Click here to load reader

Relatório do Cremepe No Iml

  • View
    923

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Relatório do Cremepe No Iml

  • 1 / 12

    Relatrio de Fiscalizao

    Instituto Mdico Legal de Pernambuco - IML

    Santo Amaro - Recife/PE

    Diretor: Dr. BOANERGES PAES GALINDO FILHO (CRM 6299)

    Por determinao deste Conselho fomos ao estabelecimento acima citado verificar suas condies de funcionamento.

    Trata-se da nica unidade pblica estadual, especializada em exames forenses e necropsias, que atende situaes encaminhadas pela Justia, principalmente atravs de delegacias, de onde vem a maior demanda, e para onde so encaminhados os laudos.

    Na ocasio mantivemos contato com Dr. ANBAL GAUDNCIO e Dr. BOANERGES PAES GALINDO FILHO (Diretor). Esta vistoria contou com a participao do Dr. Inojosa Cmara tcnica de Medicina Legal e de Dr. JOSE CARLOS BARBOSA DE ALENCAR CRM 5897, 2 Secretrio e Conselheiro Coordenador da Fiscalizao.

    A motivao inicial foi uma solicitao de vistoria para averiguar as condies de funcionamento mediante a chegada de corpos de vitimados em acidente areo no Vo 447 da Empresa Air France, resgatados prximos ao Arquiplago de Fernando de Noronha, e que esto sendo trazidos para o IML.

    Foram observadas as seguintes situaes:

    Diante do resgate dos primeiros corpos, foi montada uma estrutura e rotinas de funcionamento para viabilizao dos exames principalmente de reconhecimento e identificao dos passageiros do referido vo;

    Servio estruturado originalmente para atender em 03 segmentos: 1 Ambulatrio para exames periciais nos vivos (corpo-delito, estupro), 2 Sala de necropsia em corpos vtimas de violncia, com poucas horas de falecimento, 3 Espao para necropsia em cadver putrefato (local intitulado informalmente de Coria);

    No contexto do atendimento aos passageiros do vo, os exames periciais no vivo foram deslocados para outro local de atendimento, fora do IML, em casa da Vila Militar, no bairro do Derby;

    Foi solicitado reforo na equipe mdica para as escalas com os mdicos legistas com segundo vnculo nas foras armadas, na polcia militar ou da SES-PE para os exames periciais;

    Um legista em Fernando de Noronha est realizando a Perinecroscopia, juntamente com peritos da Polcia Federal, com coleta de DNA;

  • 2 / 12

    H um esforo para melhor interlocuo entre o IML e os rgos de identificao (Tavares Buril, SSPs) para apoio aos exames datiloscpicos;

    No conta com perito odontolegal, o que trar dificuldades para os exames de identificao de arcadas dentrias;

    Auxiliares de legista concursados esto no meio de curso de formao e equipe de apoio est bastante desfalcada;

    Foi solicitada seleo temporria para preenchimento das vagas de auxiliares de necropsia em carter emergencial, com proposta de contratos de 03 meses. Antes do esvaziamento recente da escala eram 04 auxiliares de necropsia por dia, mas o ideal seriam 06;

    Hoje no havia nenhum auxiliar de necropsia no setor dos putrefatos (Coria) para a realizao dos exames de necropsias de rotina para os corpos locais at as 15:00 h;

    A Sala de necropsia foi destinada aos cadveres putrefatos do vo, enquanto a demanda rotineira das vtimas de violncia no Estado foi toda desviada para a Coria;

    Na Sala de necropsia h 04 micro-computadores em rede, com senhas de acesso individual para cada mdico legista, 10 mesas e cmara frigorfica prpria;

    Das 10 mesas disponveis na sala de necropsia, apenas 04 estavam ocupadas com corpos das vtimas de acidente, e destes, apenas um corpo estava fora do invlucro plstico para ser examinado;

    Na Coria, que conta com apenas 02 mesas de necropsia, estavam cerca de 11 cadveres, alguns no cho. Na cmara frigorfica dos cadveres putrefatos, estavam amontoados inmeros corpos no cho, a guisa de qualquer lgica de arrumao. Este local tambm ser destinado aos corpos no putrefeitos que no sarem do IML, aguardando sepultamento;

    Segundo o Diretor, at o Raio-X da Coria inferior, o que justifica para a escolha da Sala para os tripulantes do vo 447;

    Na ocasio foi solicitada a escala mdica, incluindo eventuais mdicos de outros estados e estrangeiros, alm do Plano de Trabalho e providncias tcnicas administrativas tomadas para fazer frente chegada das vtimas do Vo 447.

    A seguir, um dossi de imagens coletadas na vistoria:

  • 3 / 12

    Figura 1: Escala Mdica

  • 4 / 12

    Figura 2: Sala de Necropsia

  • 5 / 12

    Figura 3: rea com infiltrao no forro de gesso

  • 6 / 12

    Figura 4: Freezer da Sala de Necropsia (para peas)

    Figura 5: Local de percias est fechado

  • 7 / 12

    Figura 6: Imagens da "Coria", com cadveres no cho e em caixes

  • 8 / 12

    Figura 7: Potes para toxicologia no cho da "Coria"

    Figura 8: Mesas de exame

  • 9 / 12

  • 10 / 12

    Figura 9: Local para lavagem de equipamentos fica ao lado do local de exames

    Figura 10: Geladeira da "Coria" e corpos amontoados

  • 11 / 12

    Figura 11: Amolador de facas improvisado com gambiarra eltrica

  • 12 / 12

    Figura 12: Estantes de Inox para Cmara frigorfica da "Coria" ainda sem instalao esto ao relento

    Recife, 11 de junho de 2009 Otvio Valena mdico fiscal