O Educador-Outubro

  • View
    668

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of O Educador-Outubro

1. O EducadorCasa da Criana e do Adolescente Cristina CavanisAno 01 - Edio 06 - Outubro- 2011Distribuio Gratuita OutubroResgate da Infncia 2. O EducadorQUEM SOU EU?Editorial Neste ms de outubro,o Educador tem apretenso de levarvoc, querido leitor, apassear pelo universo infantil, a serpoeta, a ser professor e degustadorde brincadeiras. tempo de seradulto criana, tempo de reavivar Nomea devoo Mariana, tempo de Valdirene Neres da Silvatransformar os velhos hbitos Idade45 anosatualizando-os. A nossa expectativa Profissoque voc consiga extrair o melhor deAuxiliar de Cozinhavoc. Nossa contribuio a partir Comidadesse exemplar pequena, mas o Massasque voc pode fazer com ela Timegrande! FlamengoPense nisso e tenha uma abenoada Fraseleitura.O que Deus criao homem no destri.Sonho Priscila DiasCabelereira Secretria Cristina Cavanis Editorial-Quem sou eu?....................................................................................02 Agenda - Aconteceu...................................................................03ndice Dia do Professor...............................................................................................04 Homenagem ao Educador.............................................................................05 Capa-Resgate da Infncia................................................................06 Educao...................................................................................................07 Atualidade e Cultura...................................................................................08-09 Comunidade-Expediente, Passa Tempo, Sou Cavanis...............................10-12Atendimento de Segunda aSbado de 3:00 s 20:00 hs. Domingos e feriados PANIFICADORA & CONFEITARIA7:00 s 12:00 hs. Wilson / SandraFone: (34) 3222-3269 Av. Dos Titos, 713 - B. Jardim Aurora - Uberlndia - MG2 3. O EducadorAgendaANIVERSARIANTES - OutubroEntrevista com o homem livro apsJoo Pedro - 11 apresentao cultural na Noite doPaulo Henrique - 11 Faststica da Cristina CavanisMarcos Vinicius - 11Lucas Daniel - 12O Educador Quem voc , qual seuRodrigo Rodrigues -18nome e idade?Daniel Henrique - 23 Homem Livro - Sou poeta e chamoDedorah Rodrigues - 25 Mauro Martiniano de Mello e tenho 52Juan Domingues - 25anos.Eliseu Eduardo - 26O Educador Em que ano foi criado oErica Silvestre - 30 personagem e por qu? ********************************* Homem Livro Foi criado no ano deACONTECEU*Missa do funcionrios 2004, com objetivo de facilitar a*Dia do teatro transmisso de meu contedo as crianas*Dia do radialista e as pessoas em geral, numa forma*Dia da Bblia mgica, ldica que capta a ateno e*Dia da Independnciafavorece a mensagem.*Visita a Transitolndia O Educador - Em quantas escolas j*Noite Fantsticaapresentou esta pea do Homem Livro?*Visita ao Parque Santa Luzia Homem Livro Em torno de 115*Visita a Rdio e TV Paranaba escolas, para cerca de 29 mil crianas*Ginstica Laboral*Reunio Pedaggicaaqui em Uberlndia.*Cortes de cabelo - Embeleze O Educador Que poesia poderia*Encontro de Diretores e Coordenadores deixar como mensagem?******************************** O Homem Livro.O CACHOAmor de PoetaTenhoum brinquedoAmor de poeta abundanteQue causa arrepios Abunda do imprevisvel instante Em que escreve abundantementeQue corre, que late,E que d rodopios :Amor de poeta saber- meu cachorrinhoTranscreve dalma suade estimao. O que lhe abunda em ternura- Seu nome Cacho,Amor de poeta reconhecermeu vira-lata fofo.Que ao nascer Deus o fezDe corao virado pra lua (do livro Na Ponta Da Pena)Mauro Martiniano, 52 anos, Bairro Custdio Pereira. 3 4. O Educador DIA DO PROFESSOR - 15 Professor: Profissional dos Profissionais, para quem e onde? Educao, um alternativa ou um problema?Quando pensamos em educao nos vem mente o tamanho desafio que o Brasilenfrenta no que diz respeito efetivao de tal proposta com a conjuntura que se organiza osistema educacional. Sobre os professores recai a responsabilidade de ser um profissionalBombril, mil e uma utilidades. No momento que a instituio famlia no mais correspondequilo que dela se espera, os professores alem de dominar o campo do conhecimento em queatuam, precisam fazer o papel de psiclogo, assistente social, pai, me, mdico, bombeiro,apaziguador, e para completar, so postos como escudos humanos numa batalha onde suas armasso o giz e o quadro negro.. Na Finlndia, para termos uma idia, o professor mais bem remunerado do que osmdicos e os engenheiros, no significando que os mdicos e engenheiros ganham mal, so osprofessores de fato reconhecidos financeiramente mesmo. Tem autonomia para desenvolverqualitativamente a proposta de aprendizagem, e isto reflete no interesse dos alunos frente aoobjeto de conhecimento, que os interessa e tem tudo a ver com o seu mundo, no estudam elesomente por que est na cartilha. J vivenciamos isso nos tempos da escola, e hoje apssignificativo tempo, vemos a mesma realidade. Professores e alunos so subordinados aosistema, professor ensina o que no deve e os alunos no aprendem o que no os interessam.A proposta da educao no consiste em formarmos mquinas que saibam repetir o queos ensinamos como se fosse um programa de computador, precisa ter tudo a ver com o que defato os interessa, ter sentido, significado e aplicabilidade em suas vidas, precisam aprendercom emoo. Temos um precioso exemplo sobre o Mestre dos mestres. O que Jesus conseguiutransmitir aos seus? Muitos lderes religiosos j pregavam os ensinamentos, mas ele no tinhasentido para a vida das pessoas, as oprimia, a lei tinha mais importncia do que o homem.O Mestre dos mestres mostrou que outra alternativa era possvel, mostrou que osmilagres no eram comprados em indulgncias, mas que eles eram possveis pela germe da fque habitava dentro de cada pessoa.Educao significa tirar de dentro educere e noimposio de um sistema de regras. O que estamos esperando? Leoclcio Dobrovoski - Ps graduando em Docncia4 5. O Educador Homenagem ao EducadorChama-se de educador o profissional da Educao que pode atuar tanto comoprofessor quanto como pesquisador, administrador escolar, supervisor de ensino,orientador educacional, filsofo educacional ou como estudioso de questeseducacionais de um modo geral. Embora, em princpio, entenda-se o educador comoum pedagogo, nem sempre essa a realidade, podendo um educador ter formao emoutras reas pedaggicas, como as Letras, a Psicopedagogia, entre outras.Poesia ao educadorEducar uma arteQue se cultiva ao amorEduca-se para a vidaPara a vida saborearQue se diz e traduz na RealidadeDo ser Educando e do serEducando Educador.Educar transmitir aoOutro, terceiros aquiloQue se aprendeuAquilo que se sabeA preciosidade, o tesouro que se tem.Educar brincar,Aprender com prazer,Divertindo-seSoltando a imaginao e fantasiaCom af para conhecer e explorar oMundo que est sendo posto ao seu redor. Edvaldo Sant`Ana Loureno - Estudante5 6. O EducadorCapa Resgate da InfnciaUma das melhores fases da nossa vida a infncia. No h nenhum ser humano que no relembre do seu tempo de criana com grande nostalgia. As mudanas das prticas culturais, brincadeiras, cantigas de roda, coisas simples se perderam com o tempo, deixando uma lacuna, que foi pouco a pouco preenchida pela tecnologia, babs eletrnicas e neste caso, no importa se rico ou pobre, o contato humano foi trocado pelo computador, vdeo games ou simplesmente a tela de um televisor.Quando se fala do desaparecimento da infncia os pesquisadores contemporneos no esto falando da mortalidade infantil, mas sim, da morte trgica do brincar, da vivncia ingnua e descompromissada! As crianas da atualidade tornam-se adultos precoces , pois alm do apelo da mdia, eles vivenciam a violncia, muitas vezes dentro de casa, assimilam para si os problemas urbanos.A sociedade e o meio em que ela vive que vai aos poucos incutindo na criana noes de valores e responsabilidades que so devidas aos pais.Os pais esto sempre ocupados atrs do sustento da casa o que algo muito comum nos dias atuais E as crianas no recebem educao adequada , e sem ter modelos a seguir, elas acabam por sugar tudo o que vem ao seu redor. E isso que dita a formao do seu carter. E todos ns sabemos que esse tipo de educao acaba levando as crianas para o lado ruim da vida, a se perder por caminhos errados e assim a infncia vai se encurtando cada vez mais.Cabe aos pais ensinar o que certo e errado, devemos deixar que brinquem, que se sujem, que corram e no exp-las a um mundo adulto totalmente vulgarizado e capitalista. Para a criana no existe diviso de classes sociais, etnia, religio e preconceitos, crianas apenas crianas sem rtulos ou orgulho. Criana que se preza tem que soltar pipa, rodar pio, jogar bolas de gude, correr de bicicleta, machucar-se subir em rvores, jogar bola, lr revista em quadrinhos, assistir filmes no cinema. Ser criana e no adulto, viver o momento presente sem pensar no futuro.Silene Moreira - Coodenadora Pedaggica6 7. O Educador Dia do ProfessorLugar de crianaAprendemos o que foi dito: Lugar de criana na escola.Quais no so os sofrimentos dessas crianas que vemos sem recursos,foradas a trabalhar? Questionam-se aqueles a que tocam as cenas de to novascriaturas submetendo-se aos esforos do trabalho. Gratos so os dados que notificam oavano da educao no pas, ainda que deficiente.Porm cabe resgatar a velha reflexo, educao se faz somente na escola? Deque tipo de educao falamos? Qual queremos e afinal, o que Escola? Certamentereconhecemos o papel da escola, instituio de ensino, de cultivo do saber, local dedesenvolvimento cultural; para as atuais correntes pedaggicas esta instituio toimportante quanto a famlia, espao para relaes interpessoais, na qual se aprende asocializao, onde o afeto trabalhado em todas as instncias de relacionamentovoltado formao cidad de um sujeito integral. Histrico-scio-culturais,mulheres e homens, nos tornamos seres em quem a curiosidade, ultrapassando oslimites que so peculiares no domnio vital, se torna fundante da produo deconhecimento como