Click here to load reader

Mitologia 2

  • View
    4.723

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Mitologia 2

  • 1. CompartilharDenunciar abuso Prximo blogCriar um blog Login *** Nenhum vento sopra a favor de quem no sabe para onde ir. (Sneca) ***Filosofando e Historiando Blog do Prof. Tony Mendes QUINTA-FEIRA, 18 DE JUNHO DE 2009PerseuVITRIA DACONQUISTA:VISITANTE NREVISTA VEJA -ACERVO DIGITAL Digite aqui o seu email e receba todas as atualizaes do Blog:Perseu foi o heri mtico grego que decapitou a Medusa, monstro que transformava em pedra qualquer um que olhasse em seus olhos. Perseu era filho de Zeus, queCadastrarsob a forma de uma chuva de ouro, introduziu-se na torre de bronze e engravidou Danae (Dnae), a filha

2. Delivered by FeedBurnerPROF. TONY MENDES - LINKS mortal do rei de Argos.Perseu e sua me foram banidos pelo av, Acrsio, que Curriculum - Tonytemia a profecia de que seria assassinado pelo neto, Mendesatirando-os numa urna para que levasse os dois para Olhares Juvenisbem longe.Protegida por Zeus a embarcao chegou a ilha de Prof. Tony Mendes -Serifo, onde foi encontrada por um pescador,Dctis, Ano III - UOL Blogirmo do rei de Serifo. Perseu e sua me viveram nacasa de Dctis e sua esposa por anos, at que um dia, o MINHAS PRODUES rei, Polidectes, quando passava pela casa de seu irmoresolveu visit-lo.A ideologia religiosa frenteAo ver Dnae, se apaixonou e quis se casar com ela.ao Quilombo dos PalmaresPerseu se tornou um grande homem, forte, ambicioso,Artigo sobre blog corajoso, aventureiro e protetor da me. Polidectes, comArtigo sobre blog - parcerias medo da ambio de Perseu lev-lo a lhe tirar o trono,props um torneio no qual o vencedor seria quemMonografia - Histria Social:trouxesse a cabea da Medusa, e o instinto aventureiroBrasil (parte I)de Perseu no o deixou recusar.Monografia - Histria Social:Ele, conhecendo a sua me disse que iria participar doBrasil (parte II)torneio, mas no disse que iria enfrentar a Medusa, comO homem moderno noreceio dela imped-lo. Foi vitorioso graas ajuda depensamento de Teilhard de Atena, Hades e Hermes. Atena deu a ele um escudo toChardin bem polido, que podia se ver o reflexo ao olhar para ele,Hades lhe deu um capacete que torna invisvel quem o PROCURAR NO BLOG usa, e Hermes deu a ele suas sandlias aladas, doisobjetos que foram definitivos para a vitria de Perseu.Ento Perseu, guiado pelo reflexo do escudo, mas semBuscarolhar diretamente para a Medusa, derrotou-a cortandosua cabea, que ofereceu deusa Atena. Diz a lendaque, quando Medusa foi morta, o cavalo alado Pgaso eCrisaor surgiram de seu ventre.Na volta para casa, matou um terrvel monstro marinhoe libertou a linda Andrmeda, com quem se casou.Conforme a profecia, Perseu acabou assassinando o avdurante uma competio esportiva, em que participavada prova de arremesso de discos. Fazendo umlanamento desastroso, acertou acidentalmente seu avsem saber que ele estava ali. Assim cumpriu-se aprofecia que Acrsio mais temia. Apesar disso Perseu serecusou a governar Argos (trocando de reinos comMegapente filho de Preto) e governou Tirinto e Micenas(cidade que fundou), estabelecendo uma famlia cujosdescendentes incluam Hrcules. 3. COLETIVOS - VIT. CONQUISTA LINKS INTERESSANTES Dicionrio de FilosofiaEnciclopdia de Filosofia CALENDRIO ESCOLAR 2010 Pesquisa de Andria e Edineide, 1 A Postado por Tony Mendes s 22:041 comentrios Marcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega Odisseu ou Ulisses BLOGS INTERESSANTESBlog NTE 16 Lista de Cursistas - Produo AudiovisualPolo UAB22 - Vit. 4. ConquistaMensagem Prof Cludia(Tutora Presencial -Letras/UESC) C.E. ANSIOTEIXEIRAMuseu Regional deVitria da ConquistaREGISTRO - "EX- TEMPORE" ARQUIVO DO BLOG 2010 (178) 2009 (227) Dezembro (19) Novembro (32) Outubro (5) Setembro (6) Agosto (26) Odisseu (em grego: , transl. Odysses) ou Julho (50) Ulisses (em latim: Ulysses ou Ulixes) foi, nas mitologias Junho (17)grega e romana um personagem da Ilada e da Odissia, Perseude Homero. a personagem principal dessa ltima obra, e uma figura parte na narrativa da Guerra de Tria. Odisseu ou Ulisses um dos mais ardilosos guerreiros de toda a epopia Heragrega, mesmo depois da guerra, quando do seu longo Hefesto retorno ao seu reino, taca, uma das numerosas ilhas gregas. Harpias Heri grego, Odisseu era rei de taca e filho de Laerte e GrgonasAnticleia. A princpio, cortejou Helena, mas, em vista do grande nmero de pretendentes, acabou por auxiliar Eros Tndaro, pai adotivo de Helena, na escolha do Demter pretendente. Essa escolha recaiu sobre Menelau, tendo o Cronositacense ento casado com Penlope. Da a amizade existente entre Menelau, seu irmo Agamemnon e Ciclope Odisseu. Atena Da unio com Penlope nasceu Telmaco, seu querido Aquiles filho, do qual teve de se apartar muito cedo para lutar ao lado de outros nobres gregos em Tria. Foi um dos Apolo elementos mais atuantes no cerco de Tria, no qual se Dionsiodestacou principalmente por sua prudncia e astcia. Durante a citada guerra, muitas batalhas os gregos Ares venceram a conselho de Odisseu, sendo este mesmo um Afroditegrande guerreiro, apesar de sua baixa estatura (algumas Nano Lopez - Cleo-Katra lendas diziam mesmo que era ano). Tentou em vo convencer Aquiles a cessar sua ira contra Agamemnon, 5. (feito em bronze) Maio (43) Abril (21) ao lado de jax, filho de Telamon e de Fnix, todavia, Maro (8)sem obter sucesso. Um de seus mais famosos ardis foi ajudar na construo de um cavalo de madeira, que permitiu a entrada dos PALAVRAS-CHAVES exrcitos gregos na cidade. Alis, a estratgia foi sua. Aps a derrota dos troianos, ele iniciou uma viagem de18 do Forte (1) dez anos de volta para taca onde a sua mulher o esperaAcdios (1)com uma fidelidade obstinada, apesar da demora. EssaAmoritas (1) viagem mereceu a criao por Homero do poema picoAmrica Espanhola (11) Odissia, na qual so narradas as aventuras e desventuras de Odisseu e sua tripulao desde queAmrica Inglesa (2) deixam Tria, algumas causadas por eles e outrasAmrica Pr-Colombiana (6) graas interveno dos deuses.Aristteles (9)Quando cegaram o ciclope Polifemo, despertaram a iraAssrios (1) de Poseidon, que os atormentou por anos. Depois, aindaBabilnia (2) tentado voltar para taca, acabou indo para a ilha de Calipso, uma mulher que o aprisionou em sua ilhaBalaiada (1) durante anos e no o soltaria de l at que ela seBarroco (2)casasse com ele. Porm, ele no aceitou, e ficou vriosBrasil - Colnia (23)anos na ilha, at que conseguiu fugir.Cabanagem (1)Com a ajuda de Zeus e de outros deuses, Odisseu chegou a casa sozinho para encontrar sua esposaCaldeus (1) Penlope, importunada por pretendentes. DisfaradoCangao (2)como mendigo, primeiro verificou se Penlope lhe eraCanudos (3)fiel e, em seguida, matou os pretendentes suaCharges (2)sucesso que a perseguiam, limpando o palcio. ComCincia (5) isso, iniciou-se uma batalha final contra as famlias dos homens mortos, mas a paz foi restaurada por Atena.Coluna Prestes (1)Contestado (2)Coronelismo (2)Crise de 1929 (1)Curiosidades (7)Dicas (1)Direitos Humanos (1)Download (5)EaD (5)Egito (2)EJA (12)Enem (1)Escravido (2)Estados Unidos (3)Evangelho Comentado (1) 6. Fencios (1) FIL - 1 Ano (53) FIL - 2 Ano (6) FIL - 3 Ano (6)Pesquisa de Juliana e Flaviane, 1 BFilmes (22) Postado por Tony Mendes s 21:481 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega Filosofia (17) Fotos (1)Hera Geral (4) Grcia (15) Guerra dos Emboabas (1) Guerra dos Farrapos (1) Guerra Fria (2) Hebreus (1) HIS - 1 Ano (51) HIS - 2 Ano (47) HIS - 3 Ano (60) HIS - 8 Srie (38) Iluminismo (1) Imagens (54) Imperialismo (2) Imprio Brasileiro (3) Imprio Napolenico (1) Independncia do Brasil (1) Infoedu (5) Introduo a Histria (6) ITA (3) Jogos (4) Leituras Interessantes (10) Literatura (8) Lngua Portuguesa (1) Mensagens (16) Mesopotmia (9) Mitologia Grega (27) Movimento Operrio (1) Museus (1) Msicas - letras (1) Na Biblioteca tem... (11) Napoleo Bonaparte (1) Ordens Terceiras (1) Padre Ccero (1) Palavras Cruzadas (3) Na mitologia grega Hera (do grego era) a deusa 7. Persas (1) Perodo Regencial (15) Pinturas (46) Plato (3) equivalente a Juno, na Mitologia romana, irm e esposade Zeus, deusa dos deuses, que rege o casamento. Primeira Guerra Mundial ( 11)Retratado como majestosa e solene, muitas vezescoroada com os polos (uma coroa alta cilndrica usada Primeira Repblica (39)por vrias deusas), Hera pode ostentar na sua mo uma Primeiro Reinado (12)rom, smbolo da fertilidade, sangue e morte, e um Pr-Socrticos (14)substituto para as cpsulas da papoula de pio. A vaca, Repblica Brasileira (17)e mais tarde, o pavo eram animais relacionados comela. Revistas (1)Retratada como ciumenta e agressiva, odiava e Revolta da Armada (1)perseguia as amantes de Zeus e os filhos de tais Revolta da Chibata (2) relacionamentos, tanto que tentou matar Hrcules Revolta da Vacina (2)quando este era apenas um beb. O nico filho de Zeus Revolta de Felipe dos Santosque ela no odiava, antes gostava, era Hermes e sua (1)me Maia, porque ficou surpresa com a sua inteligncia.Possua sete templos na Grcia. Mostrava apenas seus Revolta dos Mals (1)olhos aos mortais e usava uma pena do seu pssaro Revoluo Francesa (1) para marcar os locais que protegia. Hrcules destruiu Revoluo Industrial (1) seus sete templos e, antes de terminar sua vida mortal, Revoluo Inglesa (1)aprisionou-a em um jarro de barro que entregou a Zeus.Depois disso, ele foi aceito como deus do Olimpo. Hera Revoluo Russa (3)era muito vaidosa e sempre quis ser mais bonita que Revolues Liberais (1)Afrodite, sua maior inimiga. Roma Antiga (16) Irm e esposa de Zeus, a mais excelsa das deusas, Sabinada (1) representada na Ilada como orgulhosa, obstinada, Slides (5)ciumenta e rixosa. Odiava sobretudo Hrcules, queprocurou diversas vezes matar. Na guerra de Tria por Sociedade Mineradora (17)dio dos troianos, devido ao julgamento de Pris, ajudou Sofistas (2) os gregos. representada por um pavo e possui uma Sumrios (1) coroa de ouro. Sneca (3) Scrates (3) Teatro (1) Teleaula (20) Tenentismo (4) Vdeos (59) Webquest (3) tica (6) ndios brasileiros (1) 8. Pesquisa de Darlgia e Maiane, 1 BPostado por Tony Mendes s 21:360 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaHefesto 9. o deus do fogo, da metalurgia e tudo relacionado ao trabalho com metais. Trabalhava admiravelmente os metais e construiu inmeros palcios de bronze, alm da esplndida armadura de Aquiles, as flechas de Apolo, a couraa de Hracles, e o cetro e a gide de Zeus. Segundo uma tradio, nasceu manco e feio e, por isso, foi atirado do alto do Monte Olimpo aos mares por Hera, sua me, que, gerou-o sozinha. Foi recolhido por Ttis e Eurmone, com as quais viveu por nove anos. J crescido, ele se vingou dela, enviando-lhe de presente um trono de ouro. Quando Hera se sentou, correntes a prenderam habilmente e ningum conseguia quebr-las. Hefesto s soltou a me, muito tempo depois, tendo 10. exigido a volta ao Olimpo e a mo de Afrodite. Outras histrias dizem que, ao defender de Zeus sua me, este atirou-o do Cu e, precipitando durante um dia inteiro, caiu na Ilha de Lemos. Suas forjas, com vinte foles, foram depois do Olimpo colocados no Etna, onde tinha os Cclopes como companheiros de trabalho. O Etna era a sua principal oficina, tendo outras em outros vulces. Era Hefesto quem construa as armaduras, cedros e espadas de Zeus; o ferreiro do Olimpo. Tambm era o responsvel pela produo dos raios. Apesar de feio e manco, tinha aparncia robusta e se casou com a mais bela das deusas, Afrodite, por ela ter recusado o amor de Zeus. Em Roma era Vulcano ou Mulcbero. Na Ilada, sua esposa era uma das trs graas, chamada Aglaia por Hesodo. Somente na Odissia que ele aparece como esposo de Afrodite. 11. Pesquisa de Natana e Nvia, 1 BPostado por Tony Mendes s 17:500 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega 12. Harpias Representadas ora como mulheres sedutoras, ora como horrveis monstros, as Harpias traduzem as paixes obsessivas bem como o remorso que se segue a sua satisfao. Namitologia grega,as Harpias(dogrego hrpyia, "arrebatadora") eram filhas de Taumas e Electra e, portanto, anteriores aos olmpicos. Procuravam sempre raptar o corpo dos mortos, para usufruir de seu amor. Por isso, aparecem sempre representadas nos tmulos, como se estivessem espera do morto, sobretudo quando jovem, para arrebat-lo. Parcelas diablicas das energias csmicas representam a provocao dos vcios e das maldades, e s podem ser afugentadas pelo sopro do esprito. A princpio duas - Aelo (a borrasca) e Ocpite (a rpida no vo) - passaram depois a trs com Celeno (a obscura). O mito principal das Harpias relaciona-se ao rei da Trcia, Fineu, sobre quem pesava a seguinte maldio: tudo que fosse colocado a sua frente, sobretudo iguarias, seria carregado pelas Harpias, que inutilizavam com seus excrementos o que no pudessem carregar. 13. Perseguidas pelos argonautas, a pedido de Fineu, obtiveram em troca da vida a promessa de no mais atorment-lo. A partir de ento, refugiaram-se numa caverna da ilha de Creta. Pesquisa de Jeane e Andria, 1 BPostado por Tony Mendes s 17:331 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaGrgonas 14. Trs filhas monstruosas do deus do mar Frces e sua esposa, Ceto. As Grgonas eram horrveis, com a forma de drago, cobertas com escamas douradas e cobras ao invs de cabelos. Tinham asas enormes e faces horrendas; suas lnguas estavam sempre pendentes para fora, e tinham dentes grandes como presas. Viviam escondidas na extremidade ocidental do oceano, perto do jardim das Hesprides, pois as pessoas que olhassem para elas se transformavam em pedra. Duas das Grgonas, Steno ( a violenta) e Eurala (a errante ) 15. eram imortais; Medusa ( a dominadora ) era a nica que podia ser morta. Perseu, um rapaz nobre, mas tolo, ofereceu-se para matar a Medusa e trazer sua cabea como prova. Com a ajuda de Hermes e Atena, Perseu mostrou-lhe um espelho. Ao ver sua prpria imagem, Medusa transformou-se em pedra. Perseu cortou sua cabea e, de seu sangue surgiu Pgaso, o cavalo alado, filho de Medusa com o deus Posidon. A Grgona (em grego: ou , trans. Gorgn ou Gorg) uma criatura da mitologia grega, representada como um monstro feroz, de aspecto feminino, e com grandes presas. Tinha o poder de transformar todos que olhassem para ela em pedra, o que fazia com que, muitas vezes, imagens suas fossem utilizadas como uma forma de amuleto. A grgona tambm vestia um cinto de serpentes entrelaadas. Pesquisa Iasmin e Andresa, 1 BPostado por Tony Mendes s 16:210 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaEros 16. Eros (Cupido, no panteo romano) era o deus grego do amor. Hesodo, na sua Teogonia, considera-o filho de Caos, portanto um deus primordial. Alm de o descrever como sendo muito belo e irresistvel, levando a ignorar o bom senso, atribui-lhe tambm um papel unificador e coordenador dos elementos, contribuindo para a passagem do caos ao cosmos. Posteriormente foi considerado como um deus olmpico, filho de Afrodite e de Zeus, Hermes ou Ares, conforme as verses. Tendo, certa vez, Afrodite desabafado com Mtis, queixando-se que seu filho continuava sempre criana, a deusa da prudncia lhe explicou que era porque Eros era muito solitrio. Haveria de crescer se tivesse um irmo. Antero 17. nasceu pouco depois e, Eros comeou a crescer e tornar- se robusto. J Plato, no Banquete, descreve assim o nascimento de Eros, elucidando alguns detalhes at mesmo do aspecto ertico: "Quando nasceu Afrodite, os deuses banquetearam, e entre eles estava Poros (o Expediente), filho de Mtis. Depois de terem comido, chegou Pnia (a Pobreza) para mendigar, porque tinha sido um grande banquete, e ela estava perto da porta. Aconteceu que Poros, embriagado de nctar, dado que ainda no havia vinho, entrou nos jardins de Zeus e, pesado como estava, adormeceu. Pnia, ento, pela carncia em que se encontrava de tudo o que tem Poros, e cogitando ter um filho de Poros, dormiu com ele e concebeu Eros. Por isso, Eros tornou- se seguidor e ministro de Afrodite, porque foi gerado durante as suas festas natalcias; e tambm era por natureza amante da beleza, porque Afrodite tambm era bela. Pois que Eros filho de Pnia e Poros, eis qual a sua condio. sempre pobre no de maneira alguma delicado e belo como geralmente se cr; mas sujo, hirsuto, descalo, sem teto. Deita-se sempre por terra e no possui nada para cobrir-se, descansa dormindo ao ar livre sob as estrelas, nos caminhos e junto s portas. Enfim, mostra claramente a natureza da sua me, andando sempre acompanhado da pobreza. Ao invs, da parte do pai, Eros est sempre espreita dos belos de corpo e de alma, com sagazes ardis. corajoso, audaz e constante. Eros um caador temvel, astucioso, sempre armando intrigas. Gosta de invenes e cheio de expediente para consegui-las. filsofo o tempo todo, encantador poderoso, fazedor de filtros, sofista. Sua natureza no nem mortal nem imortal; no mesmo dia, em um momento, quando tudo lhe sucede bem, floresce bem vivo e, no momento seguinte, morre; mas depois retorna vida, graas natureza paterna. Mas tudo o que consegue pouco a pouco sempre lhe foge das mos. Em suma, Eros nunca totalmente pobre nem totalmente rico. Eros casou-se com Psiqu, com a condio de que ela nunca pudesse ver o seu rosto, pois isso significaria perd-lo. Mas Psiqu, induzida por suas invejosas irms, observa o rosto de Eros noite sob a luz de uma vela. Encantada com tamanha beleza do deus, se distrai e deixa cair uma gota de cera sobre o peito de seu marido, que acorda. Irritado com a traio de Psiqu, 18. Eros a abandona. Esta, ficando pertubada, passa a vagar pelo mundo at se entregar morte. Eros, que tambm sofria pela separao, implora para que Zeus tenha compaixo deles. Zeus o atende e Eros resgata sua esposa e passam a viver no Olimpo. Com Psiqu teve trigmeos: Eros II, Volptas e Volptia. Pesquisa de Csar Ribeiro e Alexsandro Gomes, 1 BPostado por Tony Mendes s 16:061 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega TERA-FEIRA, 16 DE JUNHO DE 2009 19. Demter Na Grcia antiga, a deusa Demter e sua filha, Persfone, eram cultuadas nos mistrios de Elusis, rituais secretos em que se agradeciam a fecundidade da terra e as colheitas. Demter, deusa grega da agricultura, era filha de Crono e Ria, irm de Zeus, Hades, Poseidon, Hstia e Hera, e me de Persfone, que a ajudava nos cuidados da terra, e de Pluto, deus da riqueza. Persfone foi raptada por Hades, que a levou para os Infernos e a esposou. Desesperada com o desaparecimento da filha, Demter saiu a sua procura e, durante a viagem, passou pela cidade de Elusis, onde foi hospitaleiramente recebida. Em agradecimento, revelou aos habitantes seus ritos secretos. A terra abandonada, entretanto, tornava-se estril e os alimentos comeavam a escassear. Preocupado com a difcil situao dos mortais, Zeus convenceu Hades a permitir que Persfone passasse o outono e o inverno nos Infernos e regressasse para junto da me na 20. primavera. Assim, Demter simbolizou a terra cultivvel, produtora da semente -- Persfone -- que h de fecund- la periodicamente. Em Elusis celebravam-se os mistrios, ou ritos secretos, em que Demter figurava como deusa da fertilidade e Persfone como encarnao do ciclo das estaes. Na mitologia romana, Demter foi identificada com Ceres. Pesquisa de Amanda e Priscila, 1 BPostado por Tony Mendes s 22:290 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaCronos 21. Cronos (em grego ) (por vezes confundido com Chronos, ), era a Divindade suprema da segunda gerao de deuses da mitologia grega, correspondente ao deus romano Saturno. A etimologia do seu nome obscura. Poder estar relacionada com "cornos", sugerindo uma possvel ligao com o antigo demnio indiano Kroni ou com a divindade levantina El. Filho de Urano, o Cu estrelado, e Gaia, a Terra, o mais jovem dos Tits. A pedido de sua me se tornou senhor do cu castrando o pai com um golpe de foice. A partir de ento, o mundo foi governado pela linhagem dos Tits que, segundo Hesodo, constitua a segunda gerao divina. Foi durante o reinado de Cronos que a humanidade (recm-nascida) viveu a sua "Idade de Ouro". Cronos casou com a sua irm Ria, que lhe deu seis filhos (os Crnidas): trs mulheres, Hstia, Demter e Hera e trs rapazes, Hades, Poseidon e Zeus. Como tinha medo de ser destronado, Cronos engolia os filhos ao nascerem. Comeu todos exceto Zeus, que Ria conseguiu salvar enganando Cronos enrolando uma pedra em um pano, a qual ele engoliu sem perceber a troca. Quando Zeus cresceu, resolveu vingar-se de seu pai, solicitando para esse efeito o apoio de Mtis - a Prudncia - filha do Tit Oceano. Esta ofereceu a Cronos uma poo mgica, que o fez vomitar os filhos que tinha devorado. 22. Ento Zeus tornou senhor do cu e divindade suprema da terceira gerao de deuses da Mitologia Grega ao banir os tios Tits para o Trtaro e afastou o pai do trono, e segundo as palavras de Homero prendeu-o com correntes no mundo subterrneo, onde foi encontrado, aps dez anos de luta encarniada, pelos seus irmos, os Tits, que tinham pensado poder reconquistar o poder de Zeus e dos deuses do Olmpo. Pesquisa de Luan e Ueslei, 1 B; Gabriela e Aline 1 APostado por Tony Mendes s 22:210 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega 23. Ciclope Em grego (Kklops) "Olho redondo", pois os ciclopes eram concebidos como seres monstruosos com um olho s no meio da fronte. Demnios das tempestades, os trs mais antigos so chamados, pois isso mesmo, Brontes, o trovo, Estropes, o relmpago, e Arges, o raio Os mitgrafos distinguem trs espcies de Ciclopes: os Urnios,(filhos de Urano e Geia), os Sicilianos, companheiros de Polifemo, como aparece na Odissia de Homero, e os Construtores. Os ciclopes tinham um s olho no meio da fronte. Eram senhores do relmpago, do raio e do trovo, semelhantes por sua violncia sbita s erupes vulcnicas, smbolos da fora brutal a servio de Zeus.Tendo provocado a clera de Apolo, deus da luz, da sabedoria, com a morte de Asclpio, foram eliminados pelo filho de Leto. Dois olhos correspondem para o homem a um estado normal, trs a uma clarividncia extraordinria, um s revela um estado primitivo e sumrio de capacidade intelectual. O olho nico no meio da fronte trai uma recesso da inteligncia e a carncia de certas dimenses. O demnio, na tradio crist, muitas vezes representado com um olho s, o que traduz o domnio das foras obscuras, instintivas e passionais, que, entregues a si mesmas e no assimiladas pelo esprito, exercem um papel destruidor no universo e no homem. O Ciclope da tradio grega uma fora primitiva, 24. regressiva, de natureza vulcnica, que somente pode ser vencida por um deus solar, Apolo. Pesquisa de Dabson e Ilvnia, 1 BPostado por Tony Mendes s 22:090 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaAtena 25. Atena era a Deusa grega da sabedoria e das artes conhecida como Minerva pelos romanos. Atena era uma Deusa virgem, dedicada a castidade e celibato. Era majestosa e uma linda Deusa guerreira, protetora de seus heris escolhidos e de sua cidade homnima Atenas. nica Deusa retrata usando couraa, com pala de seu capacete voltada para trs para deixar a vista sua beleza, um escudo no brao e uma lana na mo. Contradizendo com seu papel como uma Deusa que presidia s estratgias da batalha na poca de guerra e s artes domsticas em tempo de paz, Atena era tambm apresentada com uma lana em uma das mos e uma tigela ou roca na outra. Era protetora das cidades, das foras militares, e Deusa das tecels, ourives, oleiras e costureiras. Atena foi creditada pelos gregos ao dar humanidade as rdeas para amansar o cavalo, ao inspirar os construtores de navios em sua habilidade, e ao ensinar as pessoas a fazerem o arado, ancinho, canga de boi e carro de guerra. A oliveira foi seu presente especial a Atenas, um presente que produziu o cultivo das azeitonas. A Deusa Atena foi retratada com uma coruja, ave associada sabedoria e de olhos proeminentes, duas de suas caractersticas. Cobras entrelaadas eram 26. apresentadas como um modelo no debrum de sua capa e escudo. Quando Atena era retratada com outro indivduo, esse sempre era do sexo masculino. Por exemplo, era vista perto de Zeus na atitude de um guerreiro de sentinela para seu rei. Ou era reconhecida atrs ou ao lado de Aquiles ou de Odisseu, os principais heris gregos de Ilada e da Odissia. As habilidades blicas domsticas associadas com Atena envolvem planejamento e execuo, atividades que requerem pensamento intencional e inteligente. A estratgia, o aspecto prtico e resultados tangveis so indicaes de qualidades e legitimidade de sua sabedoria prpria. Atenas valoriza o pensamento racional e pelo domnio da vontade e do intelecto sobre o instinto e a natureza. Sua vitalidade encontrada na cidade. Para Atena, a selva deve ser subjugada e dominada. Atena era a filha predileta de Zeus, que lhe concedeu muitas das suas prerrogativas. Ela tinha o dom da profecia e tudo que autorizava com um simples sinal de cabea era irrevogvel. Ora conduz Ulisses em suas viagens, ora ensina s mulheres a arte de tapearia. Foi ela que fez construir o navio dos Argonautas, segundo seu desenho e coloca popa o pau falante, cortado na floresta de Dodona, o qual dirigia a rota, advertindo perigos e indicando os meios de os evitar. Era na cidade de Atenas que seu culto foi perpetuamente honrado: tinha seus altares, as suas mais belas esttuas, as suas festas solenes e um templo de notvel arquitetura, o Partenon. Esse templo foi reconstrudo no perodo de Pricles. 27. Pesquisa de Pedro Souza e Uillan Ribeiro 1 BPostado por Tony Mendes s 22:001 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaAquiles 28. Na mitologia grega, Aquiles (em grego antigo: Akhilleus) foi um heri da Grcia, um dos participantes da Guerra de Tria e o personagem principal e maior guerreiro da Ilada, de Homero. Aquiles tem ainda a caracterstica de ser o mais belo dos heris reunidos contra Tria, assim como o melhor entre eles. Aquiles era o filho da ninfa Ttis e de Peleu, rei dos mirmides. Zeus e Posdon haviam sido rivais pela mo de Ttis at que Prometeu, o responsvel por trazer o fogo aos humanos, alertou Zeus a respeito de uma profecia que dizia que Ttis daria luz a um filho ainda maior que seu pai. Por este motivo, os dois deuses desistiram de cortej-la, e fizeram-na se casar com Peleu. Quando Aquiles nasceu Ttis teria tentado faz-lo imortal, mergulhando-o no rio Estige; deixou-o, no 29. entanto, vulnervel na parte do corpo pelo qual ela o segurava, seu calcanhar. Peleu confiou Aquiles a Quron, o centauro, no monte Plion, para l ser criado. O centauro encarregou-se da educao do jovem, alimentou-o com mel de abelhas, medula de ursos e de javalis e vsceras de lees. Ao mesmo tempo, iniciou-o na vida rude, em contato com a natureza; exercitou-o na caa, no adestramento dos cavalos, na medicina, na msica e, sobretudo, obrigou-o a praticar a virtude. Aquiles tornou-se um adolescente muito belo, loiro, de olhos vivos, intrpido, simultaneamente capaz da maior ternura e da maior violncia. Peleu deu ainda ao seu filho um segundo preceptor, Fnix, um homem de grande sabedoria, que instruiu o prncipe nas artes da oratria e da guerra. Juntamente com Aquiles, foi educado Ptroclo, seu amigo, filho do rei da Lcrida, Mencio. Apesar da valentia e dos feitos de Aquiles, a fatalidade no podia deixar de acontecer. A morte do grande heri da Antiguidade apresentada em vrias verses, porm a mais aceita relata que ele morreu ferido no calcanhar por uma flecha certeira, poderosa e assassina, atirada pelo prncipe Pris e guiada por Apolo. Pris, nesse ato, consegue vingar-se da morte de seu irmo Heitor e simultaneamente vinga a morte do filho do deus Aplo, Tenes. Aquiles, aps a morte, recebeu a justa recompensa por toda uma vida de feitos hericos e de combates. Zeus, a pedido de Ttis, conduziu-o ilha dos Bem-aventurados, onde ele casou com uma herona (cita-se Medeia, Ifignia, Polixena, e mesmo Helena: da sua unio com esta, teria nascido um filho alado, Euforio, que identificado com a brisa da manh). 30. Pesquisa de Luana e Bruna, 1 APostado por Tony Mendes s 18:260 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaApolo Apolo, filho de Zeus e Leto, e irmo gmeo de rtemis, 31. deusa da caa, era um dos mais importantes e multifacetados deuses do Olimpo. Nas mitologias grega, romana e etrusca, Apolo foi identificado como o deus da luz e do sol, da verdade e da profecia, do pastoreio, do tiro com arco, da beleza, da medicina e da cura, da msica, da poesia e das artes. A partir do sculo III tambm foi identificado com Hlios, deus do sol, pois era antes o deus da luz, e por paralelismo a sua irm foi identificada com Diana, a deusa da lua. Mais tarde ainda, foi conhecido principalmente como uma divindade solar. Sendo o patrono do Orculo de Delfos, era o deus dos adivinhos e profetas. Sua ligao com a Medicina se fazia pelo seu poder de atrair pragas e a morte sbita, e tambm atravs de seu filho Asclpios. Possuindo no mito um rebanho de gado, era o deus dos pastores e defensor dos rebanhos e manadas. Protegia os colonos em terras estrangeiras, liderava as Musas e era o diretor de seu coro. Recebendo de Hermes a lira, firmou sua posio como o deus da Msica, e era homenageado com uma forma especial de hino, o pe. Finalmente, Apolo o deus dos jovens rapazes, ajudando na transio para a idade adulta. Assim, ele sempre representado como um jovem, frequentemente nu, para simbolizar a pureza e a perfeio. Apolo representa a harmonia, a moderao, a ordem e a razo, em contraste complementar a Dionsio, o deus do xtase e da desordem. 32. Pesquisa de Rafaela e Anderson, 1 B e Aurineide, Maria Barbosa e Silvana, 1 APostado por Tony Mendes s 18:100 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega 33. SEGUNDA-FEIRA, 15 DE JUNHO DE 2009Dionsio Dioniso, Dinisos ou Dionsio (do grego ou ) era o deus grego equivalente ao deus romano Baco, das festas, do vinho, do lazer e do prazer. Filho de Zeus e da princesa Semele, foi o nico deus filho de uma mortal. Ocorreu que Hera, que sentiu cime de mais uma traio de Zeus, instigou Semele a pedir ao seu amante (caso ele fosse o verdadeiro Zeus) que viesse ter com ela vestido em todo seu esplendor, em outras verses lhe pediu que mostrasse sua verdeira forma. Sem ele ento pediu que Zeus atendesse a um pedido seu, sem saber qual seria, em algumas verses, ela o fez fazer uma promessa pelo Estige, o voto mais sagrado, que nem mesmo os deuses podem quebrar. Ele concordou e quando soube do que se tratava imediatamente se arrependeu. Uma vez concedido o pedido teria que cumpri-lo. Ele ento voltou ao Olimpo e colocou suas vestes maravilhosas (ou demonstrou sua verdadeira forma), j sabendo o que ocorreria. De fato, o corpo mortal de Semele no foi capaz de suportar todo aquele esplendor, e ela virou cinzas. Assim, Dionisio passou parte de sua gestao na coxa de seu pai. Quando completou o tempo da gestao, Zeus o 34. entregou em segredo a Ino (sua tia) que passou a cuidar da criana com ajuda das Drades, das horas e das ninfas. Depois de adulto, ainda a raiva de Hera tornou Dionisio louco e ele ficou vagando por vrias partes da Terra. Quando passou pela Frgia, a deusa Cbele o curou e o instruiu em seus ritos religiosos. Sileno ensina a ele a cultura da vinha, a poda dos galhos e o fabrico do vinho. Curado, ele atravessa a sia ensinando a cultura da uva. Ele foi o primeiro a plantar e cultivar as parreiras, assim o povo passou a cultu-lo como deus do vinho. Dionisio puniu quem quis se opor a ele (como Penteu) e triunfou sobre seus inimigos alm de se salvar dos perigos que Hera estava sempre pondo em seu caminho. Nas lendas romanas, Dioniso tornou-se Baco, que se transforma em leo para lutar e devorar os gigantes que escalavam o cu e depois foi considerado por Zeus como o mais poderoso dos deuses. geralmente representado sob a forma de um jovem imberbe, risonho e festivo, de longa cabeleira loira e flutuante, tendo, em uma das mos, um cacho de uvas ou uma taa, e, na outra, um tirso (um dardo) enfeitado de folhagens e fitas. Tem o corpo coberto com um manto de pele de leo ou de leopardo, traz na cabea uma coroa de pmpanos, e dirige um carro tirado por lees. Tambm pode ser representado sentado sobre um tonel, com uma taa na mo, a transbordar de vinho generoso, onde ele absorve a embriaguez que o torna cambaleante. Eram-lhe consagrados: a pega, o bode e a lebre. s mulheres que o seguiam como loucas, bbadas e desvairadas se dava o nome de bacantes. considerado tambm o deus protector do teatro. Em sua honra faziam-se ditirambos na Grcia Antiga e festas dionisacas. Segundo o mito, Dionsio ordenou a seus sditos que lhe trouxesse uma bebida que o alegrasse e envolvesse todos os sentidos. Trouxeram-lhe nctares diversos, mas Dionsio no se sentiu satisfeito at que ofereceram o vinho. O deus encheu-se de encanto ao ver a bebida, suas cores, nuances e forma como brilhava ao Sol, ao mesmo tempo em que sentia o aroma frutado que exalava dos jarros sua frente. Quando a bebida tocou seus lbios, sentiu a maciez do corpo do vinho e percebeu seu sabor 35. nico, suave e embriagador. De to alegre, Dionsio fez com que todos os presentes brindassem com suas taas, e ao som do brinde pde ser ouvido por todos os campos daquela regio. A parti da, Dionsio passou a abenoar e a proteger todo aquele que produzisse bebida to divinal, sendo adorado como deus do vinho e da alegria. Pesquisa de Odair e Elias, 1 B; Patrick, 1 APostado por Tony Mendes s 21:270 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaAres 36. Deus da guerra e filho de Zeus, rei dos deuses, e sua esposa Hera. Os romanos o identificaram com Marte, tambm um deus da guerra. Ares, sanguinrio e agressivo, personificava a natureza brutal da guerra. Era impopular tanto com os deuses quanto com os humanos. Entre as divindades associadas com Ares estavam sua mulher Afrodite, deusa do amor, e divindades menos importantes, como Deimos (o Temor) e Fobos (o Tumulto), que o acompanhavam em batalha. Embora Ares fosse blico e feroz, no era invencvel, mesmo contra os mortais. A adorao de Ares, que se acredita ter origem na Trcia, no se estendia toda a antiga Grcia, e onde existiu, no tinha importncia social ou moral. Ares era uma divindade ancestral de Tebas e tinha um templo em Atenas, aos ps do Arepago, ou Colina de Ares. 37. Pesquisa de Leisson e Fernando, 1 A; Igor e William, 1 BPostado por Tony Mendes s 20:013 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia GregaAfrodite 38. Afrodite (em grego, ) era a deusa grega da beleza e do amor. Originrio de Chipre, o seu culto estendeu-se a Esparta, Corinto e Atenas. Foi identificada como Vnus pelos romanos. De acordo com o mito teognico mais aceito, Afrodite nasceu quando Urano (pai dos tits) foi castrado por seu filho Cronos, que atirou seus testculos ao mar, que comeou a ferver e a espumar, esse efeito foi a fecundao que ocorreu em Tlassa, deusa primordial do mar. Aps destronar Cronos, Zeus ficou ressentido, pois, to grande era o poder sedutor de Afrodite que ele e os demais deuses estavam brigando o tempo todo pelos encantos dela, enquanto esta os desprezava a todos, como se nada fosse. Como vingana e punio, Zeus f- la casar-se com Hefesto, (segundo Homero, Afrodite e Hefesto se amavam, mas pela falta de ateno, Afrodite comeou a trair o marido para melhor valoriz-la) que usou toda sua percia para cobri-la com as melhores jias do mundo, inclusive um cinto mgico do mais fino ouro, entrelaado com filigranas mgicas. Isso no foi 39. muito sbio de sua parte, uma vez que quando Afrodite usava esse cinto mgico, ningum conseguia resistir a seus encantos. Alguns de seus filhos so Hermafrodito (com Hermes), Eros (deus do amor e da paixo) dependendo da verso, filho de Hefesto, Ares ou at Zeus (com Zeus, apenas quando Afrodite filha de Tlassa), Anteros (com Ares, a verso mais aceita ou com Adnis, verso menos conhecida), Fobos, Deimos e Harmonia (com Ares), Himeneu, (com Apolo), Prapo (com Dionsio) e Enias (com Anquises. Na mitologia grega, Afrodite era acompanhada pelas Crites, ou Graas como eram tambm conhecidas. Seus nomes eram Aglae ("A Brilhante", "O Esplendor"), Tlia ("A Verdejante") e Eufrosina ("Alegria da Alma") Pesquisa de Thaise e Tiara, 1 A; Eurik e Tamires, 1 BPostado por Tony Mendes s 19:485 comentriosMarcadores: FIL - 1 Ano, Mitologia Grega QUARTA-FEIRA, 10 DE JUNHO DE 2009 Nano Lopez - Cleo-Katra (feito em bronze) 40. Postado por Tony Mendes s 06:20 0 comentriosMarcadores: Imagens Postagens mais recentesIncio Postagens mais antigasAssinar: Postagens (Atom)