Livro psique negritude

  • View
    144

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  1. 1. 1 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:49 Page 1
  2. 2. 5 Elementos - Instituto de Educao e Pesquisa Ambiental Ao Educativa - Assessoria Pesquisa e Informao ANDI - Agncia de Notcias dos Direitos da Infncia Ashoka - Empreendedores Sociais Cedac - Centro de Educao e Documentao para Ao Comunitria CENPEC - Centro de Estudos e Pesquisas em Educao, Cultura e Ao Comunitria Conectas - Direitos Humanos Fundao Abrinq pelos Direitos da Criana e do Adolescente Imprensa Oficial do Estado de So Paulo Instituto Kuanza ISA - Instituto Socioambiental Midiativa - Centro Brasileiro de Mdia para Crianas e Adolescentes Conselho Editorial Comit Editorial Antonio Eleilson Leite - Ao Educativa Amabile Mansutti - CENPEC Denise Conselheiro - Conectas Franoise Otondo - Ashoka Hubert Alqures - Imprensa Oficial Liegen Clemmyl Rodrigues - Imprensa Oficial Luiz Alvaro Salles Aguiar de Menezes - Imprensa Oficial Maria Angela Leal Rudge - CENPEC Maria de Ftima Assumpo - Cedac Maria Ins Zanchetta - ISA Monica Pilz Borba - 5 Elementos Rosane da Silva Borges - Instituto Kuanza Vera Lucia Wey - Imprensa Oficial 24618001 miolo:Layout 1 08.07.08 09:24 Page 2
  3. 3. OS EFEITOS PSICOSSOCIAIS DO RACISMO O que havia de mais difcil nas naes antigas era modificar a lei; nas modernas, modificar os costumes e, para ns, a dificuldade real comea onde a antiguidade a via terminar... A lei pode destruir a servido; mas...(como) fazer desaparecer as suas marcas (?). Alxis de Tocqueville (1805-1859) A Democracia na Amrica. 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:49 Page 3
  4. 4. Diretor-presidente Diretor Industrial Diretor Financeiro Diretora de Gesto de Negcios Hubert Alqures Teiji Tomioka Clodoaldo Pelissioni Lucia Maria Dal Medico INSTITUTO AMMA PSIQUE E NEGRITUDE Diretora-presidente Diretora Administrativa Diretora Financeira Maria Lcia da Silva Maria de Lourdes Arajo Almudi Fabiane da Silva Reginaldo IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO DE SO PAULO Governador Jos Serra GOVERNO DO ESTADO DE SO PAULO 24618001 miolo:Layout 1 18.07.08 09:00 Page 4
  5. 5. OS EFEITOS PSICOSSOCIAIS DO RACISMO So Paulo, 2008 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:49 Page 5
  6. 6. SUMRIO 09 PALAVRAS INICIAIS 12 APRESENTAO INSTITUCIONAL 14 POR QUE DISCUTIR OS EFEITOS PSICOSSOCIAIS DO RACISMO? 16 A FORMAO E O MTODO 6 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 6
  7. 7. 22 O CONTO E A HISTRIA 29 A EDUCAO 38 O OLHAR 47 O CORPO 57 A DOMINAO 72 IMPACTOS 74 GLOSSRIO 78 PARA SABER MAIS 79 PARTICIPANTES, FORMADORES, FACILITADORAS 83 APOIOS 7 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 7
  8. 8. 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 8
  9. 9. 9 PALAVRAS INICIAIS A suposta inferioridade do negro e a crena na supremacia de um grupo sobre outro foram sustentadas pela cincia do sculo XIX, com o intuito de justificar a escravizao de negros. O perodo escravagista foi marcado pela forma animalizada e coisifi- cada como o africano era tratado , uma estratgia que resultou na construo de uma imagem desumanizada do negro, e na desconstru- o de sua identidade. Outra herana da escravizao o conjunto de atributos destinado ao negro, que permanece vivo e atuante no inconsciente coletivo. A sua excluso do processo produtivo, aps a abolio, promoveu uma situa- o social na qual foram reforados estigmas e esteretipos tais como: incompetentes, preguiosos e indolentes, malandros, sujos, margi- nais.... Essas representaes, mediadoras das relaes intertnico- raciais, mantm e reproduzem o racismo. Os sentimentos de inferioridade e de no pertencimento categoria de humanos nefastos efeitos do racismo so responsveis pelo acometimento sade psquica da populao negra. 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 9
  10. 10. 10 neste cenrio e com estas reflexes que o Instituto AMMA Psique e Negritude constata que as leis antidiscriminatrias, embora de funda- mental importncia para a democracia racial, no conseguiriam, por si s, eliminar o preconceito, pois para tanto tambm necessrio intervir em crenas e valores de longa existncia. Assim, desde sua fundao, o Instituto AMMA tem por desafio inves- tigar a dimenso psicolgica do racismo atravs de uma abordagem psicossocial e buscar compreender a dinmica dos mecanismos discri- minatrios que fazem perpetuar as desigualdades tnico-raciais. A partir de reflexes e experincias, o Instituto AMMA desenhou uma proposta piloto de formao sobre "Os Efeitos Psicossociais do Racismo", voltada para educadores, psiclogos, trabalhadores da rea da sade em geral e militantes do movimento negro. Este projeto foi realizado em 2004, em So Paulo, com o objetivo principal de desenvolver habilidades para a elaborao dos sentidos do racismo inscritos na psique. Sentidos estes que no so apreendi- dos completamente na luta poltica contra a discriminao racial, devendo ser enfrentados tanto politicamente quanto psicologicamen- te. As marcas emocionais, causadas por uma discriminao continua- da, exigem estratgias de defesa e, ao mesmo tempo, recursos inter- nos para ir adiante. Todos sabem das peculiaridades do racismo brasileira um racismo sem racistas. A pessoa negra conhece a discriminao desde seus pri- meiros anos de vida, sem que nunca o outro lado se declare. Quando perguntamos para a maioria dos brasileiros: Voc racista? A res- posta invarivel : No.. 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 10
  11. 11. 11 As instituies pblicas tambm se declaram no-racistas, universalis- tas. No entanto, no o que experimenta a criana negra, por exem- plo, na escola. Para ela, a escola pode tornar-se num espao de exclu- so. O contexto, sua volta, muitas vezes, reproduz experincias de rebaixamento concorrendo para o enfraquecimento da auto-estima e para o desencorajamento. Alguns fatos relacionados a isso incluem a maneira pela qual a histria do povo negro brasileiro foi, tradicional- mente, contada; a forma pela qual o negro representado nos livros didticos e na mdia (submisso ou coadjuvante); os apelidos postos pelos coleginhas brancos: macaco, piche, cabelo ruim, entre outros. A longa exposio s situaes de desvalorizao causa efeitos mlti- plos de dor, angstia, insegurana, auto-censura, rigidez, alienao, negao da prpria natureza e outros, deixando marcas profundas na psique. Como lidar com essa realidade? Como proteger a sade ps- quica? Como estabelecer o dilogo entre as populaes cultural e feno- tipicamente diferentes? Como ampliar as aes de polticas pblicas para a superao do massacre psicolgico sofrido pela populao negra? Grandes perguntas que s podem ser respondidas com determinao e com muito trabalho. A Formao sobre "Os Efeitos Psicossociais do Racismo" parte desde trabalho. 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 11
  12. 12. 12 APRESENTAO INSTITUCIONAL ORIGEM O Instituto AMMA Psique e Negritude uma organizao no- governamental que foi criada, em 1995, por um grupo de psic- logas1 com o objetivo de trabalhar as complexas relaes inter- tnico-raciais, em especial as relaes entre populaes fenotipi- camente diferentes, por meio de uma abordagem psicossocial. Por entenderem que muitas das representaes que habitam o imaginrio brasileiro foram constitudas a partir de idias racis- tas, de certa poca, e que continuam a se reproduzir, ao longo do tempo, causando srias conseqncias sade psquica da populao negra, optou-se por um trabalho visando resgatar a auto-estima da populao negra e promover a conscientizao sobre os efeitos do racismo para a sociedade. MISSO Elaborao das conseqncias do racismo introjetado. ESTRATGIA Estimular o Dilogo entre populaes cultural e fenotipicamente diferentes. REAS DE ATUAO Direitos Humanos, Sade, Educao, Psicologia. ATIVIDADES Oficinas de sensibilizao para o reconhecimento do racismo institucional; Ciclos formativos sobre os efeitos psicossociais do racismo; Assessoria para grupos, instituies, organizaes governamen- tais e no-governamentais; bem como para profissionais das reas de sade e educao; Grupos de discusso e de vivncia temticos; Orientao Familiar; Produo de conhecimento. 1 Ana Maria Silva, Maria Lcia da Silva, Marilza de Souza Martins, Silvia de Souza 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 12
  13. 13. 13 AMMA Deus AMMA - esprito fecundador, verbo original, inaugurador de todas as coisas - simbolizado por um pote envolvo por uma espiral de cobre vermelho em trs voltas. Para ns, do Instituto AMMA, a espiral um smbolo muito especial. Ela representa um crescimento sem deformar sua base original. Crescer sem destruir a prpria essncia nos parece a grande lio da espiral. CONSELHO DIRETIVO Ana Clara Demarchi Bellan Elisabeth Belizrio Fabiane da Silva Reginaldo Jussara Dias Mrcia Ferreira Meireles Maria de Lourdes Arajo Almudi Maria Letcia Puglisi Munhoz Maria Lcia da Silva Marilza de Souza Martins Regina Maria Ferreira de Oliveira Rosa Maria Alves de Almeida REPRESENTAES Comit Tcnico de Sade da Populao Negra. Secretaria Estadual da Sade. So Paulo. PARCERIAS Ashoka Empreendimento Social Fundo ngela Borba Global Fund for Women Hospital Geral de So Mateus Instituto de Anlise Bioenergtica de So Paulo Instituto Brasileiro de Estudos e Apoio Comunitrio Instituto Papai PRMIO, MENES Prmio Franz de Castro Hotzwarth de Direitos Humanos oferecido pela Ordem dos Advogados do Brasil - OAB - Seo So Paulo, na categoria Meno Honrosa, em 2006. 24618001 miolo:Layout 1 03.07.08 17:50 Page 13
  14. 14. 14 Entrevista com Maria Lcia da Silva, Presidenta do Instituto AMMA Psique e Negritude Maria Lcia - As conquistas do Movimento Social Afro-brasileiro, no mbito da legislao e das aes polticas, no tm sido suficientes para as mudanas necessrias das relaes intertnico-raciais do pas. Por exemplo, o debate sobre as aes afirmativas, embora respaldado pela demonstrao das precrias condi- es materiais de existncia da populao negra, no tem sensibilizado a socie- dade a ponto de legitimar a sua aplicao enquanto instrumento de superao das desigualdades, que perpetuam h sculos, provocadas pelo racism