of 48/48
PROCURADORIA GERAL DE JUSTIÇA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO EDITAL Nº 1/2014 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe são conferidas pelo artigo 19, inciso XXIV, da Lei Complementar Estadual nº 85, de 27 de dezembro de 1999, combinado com a Decisão CSMP nº 363/2014. TORNA PÚBLICO que no prazo de 30 (trinta) dias, período de 08 de julho 06 de agosto de 2014, acham-se abertas as inscrições ao Concurso Público para provimento de 9 (nove) cargos de Promotor Substituto e mais os que vagarem durante o prazo de validade do certame, observado o contido no art. 91, “caput”, da Lei Complementar Estadual nº 85, de 27 de dezembro de 1999, reservando-se 5% (cinco por cento) para as pessoas portadoras de deficiência, nos termos da Lei Federal n.º 7.853/89, regulamentada pelo Decreto nº 3.298/99 e Lei Estadual n.º 13.456/2002, bem como dos preceitos da Lei Estadual nº 15.139/2006, além de 10% (dez por cento) delas para afrodescendentes, correspondente a uma, nos termos da Lei Estadual n.º 14.274/2003, dependendo da disponibilidade de recursos orçamentários e financeiros e, especialmente, a observância dos limites estabelecidos para despesas com pessoal pela Lei Complementar Federal nº 101/2000 (Responsabilidade Fiscal). 1. São requisitos para ingresso na carreira: - nacionalidade brasileira; - conclusão de curso de bacharelado em Direito, em estabelecimento oficial de ensino ou como tal reconhecido; - estar em dia com as obrigações eleitorais e, se homem, também com o serviço militar; - gozo dos direitos políticos; - idoneidade moral e inexistência de registro de antecedentes criminais; - ter exercido 03 (três) anos de atividade jurídica; na forma do disposto na Resolução nº 40, de 26 de maio de 2009, do Conselho Nacional do Ministério Público; - aprovação nas provas preambular, escritas e oral, e nos exames de sanidade física e mental. 2. O Concurso obedecerá às prescrições do seu Regulamento, publicado no Diário da Justiça do dia 08/07/2014. Secretaria da Comissão de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cívico, 80.530-230 - Curitiba – PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Página 1

Promotor Substituto MPE-PR

  • View
    120

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edital para concurso público para Promotor Substituto do MPE-PR.

Text of Promotor Substituto MPE-PR

  • 1. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO EDITAL N 1/2014 O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIA DO MINISTRIO PBLICO DO ESTADO DO PARAN, no uso das atribuies que lhe so conferidas pelo artigo 19, inciso XXIV, da Lei Complementar Estadual n 85, de 27 de dezembro de 1999, combinado com a Deciso CSMP n 363/2014. TORNA PBLICO que no prazo de 30 (trinta) dias, perodo de 08 de julho 06 de agosto de 2014, acham-se abertas as inscries ao Concurso Pblico para provimento de 9 (nove) cargos de Promotor Substituto e mais os que vagarem durante o prazo de validade do certame, observado o contido no art. 91, caput, da Lei Complementar Estadual n 85, de 27 de dezembro de 1999, reservando-se 5% (cinco por cento) para as pessoas portadoras de deficincia, nos termos da Lei Federal n. 7.853/89, regulamentada pelo Decreto n 3.298/99 e Lei Estadual n. 13.456/2002, bem como dos preceitos da Lei Estadual n 15.139/2006, alm de 10% (dez por cento) delas para afrodescendentes, correspondente a uma, nos termos da Lei Estadual n. 14.274/2003, dependendo da disponibilidade de recursos oramentrios e financeiros e, especialmente, a observncia dos limites estabelecidos para despesas com pessoal pela Lei Complementar Federal n 101/2000 (Responsabilidade Fiscal). 1. So requisitos para ingresso na carreira: - nacionalidade brasileira; - concluso de curso de bacharelado em Direito, em estabelecimento oficial de ensino ou como tal reconhecido; - estar em dia com as obrigaes eleitorais e, se homem, tambm com o servio militar; - gozo dos direitos polticos; - idoneidade moral e inexistncia de registro de antecedentes criminais; - ter exercido 03 (trs) anos de atividade jurdica; na forma do disposto na Resoluo n 40, de 26 de maio de 2009, do Conselho Nacional do Ministrio Pblico; - aprovao nas provas preambular, escritas e oral, e nos exames de sanidade fsica e mental. 2. O Concurso obedecer s prescries do seu Regulamento, publicado no Dirio da Justia do dia 08/07/2014. Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 1

2. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO 3. O pedido de inscrio preliminar, dirigido ao Presidente da Comisso de Concurso, ser realizado por meio eletrnico, atravs da Internet, no site www.mppr.mp.br. mediante o preenchimento da ficha de inscrio at s 16h00 do ltimo dia do prazo, e o pagamento da taxa de inscrio no valor R$ 200,00 (duzentos reais), paga no mesmo dia, observado o horrio bancrio, atravs de boleto fornecido pelo site no ato da inscrio, devendo ser declarado o seguinte: - nacionalidade brasileira; - ter colado grau ou concludo o curso de Direito em faculdade oficial ou reconhecida; - endereo residencial e para correspondncia, quando no idnticos, e nmeros de telefones para contatos; - de que est em pleno gozo dos direitos civis e polticos, que no possui ttulos protestados, que no consta como ru em aes de despejo por falta de pagamento, execues de qualquer natureza, nem titular de empresa falida ou concordatria, no ter sofrido penalidade grave no exerccio da advocacia ou servio pblico e que est, ou no, indiciado em inqurito policial, administrativo ou disciplinar, bem como processado criminalmente ou condenado por crime ou contraveno penal, sob pena de indeferimento do pedido de inscrio, alm de esclarecimentos pertinentes na hiptese de ocorrer qualquer uma das situaes enunciadas; - se possui deficincia, para se beneficiar da reserva contida na Lei Federal n. 7.853/89, regulamentada pelo Decreto n. 3.298/99 e Lei Estadual n. 13.456/2002, bem como dos preceitos da Lei Estadual n 15.139/2066, mediante o compromisso de apresentar detalhado documento mdico, at dois dias aps o encerramento das inscries, com emisso no superior a 90 (noventa) dias, no qual conste indicao da espcie e do grau ou nvel da deficincia que alega ser portador, com expressa referncia ao cdigo correspondente de Classificao Internacional de Doenas (CID), bem como a provvel causa da deficincia. - sendo afrodescendente, identificar-se como possuidor de fentipo caracterstico da raa ou etnia negra para se beneficiar da reserva contida na Lei Estadual n. 14.274/2003, comprometendo-se a apresentar, no dia de sua entrevista perante a Comisso Especfica, documentos comprobatrios de sua expressa declarao. a. O pedido de inscrio implica na aceitao pelo candidato das normas e condies do certame. b. Apenas sero aceitas as inscries efetuadas no site acima indicado, as quais somente sero processadas aps o recolhimento da taxa de inscrio, no valor fixado no Edital, que dever se dar atravs do pagamento de boleto bancrio. c. O candidato carente de recursos materiais poder requerer comisso de concurso dispensa do pagamento da aludida taxa mediante formalizao de requerimento e da apresentao de declarao de pobreza por ele firmada, no prazo estipulado no cronograma. Se falsa a declarao, o candidato ser excludo do certame, sem prejuzo da responsabilizao penal respectiva. Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 2 3. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO d. A devoluo da quantia referente inscrio preliminar no ser permitida em nenhuma hiptese. e. O pagamento da taxa no implica a aceitao automtica da inscrio, cuja validade depende do deferimento pela Comisso do Concurso, ato este que outorga ao candidato o direito de submeter-se prova preambular. f. No ser admitida a remessa de documento atravs de fax, mensagem e correio virtual ou qualquer outro meio eletrnico. g. O no cumprimento das exigncias estabelecidas no prazo, modo e forma indicadas, importar no indeferimento do pedido de inscrio, com total insubsistncia dos atos at ento praticados ou em qualquer fase do concurso, sem prejuzo das sanes penais aplicveis omisso ou falsa declarao, sujeitando-se, tambm, demisso durante os dois primeiros anos de exerccio efetivo do cargo. h. Decorrido o prazo das inscries e das entrevistas dos candidatos concorrentes s vagas reservadas, ser divulgada pela internet a relao dos candidatos inscritos e que tiveram as suas inscries deferidas, assim como as indeferidas, para impugnaes e revises das inscries, se for o caso, com o prazo de 02 (dois) dias. i. Ocorrendo impugnao, o Presidente da Comisso de Concurso poder determinar diligncias para esclarecer os fatos levados ao seu conhecimento, inclusive ouvindo o candidato e, motivadamente, deferir ou denegar o pedido de inscrio. j. Caber reviso ao Conselho Superior do Ministrio Pblico, no prazo de 02 (dois) dias, a partir da cincia ou publicao. k. A relao nominal dos candidatos com inscrio preliminar deferida ser publicada no site do Ministrio Pblico e em dirio eletrnico oficial. l. O candidato que obtiver deferimento de sua inscrio preliminar dever acessar o site www.mppr.mp.br. e imprimir o comprovante de inscrio. 4. As inscries preliminares e definitivas de pessoas com deficincia ficaro condicionadas possibilidade da realizao das provas em condies que no importem em quebra do sigilo ou da identificao do candidato quando da correo das provas escritas. O candidato dever indicar eventuais condies especiais para realizao das provas. 5. O Concurso compreender a realizao de: - prova preambular; - provas escritas, em um total de cinco, divididas por grupos; - exames de sanidade fsica e mental; - sindicncia; - prova oral; Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 3 4. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO - prova de ttulos. 6. A prova preambular, constituda de um nico caderno de questes objetivas, acompanhado de um carto-resposta, ser corrigida mediante processamento eletrnico de dados. 1 A prova preambular ser formulada mediante a observncia dos seguintes grupos de disciplinas e nmeros de questes: I - GRUPO 1 - 15 (quinze) para Direito Penal, 03 (trs) para Direito Eleitoral e 02 (duas) para Legislao do Ministrio Pblico; II - GRUPO 2 - 11 (onze) para Direito Constitucional, sendo pelo menos duas referentes Constituio do Estado do Paran, 04 (quatro) para Direito Administrativo, 02 (duas) para Direito Tributrio, 01 (uma) para Filosofia do Direito, 01 (uma) para Sociologia Jurdica e 01 (uma) para Direito Previdencirio. III - GRUPO 3 08 (oito) para Direito Civil, 02 (duas) para Direito Comercial e 10 (dez) para Direito Processual Civil; IV - GRUPO 4 - 11 (onze) para Direito Processual Penal, 04 (quatro) para Execuo Penal, 03 (trs) para Direito do Consumidor e 02 (duas) para Direito Sanitrio e Sade do Trabalhador; V - GRUPO 5 (05) cinco para Direito da Infncia e da Juventude, 04 (quatro) para Proteo ao Patrimnio Pblico, 03 (trs) para Direito Ambiental, 03 (trs) para Ao Civil Pblica, Inqurito Civil, Procedimento Preparatrio e Procedimento Investigatrio Criminal, 03 (trs) para Direitos da Pessoa com Deficincia e do Idoso e Direitos Humanos e 02 (duas) para Habitao e Urbanismo. 7. As provas escritas devero conter os seguintes grupos de disciplinas e nmeros mnimos de questes, assim definidos: GRUPO I - 01 (uma) dissertao e 07 (sete) questes discursivas para Direito Penal, 01 (uma) questo discursiva para Direito Eleitoral e 01 (uma) questo discursiva para Legislao do Ministrio Pblico; GRUPO II - 01 (uma) dissertao e 04 (quatro) questes discursivas para Direito Constitucional, sendo pelo menos 01 (uma) referente Constituio do Estado do Paran, 03 (trs) questes discursivas para Direito Administrativo, 01 (uma) questo discursiva para Direito Tributrio e 01 (uma) questo discursiva para Filosofia do Direito ou Sociologia Jurdica; GRUPO III - 01 (uma) dissertao, podendo ser substituda por 01 (uma) pea prtica, 05 (cinco) questes discursivas para Direito Processual Civil, 03 (trs) questes discursivas para Direito Civil e 01 (uma) questo discursiva para Direito Comercial. GRUPO IV - 01 (uma) dissertao, podendo ser substituda por 01 (uma) pea prtica, e 05 (cinco) questes discursivas para Direito Processual Penal, 02 (duas) questes discursivas para Execuo Penal, 01 (uma) questo discursiva para Direito do Consumidor e 01 (uma) questo discursiva para Direito Sanitrio; Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 4 5. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO GRUPO V 01 (uma) pea prtica relativa ao civil pblica, 01 (uma) questo discursiva para inqurito civil, procedimento preparatrio e/ou Procedimento Investigatrio Criminal, alm de 03 (trs) questes discursivas para Infncia e Juventude, 02 (duas) questes discursivas para Proteo ao Patrimnio Pblico, 01 (uma) questo discursiva para Meio Ambiente, 01 (uma) questo discursiva para Direitos da Pessoa com Deficincia e do Idoso e 01 (uma) questo discursiva para Direitos Humanos. 8. A inscrio definitiva ser realizada mediante requerimento dirigido ao Presidente da Comisso de Concurso, na sede da Procuradoria-Geral de Justia, na Rua Marechal Hermes, 751, Centro Cvico, Curitiba PR, instrudo com: - curriculum vitae, contendo discriminao, em formulrio prprio, de todos os locais de domiclio e residncia desde os dezoito anos, indicando todas as atividades profissionais exercidas desde aludida idade, lucrativas ou no, abrangendo as de natureza poltica e as comerciais, especificando as comarcas onde haja exercido a Advocacia, com os nomes, sempre que possvel, dos representantes do Ministrio Pblico e da Magistratura, durante tal perodo; - comprovante de estar no gozo dos direitos polticos e quite com o servio militar, bem como em dia com as obrigaes eleitorais; - especificao pormenorizada dos cargos ocupados e funes pblicas exercidas, assim como o respectivo tempo de servio; - indicao de haver sido, ou no, indiciado em inqurito policial, processado ou condenado em ao penal; - informaes sobre protesto de ttulos em seu nome, insolvncia ou despejo por falta de pagamento ou execuo de qualquer natureza; - existncia ou no de falncia de firma individual ou sociedade comercial ou dissoluo forada de sociedade, em que o candidato tenha exercido cargo de gerncia ou direo; - prova de idoneidade moral atestada por Membro do Ministrio Pblico, da Magistratura ou do Conselho Federal ou Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil; - certides negativas dos distribuidores cveis, criminais, de protestos de ttulos e de execues criminais; - ttulos a que alude o art. 24, do Regulamento do Concurso; - certides negativas da Auditoria Militar da Unio e da Justia Federal, relativas s Circunscries e Sees Judicirias em que teve domiclio e residncia desde os dezoito anos de idade; - certido comprobatria da qualidade de servidor pblico, se for o caso, com especificao pormenorizada dos cargos ou funes pblicas exercidas pelo candidato, bem como o respectivo tempo de servio; Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 5 6. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO - fotocpia ou reproduo semelhante, autenticada, da carteira profissional na parte do registro dos contratos com empresas pblicas ou privadas, comerciais ou civis; - ttulo de bacharel em Direito atravs da apresentao de fotocpia ou de outra reproduo autenticada do diploma respectivo, devidamente registrado; - prova da nacionalidade brasileira a ser procedida por fotocpia ou reproduo semelhante autenticada da cdula de identidade civil fornecida por rgo oficial, no se aceitando outro documento no integrado ao sistema de identificao civil centralizado; - uma fotografia datada de 2014, tamanho 3x4, com trajes adequados para documentos oficiais; - apresentar, no caso de ser portador de deficincia, atestado mdico comprobatrio, com especificao da compatibilidade da deficincia de que portador com o cargo de Promotor Substituto. a. A prova de estar no gozo dos direitos polticos ser feita mediante certido fornecida apenas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado em que o candidato estiver inscrito como eleitor, no a substituindo comprovante do Juzo da Zona Eleitoral. b. As certides negativas, devero ser emitidas nos 30 (trinta) dias anteriores ao incio do prazo da inscrio definitiva. c. Nesta fase no mais se admitir inscrio via internet ou mediante procurao. d. Constituem ttulos para efeito do artigo 24, do Regulamento do Concurso, com expressa comprovao de sua idoneidade, relacionados descritivamente e apresentados sob ndice: - exerccio de cargo na carreira do Ministrio Pblico e Magistratura: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 3,0 (trs vrgula zero); - exerccio da Advocacia, comprovada a inscrio mediante certido da OAB e o seu exerccio atravs de certido cartorria: valor de 0,3 (zero vrgula trs) por ano at o mximo de 1,5 (um vrgula cinco); - exerccio do Magistrio jurdico superior: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 3,0 (trs vrgula zero); - exerccio de cargo ou funo pblica que exija como condio o curso de bacharel em Direito: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 1,5 (um vrgula cinco); - aprovao no exame da Ordem realizado por seccional da OAB, em concurso pblico para o Ministrio Pblico e para a Magistratura ou para cargo pblico que exija como condio o curso de bacharel em Direito, desde que essa qualificao no tenha sido utilizada nos incisos anteriores: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ttulo; - trabalhos jurdicos reveladores de cultura geral do candidato, tais como: livros de autoria exclusiva do candidato, artigo ou trabalho publicado em obra jurdica Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 6 7. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO coletiva ou revista jurdica especializada: valor mximo de 0,5 (zero vrgula cinco) por ttulo; - curso de doutorado ou mestrado na rea jurdica: valor de 3,0 (trs vrgula zero) para o primeiro e 2,0 (dois vrgula zero) para o segundo por ttulo; - curso de ps-graduao em nvel de aperfeioamento ou especializao na rea jurdica, com durao mnima de 360 (trezentos e sessenta) horas/aula e avaliao da aprendizagem: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ttulo; - curso de preparao ao Ministrio Pblico ministrado em Escola da Instituio ou a ela vinculada, com durao mnima de 700 (setecentas) horas/aula, com avaliao da aprendizagem: valor de 2,0 (um vrgula zero) por ttulo; - curso de preparao para a Magistratura, ministrado em Escola Superior com durao mnima de 480 (quatrocentos e oitenta) horas/aula e avaliao da aprendizagem: valor de 1,0 (um vrgula zero) por ttulo. - exerccio da funo de estagirio do Ministrio Pblico do Estado do Paran na rea de Direito, nos ltimos trs anos desse curso, bem como de outros estgios igualmente reconhecidos em lei: o valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 1,0 (um vrgula zero), e. No constituem ttulos: - a simples prova de desempenho de cargos pblicos ou de funes eletivas para as quais no se exija conhecimento especializado em Direito; - trabalho cuja autoria exclusiva do candidato no possa ser apurada; - atestado de capacidade tcnico-jurdica ou de boa conduta profissional; - certificado de concluso de cursos de qualquer natureza, quando a aprovao do candidato resultar de mera freqncia ou que no traduza a carga horria prevista na letra "d" deste tem; - trabalhos forenses, como sentenas, pareceres, razes e contra-razes de recursos, peas de inicial etc. - compilao de doutrina e jurisprudncia sobre assuntos jurdicos. f. A comprovao dos ttulos relacionados pelo candidato deve ser feita atravs de documento considerado hbil pela Comisso de Concurso. g. A dcima parte da pontuao da prova de ttulos alcanada pelo candidato ser somada mdia resultante da soma das mdias da prova oral e das provas escritas, tericas e prticas, que constituir a mdia final de aprovao e de classificao. h. Em caso de empate, ter preferncia o candidato que tiver obtido a melhor mdia na prova preambular. i. Se o empate persistir, aquele que obteve a melhor mdia nas provas escritas. j. Persistindo ainda o empate, sucessivamente, a melhor mdia da prova oral, na de ttulo e o maior tempo de servio pblico estadual e, por fim, aquele que tiver mais idade. Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 7 8. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO 9. No prazo da inscrio definitiva, o candidato encaminhar prova de sanidade fsica e mental atravs de declarao mdica, para o que ser fornecida guia pela Secretaria da Comisso de Concurso, que programar, pela ordem crescente do nmero de inscries, a realizao da inspeo por 02 (dois) mdicos, nos termos do Regulamento. a. Para expedio da aludida declarao mdica, o candidato dever realizar, por primeiro e s suas expensas, os seguintes exames e as avaliaes abaixo discriminados: I Exames: a) hemograma; b) soro lues; c) glicemia, uria e creatinina; d) urina parcial; e) transaminases (TGO TGP) f) gama GT g) colesterol e triglicerdios h) eletrocardiograma e eletroencefalograma II Avaliaes: a) oftalmolgica; b) otorrinolaringolgica; c) neurolgica; d) psiquitrica; e) cardiolgica. b. O candidato que no comparecer inspeo de sade, sem justa causa, ou deixar de faz-la em prazo suplementar eventualmente concedido, ter cancelada a respectiva inscrio. c. Ao candidato inabilitado assegurar-se- acesso concluso indicada pelos 02 (dois) mdicos que realizarem a inspeo mencionada, aplicando-se, no que couber, o disposto nos artigos 16 e 22 e seus pargrafos, do Regulamento. 10. O Corregedor-Geral do Ministrio Pblico sindicar a vida pregressa dos candidatos. 11. A prova oral, de natureza eliminatria, ser aplicada atravs de questionamentos realizados pela Banca Examinadora a respeito das disciplinas destacadas no item 7, sem a fixao de nmeros mnimos de perguntas por Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 8 9. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO disciplina, devendo, quando da divulgao de seu resultado, garantir-se transparncia s notas atribudas aos candidatos. 12. A lista de pontos do concurso constitui-se do Anexo 1 do Regulamento apenso Deciso CSMP n 363/2014. 13. As disciplinas de Direito Previdencirio, Sade do Trabalhador e de Habitao e Urbanismo somente sero objeto de arguio na prova preambular. 14. Em qualquer outra fase do concurso e durante a realizao das provas preambular e escritas, sob pena de excluso do certame, vedado ao candidato: I - comunicar-se com qualquer pessoa ou realizar consulta no permitida (cpia, escuta clandestina ou outra forma ilcita ou fraudulenta); II - ausentar-se do recinto, a no ser acompanhado de servidor da Procuradoria- Geral de Justia especialmente designado; III - entregar a prova alm do limite de tempo fixado sua realizao; IV - desrespeitar Membros da Comisso de Concurso ou da Equipe de Fiscalizao, assim como proceder de forma incompatvel com as normas de civilidade e compostura. 15. Para ser admitido prova preambular do concurso, o candidato dever exibir cdula de identidade civil ou documento equivalente, acompanhada do comprovante da inscrio, devidamente preenchido e assinado, o qual dever ser impresso quando do acesso ao site por ocasio da verificao do deferimento de sua inscrio preliminar, conforme item 3, letra j. Para realizar as provas escritas e oral, o candidato dever exibir documento oficial de identidade civil ou equivalente. 16. Ser eliminado o candidato que no comparecer pontualmente a qualquer prova ou exame, no se admitindo justificativa. 17. A Comisso de Concurso ser composta pelo Procurador-Geral de Justia, que a presidir, e por Membros do Ministrio Pblico e respectivos suplentes, eleitos pelo egrgio Conselho Superior do Ministrio Pblico, devendo a escolha recair paritariamente entre os Procuradores e Promotores de Justia da mais elevada entrncia, alm de um representante da Ordem dos Advogados do Brasil - Seo do Paran, por ela indicado, assim como seu suplente, mediante solicitao do Procurador-Geral de Justia. 18. Informaes adicionais sero prestadas na sede da Procuradoria-Geral de Justia ou atravs do site www.mppr.pr.br Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 9 10. PROCURADORIA GERAL DE JUSTIA CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO 19. O pedido de inscrio, devidamente protocolado, implicar no integral acolhimento por parte do candidato, das presentes instrues e das condies previstas no Regulamento do Concurso. Curitiba, 7 de julho de 2014. Gilberto Giacoia Procurador-Geral de Justia Secretaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 10 11. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO REGULAMENTO DO CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO CAPTULO I DAS DISPOSIES PRELIMINARES Art. 1 Tem o presente a finalidade de disciplinar e regulamentar concurso pblico de provas e ttulos para ingresso na carreira do Ministrio Pblico, no cargo de Promotor Substituto, a ser realizado perante Comisso de Concurso, assegurada a participao da Ordem dos Advogados do Brasil - Seo Paran, devendo o candidato preencher os seguintes requisitos: I ser brasileiro; II ter concludo curso de bacharelado em Direito em estabelecimento de ensino oficial ou como tal reconhecido; III estar em dia com as obrigaes eleitorais e, se homem, com o servio militar; IV gozar dos direitos polticos; V ostentar idoneidade moral e no apresentar antecedentes criminais; VI ser aprovado nas provas preambular, escritas e oral, bem como nos exames de sanidade fsica e mental; VII ter exercido atividade jurdica por no mnimo 3 (trs) anos. Pargrafo nico - Ser considerada como atividade jurdica, desempenhada exclusivamente aps a concluso do curso de bacharelado em Direito, aquela exercida por ocupante de cargo, emprego ou funo, inclusive de magistrio superior, que exija a utilizao preponderante de conhecimentos jurdicos, bem como os cursos de ps-graduao na rea jurdica realizados pelas Escolas do Ministrio Pblico, da Magistratura e da Ordem dos Advogados do Brasil, de natureza pblica, fundacional ou associativa, reconhecidas pelas respectivas instituies e, de igual forma, cursos de ps-graduao reconhecidos pelo Ministrio da Educao, desde que integralmente concludos com aprovao, assim como as demais situaes previstas na Resoluo n 40, de 26 de maio de 2009, do Conselho Nacional do Ministrio Pblico. Art. 2 O Concurso abranger o preenchimento de cargos vagos ou que vagarem at 02 (dois) anos da sua homologao, com aproveitamento dos candidatos que obtiverem aprovao final, e ser realizado em fases sucessivas, na seguinte ordem: I - prova preambular; II - provas escritas, em um total de cinco, divididas por grupos; III - exames de sanidade fsica e mental; IV sindicncia; V - prova oral; VI - prova de ttulos. Art. 3 A prova preambular, constituda de um nico caderno de questes objetivas, acompanhado de um carto-resposta, ser corrigida mediante processamento eletrnico de dados. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 1 12. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 1 A prova preambular ser formulada mediante a observncia dos seguintes grupos de disciplinas e nmeros de questes: I - GRUPO 1 - 15 (quinze) para Direito Penal, 03 (trs) para Direito Eleitoral e 02 (duas) para Legislao do Ministrio Pblico; II - GRUPO 2 - 11 (onze) para Direito Constitucional, sendo pelo menos duas referentes Constituio do Estado do Paran, 04 (quatro) para Direito Administrativo, 02 (duas) para Direito Tributrio, 01 (uma) para Filosofia do Direito, 01 (uma) para Sociologia Jurdica e 01 (uma) para Direito Previdencirio. III - GRUPO 3 08 (oito) para Direito Civil, 02 (duas) para Direito Comercial e 10 (dez) para Direito Processual Civil; IV - GRUPO 4 - 11 (onze) para Direito Processual Penal, 04 (quatro) para Execuo Penal, 03 (trs) para Direito do Consumidor e 02 (duas) para Direito Sanitrio e Sade do Trabalhador; V - GRUPO 5 (05) cinco para Direito da Infncia e da Juventude, 04 (quatro) para Proteo ao Patrimnio Pblico, 03 (trs) para Direito Ambiental, 03 (trs) para Ao Civil Pblica, Inqurito Civil, Procedimento Preparatrio e Procedimento Investigatrio Criminal, 03 (trs) para Direitos da Pessoa com Deficincia e do Idoso e Direitos Humanos e 02 (duas) para Habitao e Urbanismo. 2 As provas escritas devero conter os seguintes grupos de disciplinas e nmeros mnimos de questes, assim definidos: GRUPO I - 01 (uma) dissertao e 07 (sete) questes discursivas para Direito Penal, 01 (uma) questo discursiva para Direito Eleitoral e 01 (uma) questo discursiva para Legislao do Ministrio Pblico; GRUPO II - 01 (uma) dissertao e 04 (quatro) questes discursivas para Direito Constitucional, sendo pelo menos 01 (uma) referente Constituio do Estado do Paran, 03 (trs) questes discursivas para Direito Administrativo, 01 (uma) questo discursiva para Direito Tributrio e 01 (uma) questo discursiva para Filosofia do Direito ou Sociologia Jurdica; GRUPO III - 01 (uma) dissertao, podendo ser substituda por 01 (uma) pea prtica, 05 (cinco) questes discursivas para Direito Processual Civil, 03 (trs) questes discursivas para Direito Civil e 01 (uma) questo discursiva para Direito comercial. GRUPO IV - 01 (uma) dissertao, podendo ser substituda por 01 (uma) pea prtica, 05 (cinco) questes discursivas para Direito Processual Penal, 02 (duas) questes discursivas para Execuo Penal, 01 (uma) questo discursiva para Direito do Consumidor e 01 (uma) questo discursiva para Direito Sanitrio; GRUPO V 01 (uma) pea prtica relativa ao civil pblica, 01 (uma) questo discursiva para inqurito civil, procedimento preparatrio e/ou Procedimento Investigatrio Criminal, alm de 03 (trs) questes discursivas para Infncia e Juventude, 02 (duas) questes discursivas para Proteo ao Patrimnio Pblico, 01 (uma) questo discursiva para Meio Ambiente, 01 (uma) questo discursiva para Direitos da Pessoa com Deficincia e do Idoso e 01 (uma) questo discursiva para Direitos Humanos. 3 A Lista de Pontos do concurso corresponde ao Apndice "1", deste Regulamento. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 2 13. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 4 As disciplinas de Direito Previdencirio, Sade do Trabalhador e de Habitao e Urbanismo somente sero objeto de arguio na prova preambular. 5 Para ser admitido prova preambular do concurso, o candidato dever exibir cdula de identidade civil ou documento equivalente, acompanhada do comprovante de inscrio, devidamente preenchido e assinado, o qual dever ser impresso quando do acesso ao site por ocasio da verificao do deferimento de sua inscrio preliminar. 6 Para realizar as provas escritas e oral, o candidato dever exibir documento oficial de identidade civil ou equivalente. 7 Ser eliminado o candidato que no comparecer pontualmente a qualquer prova ou exame, no se admitindo justificativa. Art. 4 Em qualquer outra fase do concurso e durante a realizao das provas preambular e escritas, sob pena de excluso do certame, vedado ao candidato: I - comunicar-se com qualquer pessoa ou realizar consulta no permitida (cpia, escuta clandestina ou outra forma ilcita ou fraudulenta); II - ausentar-se do recinto, a no ser quando acompanhado de servidor do Ministrio Pblico do Estado do Paran especialmente designado; III - entregar a prova alm do limite de tempo fixado para sua realizao; IV - desrespeitar Membros da Comisso de Concurso ou da Equipe de Fiscalizao, assim como proceder de forma incompatvel com as normas de civilidade e compostura. 1 A ocorrncia de qualquer dos fatos indicados nos incisos deste artigo ser consignada, na hiptese da prova preambular, em relatrio ou no prprio papel da prova escrita, com apreenso dos elementos de evidncia material, se for o caso. 2 Quando da ocorrncia no resultar evidncia material, sero os fatos consignados no relatrio respectivo, se verificados durante a realizao de provas, ou em ata de reunio da Comisso de Concurso, se verificados em qualquer outra fase do concurso. 3 No curso das provas os Membros da Comisso de Concurso mantero inspeo e controle contnuos, devendo o Procurador-Geral de Justia designar membros do Ministrio Pblico e o Subprocurador-Geral para Assuntos Administrativos, da mesma forma, servidores da Procuradoria-Geral de Justia, para o exerccio da fiscalizao. 4 Devero permanecer nas respectivas salas no mnimo trs candidatos, at que a ltima prova seja entregue. 5 vedado, a qualquer ttulo, o arredondamento de notas e mdias, inclusive da mdia final. CAPTULO II DA COMISSO DE CONCURSO Art. 5 A Comisso de Concurso ser composta pelo Procurador-Geral, que a presidir, e por Membros do Ministrio Pblico e respectivos suplentes, eleitos pelo egrgio Conselho Superior do Ministrio Pblico, devendo a escolha recair paritariamente entre Procuradores e Promotores de Justia da mais elevada Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 3 14. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO entrncia, bem como por um representante da Ordem dos Advogados do Brasil - Seo Paran, e seu suplente, ambos por ela indicados, mediante solicitao do Procurador-Geral ou Subprocurador-Geral de Justia. 1 O Procurador-Geral, a seu critrio, havendo necessidade, poder designar outros Procuradores de Justia para substitu-lo em qualquer das fases do concurso, sem prejuzo de sua presidncia. 2 Designar, tambm, para servir como Secretrio e seu suplente, membros efetivos do Ministrio Pblico, competindo-lhes prestar assistncia Comisso de Concurso. Art. 6 A Comisso de Concurso contar com uma Secretaria de Apoio Administrativo, de carter transitrio, cuja incumbncia ser assessorar a Comisso de Concurso e zelar pelos documentos pertinentes ao certame. 1 O quadro de pessoal responsvel pelos trabalhos da Secretaria ser constitudo de servidores designados por ato do Procurador-Geral de Justia. 2 A Secretaria ter um coordenador a quem caber supervisionar, orientar e organizar os trabalhos para garantir o bom andamento do certame, assim como o cumprimento do calendrio das atividades. Art. 7 Alm dos atos preparatrios, inclusive confeco do calendrio respectivo, compete Comisso de Concurso a elaborao, reproduo, aplicao, correo, absoluto controle das provas quanto ao sigilo, processamento, exame e deliberao a respeito dos pedidos de reviso, bem como adotar as providncias relativas organizao e realizao do certame contando, para isso, com o apoio do Centro de Estudos e Aperfeioamento Funcional. Art. 8 As decises da Comisso de Concurso sero tomadas por maioria dos votos de seus integrantes, tendo o Presidente voto de membro e de desempate. Pargrafo nico. Os membros da Comisso sero substitudos, nas faltas, impedimentos ou afastamento definitivo, pelos respectivos suplentes, por convocao do Presidente. Art. 9 O Secretrio da Comisso de Concurso lavrar ata das decises e de todos os atos praticados, sendo tambm responsvel pela imprescindvel publicidade, mantendo sob sua guarda a documentao relativa ao concurso e, mediante despacho do Presidente, remet-la- ao arquivo do Departamento de Gesto de Pessoas - DGP, aps encerramento do concurso. Pargrafo nico. Findo o prazo de validade do concurso, a documentao pertinente ao certame poder ser incinerada. CAPTULO III DA INSCRIO PRELIMINAR Art. 10 O edital de abertura do concurso, publicado por 03 (trs) vezes consecutivas no Dirio Oficial Eletrnico do Estado, fixar prazo no inferior a trinta dias, contados da primeira publicao para o pedido de inscrio preliminar e Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 4 15. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO dever conter o nmero de cargos vagos de Promotor Substituto, informando a reserva de 5% (cinco por cento), para as pessoas portadoras de deficincia, nos termos da Lei Federal n 7.853/89, regulamentada pelo Decreto n 3.298/99 e Lei Estadual n 13.456/2002, bem como nos preceitos da Lei Estadual n 15.139/2006, e, a reserva de 10% (dez por cento), para os afrodescendentes, nos termos da Lei Estadual n 14.274/2003, as condies de inscrio preliminar, os requisitos para o provimento dos cargos, as disciplinas em grupos sobre as quais versaro as provas preambular, escritas e oral, bem como os ttulos que o candidato poder apresentar, os respectivos critrios de valorao e outros esclarecimentos julgados teis aos concorrentes do certame. Pargrafo nico. O edital ser, ainda, publicado por duas vezes, por extrato, em jornal dirio da Capital, com ampla circulao. Art. 11. O pedido de inscrio preliminar, dirigido ao Presidente da Comisso de Concurso, ser realizado por meio eletrnico, atravs da Internet, no site www.mppr.mp.br, mediante o preenchimento da ficha de inscrio e o pagamento da respectiva taxa, devendo declarar o seguinte: I ser portador de nacionalidade brasileira; II - ter colado grau ou concludo o curso de Direito em faculdade oficial ou reconhecida; III - endereo residencial e para correspondncia, quando no idnticos, inclusive eletrnico, e nmeros de telefones para contatos; IV - estar em pleno gozo dos direitos civis e polticos, no possuir ttulos protestados, no constar como ru em ao de despejo por falta de pagamento, execuo de qualquer natureza, nem ser titular de empresa falida, concordatria ou em recuperao judicial ou extrajudicial, no ter sofrido penalidade grave no exerccio da advocacia ou servio pblico e que est, ou no, indiciado em inqurito policial, administrativo ou disciplinar, bem como processado criminalmente ou condenado por crime ou contraveno penal, sob pena de indeferimento do pedido de inscrio, alm de esclarecimentos pertinentes na hiptese de ocorrer qualquer uma das situaes enunciadas; V - se portador de deficincia, qual a natureza e o grau de deficincia que apresenta, para se beneficiar da reserva contida na Lei Federal n 7.853/89, regulamentada pelo Decreto n 3.298/99 e Lei Estadual n 13.456/2002, bem como do disposto na Lei Estadual n 15.139/2006; VI - se afrodescendente, identificando-se com fentipo caracterstico da raa ou etnia negra, para se beneficiar da reserva contida na Lei Estadual n 14.274/2003. 1 Apenas sero aceitas as inscries efetuadas no site acima indicado, as quais somente sero processadas aps o recolhimento da taxa de inscrio, em valor fixado no Edital. 2 O candidato carente de recursos materiais poder requerer comisso de concurso dispensa do pagamento da aludida taxa mediante formalizao de requerimento e da apresentao de declarao de pobreza por ele firmada, a serem apresentados na Secretaria de Concurso situada na Rua Marechal Herrmes, n 751, Centro Cvico, Curitiba-PR, no prazo estipulado no cronograma. Se falsa a Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 5 16. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO declarao, o candidato ser excludo do certame, sem prejuzo da responsabilizao penal respectiva. 3 A deciso acerca dos pedidos de iseno da taxa de inscrio ser publicada, no stio eletrnico do Ministrio Pblico do Estado do Paran, conforme prazo estipulado no calendrio. 4 Em nenhuma hiptese ser devolvida a quantia referida no pargrafo anterior. 5 O pagamento da taxa exigida ou a apresentao do requerimento de iseno no acarreta a aceitao automtica da inscrio, cuja validade ou aceitao depende do deferimento pela Comisso do Concurso, ato este que outorga ao candidato o direito de submeter-se prova preambular. 6 O no cumprimento das exigncias estabelecidas neste artigo, no prazo, modo e forma estabelecidos, importar no indeferimento do pedido de inscrio, com total insubsistncia dos atos at ento praticados ou em qualquer fase do concurso, sem prejuzo das sanes penais aplicveis omisso ou falsa declarao, sujeitando-se, tambm, demisso durante os dois primeiros anos de exerccio efetivo do cargo. 7. Os candidatos que se identificarem como afrodescendentes ou pessoas com deficincia devero comparecer perante comisses especficas, a fim de restar avaliado se preenchem os requisitos necessrios para a adequao a uma dessas condies e, assim, estarem autorizados a concorrerem reserva de vagas a que alude o art. 10 deste Regulamento, o que dever ser feito antes da prova preambular, nas datas definidas no calendrio a ser confeccionado pela Comisso de Concurso. 8. Na hiptese da Comisso Especfica concluir pela impossibilidade do candidato ser beneficiado com a reserva de vagas, ser-lhe- permitido prosseguir no certame nas condies ordinrias (sem reserva), salvo se for detectada m f, hiptese que implicar na sua eliminao do concurso e na adoo das providncias cabveis, tendentes a responsabiliz-lo, inclusive no mbito criminal. 9. O candidato que no comparecer perante as comisses especficas no ser admitido como concorrente beneficirio da reserva de vagas. Art. 12. Decorrido o prazo das inscries e das entrevistas dos candidatos concorrentes s vagas reservadas, ser divulgada pela internet e publicado no Dirio Oficial Eletrnico a relao dos candidatos inscritos e que tiveram suas inscries deferidas ou indeferidas, sendo que o candidato que obtiver deferimento dever acessar o site www.mppr.mp.br e imprimir o comprovante de inscrio. 1. Do indeferimento da inscrio preliminar caber recurso ao Conselho Superior do Ministrio Pblico, no prazo de 2 (dois) dias, contados da publicao a que alude o caput deste artigo, que poder determinar diligncias, inclusive ouvir o candidato, e, motivadamente, dar provimento ou no ao recurso. 2 Julgados todos os recursos, a relao final nominal dos candidatos com inscrio preliminar deferida ser publicada no Dirio Oficial Eletrnico, oportunidade em que ser divulgado o local da realizao da prova preambular. CAPTULO IV DA PROVA PREAMBULAR Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 6 17. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Art. 13. A prova preambular, com a finalidade de selecionar os 120 (cento e vinte) primeiros candidatos que obtiverem nota mnima 60 (sessenta) a serem admitidos s fases subseqentes do concurso, ter a durao mxima de 05 (cinco) horas, constando de 100 (cem) questes objetivas de pronta resposta e apurao padronizada pela Comisso de Concurso, contendo cada questo 05 (cinco) alternativas, nela no se admitindo qualquer espcie de consulta. Cada questo ter o valor unitrio de 1,0 (um) ponto. 1 Os candidatos devero comparecer munidos de caneta esferogrfica preta ou azul. 2 Os candidatos empatados na centsima vigsima nota da classificao sero admitidos s provas escritas, ainda que ultrapassem o limite previsto neste artigo. 3 Ser eliminado o candidato que obtiver nota inferior a 60 (sessenta), inclusive os afrodescendentes e as pessoas com deficincia. 4 Os candidatos com deficincia concorrero seleo das 120 (cento e vinte) primeiras notas a que alude o caput deste artigo. Somente ser utilizada a cota reservada de 5% (cinco por cento), caso o nmero de candidatos com deficincia classificados entre as 120 (cento e vinte) melhores notas for inferior a 6 (seis), o que implicar na aprovao adicional de candidatos suficientes a completar tal nmero (seis), sendo admitidos nova fase, nesta hiptese, todos os candidatos empatados na sexta melhor nota entre os portadores de deficincia. 5. Os candidatos afrodescendentes concorrero seleo das 120 (cento e vinte) primeiras notas a que alude o caput deste artigo. Somente ser utilizada a cota reservada de 10% (dez por cento) quando o nmero de candidatos afrodescendentes classificados entre as 120 (cento e vinte) melhores notas for inferior a 12 (doze), o que implicar na aprovao adicional de candidatos suficientes a completar tal nmero (doze), sendo admitidos nova fase, nesta hiptese, todos os candidatos empatados na dcima segunda melhor nota entre os afrodescendentes. Art. 14. A prova preambular ser elaborada pela Comisso de Concurso, devendo os membros Examinadores fornecer separadamente as questes com antecedncia mnima de 07 (sete) dias, para fins de padronizao e reproduo, guardando-se sempre o imprescindvel sigilo. Pargrafo nico. Antes da verso definitiva da prova, os membros Examinadores da Comisso de Concurso tero vista das questes que produziram, para fins de correo. Art. 15. Aplicada a prova preambular, os cartes-resposta sero devidamente acondicionados em recipiente apropriado, que ser lacrado perante todos os integrantes da Comisso de Concurso, que lanaro suas assinaturas no invlucro selado e que apenas ser aberto perante os mesmos integrantes da Comisso, aps a constatao de que o receptculo no sofreu qualquer violao, e em momento imediatamente posterior divulgao do gabarito oficial definitivo a que se refere o 4 do artigo seguinte, para a realizao da correo eletrnica. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 7 18. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Pargrafo nico. O candidato dever entregar o caderno de prova, que no ser devolvido, juntamente com o carto resposta. Exemplar da prova estar disponvel na internet to logo possvel, aps recolhidos todos os cartes-respostas. Art. 16. O gabarito da prova preambular dever ser divulgado pela Comisso de Concurso, atravs de meio eletrnico no site www.mppr.mp.br, no dia imediatamente seguinte sua realizao, facultando-se aos candidatos, a partir da divulgao, interporem petio de reviso, no prazo de 48 (quarenta e oito horas), com as devidas razes, dirigida ao Presidente da Comisso de Concurso, por grupo de disciplinas a que aludem os incisos I a V, do 1., do art. 3, deste Regulamento, com o registro obrigatrio das questes impugnadas, a serem, apresentadas na Secretaria de Concurso situada na Rua Marechal Herrmes, n 751, Centro Cvico, Curitiba-PR. 1 As razes de reviso devero conter obrigatoriamente breve relato, motivao e parte dispositiva, sob pena de no conhecimento. 2 A Comisso de Concurso, 7 (sete) dias aps o trmino do prazo revisional fixado no caput, responder de forma objetiva e motivada s revises propostas, divulgando gabarito provisrio. 3 Da divulgao do gabarito provisrio, inicia-se o prazo de 24 (vinte e quatro) horas para pedido de reviso das alteraes eventualmente ocorridas. 4 Aps 24 (vinte e quatro) horas do trmino do prazo fixado no pargrafo anterior, a Comisso de Concurso responder de forma objetiva e motivada s revises propostas, divulgando gabarito oficial definitivo, do qual no caber recurso. Art. 17. Apurados os resultados da prova preambular e identificados os candidatos classificados, o Presidente da Comisso de Concurso far publicar a relao dos habilitados a participar da segunda fase do Concurso, no mais se admitindo, nesta oportunidade, pedidos de reviso da prova ou de qualquer de suas questes. 1 Em ocorrendo aprovao adicional a que aludem os pargrafos 4 e 5, do artigo 13 deste Regulamento, os respectivos candidatos sero includos na classificao geral, de acordo com suas notas, com a indicao de que foram aprovados em cumprimento a tais dispositivos. 2 As mdias da prova preambular sero levadas em conta apenas para o desempate a que alude o art. 42, 2. CAPTULO V DAS PROVAS ESCRITAS Art. 18. Cada uma das 05 (cinco) provas escritas ter a durao de 05 (cinco) horas, improrrogveis, realizando-se a segunda no dia seguinte ao marcado para a primeira e assim sucessivamente. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 8 19. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Art. 19. Nas provas escritas tericas os candidatos podero consultar legislao, podendo conter to somente texto sublinhado ou destacado com caneta marca- texto e desacompanhada de quaisquer anotaes, comentrios, smula ou jurisprudncia. 1 O material de consulta dever ser, pessoalmente, por procurador devidamente constitudo ou via Correios (preferencialmente por SEDEX e com A.R.), entregue Secretaria da Comisso de Concurso, situada na Rua Marechal Hermes, n 751, Centro Cvico, Curitiba PR, a fim de ser submetido inspeo prvia e depositado em local a ser estabelecido, com prazo de at 05 (cinco) dias de antecedncia do incio das provas e devolvido no ltimo dia aps o trmino das avaliaes. 2 Quando enviado atravs dos Correios, o Ministrio Pblico do Estado do Paran no se responsabilizar pelo eventual extravio, deteriorao ou intempestividade de chegada do material remetido. 3 O candidato dever colocar o material de consulta em bolsa ou mala resistentes, com slida e irremovvel identificao, contendo, tambm, relao nominal em duas vias, permanecendo uma delas com a Comisso de Concurso e a outra, devidamente vistada, ser devolvida como comprovante do recebimento. 4 Na redao das provas escritas o candidato dever usar caneta de tinta indelvel azul ou preta. Art. 20. Na correo das provas escritas levar-se- em conta o saber jurdico, o conhecimento da lngua portuguesa, a capacidade de exposio do pensamento, o poder de argumentao e de convencimento do candidato. Art. 21. As provas, que devero respeitar o contedo previsto no artigo 3, 2, deste Regulamento, elaboradas em papel oficial pelos Examinadores da Comisso de Concurso, sero obrigatoriamente entregues com antecedncia mnima de 04 (quatro) dias para reproduo e montagem do respectivo caderno de provas. 1 Na hiptese da parte final do "caput" deste artigo e antecedendo a verso definitiva da prova, os Examinadores tero vista da transcrio das questes que produziram, para fins de correo. 2 As respostas sero redigidas pelos candidatos no Caderno de Prova, o qual conter a prova respectiva e o espao reservado com o limite mximo de linhas prefixado para a elaborao da dissertao ou pea prtica e das respostas s questes discursivas, sob pena de no conhecimento. O Caderno de Prova, com expressa indicao em cada questo de seu valor, ser rubricado por membros da Comisso de Concurso e, ao final, entregue correo dos respectivos Examinadores. 3 Aps o recolhimento junto aos fiscais de sala (aplicadores), os cadernos de prova sero codificados pela Comisso de Concurso, atribuindo-se-lhes um nmero que ser repetido na parte destacvel da papeleta grampeada prova, na qual constar, devidamente registrado pelo candidato, o nome, o nmero da inscrio e assinatura, de modo que seja vedada a sua identificao a partir do momento da entrega ao Examinador para correo at a fase do lanamento das notas, a ser feito na presena de todos os membros da referida Comisso. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 9 20. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 4 O nmero lanado na prova, repetido na parte destacvel da papeleta, obedecer sequncia numrica e esta ltima (parte destacvel) dever ser colocada em envelope opaco, devidamente lacrado e rubricado por membros da Comisso de Concurso. A seguir, o Presidente da Comisso providenciar a guarda do envelope e s permitir sua abertura na presena dos demais membros quando do lanamento das notas. 5 vedado ao examinador lanar na prova qualquer observao, nota explicativa ou cota interlinear. 6 Em relao a cada prova escrita ser atribuda uma nota graduada de zero (0) a dez (10). 7 Somente ser admitido prova oral o candidato, concorrente s vagas reservadas ou no, que obtiver nota mnima de 5,0 (cinco) por grupo de disciplinas e mdia final igual ou superior a 6,0 (seis) pontos. Art. 22. Lanadas as notas e apurados os resultados das 05 (cinco) provas escritas, o Presidente da Comisso do Concurso far publicar a relao dos candidatos aprovados. 1 O candidato ter o prazo de 02 (dois) dias teis, aps a publicao dos resultados no Dirio Oficial Eletrnico, para requerer cpia digitalizada do Caderno de Prova junto Secretaria da Comisso de Concurso, cabendo Secretaria da Comisso de Concurso fornec-las no prazo de 72 (setenta e duas) horas. 2 Na hiptese de reviso de prova escrita, no espao de 02 (dois) dias teis, contado a partir de vencido o prazo assinalado no pargrafo anterior, o candidato poder requerer reviso das notas conferidas, em separado e por grupo de disciplinas. 3 Os pedidos de reviso obrigatoriamente contero relatrio, motivao e, na parte dispositiva, deve o candidato requerente indicar o valor que pretende ver atribudo questo impugnada, sob pena de no conhecimento, inadmitindo-se reviso da deciso da Comisso de Concurso. 4 Decididos os pedidos de reviso, o Presidente da Comisso de Concurso far publicar a relao dos aprovados no Dirio Oficial Eletrnico e na Internet, que conter, tambm, convocao dos candidatos para a prova oral. CAPTULO VI DA INSCRIO DEFINITIVA Art. 23. Encerradas as provas escritas e publicada no Dirio da Justia do Estado a relao a que alude o artigo anterior, os candidatos, no prazo de 20 (vinte) dias corridos, ininterruptamente, devero formalizar inscrio definitiva, mediante requerimento dirigido ao Presidente da Comisso, instrudo com: I - curriculum vitae, contendo discriminao em formulrio prprio de todos os locais de seu domiclio e residncia, desde os dezoito anos, indicando todas as atividades profissionais que exerceu a partir daquela idade, lucrativas ou no, abrangendo as de natureza poltica e as comerciais, especificando as comarcas onde haja exercido a Advocacia, com os nomes, sempre que possvel, dos Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 10 21. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO representantes do Ministrio Pblico e da Magistratura durante tal perodo, procedendo descrio pormenorizada dos ttulos que possuir; II - especificao detalhada dos cargos pblicos e/ou funes pblicas exercidos e o respectivo tempo de servio; III - indicao de haver sido ou no indiciado em inqurito policial, figurar ou no como investigado em procedimento investigatrio instaurado no mbito do Ministrio Pblico, processado ou condenado em ao penal; IV - informaes sobre protesto de ttulos em seu nome, insolvncia ou despejo por falta de pagamento ou execuo de qualquer natureza; V - existncia ou no de falncia de firma individual ou sociedade comercial ou dissoluo forada de sociedade, em que o candidato tenha exercido cargo de gerncia ou direo; VI - comprovante de estar no gozo dos direitos polticos e quite com o servio militar, bem como em dia com as obrigaes eleitorais; VII - prova de idoneidade moral atestada por Membro do Ministrio Pblico, da Magistratura ou do Conselho Federal ou Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil; VIII - certides negativas dos distribuidores cveis, criminais, execues criminais, protestos de ttulos e da junta comercial; IX - certides negativas da Auditoria Militar da Unio e da Justia Federal, relativa s Circunscries e Sees Judicirias em que teve domiclio e residncia desde os dezoito anos de idade; X - certido comprobatria da qualidade de servidor pblico, sendo o caso, com especificao pormenorizada dos cargos ou funes pblicas exercidas pelo candidato, bem como o respectivo tempo de servio; XI - fotocpia ou reproduo semelhante, autenticada, da carteira de trabalho e previdncia social na parte do registro dos contratos com empresas pblicas ou privadas, comerciais ou civis; XII - o ttulo de bacharel em Direito ser comprovado com a apresentao de fotocpia ou de outra reproduo autenticada do diploma, devidamente registrado. XIII - a prova da nacionalidade brasileira dever ser feita por fotocpia ou reproduo semelhante autenticada da cdula de identidade civil fornecida por rgo oficial, no se aceitando outro documento no integrado ao sistema de identificao civil centralizado; XIV uma fotografia, datada de 2014, tamanho 3x4, tirada com trajes adequados para documentos oficiais; XV - ttulos a que alude o art. 24, deste Regulamento. 1 As informaes dos itens II ao V, VII e XV devero ser preenchidas no curriculum vitae, conforme item I. 2 A prova de estar no gozo dos direitos polticos ser feita mediante certido fornecida apenas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Estado em que o candidato estiver inscrito como eleitor, no a substituindo comprovante do Juzo da Zona Eleitoral. 3 Os documentos referidos nos itens VIII a X devero ser emitidos nos 30 (trinta) dias anteriores ao incio do prazo de inscrio definitiva. 4 Nesta fase no mais se admitir inscrio via internet ou mediante procurao. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 11 22. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Art. 24. Constituem ttulos para efeitos deste Regulamento, certides emitidas pelos rgos respectivos comprobatrias das seguintes atividades e que sero pontuadas nas seguintes propores.: I - exerccio de cargo na carreira do Ministrio Pblico e Magistratura: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 3,0 (trs vrgula zero); II - exerccio da Advocacia: valor de 0,3 (zero vrgula trs) por ano at o mximo de 1,5 (um vrgula cinco); III - exerccio do magistrio jurdico superior: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 3,0 (trs vrgula zero); IV - exerccio de cargo ou funo pblica, que exija como condio o curso de bacharel em Direito: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 1,5 (um vrgula cinco); V aprovao no exame de ordem realizado por seccional da OAB, em concurso pblico para o Ministrio Pblico e Magistratura ou para cargo pblico que exija como condio o curso de bacharel em Direito, desde que essa qualificao no tenha sido utilizada nos incisos anteriores: valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ttulo; VI trabalhos jurdicos reveladores de cultura geral do candidato, tais como: livros de autoria exclusiva do candidato, artigo ou trabalho publicado em obra jurdica coletiva ou revista jurdica especializada, valor mximo de 0,5 (zero vrgula cinco) por ttulo; VII - curso de doutorado ou mestrado na rea jurdica: valor de 3,0 (trs vrgula zero) para o primeiro e 2,0 (dois vrgula zero) para o segundo por ttulo; VIII curso de ps-graduao em nvel de aperfeioamento ou especializao na rea jurdica, com durao mnima de 360 (trezentos e sessenta) horas/aula e avaliao da aprendizagem: valor de 0,5 (zero vrgula cinco); IX - curso de preparao ao Ministrio Pblico ministrado em Escola da Instituio ou a ela vinculada, com durao mnima de 700 (setecentas) horas/aula, com avaliao da aprendizagem: valor de 2,0 (dois vrgula zero) por ttulo; X - curso de preparao para a Magistratura, ministrado em Escola Superior com durao mnima de 480 (quatrocentos e oitenta) horas/aula e avaliao da aprendizagem: valor de 1,0 (um vrgula zero) por ttulo; XI - exerccio da funo de estagirio do Ministrio Pblico do Estado do Paran na rea de Direito, nos ltimos trs anos desse curso, bem como de outros estgios igualmente reconhecidos em lei; o valor de 0,5 (zero vrgula cinco) por ano at o mximo de 1,0 (um vrgula zero). 1 O rol de ttulos enumerados nos incisos anteriores exaustivo. 2 No constituem ttulos: I - a simples prova de desempenho de cargos ou funes pblicas para as quais no se exija conhecimento especializado em Direito; II - trabalho cuja autoria exclusiva do candidato no possa ser apurada; III - atestado de capacidade tcnico-jurdica ou de boa conduta profissional; IV - certificado de concluso de cursos de qualquer natureza, ou quando a aprovao do candidato resultar de mera freqncia ou que no traduza a carga horria prevista nos incisos IX, X e XI, deste artigo; Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 12 23. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO V - trabalhos forenses, tais como, sentenas, pareceres, razes e contra-razes de recursos, peas de petio, etc. VI - compilao de doutrina ou jurisprudncia sobre assuntos jurdicos. 3 A comprovao dos ttulos relacionados pelo candidato deve ser feita atravs de documento considerado hbil pela Comisso de Concurso. Art. 25. Os pedidos de inscrio definitiva sero examinados pela Comisso de Concurso e encaminhados ao Corregedor-Geral do Ministrio Pblico, para sindicncia e, depois remetidos ao Conselho Superior do Ministrio Pblico, que apreciar o mrito dos pedidos de inscries definitivas em conjunto com o Relatrio da Sindicncia encaminhado pelo Corregedor-Geral do Ministrio Pblico e com os Laudos de Sanidade Fsica e Mental dos candidatos, cujas peas so pressupostos para o conhecimento e exame de tais inscries. Pargrafo nico. Aplica-se no que couber o disposto no 6, do artigo 11, deste Regulamento. CAPTULO VII DOS EXAMES DE SANIDADE FSICA E MENTAL Art. 26. No prazo da inscrio definitiva, o candidato providenciar prova de sua sanidade fsica e mental, atravs de declarao mdica fornecida por especialista dos ramos da psiquiatria ou da neurologia. Art. 27. Para a expedio da declarao a que se refere o artigo anterior, o candidato dever realizar, por primeiro e s suas expensas, os seguintes exames e as avaliaes abaixo discriminados: I Exames: a) hemograma; b) soro lues; c) glicemia, uria e creatinina; d) urina parcial; e) transaminases (TGO TGP); f) gama GT; g) colesterol e triglicerdios; h) eletrocardiograma e eletroencefalograma. II Avaliaes: a) oftalmolgica; b) otorrinolaringolgica; c) neurolgica; d) psiquitrica; e) cardiolgica. Art. 28. Elaborada a declarao referida no caput do artigo 26, a Secretaria da Comisso de Concurso ficar incumbida de agendar inspeo a ser realizada por 02 (dois) mdicos indicados pelo Ministrio Pblico, os quais apresentaro Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 13 24. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO indicativos acerca da aptido, ou no, do candidato ao exerccio das atribuies de membro da Instituio. Art. 29. O candidato que no comparecer, sem justa causa, inspeo de sade, ou deixar de faz-la no prazo suplementar eventualmente concedido, ter cancelada a respectiva inscrio. Art. 30. Ao candidato inabilitado assegurar-se- acesso concluso indicada na inspeo mencionada, aplicando-se, no que couber, o disposto nos artigos 16 e 22, e seus pargrafos, deste Regulamento. CAPTULO VIII DA SINDICNCIA Art. 31. Decorrido o prazo do art. 23 deste Regulamento, as inscries preliminares dos aprovados na prova objetiva e cpias dos pedidos de inscrio definitiva sero encaminhadas Corregedoria-Geral do Ministrio Pblico, a qual sindicar a vida pregressa e atual, para comprovao da idoneidade moral e conduta dos candidatos, tendo em vista os requisitos dos artigos 10 e 23, deste Regulamento. Pargrafo nico. Ser excludo, mesmo depois de homologado o resultado final do concurso, o candidato a cujo respeito se verificar imputao de fato que o desabone no requisito idoneidade moral ou que, por outro motivo, no preencha as condies exigidas para as inscries preliminar e definitiva. Art. 32. Da sindicncia efetuada, o Corregedor-Geral do Ministrio Pblico apresentar, de acordo com o prazo fixado pela Comisso de Concurso, Relatrio reservado ao Conselho Superior do Ministrio Pblico que, motivadamente, decidir sobre o deferimento das inscries definitivas, tambm vista do Relatrio do Presidente da Comisso de Concurso, a respeito do cumprimento das exigncias elencadas no artigo 23, deste Regulamento, e dos Laudos de Sanidade Fsica e Mental dos candidatos. Pargrafo nico. Ser publicada no Dirio Oficial Eletrnico do Estado, bem como no stio eletrnico do MPPR na internet, a relao nominal dos candidatos que tiverem suas inscries deferidas. Art. 33. A Comisso de Concurso poder realizar entrevista pessoal e reservada com candidatos, para esclarecimento de fatos e orientar a deciso sobre o deferimento ou no da inscrio definitiva, admitindo-se a participao dos Membros do Conselho Superior do Ministrio Pblico. 1 Qualquer candidato poder ter sua inscrio indeferida pelo Conselho Superior do Ministrio Pblico, em deciso fundamentada, por inidoneidade pessoal ou profissional, ou por inadequao de personalidade para assuno das responsabilidades inerentes s funes do Ministrio Pblico. 2 A deciso fundamentada deve ser precedida de notificao ao candidato para manifestao sobre os fatos, caso queira. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 14 25. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Art. 34. Aplica-se, no que couber, o disposto nos pargrafos dos artigos 16 e 22 deste Regulamento. CAPTULO IX DA PROVA ORAL Art. 35. Consiste a prova oral em questionamentos verbais, realizada em sesso pblica, em um nico local, perante a Comisso Examinadora, e em dia e hora determinados para cada um dos candidatos, com durao mxima de 50 (cinquenta) minutos, prorrogvel por mais 5 (cinco). Havendo nmero de candidatos que inviabilize a realizao da prova oral num nico dia, no prazo de 5 (cinco) dias antes do incio de tal fase do certame, ser realizado sorteio de datas, perodos de realizao da prova e a ordem dos candidatos, publicando-se no site www.mppr.mp.br. No prazo de 24 (vinte e quatro) horas antes do incio da prova oral, resguardando-se o sigilo, os membros da Comisso Examinadora selecionaro pontos de cada grupo de matrias, em quantidade que corresponda ao nmero de grupos de candidatos; Persistindo o sigilo, os pontos selecionados sero numerados em blocos contendo os cinco grupos de matrias, para sorteio de um nico nmero vista dos candidatos de cada perodo de prova, imediatamente antes da primeira inquirio; 1 O candidato submeter-se- arguio perante a banca examinadora, que no ser fracionada por disciplina, acompanhando o colegiado os questionamentos efetuados e observando os critrios de avaliao constantes do art. 20 deste Regulamento. 2 O resultado da prova oral ser fruto da mdia apurada entre as notas atribudas a cada grupo de disciplinas, as quais podero ser fornecidas aos respectivos candidatos interessados, caso solicitadas. 3 As provas orais sero duplamente gravadas em sistema de som e imagem. 4 A realizao da prova oral poder ser interrompida se o exigir o nmero de candidatos, para ter prosseguimento em dia e hora que o Presidente da Comisso Examinadora anunciar ao suspender os trabalhos, dispensada qualquer outra forma de publicidade. 5 A juzo da Comisso de Concurso podero ser chamados s provas orais, antes de quaisquer outros, os candidatos que apresentarem e comprovarem relevante motivo para a precedncia. 6 Aplica-se no que couber o disposto nos incisos e pargrafos do art. 4, deste Regulamento. Art. 36. Sero considerados aprovados na prova oral os candidatos, concorrentes s vagas reservadas ou no, que obtiverem nota mnima de 6,0 (seis vrgula zero) pontos como mdia, entre as notas atribudas a cada grupo de disciplinas. 1. No prazo de dois dias teis, contados da publicao do resultado no Dirio da Justia do Estado, poder ser formulado pedido de reviso da avaliao da prova oral atravs de requerimento dirigido ao Presidente da Comisso de Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 15 26. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Concurso, podendo o candidato, dentro do mesmo prazo, conferir a gravao de seu desempenho, em sala da sede central, Rua Marechal Hermes, n 751, Centro Cvico, Curitiba PR, a ser definida pela Comisso de Concurso. 2. Os pedidos de reviso devero conter obrigatoriamente relatrio e motivao, com indicao da nota vislumbrada como justa, sob pena de no conhecimento. Da deciso da Comisso de Concurso que deferir ou no a reviso no caber recurso. CAPTULO X DA PROVA DE TTULOS E DO CMPUTO FINAL PARA APROVAO E CLASSIFICAO Art. 37. Apreciados os pedidos de reviso da prova oral, a Comisso de Concurso reunir-se- para apurao das mdias resultantes das notas atribudas s provas e julgamento final do concurso. Pargrafo nico. A nota final dos aprovados resultar da mdia encontrada entre a prova oral e as provas escritas. Art. 38. A Comisso examinar em seguida os ttulos apresentados pelos candidatos aprovados, conforme a natureza e valores previstos no art. 24, deste Regulamento. Art. 39. A dcima parte da pontuao da prova de ttulos alcanada pelo candidato ser somada mdia a que alude o pargrafo nico, do art. 40, deste Regulamento, e constituir a mdia final de classificao. 1 A classificao dar-se- pela ordem decrescente alcanada pelos candidatos. 2 Em caso de empate, ter preferncia o candidato que tiver obtido a melhor mdia na prova preambular. 3 Se o empate persistir, aquele que obteve a melhor mdia nas provas escritas. 4 Persistindo ainda o empate, sucessivamente, a melhor mdia da prova prtica e oral, na de ttulo e o maior tempo de servio pblico estadual e, por fim, aquele que tiver mais idade. 5. Os candidatos portadores de deficincia e os afrodescendentes concorrero a todas as vagas oferecidas, somente valendo-se das vagas reservadas quando, tendo sido aprovados, suas classificaes no quadro geral no sejam suficientes nomeao nos percentuais mnimos referidos no artigo 10, deste Regulamento. Art. 40. O resultado final do concurso e a classificao dos candidatos aprovados sero afixados na Procuradoria-Geral de Justia e encaminhados para homologao ao Conselho Superior do Ministrio Publico. Pargrafo nico. A relao nominal, com a respectiva classificao e mdia final dos candidatos, ser publicada mediante edital no Dirio Oficial Eletrnico. CAPTULO XI Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 16 27. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO DAS DISPOSIES FINAIS Art. 41. A nomeao, bem assim a posse, dos candidatos aprovados no concurso dependero da disponibilidade de recursos oramentrios e financeiros e, especialmente, da observncia dos limites estabelecidos para despesas com pessoal pela Lei Complementar Federal n 101/00 (responsabilidade fiscal), de acordo com o disposto no artigo anterior, deste regulamento. Art. 42. Na sequncia, observadas as disponibilidades e limites a que se refere o artigo anterior, os candidatos aprovados sero notificados pela Procuradoria-Geral de Justia para comparecimento em dia, hora e local a serem definidos, a fim de, pessoalmente, procederem a escolha da Seo Judiciria para a qual sero nomeados no cargo de Promotor Substituto, por ordem de classificao, dentre as vagas existentes. 1 O comparecimento do candidato aprovado ser pessoal, sendo vedada a escolha por outra forma qualquer, sob pena de ser nomeado em Seo Judiciria definida pela Procuradoria-Geral de Justia. 2 Havendo cargos vagos em nmero superior ao de candidatos aprovados, decidir o Procurador-Geral de Justia quais tero prioridade de provimento, observado o interesse pblico e o da Instituio. Art. 43. O candidato aprovado, se aposentado em outro cargo ou emprego pblico, dever, antes de tomar posse, renunciar aos respectivos proventos, salvo uma aposentadoria de professor. Art. 44. Todos os papis referentes ao Concurso sero confiados, at seu trmino, guarda do Secretrio da Comisso de Concurso. 1 Aps o encerramento do certame, a documentao alusiva ao concurso dever ser encaminhada ao Departamento de Gesto de Pessoas DGP, a fim de que permanea sob sua responsabilidade, sobretudo durante o prazo de validade. 2 Os documentos dos candidatos no aprovados, inabilitados, eliminados ou que tiverem pedido de inscrio indeferido podero ser retirados at (30) trinta dias aps a publicao do resultado final. 3 Decorrido esse prazo, sero entregues para a Comisso Organizadora do Concurso que decidir sobre sua destinao, podendo, inclusive, inciner-los. Art. 45. Os membros do Ministrio Pblico, componentes da Comisso de Concurso e os convocados para fiscalizar provas, bem como os servidores da Procuradoria-Geral de Justia designados para auxiliar os primeiros, quando da realizao das provas preambular, escritas e oral, ficaro, caso necessrio, desobrigados de suas atividades e funes rotineiras. 1. defeso aos membros do Ministrio Pblico, bem assim ao representante indicado pela OAB, exercer funes no Concurso para Ingresso na Carreira do Ministrio Pblico, como Membro da Comisso de Concurso, ou como fiscal de provas, quando nele estiver regularmente inscrito como candidato o seu cnjuge ou qualquer parente seu, consangneo ou afim, em linha reta, ou na linha colateral at o quarto grau, enquanto durar o impedimento. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 17 28. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 2. Os membros do Ministrio Pblico examinadores das provas do concurso, em existindo justa causa, ficaro desobrigados de suas atividades e funes rotineiras para fins de elaborao da prova preambular (20 dias) e correo das provas escritas (20 dias). Art. 46. As inscries preliminares e definitivas de pessoas portadoras de deficincia ficaro condicionadas possibilidade da realizao das provas em condies tais que no importem em quebra do sigilo ou na identificao do candidato por ocasio da correo das provas escritas. Pargrafo nico. O candidato nas condies do "caput", deste artigo, por ocasio da inscrio preliminar, dever: I - indicar a deficincia que porta; II - indicar eventuais condies especiais para realizao das provas. Art. 47. Na inexistncia de candidatos enquadrados nos critrios da Lei Federal n 7853/89, bem como na Legislao Estadual correspondente, ou no caso da no aprovao, as vagas a eles reservadas sero revertidas para a classificao geral. Pargrafo nico - Os candidatos a que se refere o caput deste artigo, concorrero em igualdade de condies com os demais candidatos no tocante ao contedo, avaliao, durao, horrio e local de realizao das provas, bem como no que concerne aos critrios e notas mnimas exigidos para aprovao, Art. 48. O candidato nomeado dever apresentar, no ato de sua posse, declarao de seus bens e prestar compromisso de desempenhar com retido as funes do cargo e de cumprir as Constituies e as Leis. Art. 49. Os prazos previstos neste Regulamento so contnuos, ininterruptos e peremptrios. Art. 50. Os casos omissos e duvidosos sero decididos pela Comisso de Concurso. Pargrafo nico. No prazo de 10 (dez) dias aps a publicao do resultado final do certame, os membros da Comisso de Concurso podero apresentar ao Procurador-Geral de Justia proposta de aperfeioamento, se for o caso, do presente Regulamento, nele includo seu Apndice "1" (Lista de Pontos). Art. 51 - O pedido de inscrio implica na aceitao pelo candidato das normas e condies do certame. Art. 52. O presente regulamento entrar em vigor na data da sua publicao no Dirio da Justia, revogadas as disposies em contrrio. Curitiba, 07 de julho de 2014. PROCURADOR-GERAL DE JUSTIA GILBERTO GIACOIA, CONSELHEIRO PRESIDENTE CORREGEDOR-GERAL ARION ROLIM PEREIRA, CONSELHEIRO Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 18 29. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO PROCURADOR DE JUSTIA MARCO ANTONIO CORRA DE S, CONSELHEIRO-RELATOR PROCURADOR DE JUSTIA RICARDOPIRES DE ALBUQUERQUE MARANHO, CONSELHEIRO PROCURADOR DE JUSTIA JOO ZAIONS JUNIOR, CONSELHEIRO PROCURADORA DE JUSTIA SONIA MARIA DE OLIVEIRA HARTMANN, CONSELHEIRA PROCURADORA DE JUSTIA TERREZINHA DE JESUS SOUZA SIGNORINI, CONSELHEIRA PROCURADOR DE JUSTIA ALBERTO VELLOZO MACHADO, CONSELHEIRO PROCURADORA DE JUSTIA JACQUELINE BATISTI, CONSELHEIRA APNDICE "1" DO REGULAMENTO DO CONCURSO PARA INGRESSO NA CARREIRA DO MINISTRIO PBLICO (ANEXO DECISO CSMP N XXX/2014) - LISTA DE PONTOS PROVA PREAMBULAR, ESCRITAS E ORAL GRUPO 1 DIREITO PENAL, DIREITO ELEITORAL E LEGISLAO DO MINISTRIO PBLICO a. DIREITO PENAL 01) Direito Penal. Conceito. Funo. Limites e caractersticas. Direito Penal fundamental. Direito Penal comum e especial. Fontes e interpretao da norma penal. Criminologia e Poltica Criminal. 02) Garantias penais fundamentais na Constituio. 03) Norma penal. Conceito e classificao. Norma penal em branco. Destinatrios da norma penal. Fontes de Direito Penal. Interpretao da norma penal. Integrao da norma penal. Analogia. 04) Princpio da Reserva Legal. Antecedentes histricos. Fundamentos jurdicos e alcance do princpio. 05) Aplicao da lei penal. Lei penal no tempo e lei penal no espao. Contagem dos prazos, fraes, prazos da parte geral do Cdigo Penal e da legislao especial. 06) Teoria do Crime. Conceito de crime. Caractersticas. 07) Teorias da ao. Causas que excluem a ao. 08) Teoria do Tipo. Classificao. Elementos e estrutura do tipo. Funes do Tipo. Modalidades de tipos. Tipicidade objetiva e subjetiva. Atipicidade absoluta e relativa. Teoria da adequao social e o princpio da insignificncia. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 19 30. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 09) Conflito aparente de normas. Princpios e critrios de aplicao. Objeto do crime. Bem jurdico. Sujeito ativo e passivo. 10) Dolo. Conceito. Teorias. Elementos do dolo. Espcies e elementos subjetivos diversos do dolo. Relao de causalidade. Causao e imputao do resultado. Teorias. 11) Erro de tipo. Conceito. Erro de tipo e erro de tipo permissivo. Erro de tipo escusvel e inescusvel. Erro acidental. Erro provocado por terceiro. Erro sobre o objeto. Erro na execuo. Resultado diverso do pretendido. Erro e relao de causalidade. 12) Antijuridicidade. Conceito. Formas. Causas de justificao. Os excessos. Consentimento do ofendido. 13) Princpio da culpabilidade. Responsabilidade objetiva. Crimes qualificados pelo resultado. Crime preterdoloso. 14) Culpabilidade. Teorias. Conceito. Elementos. 15) Imputabilidade. Conceito. Causas de excluso. Imputabilidade diminuda. Embriaguez. "Actio libera in causa". Emoo e paixo. 16) Conscincia da ilicitude. Conceitos e teorias. Erro de proibio. Conceito e modalidades. Distino entre erro de proibio e erro de tipo. Erro de proibio vencvel e erro de proibio invencvel. 17) Exigibilidade de comportamento conforme o direito. Princpios gerais. Inexigibilidade. Hipteses legais e supra legais de exculpao. 18) Estrutura do crime culposo. Modelo de homem prudente e princpio da confiana. 19) Estrutura do crime omissivo. Crime omissivo prprio. Crime comissivo por omisso. Tipo subjetivo nos crimes omissivos. 20) Tentativa. Conceito. Teorias. Natureza e elementos. Crime tentado, crime consumado e exaurimento. Formas de tentativa. Desistncia voluntria e arrependimento eficaz. Crime impossvel e delito putativo. Arrependimento posterior. 21) Concurso de Agentes. Teorias. Concurso necessrio e concurso eventual. Autoria e participao. Autoria mediata e autoria colateral. Circunstncias comunicveis e incomunicveis. Natureza jurdica do concurso e da participao. Da cooperao dolosamente distinta. Punibilidade. Conivncia. 22) Concurso de crimes. Concurso material, concurso formal e crime continuado. Princpios e critrios de aplicao. 23) Teorias da Pena. Espcies. Fundamentos, fins e conceito da pena. Classificao das penas. Penas privativas de liberdade, restritivas de direitos e de multa. Detrao penal. Medidas de Segurana. 24) Aplicao da pena. Critrio trifsico de aplicao. Circunstncias judiciais. Agravantes e atenuantes. Causas de Aumento e de Diminuio. Limites e possibilidades. Critrios para determinao do regime de cumprimento de pena. Substitutivos Penais. Conceitos e classificao. 25) Suspenso condicional da pena. Livramento condicional. Efeitos da condenao. Reabilitao. 26) Condies objetivas de punibilidade e condies de procedibilidade. Escusas absolutrias. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 20 31. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 27) Extino da punibilidade. Conceito. Modalidades. Momentos de ocorrncia e efeitos. 28) Ao penal. Espcies. Crime complexo. 29) Prescrio. Espcies. Prazos. Caractersticas. 30) Perdo judicial. Conceito. Natureza jurdica. 31) Dos crimes contra a pessoa. 32) Dos crimes contra o patrimnio. 33) Dos crimes contra a dignidade sexual. 34) Dos crimes contra a famlia. 35) Dos crimes contra a incolumidade pblica. 36) Dos crimes contra a paz pblica. 37) Dos crimes contra a f pblica. 38) Dos crimes contra a administrao pblica. 39) Contravenes penais (Decreto-Lei n 3.688/41). 40) Crimes de abuso de autoridade (Lei n 4.898/65). 41) Crimes contra a economia popular (Lei n 1.521/51). 42) Crimes contra ordem tributria, econmica e relaes de consumo (Leis n 8.137/90 e n 8.176/91). 43) Crimes previstos no Cdigo de Defesa do Consumidor (Lei n 8.078/90). 44) Disposies penais da Lei n 8.429/92. 45) Crimes de responsabilidade dos Prefeitos e Vereadores (Decreto-Lei n 201/67). 46) Crimes previstos no Estatuto da Criana e do Adolescente (Lei n 8.069/90). 47) Crimes hediondos (Leis n 8.072/90 e n 8.930/94). 48) Crimes relativos ao mau uso de agrotxicos (Leis n 7.802/89 e n 7.804/89). 49) Crimes de trnsito (Lei n 9.503/97). 50) Crimes de tortura (Lei n 9.455/97). 51) Crimes falimentares (Lei n 11.101/05) 52) Crimes previstos na Lei n 9.263/96 (Planejamento familiar). 53) Crimes militares (Decreto-Lei n 1.001/69). 54) Crimes contra o meio ambiente (Lei n 9.605/98). 55) Crimes da lavagem ou ocultao de bens, direitos e valores (Lei n 9.613/98). 56) Crimes resultantes de preconceito (Lei n 7.716/89) e de discriminao contra os portadores do vrus da AIDS (Lei n 12.894/14). 57) Disposies penais da Lei n 9.296/96 (Interceptao telefnica). 58) Crimes previstos na Lei n 10.826/03 (Estatuto do Desarmamento). 59) Disposies penais da Lei n 12.850/13 (Lei de Organizaes Criminosas). 60) Crimes previstos na Lei n 8.666/93 (Licitaes e contratos da Administrao Pblica). 61) Crime previsto na Lei n 7.347/85 (Ao Civil Pblica). 62) Juizados Especiais Criminais (Lei n 9.099/95). 63) Crimes previstos na Lei n 10.741/03 (Estatuto do Idoso) 64) Crimes da Lei n 11.340/2006 (Violncia Domstica) 65) Crimes previstos na Lei Antidrogas (Lei n 11.343/06). b. DIREITO ELEITORAL Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 21 32. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 01) Direito Eleitoral. Fontes e Conceitos. Princpios Constitucionais de Referncia. Formas e Sistema de Governo. Regime Poltico. Democracia e a Questo da Maioria. Princpios e Valores Democrticos. Mandato Poltico Representativo. O sufrgio. 02) Organizao Territorial do Eleitorado. Organizao Judiciria Eleitoral. Tipos de Diviso Territorial do Eleitorado. Circunscries, Zonas e Sees Eleitorais. Alistabilidade. Elegibilidade. Votos Vlidos, Quociente Eleitoral e Quociente Partidrio. Distribuio dos Restos. rgos e Composio da Justia Eleitoral. Tribunal Superior Eleitoral. Tribunal Regional Eleitoral. Juzes Eleitorais. Juntas Eleitorais. Juzes Auxiliares. Competncia. 03) Ministrio Pblico Eleitoral. Conformao Constitucional. Funo Eleitoral, Ministrio Pblico Federal e Ministrio Pblico Estadual. Legitimidade. Funes. Preferncias. Impedimentos. Promotor Eleitoral. 04) Alistamento Eleitoral. Garantias Eleitorais. Alistveis e Inalistveis. Alistamento Obrigatrio e Facultativo. Definio de Garantias Eleitorais. Espcies de Garantias Eleitorais. A Liberdade do Voto, Medidas Administrativas e Judiciais. 05) Partidos Polticos. Lei dos Partidos Polticos. Filiao Partidria. Tendncias. Fidelidade Partidria. 06) Eleies. Eleies e Processo Eleitoral. Atos Preparatrios. Apurao. Diplomao. Registro de Candidaturas. Impugnao. Plebiscito e Referendo. 07) Propaganda Poltica. Propaganda Partidria e Propaganda Eleitoral. Disposies Legais. Direito de Resposta. Princpios. Transporte e Alimentao de Eleitores. 08) Inelegibilidades. Condies de Elegibilidade. Inelegibilidades. Uso Indevido, Desvio ou Abuso do Poder Econmico ou do Poder de Autoridade, ou Utilizao Indevida de Veculos ou Meios de Comunicao Social. Ao de Impugnao de Mandato Eletivo e Recurso Contra a Diplomao. 09) Crimes Eleitorais. Processo Penal Eleitoral. Disposies Gerais sobre as Penas. Tipos Penais. Classificao dos Crimes. Ao Penal Eleitoral. Competncia. Rito Processual e Prazos. Recursos Criminais. 10) Recursos Eleitorais. Recursos e Normatizao Constitucional. Recursos Previstos no Cdigo Eleitoral. Regras Gerais. Prazos. Precluso. Espcies e Procedimentos. c. LEGISLAO DO MINISTRIO PBLICO 01) Ministrio Pblico. Origens. Perfil Constitucional: conceito e princpios; autonomia funcional administrativa e financeira; ramos do Ministrio Pblico, chefia, escolha, nomeao e destituio; legislao infraconstitucional e iniciativa; garantias; vedaes; funes institucionais (figura do ombudsman); ingresso na carreira. 02) Organizao: rgos de administrao, execuo e auxiliares; funes. 03) Estatuto. Carreira: do provimento; do concurso; da posse e do exerccio; do estgio probatrio e do vitaliciamento; das promoes; das remoes; da substituio por convocao; dos afastamentos; da reintegrao; da reverso; do aproveitamento e da readmisso. 04) Estatuto. Direitos: da disponibilidade; das frias; das licenas; do subsdio e vantagens legais; da aposentadoria e da penso. Garantias e Prerrogativas. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 22 33. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO Disciplina: dos deveres e vedaes; dos impedimentos e suspeies; da inspeo e das correies; das sanes; da prescrio; da sindicncia; do processo administrativo; dos recursos; da reviso do processo administrativo; da reabilitao. 05) Lei Federal n 8625/93. 06) Lei Complementar Estadual n 85/99. 07) Lei Complementar Federal n 75/93. GRUPO 2 - DIREITO CONSTITUCIONAL, DIREITO ADMINISTRATIVO, DREITO TRIBUTRIO, DIREITO PREVIDENCIRIO, FILOSOFIA DO DIREITO E SOCIOLOGIA JURDICA. a. DIREITO CONSTITUCIONAL 01) O Estado Moderno. Surgimento e evoluo. Constitucionalismo. O Estado Moderno como Estado Constitucional. Princpios da unidade, da democracia e do Estado de Direito. 02) Poder Constituinte originrio e derivado. Constituio. Conceito. Tipologia e classificao das Constituies. Reviso e reforma constitucional. 03) Normas constitucionais: interpretao, aplicabilidade e eficcia. 04) Princpio da supremacia constitucional. A desconstitucionalizao, a recepo e a repristinao. Normas constitucionais e inconstitucionais. Inconstitucionalidade formal e material, originria e superveniente. 05) Controle de constitucionalidade: preventivo e repressivo. Sistemas concentrado e difuso. Controle incidental. Ao direta de inconstitucionalidade genrica e interventiva. Ao direta de inconstitucionalidade por omisso. Ao declaratria de constitucionalidade. Argio de descumprimento de preceito fundamental. Controle de constitucionalidade em mbito estadual e municipal. 06) Direitos e garantias fundamentais. Evoluo e teoria geral dos direitos fundamentais. Proteo internacional. Coliso entre direitos fundamentais. Vinculao do administrador pblico e do legislador. Deveres fundamentais. Direitos sociais. Direitos e interesses individuais, coletivos, difusos e individuais homogneos. 07) Mandado de injuno. Mandado de segurana. Mandado de segurana coletivo. Ao popular. Habeas corpus. Habeas data. Ao civil pblica. 08) Estado Federal: conceito e sistemas de repartio de competncias. Repartio de competncias na Constituio da Repblica. 09) A Unio, os Estados, o Distrito Federal, os Territrios e os Municpios. Suas atribuies. Competncia exclusiva, concorrente e residual para legislar. 10) Interveno federal nos Estados. Interveno estadual nos Municpios. 11) A Administrao Pblica. Princpios que a norteiam. Responsabilidade civil do poder pblico. Servidores Pblicos. Regime e ingresso nas carreiras pblicas. Direitos e deveres. 12) A organizao do Estado. Poderes Executivo, Legislativo e Judicirio. Funes essenciais justia. 13) Processo legislativo e espcies normativas. Medida provisria: natureza, cabimento e efeitos. 14) A defesa do Estado e das instituies democrticas. Secrettaria da Comisso de Concurso - MPPR Rua Marechal Hermes, 751 - Centro Cvico, 80.530-230 - Curitiba PR Telefone: (41) 3250-4225 e (41) 3250-4224 Pgina 23 34. CONSELHO SUPERIOR DO MINISTRIO PBLICO 15) Princpios constitucionais tributrios. Finanas pblicas. Ordem econmica e financeira. 16) Ordem social. 17) Constituio do Estado do Paran. b. DIREITO ADMINISTRATIVO 01) O Direito Administrativo e suas fontes. Princpios da Administrao Pblica. A lei formal e as diferentes espcies de regulamentos administrativos. 02) Administrao Pblica direta e indireta. rgos e pessoas jurdicas. Entidades paraestatais. Autarquias, sociedades de economia mista e empresas pblicas. Agncias reguladoras e agncias executivas. 03) A Fundao perante o Direito Administrativo. Fundao de direito pblico e de direito privado. Organizaes sociais e organizaes da sociedade civil de interesse pblico. 04) Atos e fatos administrativos. Atos administrativos simples, complexos e compostos, vinculados e discricionrios, unilaterais e bilaterais. Da encampao. 05) Perfeio, validade, vigncia e eficcia dos atos administrativos. A auto- executoriedade. Conceito e fundamentos. Vcios dos atos administrativos. Revogao e anulao. Revalidao, ratificao e converso. 06) Poderes administrativos. Poder vinculado e poder discricionrio. Poder hierrquico e poder disciplinar. Poder de polcia. Conceito. Polcia judiciria e polcia administrativa. 07) Contratos administrativos. Conceito e caracteres jurdicos. As diferentes espcies de contratos. Os convnios administrativos. 08) Formao dos contratos administrativos. Licitao. Conceito, fundamentos, modalidades e procedimentos. 09) Execuo dos contratos administrativos. Princpios aplicveis. Teorias do fato do prncipe e da impreviso. 10) Servio pblico. Conceito, caracteres jurdicos, classificaes e garantias. Servios pblicos da Unio, dos Estados e dos Municpios. Execuo indireta dos servios pblicos. Concesso e permisso. Parcerias Pblico-privadas. 11) Bens pblicos. Classificao. Regime jurdico das guas pblicas. Jazidas e minas. 12) Limitaes administrativas propriedade privada e sacrifcio de direitos individuais. Servides administrativas. Requisio e ocupao temporria de propriedade privada. 13) Desapropriao por utilidade pblica e por interesse social. Conceitos e fundamentos jurdicos. Procedimentos administrativos e judicial. Indenizao. Retrocesso. Desapropriao por zona. Desapropriao indireta. Tombamento. Efeitos. 14) Sistema de controle jurisdicional dos atos administrativos. Sis