar reproduz, em escala micro, as relaes ideolgicas e hierrquicas de poder concretizadas no meio social.
12. Gesto escolar: contextos e transformaes
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
13. Na discusso entre Estado mnimo e Estado mximo, percebe-se que ele se apresenta mnimo para as polticas sociais e mximo para o capital.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
14. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
FORTALECIMENTO DO CAPITALISMO NEOLIBERAL
15. 1980
1990
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
nfase na qualidade (produtividade) desloca-se o eixo para a busca de maior eficincia e eficcia via autonomia da escola, controle de qualidade,descentralizao de responsabilidades e terceirizao de servios.
Democratizao da escola era fio condutor das discusses e aes em busca da universalizao do acesso e da gesto democrtica com foco na formao do cidado.
16. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
17. HELOSA LCK

  • Necessidade de descentralizao enquanto pilar central para a efetivao da GED;

18. INTERAO entre dirigentes, funcionrios e clientes; 19. A escola deve garantir a formao COMPETENTE de seus alunos; 20. Criao de um ambiente ESTIMULADOR que propicie a participao. O gestor deve criar um ambiente COOPERATIVO; 21. Perodo de transio entre a desconcentrao e a descentralizao; 22. Desconcentrao e descentralizao so prticas crescentes no ensino do pas e possibilitam o surgimento de uma sociedade mais participativa e envolvida.Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
PSEUDOPARTICIPAO
23. Jos Carlos Libneo

  • Gesto e participao so terminologias sinnimas - Atividades de mobilizao e efetivao de aes que visem ao alcance dos objetivos da organizao escolar nos aspectos gerenciais e tcnico-administrativos.

24. Concepes gestoras: cientfico-racional (concepo tcnica) e scio-poltica (concepo democrtico-participativa); 25. Concepo democrtico-participativa relao orgnica entre direo e a participao da equipe escolar, propondo a gesto com decises coletivas e pblicas; 26. Gesto participativa.Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
27. Moacir Gadotti

  • A comunidade deva assumir a gesto da escola para alm do papel fiscalizador ou meramente receptor dos servios educacionais, o que significa que tais sujeitos necessitam assumir sua parteRESPONSABILIDADE pelo projeto da escola como um todo;

28. Escola democrtica formar para a cidadania e melhorar o ensino 29. Escola cidad 30. A gesto democrtica da escola exige uma mudana de mentalidade de todos os membros da comunidade escolar.Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
31. Discursos democratizantes submersos em mecanismos de desconcentrao domesticam e entorpecem aes radicais que interfiram na raiz propriamente dita.
Os autores Lck, Libneo e Gadotti adotam concepes semelhantes no que tange gesto democrtica sendo percebidas algumas divergncias terminolgicas quando o assunto a categoria gesto/administrao. Entretanto, a defesa da participao, autonomia e democratizao enquanto categorias chave ponto comum entre eles, cujo modelo prtico defendido e direcionado a gesto democrtica, seja nos moldes da gesto compartilhada, democrtico-participativa ou da Escola Cidad.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
32. A aplicao da gesto participativa/compartilhada como sinnimo da GED
Participar de processos definidos, cujos objetivos estejam determinados sem alterar ou discutir instncias que so determinantes na constituio deste processo fragiliza e impossibilita a implantao da GED.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
Os estudos de Lck, Libneo e Gadotti encontramos, modelos de instrumentos para organizao e planejamento da escola.Porm,em nenhum dos casos prope-se a reavaliao do papel do Estado no processo e nem a modalidade das relaes estabelecidas em nvel macro escola/instncias da sociedade civil e estatal.
33. Autonomia: um conceito em anlise
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
34. Proximidade entre as concepes em anlise:o contexto escolar como instrumento de apreciao
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
35. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
36. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
37. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
38. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
39. Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
40. Contradies e dialogiasna GED:exigncias postas e necessidades deflagradas
Nos exemplos utilizados como referenciais da gesto participativa a discusso politizada, dialtica, que ultrapassa o falso consenso e busca descortinar as contradies que permeiam todo e qualquer processo humano. Nos modelos expostos, apesar da crtica ao sistema capitalista neoliberal e das propostas ditas democrticas, a participao, da maneira que se compe, atende s exigncias postas pela sociedade tal qual se estrutura.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
Parmetros e referenciais s o seriam verdadeiramente se no direcionassem as avaliaes posteriores; o que significa que, se h parmetros efetivamente direcionadores de avaliao e quantificao das instituies, independente do contexto, no so referenciais, mas guias a serem seguidos.
41. O risco continuarmos fortalecendo a raiz autocrtica, a cultura mercadolgica e unilateral que tanto questionamos, sob o discurso descentralizador e democrtico. a falcia da participao.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD
Constatamos que para este primeiro grupo de autores a GED uma condio quase natural para o modelo democrtico, trata-se de um modelo ideal e no real.
42. SHIMAMOTO, Simone Vieira de Melo. Gesto escolar democrtica: discursos de transformao ou conservao? Uberlndia, 2010. Dissertao (Mestrado em Educao), Universidade Federal de Uberlndia, 2010.
Mestranda Kellcia Rezende Souza PPGEdu/UFGD