Jornadas Diocesana da Juventude

  • View
    1.203

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornadas Diocesana da Juventude

Transcript

  • 1. 11 Jornadas Diocesanas da Juventude

2. 2 3. 333333 Estimados/as Jovens! Com os coraes animados pelo grande envio missionrio recebido na JMJ Rio 2013, o Papa Francisco apresenta o tema da Jornada Mundial da Juventude deste ano, para a nossa reexo e celebrao:Bem aventurados os pobres de esprito, porque deles o Reino dos Cus (Mt 5,3). Apresentamos, aqui, propostas para a realizao da Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) neste ano de 2014. Este subsdio quer contribuir com as dioceses e comunidades eclesiais de todo o Brasil para que possam dar continuidade ao esprito da JMJ, promovendo o aprofundamento do tema, trazendo reexes e propostas para concentraes com os jovens, reunindo as expresses que atuam na evangelizao da juventude, em clima de unidade e em sintonia com o tema da Campanha da Fraternidade, preparando a Semana Santa. A Igreja do Brasil quer estimular nossas dioceses a promoverem a vida da juventude, conduzindo os jovens a uma real experincia de f e estimulando-os a irem ao encontro da juventude que se encontra afastada ou distante das comunidades eclesiais. Este subsdio quer ser um apoio para todos os grupos e conta, tambm, com a importante criatividade de vocs. A partir das suas diversas experincias e realidades utilizem o material como uma luz para o seu grupo. Com a verdadeira alegria que vem de Cristo sigam o seu caminho de Evangelizao.Tenham todos uma excelente Jornada Diocesana da Juventude! Braslia, de abril de 2014. Apresentao Dom Eduardo Pinheiro da Silva, sdb Bispo Auxiliar de Campo Grande MS Presidente da Comisso Episcopal Pastoral para a Juventude 4. 4 INTRODUO Este tpico inicial de nosso subsdio tem por objetivo principal auxiliar os jovens e adultos do Brasil a compreender o que so as Jornadas Diocesanas da Juventude (JDJ). Sugerimos que, numa primeira oportunidade, a equipe diocesana e/ ou paroquial, pastoral, movimento, nova comunidade ou congregao religiosa possa se reunir e entender o que uma JDJ.Vocpoderorganizaresteencontrodediversasmaneiras: lendo e debatendo as questes ou elencando perguntas do grupo para que sejam respondidas com a ajuda do subsdio. Ao nal, encontra-se o SAIBA MAIS... sobre os locais na internet que podem ajudar a esclarecer mais acerca das JDJs. O que so as Jornadas Diocesanas da Juventude? A Jornada Diocesana da Juventude (JDJ) a organizao das Jornadas Mundiais da Juventude em nvel diocesano e celebrada nas Igrejas Locais no Domingo de Ramos (ou em um dia prximo) com o objetivo de fazer a pessoa de Jesus o centro da f e da vida de cada jovem para que Ele possa ser seu ponto de referncia constante e tambm a inspirao para cada iniciativa e compromisso para a educao das novas geraes. (Carta de Joo Paulo II ao Cardeal Eduardo Francisco Pironio na ocasio do Seminrio sobre as Jornadas Mundiais da Juventude, organizado em Czestochowa, Polnia). Quem convoca e qual o tema das JDJs? A convocao feita pelo Santo padre o Papa, que sempre prope uma temtica especca aos jovens e encaminha uma carta para que meditem e aprofundem seu encontro com Jesus Cristo e o comprometimento com seu Evangelho. No Brasil, ela acontece no perodo em que a Igreja celebra a Campanha da Fraternidade, e, quando possvel, deve ser realizada em consonncia com as reexes levantadas pelo Episcopado Brasileiro para a quaresma de cada ano. Quando surgiram as JDJs? Elas so uma atividade mundial e so a JMJ acontecendo nas Igrejas Locais, portanto, sua histria a mesma da Jornada Mundial da Juventude. O ano de 1985 foi proclamado pela ONU como Ano internacional da Juventude. Aproveitando a ocasio, o Papa Joo Paulo II conclamou para o Domingo de Ramos um encontro com os jovens de Roma. 5. 55555 300 mil jovens reuniram-se com o Santo Padre. Esta primeira Jornada Diocesana inspirou as JDJs e propagou-se nos anos seguintes por diversas Igrejas locais. Quando pode ser celebrada a JDJ? A data tradicional da celebrao da Jornada Diocesana da Juventude o Domingo de Ramos. Nela, os jovens so convidados a acolher Jesus e sua mensagem assim como o povo de Jerusalm o acolheu com ramos nas mos, montado em um jumentinho. O ideal que seja realizada neste dia, desde que no ra a participao dos jovens nas celebraes da Semana Santa em suas comunidades paroquiais. Se isto ocorrer, pode-se celebrar na tarde do dia anterior, ou em outra data apropriada, a m de que a maioria dos jovens possa participar. Como organizar a JDJ? As Jornadas Diocesanas da Juventude so uma atividadedaIgrejaJovem,ecomotal,precisamserpreparadas pelas foras vivas da Juventude das dioceses. O processo de construo coletiva fundamental, especialmente com a presena efetiva e comunho dos movimentos, pastorais, novas comunidades e congregaes que trabalham com jovens, e deve acontecer com envolvimento dos grupos de base e, o quanto possvel, com os grupos de crisma. Na preparao de uma JDJ, preciso considerar: 1) O estudo do tema pelos jovens da diocese e, 2) Preparao do dia do evento. As duas ltimas partes deste subsdio contemplam estes dois pilares da preparao da JDJ. 6. 6 Bem-aventurados os pobres em esprito, porque deles o Reino dos Cus (Mt 5,3) Bem-aventurados os pobres em esprito, porque deles o Reino dos Cus (Mt 5,3). Papa Francisco escolheu esta mxima do Evangelho como tema da Jornada Diocesana da Juventude de 2014. a primeira Bem-Aventurana e marca o sentido de todas as demais! Na sua mensagem para esta Jornada de 2014, n. 1, assim se pronuncia: As Bem-aventuranas de Jesus so portadoras duma novidade revolucionria, dum modelo de felicidade oposto quele que habitualmente transmitido pela mdia, pelo pensamento dominante. Para a mentalidade domundo,umescndaloqueDeustenhavindoparaSefazer um de ns, que tenha morrido numa cruz. Na lgica deste mundo, aqueles que Jesus proclama felizes so considerados perdedores, fracos. Ao invs, exalta-se o sucesso a todo o custo, o bem-estar, a arrogncia do poder, a armao prpria em detrimento dos outros. Queridos jovens, Jesus interpela-nos para que respondamos sua proposta de vida, para que decidamos qual estrada queremos seguir a m de chegar verdadeira alegria. (Papa Francisco) Os pobres em esprito... Frequentemente tentou-se atenuar a fora dessa expresso, como se os pobres em esprito fossempessoashumildes,independentesdesuacondiosocial. A palavra pobre recorda os anawin do Antigo Testamento e da poca de Jesus: so os que depositaram sua conana em Deus enquanto ltima instncia, porque a sociedade lhes negava justia. O pobre a pessoa honrada, piedosa, espiritualizada, justa, praticante da justia, aberto a Deus e, por isso, feliz. O Reino deles porque, vivendo assim, realizam o pedido de Jesus: convertam-se, porque o reino do cu est prximo. Esta Bem- Aventurana nos coloca as questes: Se o Reino dos Cus est com os pobres, onde ns cristos queremos e devemos estar? Onde est a verdadeira felicidade? Quem , realmente, feliz? Tendo estes pressupostos em nosso corao e mentes, tempo de tomar conscincia da urgncia de aprofundar este tema em nossos grupos juvenis! E o Papa mesmo quem nos conduz! Em sua mensagem para esta JMJ de 2014 (Jornada Mundial da Juventude em nvel diocesano), o Papa Francisco tem insistido em sermos uma Igreja que: 1) pobre, assumindo a pobreza como opo de vida; 2) Faz uma opo pelos pobres, indo ao seu encontro; 3) Aprende com os pobres, que so sinal proftico do Reino de Deus. Aprofundando o tema de 2014 7. 77777 Opo por uma vida simples A temtica deste ano nos provoca a sermos simples... Vivermos pobremente, o que no o mesmo que supervalorizar a misria. Nosso mundo consumista nos ensina que s feliz quem possui muitas coisas... Ser verdade isto? Papa Francisco, em sua viagem de retorno da JMJ no Rio para Roma, assim se pronunciou para os reprteres: Cada um tem de viver como o Senhor disse que tem de viver. A austeridade necessria para todos. O desejo de riqueza uma forma de idolatria. Os cristos, portanto, precisam viver o cultivo de uma vida simples como regra de vida. Ser pobre um conselho evanglico. Escutemos, ainda, o Papa Francisco em sua mensagem para esta Jornada de 2014, n. 3: Antes de mais nada, procurai ser livres em relao s coisas. O Senhor chama-nos a um estilo de vida evanglico caracterizado pela sobriedade, chama- nos a no ceder cultura do consumo. Trata-se de buscar a essencialidade, aprender a despojarmo-nos de tantas coisas supruas e inteis que nos sufocam. Desprendamo- nos da ambio de possuir, do dinheiro idolatrado e depois esbanjado. No primeiro lugar, coloquemos Jesus. Ele pode libertar-nos das idolatrias que nos tornam escravos. Conai em Deus, queridos jovens! Ele conhece-nos, ama-nos e nunca se esquece de ns. Como prov aos lrios do campo (cf. Mt 6, 28), tambm no deixar que nos falte nada! Mesmo para superar a crise econmica, preciso estar prontos a mudar o estilo de vida, a evitar tantos desperdcios. Como necessria a coragem da felicidade, tambm precisa a coragem da sobriedade. Nossa opo pelos pobres Segundo Bento XVI, a opo preferencial pelos pobres est implcita na f cristolgica naquele Deus que se fez pobre por ns, para enriquecer-nos com sua pobreza1 . Papa Francisco aprofundou esta reexo ensinando-nos que existe um vnculo indissolvel entre a nossa f e os pobres. No os deixemos jamais sozinhos! (EG 48). Esta opo no 1 Discurso na sesso inaugural da V Conferncia-Geral do Episcopado da Amrica Latina e do Caribe, in: Palavras do Papa Bento XVI no Brasil. So Paulo: Paulinas, 2007, p. 111. 8. 8 vida porque se sentem desanimados, desiludidos, temerosos. Devemos aprender a estar com os pobres. No nos limitemos a pronunciar belas palavras sobre os pobres! Mas encontremo- los, xemo-los olhos nos olhos, ouamo-los. Para ns, os pobres so uma oportunidade concreta de encontrar o prprio Cristo, de tocar a sua carne sofredora. Aprender com os pobres Jesus armou que o Reino dos Cus dos pobres em esprito. Isso signica que aqueles que so pobres, ou se fazem pobres por causa de Jesus, apontam para ns o caminho de Deus. Os pobres