Materia FSP

  • View
    224

  • Download
    7

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Matéria derivada de trabalho publicado no American Journal of Human Biology. Parte da dissertação de Túlio Lins

Text of Materia FSP

  • 1. cincia EFSEGUNDA-FEIRA, 5 DE OUTUBRO DE 2009 A20Tel.: 0/xx/11/3224-3726 Fax: 0/xx/11/3224-2285E-mail: ciencia@uol.com.brServio de atendimento ao assinante: 0800-775-8080Grande So Paulo 0/xx/11/3224-3090Ombudsman: ombudsman@uol.com.brNO BLOGPESQUISADOR CHINS FALA SOBREDINOSSAURO QUE PODE COMPROVARELO EVOLUTIVO COM AS AVESlaboratorio.folha. blog.uol.com.br Brasileiro80%europeu,indicaestudo Dados de DNA das cinco regies do pas mostram impacto prevalente de ancestrais brancos, com indgenas em ltimo Caractersticas como cor daos dados de DNA revelam, em- pardos do que a populao ge-DOMNIO EUROPEU pele, dos olhos e dos cabelosbora a gente no tenha levadoral, embora ns no tenhamosisso em conta durante esse tra-feito essa anlise, diz Pereira. correspondem a pequena balho em particular, disse Para estimar as contribui-Confira as contribuies genticas mdias de cada continente para o Brasil parte do legado gentico Folha Rinaldo Wellerson Pe-es relativas de europeus,reira, que coordenou o estudo.BRASIL, EuropeusREGIES, Centro que a populao carrega africanos e indgenas, os pes-Embora os resultados sejamem %em % Norte Nordeste-OesteSudeste Sul quisadores usaram um conjun- ................................................................................................ REINALDO JOS LOPESinteressantes do ponto de vistato de 28 SNPs (pronuncia-se77,1 Europeus 71,177,569,5 79,887,7histrico e antropolgico, o snips), minsculas variantesAfricanos DA REPORTAGEM LOCAL14,3 Africanos18,213,618,7 14,1 7,0principal objetivo de Pereira egenticas que correspondem Indgenas 8,5Indgenas10,7 8,911,86,1 5,3Um novo retrato das contri- companhia obter uma ideiatroca de uma nica letra no buies de cada etnia para o mais clara da composio ge- alfabeto qumico do DNA. (Ca- DNA dos brasileiros, obtidontica da populao como fer-da pessoa carrega, em seu ge- com amostras das cinco regies ramenta para entender corre-Populaomestiaexige mais noma, 3 bilhes de pares dessas do pas, indica que, em mdia, laes entre o DNA e uma srie letras). Muitos SNPs so tpi- ancestrais europeus respon-de doenas (leia texto dir.).cos de determinadas popula- dem por quase 80% da herana gentica da populao. A varia- o entre regies pequena,Sabe-se que todo tipo de mo-lstia pode ter relao com aancestralidade do doente, mas es do mundo, sendo bem mais frequentes em europeus Jhouveestudos cuidadoda medicinaporDNA com a possvel exceo do Sul, os dados sobre a associao en- ou africanos, por exemplo.deassociaoge-................................................................................................DA REPORTAGEM LOCAL uma droga dessas no Brasil. onde a contribuio europeia chega perto dos 90%.tre uma coisa e outra dispon-veis hoje so, quase sempre, dePais postios nticacomgrupos Os resultados obtidos pela No adianta uma pessoa ter aparncia africana para vocOs resultados, publicados napopulaes como europeus ouA segunda fase da anlise definidoscomoequipe de Braslia so maisprever se ela vai responder ao comparar a presena desses 28 revista cientfica American Journal of Human Biology pornorte-americanos, nas quais amistura tnica teve importn-SNPs no DNA dos brasileiros brasileirosbrancosuma prova do cuidado necess-rio para estudar a associao remdio. No tem como saber se ela possui o bendito alelo uma equipe da Universidade cia relativamente baixa. Da a estudados com a distribuioebrasileirosne-entre doenas e caractersticas[variante gentica] ligado que- deles em populaes paren- Catlica de Braslia, do mais peso a resultados anteriores, osnecessidade de conseguir da-dos originais no Brasil. tais, ou seja, que poderiam ser- gros.Nofundo,es-genticas numa populao mis-cigenada como a brasileira. la resposta, explica.quais tambm mostravam que,Os resultados foram obtidosvir como uma verso simuladasasdefiniesnoJ houve estudos de asso-Poucos genes dos grupos que se miscigena- no Brasil, indicadores de apa- rncia fsica como cor da pele,com amostras de 200 pessoas,divididas em cinco grupos de ram e deram origem popula-queremdizerabso- ciao gentica com grupos de-finidos como brasileiros bran- Se parece misterioso o fato de que uma pessoa com biotipo dos olhos e dos cabelos tm re-mesmo tamanho, cada um de- o brasileira atual. lutamentenada. cos e brasileiros negros. Noafricano tenha organismo lativamente pouca relao comles oriundo de zonas urbanas Para isso, os pesquisadoresfundo, essas definies nobranqueado e ascendncia a ascendncia de cada pessoa.de uma das regies do Brasil.recorreram a amostras de DNA querem dizer absolutamente predominantemente europeia,Os voluntrios conseguiram nade africanos (de Botsuana, Ca-Oque a gentevnada, afirma Pereira. preciso levar em conta o fato Quem v cara no v DNAJustia o direito de ter seu mares, Gana e Senegal), ame- um processode Em pases como os EUA,de que, at onde se sabe, soNo Brasil, a pigmentao daDNA examinado gratuitamen- ricanos de Chicago e Baltimore conta ele, j chegaram ao mer- poucas dezenas de genes (den- pele est, em grande medida, te em investigaes de paterni-com origem europeia e ndiosbranqueamentocado alguns medicamentos vol-tre os 20 mil estimados para o desacoplada da ancestralidade, dade e assinaram formulrios zapotecas, do Mxico. da populao, quetados de forma especfica para genoma humano como um to- por conta do grau de miscige-aprovando o uso do materialComo os SNPs usados dis-os americanos de origem afri-do) que coordenam as diferen- nao. Em muitos casos, voc gentico para a pesquisa.criminam a ancestralidade emcontinua a ocorrer cana, levando em conta o fatoas de pele, cabelos e olhos. percebe que h uma relao Como so pessoas que nonvel continental, essas popula-RINALDOPEREIRA de que o organismo de pessoas por isso que uma contri- muito fraca entre a autoidenti-podiam pagar pelo exame, es parentais so suficientes, professor da Universidadede diferentes ascendncias rea-buio pequena das outras et- ficao que a pessoa faz, dizen- possvel que a amostra conte-embora no reflitam historica-Catlica de Braslia ge de maneira variada a certas nias ainda caracteriza a aparn- do-se branca ou negra, e o que nha uma proporo maior de mente as nossas, diz Pereira. substncias. Agora, imagine cia de muitos brasileiros. (RJL)PEQUENA TROMBAMUDANA CLIMTICAMira Oberman/France PresseBrasil ter metae a cobrar domundo, diz Lula ................................................................................. DA ENVIADA ESPECIAL A BRUXELAS Sem definir nmeros, o Brasil se v em posio de cobrar todo mundo e quer levar metas ambicio- sas para a cpula em Co-FOTO penhague que definir um1.85 novo tratado contra o aquecimento global.25.0Assumimos uma posi- o de liderana que nos permitir cobrar de todos,Participe da Sabatina e faa especialmente dos mais ri- cos, metas de reduo cla- suas perguntas ao presidente da Petrobras,ras e ambiciosas, afirmou o presidente Lula ao lado do premi belga, Her- mann Van Rompuy, que o JOS SERGIO GABRIELLI Rplica do pequeno mamute no Museu Field, em Chicago recebeu ontem.Segundo o chanceler Celso Amorim, a mudana climtica foi o principal te- ma do encontro. [O Bra-13 de outubro, das 11h s 13h Beb-mamute comea toursil] quer ir com nmeros claros, para que ningummundial em museu dos EUA possa se esconder atrs do Brasil e o Brasil tambmPara participar, ligue (11) 3224-3473........................................................................................restos do paquiderme.no se esconda. DA FRANCE PRESSE (de segunda a sexta-feira, das 14h s 19h) Lyuba, que tinha cerca de Mas o pas ainda no co- Trs anos depois de serum ms de vida quando mor- locou que nmeros seriamou mande um e-mail para eventofolha@grupofolha.com.br, descoberta praticamente in-reu afogada num rio de leito esses. O nmero com re- com seu nome, RG e telefone.tacta no solo congelado da lodoso h 40 mil anos, j en-lao a desmatamento es- Sibria, Lyuba, uma pequenasinou muita coisa sobre os t praticamente definido fmea de mamute, vai come- mamutes aos pesquisadores, [reduzir cerca de 70% at ar um tour mundial sendotrazendo informaes dif- 2017], e isso tem uma re- exibida no Museu Field, em ceis de extrair de fsseis e percusso natural na que-INSCREVA-SE J! Chicago. O estado de preser- vao do filhote to perfei-restos no to preservados.da das emisses.O ministro retomou o (11) 3224-3473 to que at restos do leite deGordurinha discurso de que o nus sua me foram achados em No tnhamos ideia de maior dos pases desen- seu estmago.que os mamutes jovens pos- volvidos, que comearam Lyuba deixar seu larsuam uma estrutura espe-a poluir antes. A gente fi- A participao gratuita e as vagas so limitadasrusso para ser a estrela dacializada de gordura marromca preocupado tambm mostra de mamutes e masto- na parte de trs da cabea, em os pases ricos dizerem dontes do Museu Field. A explicou o pesquisador.que eles tm uma meta X, exibio comea no dia 5 deEssa corcova funcionavamas a metade daquele XAcompanhe os eventos da Folha no twitter:maro do ano que vem e vai como uma espcie de forna- na realidade de mercado at 6 de setembro. lha, mantendo elevada ade carbono, que eles esto twitter.com/Folhadebate difcil evitar um mara- temperatura corporal quan- comprando de outros pa- vilhamento visceral ao ob- do o frio era mais intenso. Is-ses, declarou. No so- servar um espcime comoso sugere que os mamutes mos contra o mercado, Lyuba, e a mostra, como um normalmente nasciam no mas ele no pode diminuir todo, revela como estamoscomeo da primavera. as obrigaes dos ricos. Local: Tuca chegando perto de saber exa- Lyuba parece ter morridoSegundo Amorim, o Rua Monte Alegre, 1024tamente como eram essassem problemas de sade, e os Brasil costura um progra- animais, declarou o cura- pesquisadores acharam sedi-ma de princpios com a Perdizes - So Paulo, SPdor-chefe Daniel Fisher, mentos e lama em sua boca, Frana para apresentar professor de geologia da Uni-tromba e garganta. So pistasem dezembro. Claro que versidade de Michigan ede que ela teria morrido su- tem uns detalhezinhos membro da equipe interna-focada