Rede Brasileira de Inovação Participativa - Sorocaba

Embed Size (px)

Text of Rede Brasileira de Inovação Participativa - Sorocaba

  1. 1. Inovao Participativa O que e como pode ajudar s organizaes tradicionais a se manter competitiva no ambiente digital? Hudson Augusto v. 1.0 27/07/15 Palestra Fundao Cruzeiro do Sul
  2. 2. O livro de Carlos Nepomuceno prope interessante anlise para os lderes contemporneos. Quem quer compreender a internet para reinventar o processo de tomada de deciso encontrar aqui as respostas. Pierre Levy.
  3. 3. Case Cooperativa de Txi COOPERATIVA AMIGA DO PASSAGEIRO
  4. 4. ESTRATGIA INDUTIVA ESTRATGIA DEDUTIVA
  5. 5. CENRIO INCREMENTAL ESTRATGIAS ESTRATGIA INDUTIVA (+EMOO E SENTIDOS) FORAS CONHECIDAS CENRIO DISRUPTIVO FORAS DESCONHECIDAS MESMA TEORIA E FILOSOFIA TEORIA E FILOSOFIA DIFERENTES ESTRATGIA DEDUTIVA (+RAZO E CONCEITOS) CICLOS + CURTOS CICLOS + LONGOS
  6. 6. ESTRATGIA DEDUTIVA Rever paradigmas Rever Estratgias Gerar aes compatveis
  7. 7. No existe nada mais prtico do que uma boa teoria. (Kurt Lewin)
  8. 8. DIAGNSTICO
  9. 9. DIAGNSTICO o que ? Estamos iniciando uma Revoluo Cognitiva Disruptiva Fenmeno Raro Terceira Vez
  10. 10. DIAGNSTICO quando j aconteceu? CHEGADA DA FALA 400 MIL ANOS CHEGADA DA ESCRITA 10 MIL ANOS CHEGADA DO DIGITAL 40 ANOS 2015
  11. 11. Tipos de Mudanas Cognitivas Revolues Cognitivas Evolues Cognitivas Revolues Cognitivas Incrementais Revolues Cognitivas Disruptivas DIAGNSTICO tipos de Mudanas Cognitivas? (Rdio e Televiso) (Alfabeto, Prensa) (Fala, Escrita e Informao Digital)
  12. 12. DIAGNSTICO Eras Cognitivas 2015 ERA COGNITIVA ORAL ERA COGNITIVA ESCRITA ERA COGNITIVA DIGITAL CHEGADA DA FALA 400 MIL ANOS CHEGADA DA ESCRITA 10 MIL ANOS CHEGADA DO DIGITAL 40 ANOS
  13. 13. DIAGNSTICO mudanas na gesto 2015 ERA COGNITIVA ORAL ERA COGNITIVA ESCRITA ERA COGNITIVA DIGITAL GESTO DA ESPCIE 1.0 (MAMFEROS DE BAIXA COMPLEXIDADE) GESTO DA ESPCIE 2.0 (MAMFEROS DE ALTA COMPLEXIDADE ) GESTO DA ESPCIE 3.0 (INSETOS DE BAIXA COMPLEXIDADE)
  14. 14. DIAGNSTICO Causas/Consequncias (Valores em milhes)
  15. 15. DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  16. 16. DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  17. 17. DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://countrymeters.info/pt/World
  18. 18. DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://countrymeters.info/pt/World
  19. 19. CRESCIMENTO POPULACIONAL DO BRASIL DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  20. 20. CRESCIMENTO POPULACIONAL DO BRASIL DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  21. 21. CRESCIMENTO POPULACIONAL DO BRASIL DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  22. 22. DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/
  23. 23. DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/
  24. 24. DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/
  25. 25. CRESCIMENTO POPULACIONAL DE SOROCABA DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://www.ibge.gov.br
  26. 26. CRESCIMENTO POPULACIONAL DE SOROCABA DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://www.ibge.gov.br
  27. 27. CRESCIMENTO POPULACIONAL DE SOROCABA DIAGNSTICO Causas/Consequncias http://www.ibge.gov.br
  28. 28. Fator complexidade: 3 bilhes 21 bilhes DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  29. 29. Menos de 1 bilho Mais de 1 bilho 7 bilhes DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  30. 30. DIAGNSTICO Causas e Consequncias
  31. 31. PRODUO GOVERNANA DA ESPCIE COMUNICAO DEMOGRAFIA DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  32. 32. DIAGNSTICO mudanas na gesto 2015 ERA COGNITIVA ORAL ERA COGNITIVA ESCRITA ERA COGNITIVA DIGITAL GESTO DA ESPCIE 1.0 (MAMFEROS DE BAIXA COMPLEXIDADE) GESTO DA ESPCIE 2.0 (MAMFEROS DE ALTA COMPLEXIDADE ) GESTO DA ESPCIE 3.0 (INSETOS DE BAIXA COMPLEXIDADE)
  33. 33. ALDEIAS ORALIDADE MATILHAS ALDEIAS OU CIDADES MAIORES ESCRITA BANDOS CIDADES MUITO MAIORES ESCRITA IMPRESSA MANADAS MEGALOPOLES DIGITAL COLNIAS DIAGNSTICO Causas/Consequncias
  34. 34. COMO ESTAMOS IMITANDO A COMUNICAO DAS FORMIGAS? DIAGNSTICO consequncias
  35. 35. DIAGNSTICO consequncias
  36. 36. DIAGNSTICO consequncias
  37. 37. DIAGNSTICO Causas e Consequncias
  38. 38. DIAGNSTICO Causas e Consequncias
  39. 39. DIAGNSTICO Causas e Consequncias
  40. 40. DIAGNSTICO Causas e Consequncias Como estamos imitando o modelo de comunicao das formigas? Veja e me diga.
  41. 41. QUANDO ESTAMOS IMITANDO A COMUNICAO DAS FORMIGAS? DIAGNSTICO consequncias PROBLEMAS COMPLEXOS PARTICIPAO DE MASSA
  42. 42. 2.0 2.25 2.5 2.75 3.0 NO ULTILIZAM AS NOVAS TECNOLOGIAS COGNITIVAS J ULTILIZAM AS NOVAS TECNOLOGIAS COGNITIVAS SENTEM OS EFEITOS DA DESCENTRALIZAO DE IDEIAS SENTEM OS EFEITOS DA PARTICIPAO DE MASSA J TRABALHAM NA NOVA GOVERNANA DIGITAL NA FORMA E NO CONTEDO
  43. 43. 4 insumo para ideias (matria primas) DIAGNSTICO Causas e Consequncias 2 3 4 1 SETORES ATINGIDOS Do curto ao longo prazo: 3 ideias slidas (produtos) 2 ideias semisslidas (servios) 1 ideias lquidas (informao) )
  44. 44. DIAGNSTICO Concluses Concluses: 1- as organizaes atuais vo perder valor continuamente e algumas vo ser fechadas ou vendidas a baixo preo; 2- o valor est sendo gerado por novas organizaes que conseguem resolver problemas complexos com participao de massa; 3- organizaes tradicionais no foram estruturadas para esta nova governana digital;
  45. 45. DIAGNSTICO Concluses Concluses: 4 - a participao de massa exige um novo modelo de governana da espcie; 5 - o modelo atual da governana da espcie est obsoleto; 6 - no adianta projetos de adaptao de dentro para dentro; 7 - preciso projetos estratgicos dedutivos de fora para fora.
  46. 46. TRATAMENTO
  47. 47. No tem funcionado!
  48. 48. ORGANIZAO 2.0 Modelo atual de soluo de problemas TEMPO - CUSTO Mudana - Presteza TRATAMENTO Objetivo
  49. 49. ORGANIZAO 2.0 Modelo atual de soluo de problemas CUSTO QUALIDADE DEM OGRAFIA QUALIDADE = TEMPO E EFICCIA DO ATENDIMENTO TRATAMENTO Objetivo
  50. 50. ORGANIZAO 3.0 Novo modelo de soluo de problemas TEMPO - CUSTO ALGORITIMO TRATAMENTO Objetivo
  51. 51. ORGANIZAO 3.0 Novo modelo de soluo de problemas TEMPO - CUSTO QUALIDADE DEM OGRAFIA QUALIDADE = TEMPO E EFICCIA DO ATENDIMENTO TRATAMENTO Objetivo
  52. 52. TRATAMENTO Aes ORGANIZAO 2.0 ORGANIZAO 3.0 LABORATRIO ESTRATGICO DE INOVAO PARTICIPATIVA
  53. 53. LABORATRI O ESTRATGICO DE INOVAO PARTICIPATIV A CAPACITA O PROTOTIPAO OPERAO TRATAMENTO Aes
  54. 54. Gestor aprende com participao Ensina para o algoritmo INOVAO PARTICIPATIVA Fases Algoritmo decide conforme aprendeu TRATAMENTO Aes
  55. 55. CEO Comit Gestor Coordenador Executivo LABORATRIO ESTRATGICO DE INOVAO PARTICIPATIVA TRATAMENTO Aes
  56. 56. TRATAMENTO Aes ORGANIZAO 2.0 ORGANIZAO 3.0
  57. 57. CAPACITAO Formao de analista estratgico para inovao participativa
  58. 58. CONSULTORIA Criao de Projetos de Inovao Participativa cnepomu@gmail.com
  59. 59. http://www.youtube.com/cnepomuceno http://pt.slideshare.net/cnepomuceno/ www.nepo.com.br https://www.facebook.com/carlos.nepomuceno cnepomu@gmail.com @cnepomuceno
  60. 60. CRIE UM NCLEO DE INOVAO PARTICIPATIVA EM SUA CIDADE cnepomu@gmail.com