História da Arte: África do Sul

  • View
    108

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

História da Arte: África do Sul

Text of História da Arte: África do Sul

  • 1. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com)

2. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) O V que se torna um caminho horizontal e vai at a outra ponta da bandeira pode ser interpretado como as divergncias de diversos elementos da sociedade Sul-Africana que se unem e seguem juntos em uma mesma direo. 3. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Apartheid Apartheid (significa separao, vidas separadas" em dialeto africano) era um regime segregacionista que negava aos negros da frica do Sul os direitos sociais, econmicos e polticos. O termo passou a ser usado legalmente em 1948 e o sistema vigorou at o ano de 1990, quando o presidente sul-africano tomou vrias medidas e colocou fim ao apartheid. Como a libertao de Nelson Mandela, preso desde 1964 por lutar contra o regime de segregao. Em 1994, Mandela assumiu a presidncia da frica do Sul, tornando-se o primeiro presidente negro do pas. Entre as principais leis do apartheid, podemos citar: -Proibio de casamentos entre brancos e negros 1949; -Obrigao de declarao de registro de cor para todos sul-africanos (branco, negro ou mestio) 1950; - Proibio de circulao de negros em determinadas reas das cidades 1950; - Determinao e criao dos bantustes (bairros s para negros) 1951; - Proibio de negros no uso de determinadas instalaes pblicas (bebedouros, banheiros pblicos) 1953; - Criao de um sistema diferenciado de educao para as crianas dos bantustes 1953. 4. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 5. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Arte e Cultura A natureza heterognea da populao da frica do Sul explica o crescimento da mistura de culturas, aspecto naturalmente manifestado nas lnguas, artes e religies. Em todo o mundo, a lngua reconhecida como um dos direitos bsicos de um indivduo. Para atender a este requisito fundamental, a Constituio de 1993 da frica do Sul apresenta 11 lnguas, agora oficiais em nvel nacional. 6. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) As artes na frica do Sul esto vivas e prosperando. Os primeiros artistas do pas foram o povo San que decoravam suas cavernas com pinturas nas rochas e gravuras de animais. Mais tarde, artistas como Pierneef e Thomas Baines adicionaram um toque europeu na arte da comunidade local, que resultou em uma proposta de arte que uma fuso de culturas e um produto mundial. Pinturas nos vilarejos, esculturas, entalhes em madeira, cestarias, arte em miangas e em arames e cermicas se tornaram populares no mundo todo. Arte e Cultura 7. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Artes Visuais A histria das belas-artes sul-africanas teve incio na Idade da Pedra, quando os artistas decoravam as paredes de suas moradias com murais, pintando os temas do ambiente. Mais de trs mil locais, contendo arte em pedra, foram descobertos na frica do Sul. Alm dos artistas nativos, h os que utilizam estilos estrangeiros e contemporneos de arte. As paisagens ainda so um tema importante para os artistas sul- africanos, mas a degradao ecolgica do planeta tem feito com que alguns deles se concentrem, num primeiro momento, em certas questes ambientais. 8. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 9. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Artes e artesanato da frica do Sul Com um poder de inveno muito prprio, os sul africanos adaptaram todos e quaisquer meios ao seu alcance a um mercado que alimenta tanto os locais como os turistas estrangeiros. A juntar aos materiais tradicionais, como contas, palha, couro, tecido e barro, fazem-se peas usando fio telefnico, sacos de plstico, latas de gasolina e tampas de garrafas at mesmo etiquetas de latas de comida so usadas para criar tigelas em papel mach brilhantemente coloridas. Bordados Isiphethu, de Jane Msibi 10. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Arte folclrica, arte de qualidade A arte folclrica sul africana est tambm a invadir a arte de qualidade tipo Ocidental. As obras da ceramista Bonnie Ntshalintshali, com o seu pormenor quase fantasmagrico, foi muito para l dos limites da cermica africana tradicional e mesmo assim os seus trabalhos podero continuar a ser usados sua mesa. 11. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Etnia Ndebele A tradio Ndebele de pintar as casas, o que prtica comum na frica de pintar ou decorar os exteriores das habitaes, floresceu de uma maneira assombrosa com o surgir das tintas comerciais. Tambm deu o lugar a artistas como Esther Mahlangu, que ps as suas adaptaes da geometria Ndebele, to diferente e colorida, em tudo, desde carros a aeronaves. 12. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Esther Mahlangu, sul-africana, ilustrou uma edio limitada da Melissa com desenhos caractersticos da etnia Ndebele. 13. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) As mulheres do povo Ndebele, em Lesedi, na frica, usam pesadas argolas de metal no pescoo, pernas e braos, depois que casam. Dizem que para no fugirem de seus maridos e nem olharem para o lado. 14. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) A tcnica dos Ndebele A tcnica ancestral ( mo livre, com linhas e ngulos geomtricos coloridos) de pintar os muros das residncias, j viajou o mundo. A pintura das fachadas e muros das casas um privilgio exclusivo das mulheres Ndebele. A pintura a forte expresso individual da identidade das mulheres e o que diferencia uma mulher das outras o estilo da pintura, o motivo, a composio e a escolha das cores. Existem dois tipos de pintura: o tradicional (ikghuphu), que usa padres geomtricos, e muitas vezes uma camada superficial de barro misturado com fezes de gado, onde com os dedos elas desenham linhas verticais, horizontais e diagonais; e o moderno, que utiliza tintas industriais e um design mais complexo, alm de elementos abstratos e figurativos. 15. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 16. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 17. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 18. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) A artista sul-africana Esther Mahlangu, foi a primeira mulher a transpr os murais para telas e levar as convenes do seu trabalho a um pblico mais vasto. Em 1989, quando tinha 55 anos, foi a primeira mulher de sua tribo a cruzar o oceano, a transpor os murais para telas e levar as convenes do seu trabalho a um pblico mais vasto. Conquistou a Europa com sua pintura colorida e logo caiu nas graas de gente como Andy Warhol, Alexander Calder e Frank Stella. Mais recentemente, a BMW encomendou um carro customizado com os motivos geomtricos tpicos dos Ndebele. 19. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 20. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) 21. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Ana Flores 22. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Ana Flores 23. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Antero Machado 24. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Antero Machado 25. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Maria da Luz 26. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Maria da Luz 27. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Maura Guerra 28. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Zuanda Badenhorst 29. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Zuanda Badenhorst 30. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Zuanda Badenhorst 31. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Zuanda Badenhorst Zuanda Badenhorst usa metforas femininas, como batons, bules, jarras e vasos. Estes so todos os utenslios usados diariamente por mulheres, e com o qual as mulheres se podem identificar. Certas caractersticas flicas podem estar presentes na paisagem ou planta elementos que so tpicos do ambiente na frica do Sul. 32. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Zuanda Badenhorst Elementos teatrais, como as cortinas so adicionados como influncia dramtica. Todas as obras so executadas em cores brilhantes e so "emolduradas" com um padro decorativo. Isto d a ideia de uma foto dentro de uma pintura. 33. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Marna Schoeman 34. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Marna Schoeman Marna tenta ver a beleza e a vida em todos os lugares ao seu redor, mesmo em cenas banais como andar de nibus. Ela utiliza principalmente guache e acrlica em seus trabalhos. Pode-se tambm perceber influncias de culturas orientais, como a indiana, por exemplo. 35. ProfRaphaelLanzillotte(arte-educador@hotmail.com) Fontes de consulta http://www.africadosul.org.br http://www.bancocultural.com.br/ http://www.art.co.za/ind.htm http://www.southafrica.info/overview/portugues/artes.htm http://brincandoevestindoahistoria.blogspot.com/