Revisional pism II

  • View
    605

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Revisional pism II

Apresentao do PowerPoint

Revisional PISM IIProfessor Rodolfo Alves Pereira2016

Iluminismo (Sculo XVIII Luzes)Movimento intelectual e poltico.Crtica ao Antigo Regime.Princpios gerais:Razo;Educao;Defesa dos direitos naturais.Liberdade de Pensamento;Tolerncia Religiosa;Igualdade Jurdica;Liberdade Individual;Liberalismo Econmico;Busca da felicidade.

LiberalismoOrigem da riqueza: trabalho (Adam Smith).Relaes de trabalho: donos dos meios de produo x donos da fora de trabalho.Defesa da no interveno do governo na economia.Mercado: regulado por uma mo invisvel (lei da oferta e da procura).Serviu de base para o avano do capitalismo.

Revoluo Francesa (1789)Ps fim ao Antigo Regime na Frana.Princpios: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.Assembleia Nacional Constituinte (1789-1791):Aprovou a Declarao dos direitos do homem e do cidado: preservao dos direitos naturais do indivduo;Aboliu os privilgios da nobreza (obrigaes feudais e outros);14/07/1789: Tomada da Bastilha.

Revoluo IndustrialSistema produtivo antecedente: artesanato e manufatura.Comeou na Inglaterra, sc. XVIII.Introduo da mquina a vapor (carvo). Impactos sociais, demogrficos, agrrios e urbansticos.Grande mudana no sistema produtivo e nas relaes de trabalho (Trabalho assalariado, Diviso e Especializao do Trabalho, Linha de Montagem, Alienao do Trabalho).Colnias: mercado consumidor e fornecimento de matria-prima (algodo).Capitalistas x proletrios.

A classe operria inglesa -Sc. XIXA demanda fabril contribuiu para a formao da classe operria.Organizao do proletariado (conscincia de classe).Movimentos de resistncia (ludismo, cartismo).Risco de ruptura da ordem vigente (Manifesto comunista, Marx e Engels).

Liberalismo x SocialismoDefesa do livre mercado.No interferncia governamental na economia.Proteo propriedade privada.Pensadores: Adam Smith, David Ricardo.Estatizao da economia;Coletivizao dos bens e das riquezas;Fim da propriedade privada;Pensadores: Karl Marx, Frederich Engels.

Resistncia ao capitalismo novas ideias polticas no sculo XIXSocialismo utpico: esboo de modelos para um mundo melhor (Saint-Simon, Charles Fourier, Robert Owen).Socialismo cientfico: materialismo histrico; luta de classes (Karl Marx, Friderich Engels).Anarquismo: liberdade nas relaes humanas; fim do Estado (Pierre Joseph Proudhon, Mikhail Bakunin).

Perodo Napolenico (1799-1815)Bloqueio Continental (1806): Debilitar economicamente a Inglaterra.

Consequncias das Guerras NapolenicasIndependncia das colnias espanholas (vcuo de poder no trono espanhol).Congresso de Viena (1814-1815): restabelecer a ordem na Europa passava pela conteno da Revoluo Francesa.Restituir os monarcas aos tronos e as colnias para suas metrpoles.Formao da Santa Aliana: sufocar manifestao nacionalista ou liberal. *Posio da Inglaterra era a favor do Liberalismo e da independncia das colnias.

Unificao da ItliaPennsula itlica: divida em vrias unidades independentes.Congresso de Viena: as regies da pennsula foram dominadas por Frana, ustria e Igreja Catlica.Burguesia: desejava unificao para ampliar a industrializao e o comrcio no exterior.Nacionalismo: singularidades da histria de um povo, se opunha internacionalizao das doutrinas proletrias.1848: Primeira tentativa de unificao pelo rei do Piemonte-Sardenha, Carlos Alberto (sufocada por tropas austracas e francesas). Ideal de unificao se manteve vivo pelos grupos nacionalistas.1859: Camilo Benso, conde de Cavour e primeiro-ministro do reino, liderou a unificao. No sul, Giuseppe Garibaldi formou um exrcito de voluntrios (camisas vermelhas) e avanou pelo territrio.1860: Vitor Emanuel II foi proclamado rei da Itlia. Veneza e Roma foram anexadas em 1866 e 1870, respectivamente.A questo romana: s foi resolvida em 1929 (Tratado de Latro) com a criao do Estado do Vaticano.

Unificao AlemAlemanha: conjunto de 39 estados independentes.1815 (Congresso de Viena): Confederao Germnica liderada pela Prssia e ustria.1834: Zollverein forma de integrao econmica/eliminar impostos alfandegrios.Nacionalismo: pregava a unio tnica e cultural dos povos germnicos.1862: O chanceler da Prssia - Bismarck iniciou o processo de unificao investido em fora blica.1871: aps guerrear contra Frana, ustria e Dinamarca a Alemanha foi unificada. A industrializao acelerou e exigiu a busca de novos mercados consumidores (disputa por colnias com Frana e Inglaterra - IMPERIALISMO).

Amrica para os americanosDoutrina Monroe (1823).Voltava-se contra a criao de novas colnias na Amrica.Reconhecia os Estados independentes.No interveno dos EUA em conflitos dos pases europeus e suas colnias na Amrica.Evidenciou o carter agressivo da poltica externa norte-americana.Transformou a Amrica Central e o Caribe em reas sobre o controle dos EUA.Estabeleceu os EUA como protetores da Amrica.

Expanso territorial dos EUAMarcha para o Oeste; Destino Manifesto; Repblica Perfeita.1803: Aquisio da Lousiana junto Frana.1818: Ocupao da Flrida/Pagamento Espanha.1845-1848: Anexao do Texas, Califrnia e do Novo Mxico Guerra contra o Mxico.Incentivo imigrao para ocupar as terras.1862: Homestead Act: garantia a posse da terra para quem produzisse nela por cinco anos consecutivos. (Motivar a imigrao europeia).ndios: massacrados ou confinados em reservas. Lei de remoo dos ndios (1830).

Guerra de SecessoGuerra Civil dos EUA (1861-1865).Norte (industrializado) X Sul (escravocrata).11 estados escravocratas criaram os Estados Confederados da Amrica.1865: os Confederados foram derrotados pela Unio.Abolio da escravido em todo o pas; Afirmao do modelo capitalista e industrial.

Guerras de independncia no Brasil (1822-1824)Algumas regies resistiram proclamao da independncia.Capitania do Gro-Par e Maranho: estava vinculada aos interesses metropolitanos.Notcia da independncia chegou tarde no Norte. Distrbios no Piau: saques, levantes civis e militares. Batalha de Jenipapo: vitria das tropas pr-independncia (1823).Bahia (1822-1823) tambm houve enfrentamento entre os que apoiavam d. Pedro (incluindo homens livres pobres, libertos e escravos) contra o grupo leal Portugal. As foras portuguesas tambm foram derrotadas.

Monarquia constitucional Primeiro Reinado (1822-1831)Elite (proprietrios e comerciantes) do Centro-Sul: desejavam uma monarquia constitucional. D. Pedro: era favorvel ao imprio absolutista.1823: D. Pedro dissolveu a Assembleia Constituinte.1824: Outorgou a Constituio. Criou o poder Moderador. Estabeleceu o voto censitrio.1824: Confederao do Equador cunho republicano/contra a tirania do Imperador.Guerra Cisplatina: derrota brasileira. Surgimento do Uruguai (1828).1831: Noite das Garrafadas (conflitos entre portugueses e brasileiros). Abdicao do trono e retorno de D. Pedro I para Portugal.

Construir a nao e identidade nacionalAps a guerra de independncia era preciso construir a identidade nacional.Povo brasileiro: heterogneo.ndios: deveriam ser assimilados.Negros: abolio gradual.Brancos: incentivar a vinda de europeus.Literatura romntica: exaltao da natureza e idealizao do ndio. Ex: Iracema e O Guarani, de Jos Alencar. (Processo de longa durao).

Perodo Regencial (1831-1840)Descentralizao Poltica.Elites no Poder/Oligarquias.Guarda Nacional (ordem e unidade nacional).Ato adicional de 1834.Assembleias Provinciais.Autonomia para as provncias.Instabilidade poltica / Disputa entre Liberais e Conservadores. Rebelies Regenciais.Golpe da Maioridade.

Segundo Reinado(1840-1889)Governo de D. Pedro II.Estabilidade poltica.Guerra do Paraguai (1864-1870).Campanha do Abolicionismo.1889: Golpe civil militar.Razes para o fim da monarquia: Questo militar, questo religiosa, ideias republicanas, insatisfao dos cafeicultores com a abolio, isolamento do monarca.

Sociedade e economia brasileira final do XIXMarcha do caf para o oeste paulista.Lei de terras (1850)/Terras s poderiam ser adquiridas por compra.Exportao do caf.Expanso do capitalismo e das atividades industriais.Aumento da malha ferroviria.Urbanizao.Substituio do trabalho escravo por imigrantes, principalmente europeus.