Prova enem 2011

  • Published on
    07-Jun-2015

  • View
    2.026

  • Download
    3

Embed Size (px)

Transcript

<ul><li> 1. EXAME NACIONAL DO ENSINO MDIOA COR DO SEU CADERNO DE QUESTES BRANCA. MARQUE-A EM SEU CARTO-RESPOSTA 1 DIACADERNO 3 BRANCO2011PROVA DE CINCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS PROVA DE CINCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIASLEIA ATENTAMENTE AS INSTRUES SEGUINTES1 Este CADERNO DE QUESTES contm 90 questes 10 O tempo disponvel para estas provas de quatro horas enumeradas de 1 a 90, dispostas da seguinte maneira:trinta minutos. a. as questes de nmero 1 a 45 so relativas reade Cincias Humanas e suas Tecnologias; 11 Reserve os 30 minutos finais para marcar seu CARTO- b. as questes de nmero 46 a 90 so relativas RESPOSTA. Os rascunhos e as marcaes assinaladas norea de Cincias da Natureza e suas Tecnologias. CADERNO DE QUESTES no sero considerados na avaliao.2 Confira se o seu CADERNO DE QUESTES contm aquantidade de questes e se essas questes esto na 12 Quando terminar as provas, acene para chamar oordem mencionada na instruo anterior. Caso o caderno aplicador e entregue este CADERNO DE QUESTES e oesteja incompleto, tenha qualquer defeito ou apresente CARTO-RESPOSTA.divergncia, comunique ao aplicador da sala para que ele13 Voc poder deixar o local de prova somente apstome as providncias cabveis. decorridas duas horas do incio da aplicao e poder levar3 Verifique, no CARTO-RESPOSTA, se os seus dados estoseu CADERNO DE QUESTES ao deixar em definitivo a salaregistrados corretamente. Caso haja alguma divergncia,de provas nos ltimos 30 minutos que antecedem ocomunique-a imediatamente ao aplicador da sala.trmino da prova.4 ATENO: aps a conferncia, escreva e assine seu nome14 Voc ser excludo do exame no caso de:nos espaos prprios do CARTO-RESPOSTA com canetaa) prestar, em qualquer documento, declarao falsa ouesferogrfica de tinta preta. inexata;5 ATENO: transcreva no espao apropriado do seu CARTO- b) agir com incorreo ou descortesia para com qualquerRESPOSTA, com sua caligrafia usual, considerando as letras participante ou pessoa envolvida no processo demaisculas e minsculas, a seguinte frase: aplicao das provas;Cada coisa tem seu tempo a seu tempo. c) perturbar, de qualquer modo, a ordem no local de aplicao das provas, incorrendo em comportamento indevido durante a realizao do Exame;6 Marque no CARTO-RESPOSTA, no espao apropriado, aopo correspondente cor desta capa. ATENO: se voc d) se comunicar, durante as provas, com outroassinalar mais de uma opo de cor ou deixar todos osparticipante verbalmente, por escrito ou por qualquercampos em branco, sua prova no ser corrigida.outra forma;7 No dobre, no amasse nem rasure o CARTO-RESPOSTA, e) utilizar qualquer tipo de equipamento eletrnico e depois ele no poder ser substitudo. comunicao durante a realizao do Exame;f) utilizar ou tentar utilizar meio fraudulento, em8 Para cada uma das questes objetivas, so apresentadas 5 opesbenefcio prprio ou de terceiros, em qualquer etapaidentificadas com as letras A, B, C, D e E. Apenas umaresponde corretamente questo. do Exame;g) utilizar livros, notas ou impressos durante a realizao9 No CARTO-RESPOSTA, preencha todo o espao do Exame;compreendido no crculo correspondente opoescolhida para a resposta. A marcao em mais de umah) se ausentar da sala de provas levando consigo oopo anula a questo, mesmo que uma das respostas CADERNO DE QUESTES antes do prazo estabelecidoesteja correta.e/ou o CARTO-RESPOSTA a qualquer tempo.*BRAN75SAB0*</li></ul><p> 2. *bran75sab1*CINCIAS HUMANAS E SUAS O movimento representado na imagem, do incio dosTECNOLOGIAS anos de 1990, arrebatou milhares de jovens no Brasil.Questes de 1 a 45Nesse contexto, a juventude, movida por um forteQUESTO 01sentimento cvico,No mundo rabe, pases governados h dcadas porA aliou-se aos partidos de oposio e organizou aregimes polticos centralizadores contabilizam metadeda populao com menos de 30 anos; desses, 56% campanha Diretas J.tm acesso internet. Sentindo-se sem perspectivasB manifestou-se contra a corrupo e pressionou pelade futuro e diante da estagnao da economia, essesjovens incubam vrus sedentos por modernidade eaprovao da Lei da Ficha Limpa.democracia. Em meados de dezembro, um tunisiano C engajou-se nos protestos relmpago e utilizou ade 26 anos, vendedor de frutas, pe fogo no prpriocorpo em protesto por trabalho, justia e liberdade. Uma internet para agendar suas manifestaes.srie de manifestaes eclode na Tunsia e, como umaD espelhou-se no movimento estudantil de 1968 eepidemia, o vrus libertrio comea a se espalhar pelospases vizinhos, derrubando em seguida o presidenteprotagonizou aes revolucionrias armadas.do Egito, Hosni Mubarak. Sites e redes sociais E tRUQRXVH SRUWDYR] GD VRFLHGDGH H LQXHQFLRX QRcomo o Facebook e o Twitter ajudaram a mobilizarmanifestantes do norte da frica a ilhas do Golfo Prsico. processo de impeachment do ento presidente Collor.SEQUEIRA, C. D.; VILLAMA, L. A epidemia da Liberdade. Isto Internacional. 2 mar. 2011 (adaptado).QUESTO 03Considerando os movimentos polticos mencionados notexto, o acesso internet permitiu aos jovens rabesO brasileiro tem noo clara dos comportamentosA reforar a atuao dos regimes polticos existentes.ticos e morais adequados, mas vive sob o espectro daB tomar conhecimento dos fatos sem se envolver.corrupo, revela pesquisa. Se o pas fosse resultado dosC manter o distanciamento necessrio suasegurana.padres morais que as pessoas dizem aprovar, pareceriaD disseminar vrus capazes de destruir programas dosmais com a Escandinvia do que com Bruzundangacomputadores.E difundir ideias revolucionrias que mobilizaram a FRUURPSLGD QDomR FWtFLD GH /LPD %DUUHWR 3. populao.FRAGA, P. Ningum inocente. Folha de S. Paulo. 4 out. 2009 (adaptado).QUESTO 02O distanciamento entre reconhecer e cumprir Movimento dos Caras-Pintadas efetivamente o que moral constitui uma ambiguidadeinerente ao humano, porque as normas morais soA decorrentes da vontade divina e, por esse motivo, utpicas.B parmetrosidealizados,cujo cumprimento destitudo de obrigao.C amplas e vo alm da capacidade de o indivduo conseguir cumpri-las integralmente.D criadas pelo homem, que concede a si mesmo a lei qual deve se submeter.E cumpridas por aqueles que se dedicam inteiramente Disponvel em: http://www1.folha.uol.com.br. Acesso em: 17 abr. 2010 (adaptado).a observar as normas jurdicas. CH - 1 dia | Caderno 3 - BRANCO - Pgina 1 4. *bran75sab2*QUESTO 04A Floresta Amaznica, com toda a sua imensido, no vai estar a para sempre. Foi preciso alcanar toda essataxa de desmatamento de quase 20 mil quilmetros quadrados ao ano, na ltima dcada do sculo XX, para que umapequena parcela de brasileiros se desse conta de que o maior patrimnio natural do pas est sendo torrado.ABSABER, A. Amaznia: do discurso prxis. So Paulo: EdUSP, 1996.Um processo econmico que tem contribudo na atualidade para acelerar o problema ambiental descrito :A Expanso do Projeto Grande Carajs, com incentivos chegada de novas empresas mineradoras.B Difuso do cultivo da soja com a implantao de monoculturas mecanizadas.C Construo da rodovia Transamaznica, com o objetivo de interligar a regio Norte ao restante do pas.D ULDomR GH iUHDV H[WUDWLYLVWDV GR OiWH[ GDV VHULQJXHLUDV SDUD RV FKDPDGRV SRYRV GD RUHVWDE Ampliao do polo industrial da Zona Franca de Manaus, visando atrair empresas nacionais e estrangeiras.QUESTO 05TEIXEIRA, W. et al. Decifrando a Terra. So Paulo: Nacional, 2009 (adaptado).2 JUiFR UHODFLRQD GLYHUVDV YDULiYHLV DR SURFHVVR GH IRUPDomR GH VRORV $ LQWHUSUHWDomR GRV GDGRV PRVWUD TXH Dgua um dos importantes fatores de pedognese, pois nas reasA de clima temperado ocorrem alta pluviosidade e grande profundidade de solos.B tropicais ocorre menor pluviosidade, o que se relaciona com a menor profundidade das rochas inalteradas.C de latitudes em torno de 30 ocorrem as maiores profundidades de solo, visto que h maior umidade.D tropicais a profundidade do solo menor, o que evidencia menor intemperismo qumico da gua sobre as rochas.E de menor latitude ocorrem as maiores precipitaes, assim como a maior profundidade dos solos.QUESTO 06O Centro-Oeste apresentou-se como extremamente receptivo aos novos fenmenos da urbanizao, j que eraSUDWLFDPHQWH YLUJHP QmR SRVVXLQGR LQIUDHVWUXWXUD GH PRQWD QHP RXWURV LQYHVWLPHQWRV [RV YLQGRV GR SDVVDGRPde, assim, receber uma infraestrutura nova, totalmente a servio de uma economia moderna.SANTOS, M. A Urbanizao Brasileira. So Paulo: EdUSP, 2005 (adaptado).O texto trata da ocupao de uma parcela do territrio brasileiro. O processo econmico diretamente associado aessa ocupao foi o avano daA industrializao voltada para o setor de base.B economia da borracha no sul da Amaznia.C fronteira agropecuria que degradou parte do cerrado.D explorao mineral na Chapada dos Guimares.E extrativismo na regio pantaneira. CH - 1 dia | Caderno 3 - BRANCO - Pgina 2 5. *bran75sab3*QUESTO 07 QUESTO 09Um dos principais objetivos de se dar continuidade spesquisas em eroso dos solos o de procurar resolveros problemas oriundos desse processo, que, em ltimaanlise, geram uma srie de impactos ambientais.Alm disso, para a adoo de tcnicas de conservaodos solos, preciso conhecer como a gua executaseu trabalho de remoo, transporte e deposio desedimentos. A eroso causa, quase sempre, uma sriede problemas ambientais, em nvel local ou at mesmoem grandes reas.GUERRA, A. J. T. Processos erosivos nas encostas. In: GUERRA, A. J. T.; CUNHA, S. B. Geomorfologia: uma atualizao de bases e conceitos. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007 (adaptado).A preservao do solo, principalmente em reas deDisponvel em: http://www.ra-bugio.org.br. Acesso em: 28 jul. 2010.encostas, pode ser uma soluo para evitar catstrofesHP IXQomR GD LQWHQVLGDGH GH X[R KtGULFR $ SUiWLFDA imagem retrata a araucria, rvore que faz parte dehumana que segue no caminho contrrio a essa soluo um importante bioma brasileiro que, no entanto, j foi bastante degradado pela ocupao humana. UmaA a arao.das formas de interveno humana relacionada B o terraceamento. degradao desse bioma foiC o pousio.A o avano do extrativismo de minerais metlicosD a drenagem.voltados para a exportao na regio Sudeste.E o desmatamento.B a contnua ocupao agrcola intensiva de gros na regio Centro-Oeste do Brasil.QUESTO 08 C o processo de desmatamento motivado pelaUma empresa norte-americana de bioenergia est expanso da atividade canavieira no Nordeste brasileiro.expandindo suas operaes para o Brasil para explorar D o avano da indstria de papel e celulose a partir dao mercado de pinho manso. Com sede na Califrnia, explorao da madeira, extrada principalmente noa empresa desenvolveu sementes hbridas de pinhoSul do Brasil.manso, oleaginosa utilizada hoje na produo deE o adensamento do processo de favelizao sobrebiodiesel e de querosene de aviao. reas da Serra do Mar na regio Sudeste. MAGOSSI, E. O Estado de So Paulo. 19 maio 2011 (adaptado). QUESTO 10A partir do texto, a melhoria agronmica das sementesSOBRADINHOde pinho manso abre para o Brasil a oportunidade O homem chega, j desfaz a naturezaeconmica de Tira gente, pe represa, diz que tudo vai mudarO So Francisco l pra cima da BahiaA ampliar as regies produtoras pela adaptao do Diz que dia menos dia vai subir bem devagarcultivo a diferentes condies climticas. E passo a passo vai cumprindo a profecia do beato queB EHQHFLDU RV SHTXHQRV SURGXWRUHV FDPSRQHVHV GH dizia que o Serto ia alagar. S E GUARABYRA. Disco Piro de peixe com pimenta. Som Livre, 1977 (adaptado).leo pela venda direta ao varejo. O trecho da msica faz referncia a uma importanteC abandonar a energia automotiva derivada do obra na regio do rio So Francisco. Uma consequnciapetrleo em favor de fontes alternativas.socioespacial dessa construo foiD baratear cultivos alimentares substitudos pelas A a migrao forada da populao ribeirinha.culturas energticas de valor econmico superior.B o rebaixamento do nvel do lenol fretico local. C a preservao da memria histrica da regio.E reduzir o impacto ambiental pela no emisso de D a ampliao das reas de clima rido.gases do efeito estufa para a atmosfera. E a reduo das reas de agricultura irrigada. CH - 1 dia | Caderno 3 - BRANCO - Pgina 3 6. *bran75sab4*QUESTO 11QUESTO 12 Como os combustveis energticos, as tecnologias O professor Paulo Saldiva pedala 6 km em 22da informao so, hoje em dia, indispensveis em minutos de casa para o trabalho, todos os dias. Nuncatodos os setores econmicos. Atravs delas, umfoi atingido por um carro. Mesmo assim, vtimamaior nmero de produtores capaz de inovar e adiria do trnsito de So Paulo: a cada minuto sobreobsolescncia de bens e servios se acelera. Longea bicicleta, seus pulmes so envenenados comde estender a vida til dos equipamentos e a sua3,3 microgramas de poluio particulada poeira,capacidade de reparao, o ciclo de vida desses fumaa, fuligem, partculas de metal em suspenso,produtos diminui, resultando em maior necessidade desulfatos, nitratos, carbono, compostos orgnicos ematria-prima para a fabricao de novos. outras substncias nocivas.GROSSARD, C. Le Monde Diplomatique Brasil. Ano 3, n 36, 2010 (adaptado).ESCOBAR, H. Sem Ar. O Estado de So Paulo. Ago. 2008.A postura consumista de nossa sociedade indicaA populao de uma metrpole brasileira que vive nasa crescente produo de lixo, principalmente nasmesmas condies socioambientais das do professorreas urbanas, o que, associado a modos incorretoscitado no texto apresentar uma tendncia dede deposio,A ampliao da taxa de fecundidade.A provoca a contaminao do solo e do lenolfretico, ocasionando assim graves problemasB diminuio da expectativa de vida.socioambientais, que se adensaro com a C elevao do crescimento vegetativo.continuidade da cultura do consumo desenfreado. D aumento na participao relativa de idosos.B produz efeitos perversos nos ecossistemas, que soE reduo na proporo de jovens na sociedade.sanados por cadeias de organismos decompositoresque assumem o papel de eliminadores dos resduosQUESTO 13depositados em lixes.C multiplica o nmero de lixes a cu aberto, O fenmeno de ilha de calor o exemplo maisconsiderados atualmente a ferramenta capaz dePDUFDQWH GD PRGLFDomR GDV FRQGLo}HV LQLFLDLV GRUHVROYHU GH IRUPD VLPSOLFDGD H EDUDWD R SUREOHPDde deposio de resduos nas grandes cidades. clima pelo processo de urbanizao, caracterizadoD estimula o empreendedorismo social, visto que umSHOD PRGLFDomR GR VROR H SHOR FDORU DQWURSRJrQLFRgrande nmero de pessoas, os catadores, tm livre o qual inclui todas as atividades humanas inerentes acesso aos lixes, sendo assim includos na cadeiasua vida na cidade.produtiva dos resduos tecnolgicos.BARBOSA, R. V. R. reas verdes e qualidade trmica em ambientes urbanos:E possibilita a ampliao da quantidade de rejeitos estudo em microclimas em Macei. So Paulo: EdUSP, 2005.que podem ser destinados a associaes e2 WH[WR H[HPSOLFD XPD LPSRUWante alteraocooperativas de catadores de materiais reciclveis,QDQFLDGRV SRU LQVWLWXLo}HV GD VRFLHGDGH FLYLO RX socioambiental,comum aoscentrosurbanos. Apelo poder pblico. maximizao desse fenmeno ocorreA pela reconstruo dos leitos originais dos cursosdgua antes canalizados.B pela recomposio de reas verdes nas reascentrais dos centro...</p>