of 35 /35
APLICAÇÃO DA LEI PENAL 3 • Q304745 Prova: CESPE - 2013 - TRF - 5ª REGIÃO - Juiz Federal Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicação da Lei Penal; No que se refere à teoria e à aplicação do direito penal, assinale a opção correta. a) O condutor de veículo automotor que, por imprudência, colidir em veículo dirigido por uma gestante, causando- lhe lesões corporais de natureza leve, responderá criminalmente por sua conduta, incidindo, na aplicação da pena, a circunstância agravante de ter sido o crime praticado contra mulher grávida. b) Crime profissional consiste na prática de ações com intenção de lucro, como é o caso, por exemplo, do curandeirismo, enquanto o crime habitual consiste na reiteração da mesma conduta reprovável, como um meio usual de sobrevivência, como, por exemplo, o rufianismo. c) Na hipótese de tentativa irreal ou supersticiosa, o agente não responde pelo crime pretendido porque sua intenção não basta para ofender o bem jurídico visado, sendo a tentativa impunível e, conforme o caso, o crime impossível ou o delito putativo. d) Não pode alegar, em sua defesa, estado de necessidade o indivíduo que tem o dever legal ou contratual de enfrentar o perigo. e) Será reduzida de um a dois terços a pena do condenado pelo crime de latrocínio que colaborar voluntariamente com a investigação policial e o processo criminal na identificação dos demais coautores ou partícipes do crime, na localização da vítima e na recuperação total ou parcial do produto do crime. 4 • Q308166 Prova: MPE-SC - 2013 - MPE-SC - Promotor de Justiça - Manhã Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicação da Lei Penal; Ver texto associado à questão Acerca da aplicação da lei penal, a hipótese de sujeição à lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes contra o patrimônio ou a fé pública da União, do Distrito Federal, de Estado, de Território, de Município, de empresa pública, sociedade de economia mista, autarquia ou fundação instituída pelo Poder Público, diz respeito ao princípio da nacionalidade passiva. Certo Errado 6 • Q305410 Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Delegado de Polícia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicação da Lei Penal; A Presidente da República editou uma Medida Provisória, agravando a pena de um determinado crime. Logo, pode-se afirmar: I. Trata-se de lei emsentido formal. II. Pelo princípio da retroatividade benéfica, a Medida Provisória somente poderá ser aplicada a fatos posteriores à sua edição. III. A agravação da pena somente poderá ocorrer após a aprovação da Medida Provisória pelo CongressoNacional. IV. Apresenta vício de origem que não convalesce pela sua eventual aprovação. Indique a opção que contempla a(s) assertiva(s) correta(s). a) I, II, III e IV. b) I, II e III, apenas. c) II, III e IV, apenas. d) I, apenas. e) IV, apenas. 7 • Q305400 Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Delegado de Polícia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicação da Lei Penal; A Portaria nº 104/2011, do Gabinete do Ministério da Saúde, definiu a relação de doenças de notificação compulsória em todo o território nacional. Joaquim, médico, ao tomar conhecimento de um paciente que estava com uma patologia descrita na referida normativa, por amizade ao mesmo, não comunicou a doença aos órgãos competentes, motivo pelo qual, ao ser descoberto tal fato, foi processado criminalmente. Na hipótese de antes do julgamento, ser editada nova normativa, retirando a referida patologia do rol de doenças de notificação compulsória, pode-se afirmar que: a) deve incidir a retroatividade da lex mitior, considerando que alterou a matéria da proibição. b) deve incidir a retroatividade do abolitio criminis , considerando que se alterou a matéria da proibição. c) trata-se de lei excepcional ou temporária, portanto pode ser condenado, consoante preconiza o artigo 3º doCP. d) não há como incidir a retroatividade da lei penal, em face de não ter sido alterado a matéria da proibição. e) deve ocorrer a ultra-atividade da lei penal, pois se trata de norma penal em branco stricto sensu. 8 • Q305404 Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Delegado de Polícia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicação da Lei Penal; Quanto à aplicação da lei penal brasileira no espaço, é correto afirmar:

Questões aplicação lei penal, conduta e result

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Questões aplicação lei penal, conduta e result

  • 1. APLICAO DA LEI PENAL3 Q304745 Prova: CESPE - 2013 - TRF - 5 REGIO - Juiz FederalDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;No que se refere teoria e aplicao do direito penal, assinale a opo correta.a) O condutor de veculo automotor que, por imprudncia, colidir em veculo dirigido por uma gestante, causando-lhe leses corporais de natureza leve, responder criminalmente por sua conduta, incidindo, na aplicao da pena, acircunstncia agravante de ter sido o crime praticado contra mulher grvida.b) Crime profissional consiste na prtica de aes com inteno de lucro, como o caso, por exemplo, docurandeirismo, enquanto o crime habitual consiste na reiterao da mesma conduta reprovvel, como um meiousual de sobrevivncia, como, por exemplo, o rufianismo.c) Na hiptese de tentativa irreal ou supersticiosa, o agente no responde pelo crime pretendido porque suainteno no basta para ofender o bem jurdico visado, sendo a tentativa impunvel e, conforme o caso, o crimeimpossvel ou o delito putativo.d) No pode alegar, em sua defesa, estado de necessidade o indivduo que tem o dever legal ou contratual deenfrentar o perigo.e) Ser reduzida de um a dois teros a pena do condenado pelo crime de latrocnio que colaborar voluntariamentecom a investigao policial e o processo criminal na identificao dos demais coautores ou partcipes do crime, nalocalizao da vtima e na recuperao total ou parcial do produto do crime.4 Q308166 Prova: MPE-SC - 2013 - MPE-SC - Promotor de Justia - ManhDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Ver texto associado questoAcerca da aplicao da lei penal, a hiptese de sujeio lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimescontra o patrimnio ou a f pblica da Unio, do Distrito Federal, de Estado, de Territrio, de Municpio, deempresa pblica, sociedade de economia mista, autarquia ou fundao instituda pelo Poder Pblico, diz respeito aoprincpio da nacionalidade passiva.Certo Errado6 Q305410 Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Delegado de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; A Presidente da Repblica editou uma Medida Provisria, agravando a pena de umdeterminado crime. Logo, pode-se afirmar:I. Trata-se de lei emsentido formal.II. Pelo princpio da retroatividade benfica, a Medida Provisria somente poder ser aplicada a fatos posteriores sua edio.III. A agravao da pena somente poder ocorrer aps a aprovao da Medida Provisria pelo CongressoNacional.IV. Apresenta vcio de origem que no convalesce pela sua eventual aprovao.Indique a opo que contempla a(s) assertiva(s) correta(s).a) I, II, III e IV.b) I, II e III, apenas.c) II, III e IV, apenas.d) I, apenas.e) IV, apenas.7 Q305400 Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Delegado de PolciaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;A Portaria n 104/2011, do Gabinete do Ministrio da Sade, definiu a relao de doenas de notificaocompulsria em todo o territrio nacional. Joaquim, mdico, ao tomar conhecimento de um paciente que estavacom uma patologia descrita na referida normativa, por amizade ao mesmo, no comunicou a doena aos rgoscompetentes, motivo pelo qual, ao ser descoberto tal fato, foi processado criminalmente. Na hiptese de antesdo julgamento, ser editada nova normativa, retirando a referida patologia do rol de doenas de notificaocompulsria, pode-se afirmar que:a) deve incidir a retroatividade da lex mitior, considerando que alterou a matria da proibio.b) deve incidir a retroatividade do abolitio criminis , considerando que se alterou a matria da proibio.c) trata-se de lei excepcional ou temporria, portanto pode ser condenado, consoante preconiza o artigo 3 doCP.d) no h como incidir a retroatividade da lei penal, em face de no ter sido alterado a matria da proibio.e) deve ocorrer a ultra-atividade da lei penal, pois se trata de norma penal em branco stricto sensu.8 Q305404 Prova: FUNCAB - 2013 - PC-ES - Delegado de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; Quanto aplicao da lei penal brasileira no espao, correto afirmar:
  • 2. I. O princpio da universalidade, preconizado no artigo 7, II, a, do CP no obsta a concesso da extradio aoEstado no qual ocorreram as prticas delituosas.II. Em razo do princpio da personalidade passiva, o brasileiro nato no pode ser extraditado, entretanto submetido lei brasileira quando pratica crime no estrangeiro, mesmo que j tenha cumprido pena ou tenha sidoabsolvido no pas onde praticou o crime.III. A legislao brasileira adota de forma irrestrita o princpio da justia universal; inclusive nos crimes de trficode pessoas esse princpio prevalece em prejuzo do princpio da territorialidade.IV. O territrio onde esto instaladas as embaixadas estrangeiras passam a constituir territrio do Estado daembaixada.Indique a opo que contempla a(s) assertiva(s) correta(s).a) I, II, III e IV.b) II, III e IV, apenas.c) III e IV, apenas.d) I e IV, apenas.e) I, apenas.9 Q304683 Prova: FMP-RS - 2013 - MPE-AC - Analista - Processual - DireitoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Em matria de lei penal, assinale a afirmativa correta.a) O princpio da legalidade a regra, mas admite-se a edio de medidas provisrias em matria penal, em caso derelevncia e urgncia.b) Adota o Cdigo Penal brasileiro a teoria da atividade relativamente ao tempo do crime.c) Adota o Cdigo Penal brasileiro a teoria do resultado relativamente ao tempo do crime.d) Adota o Cdigo Penal brasileiro a teoria da ubiquidade relativamente ao tempo do crime.e) A lei posterior, que de qualquer modo favorecer o agente, no se aplica aos fatos anteriores, quando decididospor sentena condenatria transitada em julgado.12 Q300459 Prova: FCC - 2013 - TJ-PE Juiz Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Das Penas; Na aplicao da pena,a) considera-se circunstncia agravante o fato de o crime ser praticado contra pessoa maior de setenta anos.b) no prevalece a condenao anterior, para efeito de reconhecimento de reincidncia, se entre a data documprimento ou extino da pena e a infrao posterior tiver decorrido perodo de tempo superior a cinco anos,descontado o perodo de prova da suspenso.c) a incidncia de circunstncia atenuante pode con- duzir reduo da pena abaixo do mnimo legal, se- gundoentendimento do Superior Tribunal de Justia.d) no se impe o acrscimo decorrente do concurso formal perfeito pena de multa.e) o tempo de cumprimento das penas privativas de li- berdade no pode ser superior a trinta anos, limite que deveser considerado para efeito de concesso de livramento condicional, conforme entendimento sumulado do SupremoTribunal Federal.13 Q298685 Prova: FEPESE - 2013 - DPE-SC - Analista Tcnico Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; O Cdigo Penal brasileiro adotou qual teoria para definir o local do crime?a) Teoria da aob) Teoria do resultadoc) Teoria da ao mistad) Teoria do resultado objetivoe) Teoria mista ou da ubiguidade2 Q274977 Prova: CESPE - 2012 - PC-AL - Agente de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; Ver texto associado questoCessado o estado de guerra, as leis excepcionais editadas para valer durante o referido perodo tornam-se ineficazes,devido abolitio criminis.Certo Errado4 Q274980 Prova: CESPE - 2012 - PC-AL - Agente de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; Ver texto associado questoA lei penal mais severa aplica-se ao crime continuado ou ao crime permanente iniciados antes da referida lei, se acontinuidade ou a permanncia no tiverem cessado at a data da entrada em vigor da lex gravior.Certo Errado
  • 3. 5 Q293467 Prova: IESES - 2012 - TJ-RO - Titular de Servios de Notas e de Registros - Provimento poringresso Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Do Crime; certo afirmar:I. Crime um fato tpico, antijurdico e culpvel.II. O resultado, de que depende a existncia do crime, imputvel tanto a quem deu quanto a quem no lhe deucausa.III. A Lei penal brasileira por ser soberana se sobrepe aos tratados e convenes internacionais, sendo de aplicaoabsoluta.IV. Considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ao ou omisso, no todo ou em parte, bem comoonde se produziu ou deveria produzir-se o resultado.Analisando as proposies, pode-se afirmar:a) Somente as proposies II e IV esto corretas.b) Somente as proposies I e III esto corretas.c) Somente as proposies I e IV esto corretas.d) Somente as proposies II e III esto corretas.6 Q286996 Prova: CESPE - 2012 - TCE-ES - Auditor de Controle Externo - DireitoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Ver texto associado questoA eficcia da sentena penal condenatria proferida no estrangeiro depende de homologao tanto para obrigar ocondenado reparao do dano, a restituies e a outros efeitos civis quanto para o reconhecimento da reincidncia.Certo Errado7 Q268050 Prova: CESPE - 2012 - TJ-BA - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Das Penas; Dos Crimes Contra o Patrimnio.;Assinale a opo correta com base no entendimento dos tribunais superiores acerca de cominaes legais.a) Aplica-se ao crime continuado a lei penal mais grave caso a sua vigncia seja anterior cessao dacontinuidade.b) Aplica-se ao furto qualificado, em razo do concurso de agentes, a majorante do roubo.c) Fixada a pena-base no mnimo legal em face do reconhecimento das circunstncias judiciais favorveis ao ru, possvel infligir-lhe regime prisional mais gravoso considerando-se isoladamente a gravidade genrica do delito.d) A pena do crime de roubo circunstanciado, na terceira fase de aplicao, ser exasperada em razo do nmero decausas de aumento.e) Aplica-se a continuidade delitiva aos crimes de estelionato, de receptao e de adulterao de sinal identificadorde veculo automotor, infraes penais da mesma espcie.8 Q268051 Prova: CESPE - 2012 - TJ-BA - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;No que se refere aplicao da lei penal, assinale a opo correta.a) Considere que Carlos, condenado definitivamente pena privativa de liberdade de dez anos de recluso, tenhasido encaminhado penitenciria, para o cumprimento da pena, s 23 h 45 min do dia 13 de agosto de 2010. Nessasituao, dever ser excludo do cmputo do cumprimento da pena o referido dia, uma vez que Carlos ficar preso,nesse dia, menos de uma hora.b) A lei penal mais benfica retroagir se favorecer o agente, aplicando-se a fatos anteriores, respeitados os fatos jdecididos por sentena condenatria transitada em julgado.c) Considere que Pedrosa, brasileiro de trinta e quatro anos de idade, juntamente com mexicanos, tenha tentadosequestrar, na cidade uruguaiana de Rivera, o presidente do Brasil, quando este participava de uma convenointernacional, e que, presos ainda no Uruguai, todos tenham sido processados e absolvidos no estrangeiro porinsuficincia de provas. Nessa situao, dado o princpio da justia universal, Pedrosa no poder ser punido deacordo com a lei brasileira.d) Suponha que Joo, brasileiro de vinte e dois anos de idade, sequestre Maria, brasileira de vinte e quatro anos deidade, nas dependncias do aeroporto internacional da cidade do Rio de Janeiro RJ, levando-a, imediatamente,em aeronave alem, para o Paraguai. A esse caso aplica-se a lei penal brasileira, sendo irrelevante eventualprocessamento criminal pela justia paraguaia.e) De acordo com o princpio da universalidade, a sentena penal estrangeira homologada no Brasil obriga ocondenado a reparar o dano, sendo facultativo o pedido da parte interessada.9 Q286650 Prova: FCC - 2012 - MPE-AL - Promotor de Justia
  • 4. Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;No que se refere aplicao da lei penal, correto afirmar quea) a lei excepcional ou temporria, quando j decorrido o perodo de sua durao ou cessadas as circunstncias quea determinaram, no se aplica ao fato praticado durante sua vigncia.b) o Cdigo Penal adota a teoria do resultado quanto ao tempo do crime.c) o dia do fim inclui-se no cmputo do prazo penal.d) para a determinao do lugar do crime vigora o princpio da ubiquidade.e) as regras gerais do Cdigo Penal no se aplicam aos fatos incriminados por lei especial, ainda que esta nodisponha de modo diverso.11 Q291046 Prova: CESPE - 2012 - TJ-AC - Tcnico Judicirio - rea JudiciriaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Interpretao da Lei Penal;Ver texto associado questoConsidere que Maria seja condenada ao pagamento de multa por crime praticado no estrangeiro, e, pelo mesmodelito, seja igualmente condenada no Brasil a pena privativa de liberdade. Nessa situao, a pena de multaexecutada no estrangeiro tem o condo de atenuar a pena imposta pela justia brasileira.Certo ErradoR.(c)12 Q291049 Prova: CESPE - 2012 - TJ-AC - Tcnico Judicirio - rea Judiciria Disciplina: Direito Penal |Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Medidas de Segurana; Ver texto associado questoA medida de segurana no constitui pena, mas medida teraputica ou pedaggica destinada aos inimputveise, excepcionalmente, aos semi-imputveis, autores de fatos tpicos e ilcitos. Dessa forma, rege-se a medida desegurana pela lei vigente ao tempo da sentena.Certo Errado13 Q286032 Prova: FGV - 2012 - PC-MA - Delegado de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal;Ocorrido um fato criminoso, s vezes duas ou mais normas se apresentam para regul-lo, surgindo o chamadoconflito aparente de normas. A respeito de tal questo, assinale a afirmativa incorreta.a) A pluralidade de fatos e a pluralidade de normas so pressupostos do conflito, que aparentemente com eles seidentificam.b) O princpio da subsidiariedade atua como soldado de reserva, aplicando a norma subsidiria menos gravequando impossvel a aplicao da norma principal mais grave.c) A questo da progresso criminosa e do crime progressivo resolvida pelo princpio da absoro ou consuno.d) Na progresso criminosa, o agente inicialmente pretender praticar um crime menos grave, e, depois, resolveprogredir para o mais grave.e) No crime progressivo, o sujeito, para alcanar o crime querido, passa necessariamente por outro menos graveque aquele desejado.14 Q287514 Prova: MPE-SP - 2012 - MPE-SP - Promotor de Justia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; Dos Crimes Contra a Pessoa - Contra a Vida.; Lei temporria e excepcional; INCORRETO afirmar:a) O Cdigo Penal Brasileiro adotou a teoria da actio libera in causa.b) As leis temporrias e excepcionais so ultra-ativas.c) No crime de apropriao indbita, o dolo do agente subsequente posse do bem.d) O delito de leso corporal seguida de morte, previsto no art. 129, 3o , do Cdigo Penal, contempla hiptese decrime preterdoloso.e) A imprudncia, a negligncia e a impercia so modalidades da culpa consciente.15 Q286450 Prova: MPE-PR - 2012 - MPE-PR - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Sobre a teoria da lei penal, assinale a alternativa correta:a) Se nova lei penal altera a modalidade de ao penal a determinado crime, de pblica incondicionada parapblica condicionada representao, o princpio da irretroatividade da lei penal impede que crimes praticadosanteriormente vigncia da nova lei sejam iniciados por ao penal pblica condicionada representao;b) O Cdigo Penal brasileiro adotou a teoria da ubiquidade (ou mista) para definir o lugar do crime;
  • 5. c) A alterao da redao do art. 109, inciso VI, do Cdigo Penal, pela Lei 12.234/10, determinando a elevao dolapso temporal mnimo de prescrio, de 2 (dois) para 3 (trs) anos, para crimes com pena mxima inferior a umano, aplica-se prtica de crimes anteriores sua vigncia;d) Se nova lei penal descriminaliza conduta anteriormente tipificada como crime, a abolitio criminis atinge asaes penais em curso relativas ao crime abolido, ainda que com sentena condenatria recorrvel, mas no atingesentenas condenatrias transitadas em julgado sobre o mesmo crime;e) As normas penais em branco dependem de complementao por atos legislativos ou administrativos paraperfectibilizar a tipicidade, como ocorre com todos os tipos culposos e de omisso de ao imprpria.16 Q270427 Prova: CESPE - 2012 - DPE-RO - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Dos Crimes Contra a Dignidade Sexual.;Com relao aplicao da lei penal no tempo, aos crimes contra a dignidade sexual e aos delitos hediondos,assinale a opo correta.a) De acordo com a jurisprudncia predominante do STJ, a presuno de violncia prevista no art. 224 do CP serevela de natureza absoluta, no cedendo existncia de fatores que afastem a dita presuno.b) Pratica crime de corrupo de menores, previsto no art. 218 do CP, aquele que induz menor de dezesseis anos asatisfazer a lascvia de outrem.c) O art. 224 do CP, no qual era prevista a presuno de violncia em crimes sexuais, foi revogado, tendo sidocriado um novo tipo penal, tipificado como estupro de vulnervel, que caracteriza a abolitio criminis da condutaprevista no art. 214 (atentado violento ao pudor) c/c o art. 224 do CP.d) O princpio da continuidade normativa tpica evidencia-se quando uma norma penal revogada, mas a mesmaconduta continua sendo crime no tipo penal revogador, ou seja, a infrao penal continua tipificada em outrodispositivo, ainda que topologicamente ou normativamente diverso do originrio.e) Aplica-se ao agente de violncia real ou grave ameaa em crime de estupro ou atentado violento ao pudor acausa especial de aumento de pena prevista no art. 9. da lei que trata dos crimes hediondos.17 Q262004 Prova: FGV - 2012 - OAB - Exame de Ordem Unificado - VII - Primeira FaseDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;John, cidado ingls, capito de uma embarcao particular de bandeira americana, assassinado por Jos,cidado brasileiro, dentro do aludido barco, que se encontrava atracado no Porto de Santos, no Estado de SoPaulo. Nesse contexto, correto afirmar que a lei brasileiraa) no aplicvel, uma vez que a embarcao americana, devendo Jos ser processado de acordo com a leiestadunidense.b) aplicvel, uma vez que a embarcao estrangeira de propriedade privada estava atracada em territrionacional.c) aplicvel, uma vez que o crime, apesar de haver sido cometido em territrio estrangeiro, foipraticado por brasileiro.d) no aplicvel, uma vez que, de acordo com a Conveno de Viena, competncia do Tribunal PenalInternacional processar e julgar os crimes praticados em embarcao estrangeira atracada em territrio de pasdiverso.20 Q253690 Prova: CESPE - 2012 - MPE-TO - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Do Crime;De acordo com as disposies do CP e da doutrina pertinente, assinale a opo correta a respeito da aplicao da leipenal e de aspectos diversos relacionados ao crime.a) Sucintamente, pode-se definir imputao objetiva como um conjunto de pressupostos jurdicos que condicionama relao de imputao de um resultado jurdico a um determinado comportamento penalmente relevante.b) Crimes omissivos imprprios, comissivos por omisso ou omissivos qualificados so os que objetivamente sodescritos como uma conduta negativa, de no fazer o que a lei determina, consistindo a omisso na transgresso danorma jurdica sem que haja necessidade de qualquer resultado naturalstico. Para a existncia do crime, basta que oautor se omita quando deva agir.c) Diz-se agressivo o estado de necessidade quando a conduta do agente dirige-se diretamente ao produtor dasituao de perigo, a fim de elimin-la.d) Leis temporrias so aquelas que, por expressa previso, vigem durante situaes de emergncia.e) Conforme o princpio da territorialidade, a lei penal deve ser aplicada a todos os homens, onde quer quese encontrem, aplicando-se a lei nacional a todos os fatos punveis, sem se levar em conta o lugar do delito, anacionalidade de seu autor ou do bem jurdico lesado.
  • 6. 21 Q253692 Prova: CESPE - 2012 - MPE-TO - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Do Crime; Concurso de Pessoas;Com relao a aspectos diversos referentes a crimes, ao concurso de pessoas e s teorias a respeito do lugar docrime, assinale a opo correta conforme as disposies do CP e da doutrina pertinente.a) Crime de perigo aquele cujo tipo descreve um resultado que, contudo, no tem de se verificar para que ocorraa consumao. Bastam a ao do agente e a vontade de concretiz-lo, configuradoras do dano potencial, isto , doeventus periculi.b) A supervenincia de causa relativamente independente excluir a imputao quando, por si s, essa causaproduzir o resultado. Os fatos anteriores, entretanto, imputar-se-o a quem os praticar.c) Crime prprio aquele que, de acordo com o tipo penal, s pode ser praticado pelo agente pessoalmente, ouseja, sem a utilizao de interposta pessoa.d) Na participao de menor importncia, ocorre o chamado desvio subjetivo de condutas. Isso se d quando aconduta executada difere daquela idealizada a que aderiu o partcipe, isto , o contedo do elemento subjetivo dopartcipe diferente daquele do crime praticado pelo autor.e) De acordo com a teoria da ao ou atividade, lugar do delito aquele em que, segundo a inteno do agente,deveria ocorrer o resultado.22 Q259263 Prova: CESPE - 2012 - TRE-RJ - Analista Judicirio - rea AdministrativaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Ver texto associado questoConsidere que Paul, cidado britnico domiciliado no Brasil, em visita Argentina, tenha praticado o delito degenocdio contra vtimas de nacionalidade daquele pas e fugido, logo em seguida, para o Brasil. Nesse caso, serpossvel a aplicao da lei penal brasileira.Certo Errado25 Q260658 Prova: CESPE - 2012 - TJ-AL - Analista Judicirio - rea JudiciriaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Assinale a opo correta no que diz respeito lei penal no tempo, lei penal no espao e ao conflito aparente denormas.a) Pelo princpio da bandeira, ficam sujeitos lei penal brasileira os crimes praticados a bordo de embarcaes eaeronaves brasileiras de natureza pblica ou privada, quando em territrio estrangeiro e a no sejam julgados.b) A irretroatividade da lei penal mais grave decorrncia direta do princpio constitucional da humanidade.c) Entre o roubo e o furto possvel estabelecer uma relao de especialidade, em que a violncia contra a pessoaou a grave ameaa funcionam como elementos especiais ou especializantesd) Para o princpio da consuno no importante a relao entre meio e fim, mas o grau de violao do mesmobem jurdico.e) A requisio do ministro da Justia condio indispensvel para aplicao da lei penal brasileira aos crimescometidos contra brasileiro fora do Brasil.29 Q249973Prova: PUC-PR - 2012 - TJ-MS - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Considere os artigos abaixo. Em seguida, marque a alternativa CORRETA:Artigo 1 da Lei 2.889/1956:Quem, com a inteno de destruir, no todo ou em parte, grupo nacional, tnico, racial ou religioso, como tal:a) matar membros do grupo;Ser punido:Com as penas do art. 121, 2, do Cdigo Penal, no caso da letra a;Artigo 309 do Cdigo Eleitoral:Votar ou tentar votar mais de uma vez, ou em lugar de outrem:Pena - recluso de at trs anos.a) Norma penal em branco heterognea homovitelina aquela em que o complemento do preceito primrio danorma advm da mesma fonte formal de produo.
  • 7. b) Norma penal em branco heterognea heterovitelina aquela em que o complemento do preceito primrio danorma advm de diversa fonte formal de produo.c) Assim dispunha o artigo 214 do Cdigo Penal Brasileiro: Constranger algum, mediante violncia ou graveameaa a praticar ou a permitir que com ele se pratique ato libidinoso diverso da conjuno carnal. Considerandoque tal dispositivo foi inteiramente revogado pela Lei 12.015/2009 correto afirmar que, nesse caso, especficooperou-se Abolitio Criminis.d) O art. 1 da Lei 2.889/1956 exemplo de norma penal em branco ao avesso ou invertida. O artigo 309 doCdigo Eleitoral , por sua vez, exemplo de crime de atentado ou de empreendimento.e) Compete ao Supremo Tribunal Federal a concesso de exequatur s cartas rogatrias.30 Q249572 Prova: CESPE - 2012 - MPE-PI - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Considerando o disposto no CP e na LEP, assinale a opo correta.a) O membro do MP em atuao no juzo das execues penais no tem a obrigao de visitar os estabelecimentospenais, visto que, de acordo com o que dispe a LEP, tal obrigao do juiz da execuo.b) O agente que, por circunstncias alheias sua vontade, no consegue prosseguir na execuo s responde pelosatos j praticados.c) Sendo o criminoso primrio e a coisa furtada, de pequeno valor, o juiz poder deixar de aplicar a pena se julg-ladesnecessria em face da pequena gravidade da infrao.d) Considera-se praticado o crime no momento da ao ou omisso, exceto se outro seja o momento do resultado.e) Considera-se praticado o crime no lugar em que tenha ocorrido a ao ou omisso, no todo ou em parte, bemcomo onde se tenha produzido ou deveria produzir-se o resultado.33 Q239283 Prova: MPE-SC - 2012 - MPE-SC - Promotor de Justia - ManhDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;I O Direito Penal subjetivo o direito de punir do Estado tem limites no prprio Direito Penal objetivo.II A integrao da norma penal, visando suprir lacunas da lei, apenas possvel em relao s normas penais noincriminadoras.III Normas penais em branco so disposies cuja sano determinada, porm, com indeterminao de seucontedo.IV Com previso constitucional, o princpio da reserva legal para normas penais incriminadoras fundamental doDireito Penal, no admitindo excees.V Ainda que decididos por coisa julgada, a lei penal posterior aplica-se aos fatos anteriores quando, de qualquermodo, favorecer o agente.a) Apenas as assertivas I, III, IV e V esto corretas.b) Apenas as assertivas I, II, IV e V esto corretas.c) Apenas as assertivas II e III esto corretas.d) Apenas as assertivas I, II, III e IV esto corretas.e) Todas as assertivas esto corretas.34 Q236219 Prova: FCC - 2012 - MPE-PE - Analista Ministerial - rea JurdicaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Territorialidade;NO se aplica, em regra, a lei brasileira aos crimes praticados a bordo dea) barco mercante estrangeiro de propriedade privada em guas territoriais brasileiras.b) navio de cruzeiro de propriedade de empresa estrangeira em guas territoriais brasileiras.c) aeronave brasileira a servio do governo brasileiro em espao areo estrangeiro.d) barco pesqueiro brasileiro de propriedade particular em guas territoriais estrangeiras.e) aeronave comercial estrangeira em voo no espao areo brasileiro.35 Q236058 Prova: CESPE - 2012 - Polcia Federal - Agente da Polcia FederalDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Extraterritorialidade ;Julgue os itens a seguir com base no direito penal.Ser submetido ao Cdigo Penal brasileiro o agente, brasileiro ou no, que cometer, ainda que no estrangeiro, crimecontra administrao pblica, estando a seu servio, ou cometer crime contra o patrimnio ou a f pblica da Unio,de empresa pblica ou de sociedade de economia mista. A circunstncia de a conduta ser lcita no pas onde foipraticada ou de se encontrar extinta a punibilidade ser irrelevante para a responsabilizao penal do agente noBrasil.Certo Errado
  • 8. 36 Q233456 Prova: CESPE - 2012 - TJ-PI - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;No que se refere aplicao da lei penal, assinale a opo correta.a) Em relao ao lugar do crime, o legislador adotou, no CP, a teoria do resultado, considerando praticado o crimeno lugar onde se produziu ou deveria produzir-se o resultado.b) Desprezam-se, nas penas privativas de liberdade e nas restritivas de direitos, as fraes de dia, mas, nas demulta, no se desconsideram as fraes da moeda.c) A abolitio criminis, que possui natureza jurdica de causa de extino da punibilidade, conduz extino dosefeitos penais e extrapenais da sentena condenatria.d) Desde que em benefcio do ru, a jurisprudncia dos tribunais superiores admite a combinao de leis penais, afim de atender aos princpios da ultratividade e da retroatividade in mellius.e) Em relao ao tempo do crime, o legislador adotou, no CP, a teoria da atividade, considerando-o praticado nomomento da ao ou omisso37 Q234842 Prova: CESPE - 2012 - MPE-PI - Analista Ministerial - rea Processual - Cargo 8Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Princpios;Ver texto associado questoO princpio da consuno, consoante posicionamento doutrinrio e jurisprudencial, resolve o conflito aparentede normas penais quando um crime menos grave meio necessrio, fase de preparao ou de execuo de outromais nocivo, respondendo o agente somente pelo ltimo. H incidncia desse princpio no caso de porte de armautilizada unicamente para a prtica do homicdio.Certo Errado43 Q214912 Prova: FCC - 2012 - TJ-PE - Analista Judicirio - rea Judiciria - e AdministrativaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Territorialidade;A respeito da aplicao da lei processual no espao, considere:I. embarcaes brasileiras de natureza pblica, onde quer que se encontrarem.II. aeronaves brasileiras a servio do governo brasileiro, onde quer que se encontrem.III. embarcaes brasileiras mercantes ou de propriedade privada, que se acharem em alto mar.IV. aeronaves brasileiras mercantes ou de propriedade privada que se acharem no espao areo brasileiro.V. embarcaes brasileiras mercantes ou de propriedade privada, que se acharem no espao areo de outro pas.Considera-se territrio brasileiro por extenso as indicadas APENAS ema) I e V.b) III e IV.c) II e III.d) I, II, IV e V.e) I, II, III e IV.4 Q205288 Prova: MPDFT - 2011 - MPDFT - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Examine as afirmaes que se seguem, referentes aplicao da lei penal, e assinale a alternativa correta:a) Ostentam imunidade diplomtica os diplomatas de carreira, os membros do quadro administrativo e tcnico dasede diplomtica, com os respectivos familiares, alm dos adidos consulares.b) O fenmeno da Lex intermedia importa na aplicao da lei penal mais benfica ao acusado, ainda que no tenhasido a lei de regncia ao tempo do fato, nem mais subsista, dada sua revogao, ao tempo da deciso condenatria.c) Segundo entendimento doutrinrio e jurisprudencial predominante, operou-se a abolitio criminis em relao aocrime de porte de entorpecentes para uso prprio, nos termos da Lei n 11.343/2006.d) A aplicao da lei penal estrangeira ao crime ocorrido no territrio brasileiro vedada pelo princpio dasoberania.e) Por se tratar de crime formal, extorso mediante seqestro, iniciada na gide da lei penal mais branda, no seaplica a lei penal mais grave, ainda que a restrio da liberdade da vtima perdure aps a alterao legislativa queagrave a pena do referido crime.5 Q249698 Prova: CESPE - 2011 - TRF - 3 REGIO - Juiz Federal Disciplina: Direito Penal | Assuntos: DaAplicao da Lei Penal; Dos Crimes Contra o Patrimnio.; Excludente de ilicitude; Dolo;A respeito dos crimes contra o patrimnio, da legitima defesa, da aplicao da lei penal, do dolo e da culpabilidade,assinale a opo correta.a) Pelo princpio da extraterritorialidade, aplica-se a lei penal brasileira ao crime cometido por estrangeiro contrabrasileiro a bordo de aeronave da fora area brasileira, quando em pouso em solo estrangeiro ou sobrevoando oespao areo correspondente.
  • 9. b) Consoante a doutrina finalista, os conceitos de dolo de culpabilidade so conceitos normativos.c) O STF entende que se aplica ao crime continuado e ao permanente a lei do tempo em que cesse a continuidadeou a permanncia, sendo ela ou no a lei mais benfica.d) Responde somente por estelionato o sujeito que preenche cheque de terceiro e, por imitao da assinatura, obtmseu pagamento ou compensao, ficando a falsificao absorvida pelo crime patrimonial, segundo entendimentoconsolidado.e) No se admite, por incompatibilidade terica, a legtima defesa como justificativa da ao que repele agressopraticada em legtima defesa putativa.6 Q250215Prova: TRT 23R (MT) - 2011 - TRT - 23 REGIO (MT) - Juiz do TrabalhoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Assinale a altemativa incorreta:a) S licito o uso de algemas em casos de resistncia e de fundado receio de fuga ou de perigo integridadefisica prpria ou alheia, por parte do preso ou de terceiros, justificada a excepcionalidade por escrito, sob pena deresponsabilidade disciplinar, civil e penal do agente ou da autoridade e de nulidade da priso ou do ato processual aque se refere, sem prejuzo da responsabilidade civil do Estado.b) ilcita a priso civil de depositrio infiel, qualquer que seja a modalidade do depsito.c) Ningum pode ser punido por fato que lei posterior deixa de considerar crime, cessando em virtude dela aexecuo e os efeitos penais da sentena condenatria; todavia, a lei posterior, que de qualquer modo favorecero agente, no mais se aplica aos fatos anteriores quando estes tiverem sido decididos por sentena condenatriatransitada em julgado.d) Considera-se praticado o crime no momento da ao ou omisso, ainda que outro seja o momento do resultadoe) Considera-se praticado o crime no lugar em que ocorreu a ao ou omisso, no todo ou em parte, bem comoonde se produziu ou deveria produzir-se o resultado8 Q215228 Prova: COPS-UEL - 2011 - PGE-PR - Procurador - do EstadoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Considere as seguintes afirmaes:I a vigncia de medida provisria que define tipo penal inconstitucional.II o princpio da tipicidade garante a proibio da analogia in malam partem no direito penal.III o latrocnio ocorrido em 1989 no punvel com fundamento na Lei n. 8.072/90 em razo do princpio daultra-atividade da lei mais benfica.IV em caso de abolitio criminis o sujeito condenado a pena privativa de liberdade deve ser prontamente libertadopelo juiz, volta condio de primrio e pode exigir da Administrao Pblica indenizao pelo tempo em quepermaneceu preso.V a revogao formal da lei penal no suficiente para a abolitio criminis quando, embora revogada a lei, houvea continuidade da hiptese normativo-tpica.Alternativas:a) so corretas as afirmativas I, III e IV;b) so corretas as afirmativas II, III, IV e V;c) somente a afirmativa IV incorreta;d) somente as afirmativas II e V so incorretas;e) todas as afirmativas so corretas.11 Q210935 Prova: VUNESP - 2011 - TJ-RJ - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Pedro sequestrado e os agentes exigem dinheiro de familiares dele como preo do resgate. Enquanto Pedro estprivado da sua liberdade, promulgada lei aumentando a pena cominada ao crime de extorso mediante sequestro,previsto no art. 159, do Cdigo Penal. Os agentes so presos em flagrante, e Pedro, libertado pela polcia, massomente aps a entrada em vigor da alterao legislativa. A pena a ser imposta aos agentes do sequestro, neste caso,ser:a) a pena anteriormente prevista, pelo princpio da ultratividade da lei penal benfica.b) a pena anteriormente prevista, pois a extorso mediante sequestro crime instantneo de efeitos permanentes.c) a pena prevista pela nova legislao, pelo princpio da retroatividade da lei penal.d) a pena prevista pela nova legislao, pois a extorso mediante sequestro crime permanente.12 Q208952 Prova: PC-MG - 2011 - PC-MG - Delegado de PolciaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Em relao aplicao da Lei Penal CORRETO afrmar que:
  • 10. a) Para aplicao da lei penal no tempo e no espao, o Cdigo Penal Brasileiro adotou, respectivamente, as teoriasdo resultado e da ubiquidade.b) De acordo com o art. 10 do Cdigo Penal, na contagem de prazos penais, no se computar o dia do comeo,incluindo-se, porm, o do vencimento.c) Pelo princpio da especialidade, o agente que efetua diversos disparos de arma de fogo para o alto, vindo acausar a morte de dois transeuntes, responde pelos crimes de homicdio consumado, em concurso formal imprprio,j que a norma especial afasta a aplicao da norma geral.d) Com a abolitio criminis procedida pela Lei n 11.106/2005, para o crime de rapto, cessaram todos os efeitospenais advindo de eventuais condenaes, permanecendo, conduto, os efeitos civis.R.(d)13 Q207722 Prova: CESPE - 2011 - AL-ES - Procurador - conhecimentos especficosDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Princpios;Com referncia aos princpios aplicveis ao direito penal e aplicao da lei penal, assinale a opo correta.a) A sentena estrangeira, quando a aplicao da lei brasileira produz na espcie as mesmas consequncias, nopode ser homologada no Brasil para sujeitar o condenado a medida de segurana.b) Ficaro sujeitos lei brasileira, embora cometidos no estrangeiro, os crimes contra a f pblica do DF, de estadoou de municpio.c) Em relao ao tempo e ao lugar do crime, o CP adotou a teoria da ubiquidade ou mista.d) Qualquer que seja o delito, a incidncia de duas circunstncias qualificadoras veda a substituio da penaprivativa de liberdade por pena restritiva de direitos, sem ferimento ao princpio da reserva legal.e) Para os efeitos penais, no so consideradas extenso do territrio nacional as embarcaes brasileiras,mercantes ou de propriedade privada, que estejam em alto-mar.16 Q200562 Prova: INSTITUTO CIDADES - 2011 - DPE-AM - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Em relao novatio legis incriminadora, a novatio legis in pejus, abolitio criminis e a novatio legis in mellius,assinale o que for errado.a) d-se a novatio legis incriminadora quando a lei penal definir nova conduta como infrao penal;b) caracteriza-se a novatio legis in pejus quando a lei penal redefinir infraes penais, dando tratamento maissevero a condutas j punidas pelo direito penal, quer criminalizando o que antes era contraveno penal, querapenas conferindo disciplina mais gravosa;c) ocorre a abolitio criminis quando, por exemplo, a lei penal abolir uma contraveno penal, como foi o caso darevogao do artigo 60 da Lei das Contravenes Penaisd) tem-se a novatio legis in mellius quando a lei penal definir fatos novos como infrao penal, tambmdenominada neocriminalizao.e) as situaes de novatio legis e abolitio criminis so tratadas pelo artigo 2 do Cdigo Penal e dizem respeito disciplina da lei penal no tempo.17 Q197584 Prova: MPE-SP - 2011 - MPE-SP - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Assinale a alternativa que estiver totalmente correta.a) Em face do princpio da legalidade constitucionalmente consagrado, a lei penal sempre irretroativa, nuncapodendo retroagir.b) Se entrar em vigor lei penal mais severa, ela ser aplicvel a fato cometido anteriormente a sua vigncia, desdeque no venha a criar figura tpica inexistente.c) Sendo a lei penal mais favorvel ao ru, aplica-se ao fato cometido sob a gide de lei anterior, desde que eleainda no tenha sido decidido por sentena condenatria transitada em julgado.d) A lei penal no pode retroagir para alcanar fatos ocorridos anteriormente a sua vigncia, salvo no caso deabolitio criminis ou de se tratar de lei que, de qualquer modo, favorea o agente.e) Se a lei nova for mais favorvel ao ru, deixando de considerar criminosa a sua conduta, ela retroagir mesmoque o fato tenha sido definitivamente julgado, fazendo cessar os efeitos civis e penais da sentena condenatria.18 Q190318 Prova: FUNDEP - 2011 - MPE-MG - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Considerando nosso Direito Penal positivo, analise as seguintes proposies e assinale a INCORRETA.a) A parte geral do Cdigo Penal apresenta um conceito criminolgico de infrao penal, sob a influncia davertente etiolgica da criminologia, dominante na poca de sua elaborao.
  • 11. b) Aplicando-se as normas da parte geral do Cdigo Penal, um crime cometido no estrangeiro contra o patrimniodo Municpio de Leopoldina/MG ficaria sujeito lei brasileira, sendo o agente punido segundo a lei brasileira,ainda que absolvido no estrangeiro.c) A parte geral do Cdigo Penal prev que a sentena estrangeira, quando a aplicao da lei brasileira produzna espcie as mesmas consequncias, pode ser homologada no Brasil para sujeitar o condenado medida desegurana, dependendo a homologao, na falta de tratado de extradio, de requisio do Ministro da Justia.d) De acordo com a parte geral do Cdigo Penal, mesmo aps a reforma de 1984, influenciada pelo finalismo, odesconhecimento inevitvel da lei inescusvel.21 Q148708 Prova: MPE-MS - 2011 - MPE-MS - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Em que consiste o conflito aparente de normas?a) Conflito aparente de normas a situao que ocorre quando ao mesmo fato parecem ser aplicveis duas ou maisnormas, formando um conflito aparente entre elas.b) O conflito aparente de normas consiste na aplicao de duas regras distintas para fatos delituosos diversos..c) O conflito aparente de normas consiste em se aplicar uma s norma para fatos distintos.d) O conflito aparente de normas consiste na aplicao de regras semelhantes no caso de concurso de delitos.e) O conflito aparente de normas consiste na aplicao simultnea de penas para delitos diferentes.22 Q133850 Prova: PUC-PR - 2011 - TJ-RO - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Do Crime;No que tange ao tempo do crime, assinale a nica alternativa CORRETA.a) Considera-se praticado o ato criminoso no momento em que ocorre o seu resultado.b) Considera-se praticado o ato criminoso quando o agente d incio ao planejamento de sua execuo.c) Considera-se praticado o ato criminoso no exato momento da ao ou omisso, desde que o resultado almejadoocorra concomitantemente.d) Considera-se praticado o ato criminoso no exato momento da ao ou omisso, ainda que o resultado lesivoocorra em momento diverso.e) Considera-se praticado o ato criminoso no momento da ao ou omisso, independentemente da ocorrncia ouno do resultado.23 Q133851 Prova: PUC-PR - 2011 - TJ-RO - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Ficam sujeitos lei brasileira, ainda que praticados no estrangeiro, os crimes:I) Praticados contra a vida ou liberdade do Presidente e Vice-Presidente da Repblica.II) Contra a Administrao Pblica, por quem est a seu servio.III) Que, por tratado ou conveno, o Brasil obrigou a reprimir.IV) Contra o patrimnio ou a f pblica da Unio, do Distrito Federal, de Estado, de Terririo, de Municpio, deempresa pblica, sociedade de economia mista, autarquia ou fundao instituda pelo Poder Pblico, ou aindacontra a vida de seus representantes legais.Est(o) CORRETA(S):a) Todas as assertivas.b) Somente as assertivas I e III.c) Somente as assertivas II, III e IV.d) Somente a assertiva II.e) Somente as assertivas II e III.26 Q117520 Prova: MPE-PR - 2011 - MPE-PR - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Sobre a teoria da lei penal, assinale a alternativa correta:a) a analogia in bonam partem no possui restries em matria penal, sendo admissvel, por exemplo, em causasde justificao, causas de exculpao e situaes de extino ou reduo da punibilidade, e a analogia in malanpartem possui menor nvel de aceitabilidade em matria penal, sendo admissvel apenas em hipteses excepcionais;b) a proibio da retroatividade da lei penal, como um dos fundamentos do princpio constitucional da legalidade,no admite excees;c) o princpio da insignificncia est diretamente relacionado ao princpio da lesividade e sua aplicao exclui aprpria culpabilidade;d) os crimes de trfico de drogas (Lei 11.343/06, art. 33), de porte ilegal de arma de fogo de uso restrito (Lei10.826/03, art. 16, caput) e de destruio de floresta considerada de preservao permanente (Lei 9.605/98, art. 38,caput), so exemplos tpicos de normas penais em branco;
  • 12. e) segundo a sistemtica adotada pelo art. 3 do Cdigo Penal brasileiro, as leis excepcionais e temporrias nopossuem ultra-atividade.27 Q105108 Prova: FCC - 2011 - TJ-AP - Titular de Servios de Notas e de RegistrosDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Um navio mercante brasileiro de propriedade privada naufragou em alto mar. Os tripulantes passaram para barcossalva-vidas. Num desses barcos, houve uma briga, tendo um tripulante ingls matado um tripulante francs e feridoum colombiano. A competncia para processar julgar esses delitos da justiaa) francesa, por ter sido o francs a vtima do crime mais grave.b) brasileira, por tratar-se de barco remanescente do navio mercante.c) do pas em cujo porto o barco salva-vidas aportar.d) da Inglaterra, por ter sido o tripulante ingls o autor dos delitos.e) da Inglaterra ou da Frana, a ser definida pela preveno.28 Q88142 Prova: CESPE - 2011 - TJ-ES - Analista Judicirio - Direito - rea Judiciria - especficosDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Princpios;Ver texto associado questoUma das funes do princpio da legalidade refere-se proibio de se realizar incriminaes vagas eindeterminadas, visto que, no preceito primrio do tipo penal incriminador, obrigatria a existncia de definioprecisa da conduta proibida ou imposta, sendo vedada, com base em tal princpio, a criao de tipos que contenhamconceitos vagos e imprecisos.Certo ErradoR.(c)29 Q88143 Prova: CESPE - 2011 - TJ-ES - Analista Judicirio - Direito - rea Judiciria - especficosDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;Ver texto associado questoConsidere que um indivduo pratique dois crimes, em continuidade delitiva, sob a vigncia de uma lei, e, aps aentrada em vigor de outra lei, que passe a consider-los hediondos, ele pratique mais trs crimes em continuidadedelitiva. Nessa situao, de acordo com o Cdigo Penal, aplicar-se- a toda a sequncia de crimes a lei anterior, porser mais benfica ao agente.Certo ErradoR.(e)31 Q87585 Prova: FCC - 2011 - TRE-RN - Analista Judicirio - rea JudiciriaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal;O prazo de natureza penal fixado em um ms, inicia- do no dia 13 de janeiro de 2010, quarta-feira, expirou-se nodiaa) 15 de fevereiro de 2010, segunda-feira.b) 14 de fevereiro de 2010, domingo.c) 13 de fevereiro de 2010, sbado.d) 12 de fevereiro de 2010, sexta-feira.e) 11 de fevereiro de 2010, quinta-feira.34 Q86044 Prova: FCC - 2011 - DPE-RS - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Da Aplicao da Lei Penal; Das Penas; Causas de Aumento de Pena;A respeito dos entendimentos sumulados INCORRETO afirmar:a) Para o Superior Tribunal de Justia, inquritos policiais e aes penais em curso no podem agravar a pena-base.b) Segundo o Superior Tribunal de Justia, o aumento da pena na terceira fase nas hipteses de roubo majoradoexige fundamentao concreta, no sendo suficiente a mera aluso ao nmero de majorantes.c) Segundo o Supremo Tribunal Federal, a lei penal mais grave aplica-se ao crime continuado ou ao delitopermanente, se sua vigncia anterior cessao da continuidade ou da permanncia.d) De acordo com smula vinculante do Supremo Tribunal Federal, direito do defensor, no interesse dorepresentado, ter acesso amplo aos elementos de prova que, j documentados em procedimento investigatriorealizado por rgo com competncia de polcia judiciria, digam respeito ao exerccio do direito de defesa.e) De acordo com o Superior Tribunal de Justia, possvel aplicar ao delito de furto qualificado pelo concurso deagentes aumento idntico ao previsto para o roubo majorado pelo concurso de agentes, visto que mais benfico.2 Q235159 Prova: CESPE - 2011 - TJ-ES Juiz ANULADADisciplina: Direito Penal | Assuntos: Introduo ao estudo do Direito Penal;Assinale a opo correta com referncia s fontes de direito penal.
  • 13. a) Fontes formais mediatas do direito penal, os costumes qualificam-se como princpio consuetudinrio com amera repetio mecnica de uma regra de conduta.b) A jurisprudncia, entendida como a repetio de decises em um mesmo sentido, emanadas dos tribunais, fonte de criao do direito penal.c) Quando serve de orientao ao legislador, mediante a formao de comisses prvias de estudos, a doutrinapassa a ser fonte formal mediata do direito penal.d) A lei, fonte material do direito penal, constitui a expresso suprema da vontade do Estado, a que outras fontes secondicionam e se subordinam.e) A doutrina e a jurisprudncia podem ter influncia mais ou menos direta na sano e modificao das leis, masno so fontes do direito penal.3 Q219450 Prova: CESPE - 2011 - DPE-MA - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Introduo ao estudo do Direito Penal;No que diz respeito s fontes do direito penal brasileiro, assinale a opo correta.a) O complemento da norma penal em branco considerada em sentido estrito provm da mesma fonte formal, aopasso que o da norma penal em branco considerada em sentido lato provm de fonte formal diversa.b) A analogia, mtodo pelo qual se aplica a lei de algum caso semelhante ao que estiver sendo analisado, classificada como fonte formal mediata do direito penal.c) Na norma penal em branco ao avesso, o preceito secundrio fica a cargo de norma complementar, que, deacordo com o ordenamento jurdico brasileiro, pode ser legal ou infralegal.d) As fontes materiais revelam o direito; as formais so as de onde emanam as normas, que, no ordenamentojurdico brasileiro, referem-se ao Estado.e) As fontes de cognio classificam-se em imediatas representadas pelas leis e mediatas representadaspelos costumes e princpios gerais do direito.4 Q190315 Prova: FUNDEP - 2011 - MPE-MG - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Introduo ao estudo do Direito Penal;Sobre a evoluo do conceito de bem jurdico, cuja criao no apenas produto de uma elaborao jurdica pura,mas tambm de um contexto poltico e econmico, INCORRETO afirmar quea) a noo positivista de bem jurdico parte da ideia de que o bem jurdico se reduz a um elemento da prprianorma, porque somente a lei expressa os objetos jurdicos ao encerrar a vontade declarada do Estado.b) a viso neokantiana exprime o bem jurdico como um valor que se identifica com a prpria finalidade da norma,considerando-o como elemento de todos os pressupostos do complexo cultural de que emana o direito.c) tanto na viso positivista quanto na viso neokantiana, o bem jurdico visto como um pressuposto formal daincriminao, trabalhando com os dados existentes na ordem jurdica, sem question-los.d) na viso funcionalista, o bem jurdico visto na perspectiva dos valores tico-sociais elementares, relativos pessoa, ao patrimnio, famlia e ao Estado, negando-se o fim de estabilidade da norma como instrumental manuteno do sistema.2 Q286570 Prova: CESPE - 2012 - DPE-SE - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal;Com base na interpretao da lei penal e no conflito aparente de normas penais, assinale a opo correta.a) O princpio da especialidade, aplicado na soluo do conflito aparente de normas penais, tem a finalidadeespecfica de evitar o bis in idem e determina a prevalncia da norma especial em comparao com a geral,ocorrendo apenas no confronto in concreto das leis que definem o mesmo fato.b) Entre o tipo penal bsico e os derivados, sejam eles qualificados ou privilegiados, no h relao deespecialidade, o que afasta a aplicao do princpio da especialidade na soluo de conflito aparente de normaspenais.c) O mtodo filolgico, literal, ou gramatical, consiste na reconstruo do pensamento legislativo por meio daspalavras da lei, em suas conexes lingusticas e estilsticas, e ignora, por completo, a ratio legis.d) A interpretao teleolgica busca a vontade do legislador, a chamada voluntas legislatoris, e no a vontade dalei, denominada voluntas legis.e) O fenmeno denominado de interpretao evolutiva ocorre quando a disposio legal ganha novo sentido,aplicando-se a situaes imprevistas ou imprevisveis ao legislador.8 Q240628 Prova: CESPE - 2012 - TJ-CE - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal;Em relao analogia, assinale a opo correta.
  • 14. a) A analogia s ocorre na hiptese de aplicao de lei, sendo vedada a utilizao de entendimento firmado emsmula de tribunal superior analogicamente a outra situao semelhante.b) A analogia em direito penal, em regra, s pode ser utilizada em razo da ausncia de norma regulamentadora, dapresena de lacuna na lei ou da existncia de lei desproporcional.c) A analogia, forma de autointegrao da lei, no constitui fonte mediata do direito, podendo ser utilizada emrelao a normas permissivas e incriminadoras.d) A jurisprudncia do STJ admite, no mbito do direito penal, a aplicao de analogia de normas de direito civilou processual civil, ainda que resulte na condenao do ru.e) O uso do instituto da analogia pressupe, necessariamente, uma lacuna involuntria da norma em vigor.9 Q222537 Prova: UEG - NCLEO - 2008 - PC-GO - Delegado de PolciaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal;Sobre a teoria, interpretao e aplicao da norma penal, CORRETO afirmar:a) a interpretao analgica aquela que abarca os casos anlogos, conforme uma frmula casustica gravada nodispositivo legal, no sendo admitida em direito penal.b) as normas penais que definem o injusto culpvel e estabelecem as suas conseqncias jurdicas so passveis deaplicao analgica.c) normas penais em branco imprprias so aquelas em que o complemento se encontra contido em outra leiemanada de outra instncia legislativa.d) o criminoso na realidade no viola a lei penal, e sim a proposio que lhe prescreve o modelo de sua conduta,que um preceito no escrito.1 Q307417 Prova: CESPE - 2013 - DPE-RR - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal;Em relao s fontes da lei penal e sua interpretao, assinale a opo correta.a) A teoria subjetiva de interpretao da lei penal assevera que a natureza subjetiva da lei permite sua adaptaoaos novos contextos histrico-culturais, de modo a possibilitar a aplicao da disposio legislativa a situaesimprevistas ou imprevisveis ao tempo da sua criao.b) A interpretao sistemtica possui idntica finalidade da interpretao evolutiva, uma vez que ambas possuem oescopo da correta aplicao da lei ao caso concreto, considerando apenas o sistema formado pelo conjunto de leis.c) Na atualidade, os tribunais superiores tm admitido o uso e o costume, ainda que contra legem, para ajustar ascondutas previstas no tipo penal s concepes sociais dominantes, de modo a afastar a norma incriminadora que,em razo da natureza do sistema jurdico, seja desfavorvel ao ru.d) Na interpretao teleolgica, que busca a vontade da lei (voluntas legis) e no a vontade do legislador (voluntaslegislatoris), incumbe ao jurista o dever de perseguir sempre o escopo da lei e o resultado prtico que ela pressuperealizar, observando o limite insupervel da legalidade penal.e) A moderna doutrina penal considera a jurisprudncia como fonte criadora do direito, similar lei, em razo dofator de produo normativa decorrente da obrigatoriedade que possuem as decises dos tribunais superiores e docarter vinculante das smulas.2 Q308164 Prova: MPE-SC - 2013 - MPE-SC - Promotor de Justia - ManhDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal; Ver texto associado questoA interpretao, quanto aos meios empregados, divide-se em gramatical, literal ou sinttica; e lgica ou teleolgica.Se houver contradio entre as concluses da interpretao literal e lgica, dever a esta prevalecer. A interpretaoteleolgica se vale dos seguintes elementos: ratio legis; sistemtico; histrico; Direito Comparado; extrapenal eextrajurdico.Certo Errado3 Q303085 Prova: CESPE - 2013 - TRF - 2 REGIO - Juiz FederalDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal;Assinale a opo correta acerca da interpretao da lei penala) A interpretao extensiva admitida em direito penal para estender o sentido e o alcance da norma at que seatinja sua real acepo.b) A interpretao analgica no admitida em direito penal porque prejudica o ru.c) A interpretao teleolgica consiste em extrair o sentido e o alcance da norma de acordo com a posio dapalavra na estrutura do texto legal.d) A analogia penal permite ao juiz atuar para suprir a lacuna da lei, desde que isso favorea o ru.e) A interpretao judicial da lei penal se manifesta na edio de smulas vinculantes editadas pelos tribunais.
  • 15. CONDUTA E RESULTADO1 Q275157 Prova: CESPE - 2012 - TJ-RO - Analista ProcessualDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime; Tentativa;A respeito do iter criminis e do momento de consumao do delito, assinale a opo correta.a) A tentativa, uma norma de extenso temporal, no se enquadra diretamente no tipo incriminador; faz-senecessria uma norma que amplie a figura tpica at alcanar o fato material.b) A tentativa perfeita ou crime falho aquela na qual o agente interrompe a atividade executria e no consuma ocrime por circunstncias alheias sua vontade.c) O crime de extorso se consuma com a obteno da indevida vantagem econmica por parte do agente.d) A tentativa de homicdio se distingue do delito de leses corporais dolosas pela gravidade da ofensa integridade fsica da vtima.e) O crime tentado punido da mesma forma que o crime consumado, pois o que vale a inteno do agente.2 Q286457 Prova: MPE-PR - 2012 - MPE-PR - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;Sobre tentativa e consumao, assinale a alternativa incorreta:a) O arrependimento eficaz pode ocorrer em hipteses de tentativa acabada, estando excludo em hipteses detentativa inacabada;b) A desistncia do autor de prosseguir na execuo do crime, estimulada por prvia conscientizao detestemunha presencial, suficiente para configurar a desistncia voluntria;c) Para definir o incio de execuo da ao tpica, a teoria objetiva material e a teoria objetiva formal notrabalham com elementos subjetivos;d) Para a teoria objetiva individual, a tentativa se caracteriza pela realizao de ao imediatamente anterior ao tipolegal, produtora de perigo direto para o bem jurdico protegido, independente da representao do fato pelo autor;e) O fundamento para a iseno de pena na tentativa inidnea a ausncia de perigo objetivo de leso ao bemjurdico protegido no tipo.3 Q274270 Prova: CESPE - 2012 - PC-AL - Delegado de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;Do Crime - Crime Impossvel; Ver texto associado questoConsidere que Pedro, penalmente imputvel, pretendendo matar Rafael, seu desafeto, aponta em sua direo umaarma de fogo e aperta o gatilho por diversas vezes, no ocorrendo nenhum disparo em razo de defeito estruturalda arma que, de forma absoluta, impede o seu funcionamento. Nessa situao, Pedro ser punido pela tentativadelituosa, porquanto agiu com manifesta vontade de matar Jos.Certo Errado4 Q254795 Prova: CESPE - 2012 - TJ-RR - Analista - ProcessualDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Crimes tentados ou consumados; Tentativa;Jonas, policial militar em servio velado no interior de uma viatura descaracterizada em estacionamento pblicoprximo a uma casa de eventos, onde ocorria grande espetculo de msica, percebeu a presena de Mauro,com vinte e quatro anos de idade, que j ostentava condenao transitada em julgado por crime de receptao.Na oportunidade, Jonas viu que Mauro usou um pequeno canivete para abrir um automvel e neste ingressourapidamente. Fbio, com dezessete anos de idade, e que acompanhava Mauro, entrou pela porta direita dopassageiro e sentou-se no banco. Mauro usou o mesmo canivete para dar partida na ignio do motor e se evadirdo local na conduo do veculo. Jonas informou sobre o fato a outros agentes em viaturas policiais, os quais,em diligncias, localizaram o veculo conduzido por Mauro e prenderam-no cerca de dez minutos depois daabordagem. Em revista pessoal realizada por policiais militares em Mauro, foi apreendida arma de fogo que seencontrava em sua cintura: um revlver de calibre 38, municiado com dois projteis, do qual o portador no tinhaqualquer registro ou porte legalmente vlido em seu nome. O canivete foi encontrado na posse de Fbio.Com referncia situao hipottica acima relatada, jugue os itens que se seguem.Mauro cometeu crime de furto na modalidade tentada, admitida a reduo da pena de um sexto a dois teros,conforme consta no CPCerto Errado5 Q239348 Prova: PC-SP - 2011 - PC-SP - Delegado de Polcia Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;Na tentativa branca ou incruentaa) o agente sequer inicia os atos executrios.b) o agente impede voluntariamente a consumao do delito.
  • 16. c) o agente limpa o local do crime aps a consumao.d) o corpo da vitima no derrama sangue.e) o agente no atinge o objeto material do delito. R.(e)6 Q215923 Prova: FCC - 2012 - TCE-AP - Analista de Controle Externo - JurdicaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;A respeito da tentativa, considere:I. o meio empregado absolutamente ineficaz para a obteno do resultado.II. o agente suspende espontaneamente a execuo do delito aps t-la iniciado.III. o meio empregado relativamente inidneo para a obteno do resultado.IV. o agente suspende a execuo do delito em razo da resistncia oposta pela vtima.V. o agente, aps ter esgotado os meios de que dispunha para a prtica do crime, impede que o resultado seproduza.H crime tentado nas situaes indicadas APENAS ema) III e IV.b) I e IV.c) I, II e IV.d) II e III.e) II, III, IV e V.1 Q205290 Prova: MPDFT - 2011 - MPDFT - Promotor de Justia ANULADADisciplina: Direito Penal | Assuntos: Concurso de Pessoas; Tentativa;Em face das seguintes assertivas, marque a alternativa incorreta:a) No admitem a tentativa, entre outros: contravenes penais, crimes culposos, crimes omissivos imprprios,crimes unissubsistentes e crimes de empreendimento.b) Crimes de resultado cortado e delitos de tendncia so espcies de crimes classificados segundo os elementossubjetivos especiais do injusto.c) A concausa prvia relativamente independente no exclui a relao de causalidade, na medida em que seconjuga com a ao ou omisso para a produo do resultado.d) O erro de permisso, uma das modalidades de erro de proibio indireto, caracteriza-se pela falsa crena doagente acerca da existncia de uma suposta causa de justificao, em realidade no admitida no ordenamentojurdico.e) A coautoria, por exigir o prvio acordo de vontades, no pode se caracterizar aps o incio da execuo daconduta por um dos agentes.2 Q244346 Prova: TRT 2R (SP) - 2011 - TRT - 2 REGIO (SP) - Juiz do TrabalhoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime; Tentativa;Assinale a alternativa correta:a) Pode-se dizer que a consumao de crime, segundo a definio dada pelo artigo 14, inciso I, do Cdigo PenalBrasileiro, o mesmo que o seu exaurimento e com este se confunde.b) O chamado exaurimento do crime est no ps-fato, decorrente do mesmo intento, mas que enseja outra punio,porque lesiona bem jurdico distinto do ofendido pelo fato anterior, ou porque incrementa a leso antes produzidaao bem jurdico atingido pelo crime antecedente.c) Tentativa imperfeita, ou "iter criminis" interrompido, aquela em que, apesar de o agente ter realizado toda afase de execuo, o resultado no acontece por circunstncias alheias sua vontade.d) A supervenincia de causa relativamente independente exclui a imputao quando, por si s, produziu oresultado, mas os fatos anteriores, entretanto, imputam-se a quem os praticou.e) Salvo disposio em contrrio, pune-se a tentativa com a pena correspondente ao crime consumado, diminudade metade at dois teros.3 Q210937 Prova: VUNESP - 2011 - TJ-RJ Juiz Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;Assinale, dentre os crimes mencionados, qual deles admite a tentativa.a) Leso corporal seguida de morte (art. 129, 3., do Cdigo Penal).b) Omisso de socorro (art. 135, do Cdigo Penal).c) Falsificao de documento pblico (art. 297, do Cdigo Penal).d) Rufianismo (art. 230, do Cdigo Penal).R.(d)4 Q204244 Prova: TRT 23R (MT) - 2011 - TRT - 23 REGIO (MT) - Juiz
  • 17. Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime; Tentativa;Fabrcio, com a inteno de seqestrar o filho de seu patro para obter vantagem monetria com o preo do resgate,compra cordas, furta um carro e arruma o local que serviria como cativeiro. No entanto, dois dias antes de efetivarseu intento, seus planos so descobertos. Diante desses fatos, Fabrcio:a) no responder por qualquer crime;b) responder apenas pelo crime de furto consumado;c) responder por tentativa de extorso mediante seqestro e furto consumado;d) responder por tentativa de extorso mediante seqestro e furto tentado;e) responder apenas por tentativa de sequestro.5 Q148703 Prova: MPE-MS - 2011 - MPE-MS - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Dos Crimes Contra a Pessoa.; Tentativa;O crime de rixa na forma tentada quando ocorre?a) O crime de rixa na forma tentada ocorre quando um dos rixosos desiste de participar do conflito;b) O crime de rixa na forma tentada ocorre quando a maioria dos rixosos prope a cessao do conflito;c) O crime de rixa na forma tentada ocorre quando os rixosos no conseguem consum-lo por circunstnciasalheias sua vontade;d) O crime de rixa na forma tentada ocorre quando todos os rixosos desistem de prosseguir no conflito;e) O crime de rixa na forma tentada ocorre quando os rixosos abandonam o local do conflito.6 Q125613 Prova: FCC - 2011 - TRE-AP - Analista Judicirio - rea JudiciriaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa; Do Crime - Arrependimento Eficaz;Paulo abordou a vtima Pedro em via pblica e, mediante grave ameaa com emprego de arma de fogo, anunciouo assalto e exigiu a entrega da carteira com dinheiro. No momento em que Pedro retirava a carteira do bolso paraentregar para Paulo este resolveu ir embora espontaneamente sem subtrair a res. Trata-se de hiptese tpica dea) arrependimento eficaz.b) desistncia voluntria.c) tentativa.d) arrependimento posterior.e) crime impossvel.7 Q117526 Prova: MPE-PR - 2011 - MPE-PR - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;Sobre tentativa e consumao, assinale a alternativa correta:a) o delito de alucinao, tambm conhecido como delito putativo, pode ser definido como um erro de tipo aocontrrio: o sujeito supe a existncia de elementar tpica, que inexiste na situao concreta; o delito impossvel,por sua vez, pode ser definido como um erro de proibio ao contrrio: o sujeito supe a proibio de uma conduta,que na realidade um indiferente penal;b) a teoria objetiva formal define tentativa pelo incio de execuo da ao tpica, sem considerar o dolo do autor;c) a teoria objetiva material define a tentativa como incio de execuo do tipo objetivo, segundo o plano do autor,limitando a punibilidade de aes preparatrias, conforme o princpio da legalidade;d) o arrependimento ineficaz para evitar o resultado de homicdio doloso da vtima no exime de pena, masdetermina a reduo obrigatria da pena, considerada na terceira fase de sua aplicao;e) o autor inicia a realizao da ao tpica de furto qualificado, mas interrompe a realizao de atos executrios,desistindo de sua consumao, ao perceber a iminncia da descoberta do fato: trata-se de hiptese de tentativainacabada, definvel como desistncia voluntria.8 Q105110 Prova: FCC - 2011 - TJ-AP - Titular de Servios de Notas e de RegistrosDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa;Admite-se a tentativaa) nas contravenes.b) nos crimes omissivos puros.c) nos crimes culposos.d) nos crimes unisubsistentes.e) nos crimes comissivos por omisso.9 Q88141 Prova: CESPE - 2011 - TJ-ES - Analista Judicirio - Direito - rea Judiciria - especficosDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Tentativa; Ver texto associado questo
  • 18. Na tentativa perfeita, tambm denominada quase-crime, o agente realiza todos os atos executrios, mas no atinge aconsumao por circunstncias alheias sua vontade.Certo ErradoR.(e)10 Q87586 Prova: FCC - 2011 - TRE-RN - Analista Judicirio - rea Judiciria Disciplina: Direito Penal| Assuntos: Tentativa; Quando o agente d incio execuo de um delito e desiste de prosseguir em virtude dareao oposta pela vtima, ocorrea) arrependimento eficaz.b) crime consumado.c) fato penalmente irrelevante.d) desistncia voluntria.e) crime tentado.R.(e)2 Q214967 Prova: FCC - 2012 - TJ-PE - Oficial de Justia - Judiciria e AdministrativaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Crimes tentados ou consumados;A respeito do crime tentado e do crime consumado, correto afirmar quea) a consumao do crime de concusso ocorre com o recebimento da vantagem indevida.b) a interrupo da execuo do delito por desistncia do agente caracteriza o crime tentado.c) a consumao do crime de corrupo passiva ocorre com o recebimento da vantagem indevida.d) os atos preparatrios fazem parte da execuo do delito, caracterizando o crime tentado.e) a ocorrncia do resultado indispensvel para a caracterizao do crime culposo.1 Q307418 Prova: CESPE - 2013 - DPE-RR - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ;No que diz respeito relao de causalidade, supervenincia de causa independente e relevncia da omisso nodireito penal, assinale a opo correta.a) A teoria adotada pelo CP tem como inconveniente a possibilidade de se levar ad infinitum a pesquisa da causa,abrangendo todos os agentes das causas anteriores, sendo limitada pelo dolo ou culpa da conduta e do vnculoobjetivo do agente com a ao.b) A excluso do nexo de causalidade ocorre nas concausas absolutamente independentes quando estas foremsupervenientes, mas no ocorre quando estas forem preexistentes ou concomitantes.c) A relevncia causal da omisso diz respeito to somente aos crimes omissivos prprios, em face da relaocausal objetiva preconizada pelo CP.d) De acordo com preceito expresso no CP, a relao de causalidade limita-se aos crimes materiais.e) O CP adota a teoria da causalidade jurdica, uma vez que a causalidade relevante para o direito penal aquelaque pode ser prevista pelo agente, ou seja, que se encontra na esfera da previsibilidade, podendo ser mentalmenteantecipada.2 Q308170 Prova: MPE-SC - 2013 - MPE-SC - Promotor de Justia Manh Disciplina: Direito Penal |Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ; Ver texto associado questoNa hiptese do sujeito, na conduo de um nibus pela via pblica, colidir com um poste que sustenta fioseltricos, um dos quais, caindo ao cho, atinge um passageiro ileso e j fora do veculo, provocando a sua morte emdecorrncia da forte descarga eltrica recebida, corresponde a causa superveniente relativamente independente.Certo Errado1 Q304969 Prova: FGV - 2012 - OAB - Exame de Ordem Unificado - VIII - Primeira FaseDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Dos Crimes Contra o Patrimnio.; Relao de causalidade ou nexo causal ;Jaime, conhecido pelos colegas como Jaiminho mo de seda, utilizando-se de sua destreza, consegue retirara carteira do bolso traseiro da cala de Ricardo que, ao perceber a subtrao, sai ao encalo do delinquente.Ocorre que, durante a perseguio, Ricardo acaba sendo atropelado, vindo a falecer em decorrncia dosferimentos.Nesse sentido, com base nas informaes apresentadas na hiptese, e a jurisprudncia predominante dostribunais superiores, assinale a afirmativa correta.a) Jaime praticou delito de furto em sua modalidade tentada.b) Jaime consumou a prtica do delito de furto simples.c) Jaime consumou a prtica do delito de furto qualificado.d) Jaime consumou a prtica de latrocnio.
  • 19. 2 Q269824 Prova: CESPE - 2012 - MPE-RR - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ;No que diz respeito relao de causalidade, supervenincia de causa independente e relevncia da omisso,assinale a opo correta.a) Ao tratar da omisso, em todas as suas formas, o CP probe resultado desvalorado pelo ordenamento jurdico.b) O delito omissivo prprio consuma-se com o resultado previsto pela norma, visto que elemento do tipo deinjusto.c) Quando preexistentes, as causas absolutamente independentes, de acordo com o que dispe o CP, no excluemo nexo causal, visto que sua existncia anterior ao resultado e que elas so deflagradas por ao ou omisso doagente.d) No sistema penal brasileiro, adotada a teoria da equivalncia das condies, ou da conditio sine qua non, sendoconsiderada causa a condio sem a qual o resultado no teria ocorrido, o que limita a amplitude do conceito decausa com a supervenincia de causa independente.e) As causas concomitantes absolutamente independentes no excluem o nexo causal, ocorrendo este apenas nascausas supervenientes.3 Q242153 Prova: FCC - 2012 - DPE-SP - Defensor PblicoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ;Assinale a alternativa correta.a) O ordenamento penal estende a relao de causalidade a qualquer resultado causado pela ao, ainda queimprevisvel, em razo da aplicao do princpio versari in re ilicita.b) A misso do Direito Penal a proteo de bens jurdicos, o que justifica a antecipao da interveno penal aosatos que antecedem o incio da prtica dos atos executivos.c) Pela teoria da imputao objetiva, o resultado deve ser imputado ao agente de maneira objetiva, isto , ainda queno tenha ele agido com dolo ou culpa.d) O desvalor da ao e o desvalor do resultado devem ser aferidos a partir da leso ou exposio a risco do bemjurdico tutelado.e) A inocuidade da ao dolosa ao bem jurdico tutelado pela norma penal no serve para atestar a atipicidade daconduta se o nimo do agente mostra que conduz sua vida de maneira reprovvel.1 Q208951 Prova: PC-MG - 2011 - PC-MG - Delegado de PolciaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ;Considerando-se a relao de causalidade, INCORRETO afrmar quea) o Cdigo Penal adota a teoria da equivalncia dos antecedentes causais.b) a supervenincia de causa relativamente independente exclui o crime quando, por si s, produzir o resultado,podendo, entretanto, os fatos anteriores serem imputados a quem os praticou.c) o agente que efetua disparo de arma de fogo contra outrem, atingindo-o e, arrependido, leva a vtima para ohospital, vindo esta a falecer, em razo de infeco hospitalar, responde pelo crime de homicdio consumado.d) pratica crime comissivo por omisso, o delegado de polcia que, de forma indulgente, deixa de lavrar auto depriso em fagrante no qual o conduzido seu vizinho.2 Q204013 Prova: FCC - 2011 - TCM-BA - Procurador Especial de ContasDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ;A disposio legal contida no art. 13, pargrafo segundo do CP, segundo a qual a omisso apresenta valor penalquando o agente devia e podia agir para evitar o resultado, corresponde corretamente ideia ou ao conceito dea) causalidade normativa.b) possibilidade de punio superveniente de causa independente ao delito.c) causalidade entre a omisso e o resultado naturalstico.d) desnecessria conjugao do dever legal e possibilidade real de agir.e) regra aplicvel somente aos crimes omissivos prprios.3 Q142802 Prova: CESPE - 2011 - TJ-PB - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Relao de causalidade ou nexo causal ;A respeito da relao de causalidade, assinale a opo correta.a) Considere que Mrcia, com inteno homicida, apunhale as costas de Sueli, a qual, conduzida imediatamenteao hospital, falea em consequncia de infeco hospitalar, durante o tratamento dos ferimentos provocados com opunhal. Nesse caso, Mrcia responder por tentativa de homicdio.
  • 20. b) O nexo causal consiste em mera constatao acerca da existncia de relao entre conduta e resultado, tendendoa sua verificao apenas s leis da fsica, mais especificamente, da causa e do efeito, razo pela qual a sua aferioindepende de qualquer apreciao jurdica, como a verificao da existncia de dolo ou culpa por parte do agente.c) Suponha que Jean, pretendendo matar seu desafeto Rui, tenha-lhe desferido dois tiros, que, apesar de atingirema vtima, no tenham sido a causa da morte de Rui, que faleceu em decorrncia do fato de ter ingerido veneno, deforma voluntria, dez minutos antes dos disparos. Nesse caso, Jean no responder por nenhuma conduta tpica.d) Considere que a residncia de Sara, idosa com setenta e cinco anos de idade, seja invadida por um assaltante, eSara, assustada, sofra um ataque cardaco e morra em seguida. Nesse caso, considerando-se o fato de a vtima seridosa e o de que o agente tivesse conhecimento dessa condio, o ataque cardaco ser uma causa concomitante erelativamente independente ao do agente, devendo este responder por tentativa de homicdio.e) Suponha que Mara, com inteno homicida, desfira dois tiros em Fbio e que, por m pontaria, acerte apenaso brao da vtima, a qual, conduzida ao hospital, falea em consequncia de um desabamento. Nesse caso, Maradever responder por homicdio doloso consumado.4 Q133852 Prova: PUC-PR - 2011 - TJ-RO - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime; Relao de causalidade ou nexo causal ;A prtica do crime e seu resultado lesivo exigem a relao de causalidade, tema de grande relevncia para a questoda imputabilidade penal. Dado o enunciado, marque a nica alternativa CORRETA.a) O resultado, de que depende a existncia do crime, somente imputvel a quem lhe deu causa, sendo estaconsiderada como a ao ou omisso sem a qual o resultado no teria ocorrido.b) A superveninca de causa relativamente independente no exclui a imputao quando esta, por si s, produziu oresultado; os fatos anteriores, entretanto, imputam-se a quem os praticou.c) A omisso penalmente irrelevante quando o omitente devia e podia agir para evitar o resultado.d) A supervenincia de causa relativamente independente exclui a imputao quando, por si s, produziu oresultado; no entanto, os fatos anteriormente praticados so desconsiderados pela legislao penal.e) Nenhuma das alternativas anteriores est correta.5 Q98827 Prova: FCC - 2011 - NOSSA CAIXA DESENVOLVIMENTO - AdvogadoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime; Relao de causalidade ou nexo causal ;A respeito da relao de causalidade, considere as teorias abaixo propostas pela doutrina:I. Teoria da causalidade adequada:um determinado evento s ser produto da ao humana quando esta tiver sidoapta e idnea a gerar o resultado.II. Teoria da equivalncia das condies:quaisquer das condies que compem a totalidade dos antecedentes causa do resultado, pois a sua inocorrncia impediria produo do evento.III. Teoria da imputao objetiva:s pode ser imputado ao agente a prtica de um resultado delituoso quando o seucomportamento tiver criado, realmente, um risco no tolerado, nem permitido, ao bem jurdico.O Cdigo Penal brasileiro adotou a (s) teoria (s) indicada (s) APENAS ema) I.b) I e II.c) I e III.d) II.e) II e III.5 Q253689 Prova: CESPE - 2012 - MPE-TO - Promotor de JustiaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime - Arrependimento Eficaz; Interpretao da Lei Penal;A respeito de aspectos diversos dos crimes bem como dos princpios aplicveis ao direito penal, assinale a opocorreta de acordo com as disposies do CP e da doutrina penal.a) Caracteriza situao de arrependimento eficaz o caso do agente que, durante a ao, diz para si possoprosseguir, mas no quero e encerra sua empreitada criminosa.b) Chama-se de dolo direto de segundo grau aquele que se dirige em relao ao fim proposto e aos meiosescolhidos.c) Norma penal em branco homognea, ou em sentido amplo, aquela cujo complemento oriundo da mesmafonte legislativa que editou a norma que necessita desse complemento.d) Negligente o agente que pratica um ato perigoso sem os cuidados que o caso requer.e) No erro de tipo essencial incriminador, o erro recai sobre os pressupostos fticos de uma causa de justificao,isto , excludente de ilicitude, que se encontra em tipos penais permissivos.6 Q242152 Prova: FCC - 2012 - DPE-SP - Defensor Pblico
  • 21. Disciplina: Direito Penal | Assuntos: Introduo ao estudo do Direito Penal; Interpretao da Lei Penal;Assinale a alternativa correta.a) A criminologia crtica defende a anlise individualizada da periculosidade do agente como direito inerente aoprincpio do respeito dignidade humana.b) A Escola positivista pregava a anlise puramente objetiva do fato, deixando em segundo plano as caractersticaspessoais de seu autor.c) A teoria retributiva dos fins da pena foi desenvolvida a partir dos estudos de Lombroso e Garofalo, em meadosdo sculo XVIII.d) A teoria do labelling approach dispe-se a estudar, dentre outros aspectos do sistema punitivo, os mecanismosde reao social ao delito e a influncia destes na reproduo da criminalidade.e) A teoria finalista da ao fruto da concepo positivista de livre-arbtrio, que entende o homem como serdeterminado pelas circunstncias sociais.7 Q239547 Prova: VUNESP - 2012 - TJ-MG - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Interpretao da Lei Penal;Leia atentamente as assertivas a seguir.I. Pode-se afirmar que, na histria do Direito Penal Brasileiro, as Ordenaes Filipinas foram substitudas peloCdigo Criminal do Imprio de 1830.II. A interpretao da lei autntica contextual quando o julgador, dentro de um determinado contexto ftico,aplica-a.III. O agente que, voluntariamente, desiste de prosseguir na execuo ou impede que o resultado se produza, sresponde pelo crime tentado.IV. O erro sobre o elemento constitutivo do tipo legal de crime exclui o dolo, mas permite a punio por crimeculposo, se previsto em lei.Est correto apenas o que se afirma ema) I e IIb) I e IV.c) III e IV.d) I, III e IV.1 Q312348 Prova: FGV - 2013 - OAB - Exame de Ordem Unificado - X - Primeira FaseDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Excluso de tipicidade;Jane, dirigindo seu veculo dentro do limite de velocidade para a via, ao efetuar manobra em uma rotatria, acabaabalroando o carro de Lorena, que, desrespeitando as regras de trnsito, ingressou na rotatria enquanto Jane fazia amanobra. Em virtude do abalroamento, Lorena sofreu leses corporais.Nesse sentido, com base na teoria da imputao objetiva, assinale a afirmativa correta.a) Jane no praticou crime, pois agiu no exerccio regular de direito.b) Jane no responder pelas leses corporais sofridas por Lorena com base no princpio da interveno mnima.c) Jane no pode ser responsabilizada pelo resultado com base no princpio da confiana.d) Jane praticou delito previsto no Cdigo de Trnsito Brasileiro, mas poder fazer jus a benefcios penais.1 Q291050 Prova: CESPE - 2012 - TJ-AC - Tcnico Judicirio - rea JudiciriaDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Excludente de ilicitude; Excludente de culpabilidade; Excluso de tipicidade;Ver texto associado questoA coao irresistvel, que constitui causa de excluso da culpabilidade, a coao moral, porquanto a coao fsicaatinge diretamente a voluntariedade do ato, eliminando, se irresistvel, a prpria conduta.Certo Errado2 Q249971 Prova: PUC-PR - 2012 - TJ-MS - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Excludente de culpabilidade; Excluso de tipicidade;Analise os itens (casos hipotticos) abaixo. Em seguida, marque a alternativa CORRETA:I. A sociedade, por melhor organizada que seja, nunca ter possibilidade de brindar a todos os homens com asmesmas oportunidades. Em consequncia disso, h sujeitos que tm um menor mbito de autodeterminao,condicionado, desta maneira, por causas sociais. No seria possvel atribuir essas causas sociais ao sujeito esobrecarreg-lo por ocasio da aplicao da pena.II. Um motorista de txi conduz um passageiro at o seu destino. Durante o trajeto o passageiro fala ao telefonecelular com uma terceira pessoa e diz estar indo de txi at o local determinado para matar a esposa. O taxista ouve
  • 22. a conversa e, mesmo assim, leva o passageiro at o local. Posteriormente, o taxista tomou conhecimento pelosjornais de que o tal passageiro de fato matara a esposa.III. Um oficial de justia cumpre mandado judicial de apreenso de bem mvel de terceiro inadimplente.IV. Um mdico realiza cirurgia teraputica em paciente com o consentimento desse paciente.a) O item I refere-se ao conceito de co- culpabilidade e o item II exemplo do princpio da proibio doregresso, que, segundo os seus fundamentos, afastar a responsabilidade do taxista por seu ato.b) O item I refere-se ao conceito de antijuridicidade material, enquanto que o item II constitui um exemplo decondutas neutras em direito penal.c) O item III, para a doutrina clssica em direito penal, constitui um exemplo de estrito cumprimento de umdever legal, j o item IV, para a doutrina moderna em direito penal, exemplo de exerccio regular de um direitoque exclui a ilicitude atravs da ausncia de antinormatividade conglobante na conduta do mdico.d) Tanto o item III como o item IV, segundo a doutrina moderna em direito penal, so exemplos de condutasatpicas pela ausncia de antinormatividade, j que so situaes em que h uma ordem ou um fomento do Estado.O item I refere-se ao conceito de antijuridicidade formal.e) Tanto o item III como o item IV, segundo entendimento da doutrina moderna em direito penal, soexemplos de ausncia de tipicidade conglobante. O item II, por sua vez, exemplo do princpio da competncia ouda capacidade, que, segundo Gunther Jakobs, afasta a imputao objetiva do resultado tpico.1 Q88309 Prova: VUNESP - 2011 - TJ-SP - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Excludente de ilicitude; Excluso de tipicidade;Antnio, depois de provocado por ato injusto de Pedro, retira-se e vai para sua casa, mas, decorridos cerca de trintaminutos, ainda influenciado por violenta emoo, resolve armar-se e voltar ao local do fato, onde reencontra Pedro,no qual desfere um tiro, provocando-lhe a morte. Nesta hiptese, Antnio pode invocar em seu favor aa) excludente da legtima defesa real.b) excludente da legtima defesa putativa.c) existncia de causa de diminuio de pena (art. 121, 1., do Cdigo Penal).d) existncia de circunstncia atenuante (art. 65, III, c, do Cdigo Penal).e) excludente da inexigibilidade de conduta diversa.1 Q304684 Prova: FMP-RS - 2013 - MPE-AC - Analista - Processual - DireitoDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Do Crime; Erro de Tipo e Erro de Proibio;Assinale a alternativa correta.a) No conceito analtico do crime, a imputabilidade penal constitui elemento autnomo do crime.b) A adequao social constitui, segundo doutrina majoritria, excludente de ilicitude.c) Para a doutrina finalista, o princpio da insignificncia constitui causa exculpante.d) De acordo com a doutrina finalista, a conscincia da ilicitude elemento do dolo.e) O erro de tipo sempre exclui o dolo.2 Q302549 Prova: UEG - 2013 - PC-GO - Escrivo de Polcia CivilDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Erro de Tipo e Erro de Proibio;Joo, ao sair do mercado, pega uma bicicleta idntica sua, que havia estacionado do lado de fora doestabelecimento, e deixa o local conduzindo-a. Ao fazer isso, incide em erroa) de direitob) na execuoc) de tipod) de proibio1 Q312096 Prova: OFFICIUM - 2012 - TJ-RS - JuizDisciplina: Direito Penal | Assuntos: Erro de Tipo e Erro de Proibio;Considere as assertivas abaixo sobre o instituto do erro.I - O instituto do erro de proibio uma exceo norma de que ningum se escusa de cumprir a lei, alegando queno a conhece.II - A clssica distino no Direito Penal entre erro de fato e erro de direito mantida, com nomenclatura diversa,com a adoo da distino entre erro de tipo e erro de proibio.III - O erro relativo pessoa, sendo acidental, no isenta de pena, no se considerando na apreciao do fatoconcreto as condies