Rede de computadores

  • Published on
    11-Aug-2015

  • View
    80

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

<ol><li> 1. REDE DE COMPUTADORES </li><li> 2. DEFINIO Conjunto de computadores, capazes de trocar informaes e compartilhar recursos, ligados por um sistema de comunicao. Sistema de comunicao, define-se como um arranjo topolgico ligando computadores atravs de cabos e de um conjunto de regras para organizar a comunicao (protocolos). </li><li> 3. SISTEMA DE COMUNICAO </li><li> 4. CLASSIFICAO Uma Rede de Computadores pode ser classificada de 2 formas: Quanto ao alcance; Quanto conexo; Quanto ao Uso. </li><li> 5. ALCANCE LANs - Local Area Network rede local Distncia entre os mdulos processadores esto desde alguns metros a alguns quilmetros. Em geral no passam por vias pblicas. Tipo mais comum. MANs - Metropolitan Area Network rede metropolitana Distncias so maiores que as LANs. Abrangem uma ou algumas cidades. Vrios meios de transmisso. WANs - Wide-Area Network rede geograficamente distribuda Distncias abrangem um pas, um continente ou todo o mundo. Vrios meios de transmisso. E a Internet? A Internet uma rede de redes. Ningum est diretamente conectado ela. Reunio de milhes de redes. </li><li> 6. CONEXO Com relao s conexes existentes, podemos dizer que uma rede classificada em: PONTO A PONTO MULTIPONTO </li><li> 7. USO Simplex segue-se apenas um sentido de transmisso. Half-duplex segue-se nos dois sentidos de transmisso, um de cada vez Full-duplex segue-se em dois sentidos de forma simultnea. </li><li> 8. TOPOLOGIAS So disposies da rede e seu mtodo de conexo. Podem ser de diversos tipos, porm as mais comuns so: BARRAMENTO ANEL ESTRELA </li><li> 9. BARRAMENTO Todos os ns se ligam ao mesmo meio de transmisso - multiponto. O sinal gerado por uma estao se propaga ao longo da barra em todas as direes. Cada n tem um endereo na barra. Quando uma estao conectada reconhece o endereo da mensagem, ele a aceita. Caso contrrio, a despreza. </li><li> 10. ANEL Estaes ligadas por um caminho fechado. O controle pode ser centralizado ou distribudo. O sinal sai de um n e circula pelo anel. Em cada n o sinal regenerado e retransmitido. Cada n tem o seu endereo que ao ser reconhecido por um outro n, aceita a mensagem e a trata. Interrupo no anel corta a comunicao. </li><li> 11. ESTRELA Ns ligados a um comutador central (hub, switch, roteador, etc). Administrao centralizada. Ligao ponto-a-ponto (n- concentrador). No precisa de roteamento. Falha no concentrador interrompe o fluxo de dados na rede. CONCENTRADOR </li><li> 12. PARAMETROS DE COMPARAO Retardo de transferncia Tempo gasto entre o pedido e a entrega da mensagem. Confiabilidade Medida em tempo mdio entre falhas (MTBF), tolerncia a falhas, tempo mdio de reparo (MTTR) e tempo de reconfigurao entre falhas. Modularidade Grau de alterao de desempenho da rede sem alterar o projeto original. Custo Desempenho Intimamente relacionada a custo. Compatibilidade Ou interoperabilidade. Sensibilidade tecnolgica Capacidade da rede suportar todas as aplicaes para a qual foi preparada, e alm. </li><li> 13. MEIOS DE TRANSMISSO </li><li> 14. CABO COAXIAL Condutor cilndrico interno com tubo metlico em torno, e separados por material dieltrico. Condutor interno de cobre. Uso em distribuio de sinal de televiso (TV a Cabo) Telefonia de longa distncia. Redes locais de curta distncia. </li><li> 15. CABO COAXIAL Vantagens: Suporta taxas de transmisso maiores do que o par tranado para a mesma distncia. Desvantagens: Mau-contato nos conectores. Cabo rgido difcil manipulao. Problema da topologia (barramento). Custo/metro maior do que o par tranado. Hoje em dia: Uso muito limitado em redes. </li><li> 16. CABEAMENTO PAR TRANADO Dois fios de cobre enrolados em espiral. Vrios pares dentro de um cabo. Objetivo: Reduzir rudo e manter constante as propriedades eltricas ao longo de toda a extenso. Melhor desempenho que um par em paralelo para distncias grandes. Transmisso pode ser analgica ou digital. Taxas de transmisso at gigabits/s. Depende da: distncia, tcnica de transmisso, qualidade do cabo, dimetro, comprimento das tranas, etc. </li><li> 17. CABEAMENTO PAR TRANADO Tipos UTP no blindado STP blindado Malha metlica minimiza o rudo externo. Vantagens Meio de transmisso de menor custo por comprimento. Ligao ao meio simples e barata. Desvantagens Suscetvel a rudos. Gerada por interferncia eletromagntica (motores, geladeiras, quadros de luz, lmpadas fluorescentes, etc). Minimizada com a blindagem. </li><li> 18. CABEAMENTO PAR TRANADO Classificao quanto taxa de transmisso suportada: CAT 3 at 10 Mbps CAT 5 at 100 Mbps CAT 5e e 6 at 1 Gbps CAT 7 at 1 Gbps. Normas padres para o cabeamento de edifcios. T568A e T568B padro para condutores mquina - concentrador. T568A ordem dos fios: Branco Laranja, Laranja, Branco Verde, Azul, Branco Azul, Verde, Branco Marrom, Marrom. T568B - ordem dos fios: Branco Verde, Verde, Branco Laranja, Azul, Branco Azul, Laranja, Branco Marrom, Marrom. Crossover padro para condutores mquina mquina. T568A numa ponta, T568B na outra. </li><li> 19. CABEAMENTO FIBRA TICA Cabo composto por filamentos de slica (matriaprima do vidro) ou plstico. Leves e finos. Sinal tico, gerado por pulsos de laser ou LEDs. Caractersticas: Altssimas taxas de transmisso 1 Tbps em laboratrio (100 vezes o Gigabit Ethernet). Isolamento eltrico completo entre transmissor e receptor. Atenuao no depende da freqncia. Imune a interferncias eletromagnticas. </li><li> 20. CABEAMENTO FIBRA TICA Como funciona Um feixe de luz lanado numa ponta da fibra, e pelas caractersticas ticas do meio (fibra), esse feixe percorre a fibra por meio de reflexos sucessivos at a outra ponta. Tipos Multimodo Sem amplificadores. Pode ser comum ou gradual diferentes nveis de refrao possibilitam a reflexo do feixe. 100 Mbps a 10 km de distncia. Redes locais. Monomodo 1 Gbps a 100 km de distncia. Uso de laser. Redes de longa distncia. Tipos de fontes luminosas: LEDs mais barato, taxas de transmisso menores, maior tempo de vida, menor alcance. Laser mais caro, taxas de transmisso maiores, menor tempo de vida, maior alcance. </li><li> 21. TOPOGRAFIA </li><li> 22. DEFINIO Verdadeira aparncia ou layout da rede. A topologia fsica representa como as redes esto conectadas (layout fsico) e o meio de conexo dos dispositivos de redes (ns ou nodos). A forma com que os cabos so conectados, e que genericamente chamamos de topologia da rede (fsica), influencia em diversos pontos considerados crticos, como a flexibilidade, velocidade e segurana. </li><li> 23. EXEMPLO DE TOPOGRAFIA </li><li> 24. EXEMPLO DE TOPOGRAFIA </li><li> 25. ATIVIDADE PRTICA </li><li> 26. CONFIGURAES LGICAS </li><li> 27. ROTEADOR um equipamento que identifica quando um micro se conecta a rede e define um IP para esse micro. Aps isso a tarefa que ele cumpre de organizar como os dados vo trafegar pela rede. </li><li> 28. HUB ou SWITCH O HUB um dispositivo que tem a funo de interligar os computadores de uma rede local. Sua forma de trabalho a mais simples se comparado ao switch. O SWITCH tem funo semelhante ao hub, mas a diferena dos dois reside no fato de que o HUB no capaz de direcionar os dados de um n, j o Switch mais eficiente, pois organiza para onde vai a mensagem enviada. </li><li> 29. PLACA DE REDE (Ethernet*) A placa de rede (adaptador de rede/NIC) o hardware que permite aos computadores conversarem entre si atravs da rede. A sua funo controlar todo o envio e recepo de dados atravs da rede. Cada arquitetura de rede exige um tipo especfico de placa de rede; sendo as arquiteturas mais comuns a rede em anel Token Ring e a tipo Ethernet. </li><li> 30. CONFIGURAO do ROTEADOR ACESSANDO A PGINA DE CONFIGURAO DO ROTEADOR Com o Roteador conectado ao PC, acesse o link de configurao (192.168.0.1); Em USER NAME, digite admin e PASSWORD deixe em branco (pode ser diferente de acordo com o modelo, consulte o manual) </li><li> 31. CONFIGURAO do ROTEADOR Clique em WAN. Se seu provedor usa DHCP, deixe a configurao do jeito que est. </li><li> 32. CONFIGURAO do ROTEADOR Se seu provedor usa PPPoE, selecione PPPoE no menu e configure seu nome de usurio e senha e clique em Apply. </li><li> 33. CONFIGURAO do ROTEADOR CONFIGURANDO A SEGURANA. Clique no menu Wireless, e em SSID, voc vai digitar o nome da sua rede, no exemplo foi utilizado o nome do site. No menu, selecione WPA-PSK e digite uma senha com no mnimo 8 caracteres e no mximo 63. Clique em Apply e espere o roteador reiniciar. </li><li> 34. CONFIGURAO do ROTEADOR Clique na guia Home e no boto LAN localizado a esquerda da pgina. Na pgina de LAN voc vai alterar o IP Address do equipamento e a sua mscara de Sub-rede deixe esses dados conforme os IP.s da sua rede. Por exemplo: IP Address: Digite 192.168.0.1 Subnet Mask: Digite 255.255.255.0 Clique no boto Apply ao lado direito no canto inferior da tela, a configurao foi salva com sucesso. </li><li> 35. CONFIGURAO do ROTEADOR Com a tela de configurao aberta clique na guia Home e no boto DHCP localizado a esquerda da pgina. Em Starting IP Address, defina o IP inicial dos possveis de serem utilizados. Em Ending IP Address, defina o IP final da mesma possibilidade. Lease Time o tempo de renovao destes endereos. Em MAC Address, pode-se fazer a permisso de entrada de componentes por sua identificao. </li><li> 36. CONFIGURAO do HUB/SWITCH Normalmente no possuem configuraes, sendo os seus papis, os de uma ponte de ligao entre os computadores da rede. Alguns modelos de Switchies (como o CISCO), possuem configuraes onde a consulta ao manual do usurio a melhor maneira de se fazer alguma alterao. </li><li> 37. CONFIGURAO do ADAPTADOR DE REDE (placa) O adaptador de rede configurado atravs do sistema operacional que controla o computador. No nosso caso o Painel de Controle do Windows tem, na central de Redes e Compartilhamentos, a possibilidade de acessar o adaptador de rede. Na Conexo Local, clique com o boto direito do mouse e pea propriedades. </li><li> 38. CONFIGURAO do ADAPTADOR DE REDE (placa) Na janela de propriedades da Ethernet: Selecionar o tem PROTOCOLO IP VERSO 4 (TCP/IPV4) Clicar em propriedades </li><li> 39. CONFIGURAO do ADAPTADOR DE REDE (placa) Nas propriedades do protocolo definir: Endereo IP utilizado pela mquina Gateway padro para acesso Servidor DNS preferencial e Alternativo </li><li> 40. ENDEREO IP Endereo IP, uma identificao de um dispositivo (computador, impressora, etc) em uma rede local ou pblica. Cada computador na internet possui um IP (Internet Protocol) nico, que o meio em que as mquinas usam para se comunicarem na Internet. Existem alguns endereos reservados para determinados tipos de redes 10.0.0.0; 172.16.0.0; 192.168.0.0 =&gt; so usados para Redes Privadas; O IPv4 transfere endereos de protocolos de 32 bits. Sustenta aproximadamente 4,29 bilhes de IPs pelo mundo todo. O IPv6 a sexta reviso dos protocolos na Internet e o sucessor natural do IPv4. Essencialmente, ele faz a mesma coisa que outras tecnologias desse tipo, mas em 128 bits. Aumenta em mais de 4 bilhes o nmero de Ips possveis. </li><li> 41. MSCARA DE REDE Uma mscara de sub rede, tambm conhecida como subnet mask ou netmask, um nmero de 32 bits usado em um IP para separar a parte correspondente rede pblica, sub rede e aos hosts. Determina quantos Ips podem ser utilizados em determinada rede. Determinar sub-redes, possibilita diminuir o volume de dados em uma rede, acelerando a troca de informaes e a qualidade de transmisso. </li><li> 42. CLASSES DE ENDEREAMENTO IPs </li><li> 43. GATEWAY Gateway ou ponte de ligao, uma mquina intermediria geralmente destinada a interligar redes, separar domnios de coliso, ou mesmo traduzir protocolos. Roteadores; Celulares; Firewalls. Um proxy tambm pode ser interpretado como um, j que serve de intermedirio tambm. PROXY um servidor que age como um intermedirio para requisies de clientes solicitando recursos de outros servidores. Um cliente conecta-se ao servidor proxy, solicitando algum servio, como um arquivo, conexo, pgina web ou outros recursos disponveis de um servidor diferente e o proxy avalia a solicitao como um meio de simplificar e controlar sua complexidade, ou seja, ele age como um filtro de permisso. </li><li> 44. SERVIDOR DNS O servidor DNS traduz nomes para os endereos IP e endereos IP para nomes respectivos, e permitindo a localizao de hosts em um domnio determinado. Esse servio geralmente se encontra localizado no servidor DNS primrio. O servidor DNS secundrio uma espcie de cpia de segurana do servidor DNS primrio. Assim, ele se torna parte necessria para quem que usar a internet de uma forma mais fcil e evita que hackers roubem seus dados pessoais. www.computecnica.com.br 200.210.6.32 </li></ol>

Recommended

View more >