Click here to load reader

Semântica sinonímia e paráfrase

  • View
    324

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of Semântica sinonímia e paráfrase

  • Sinonmia e parfrase

  • A presente apresentao fichamento do captulo Outras propriedades semnticas do livro de Mrcia Canado, Manual de Semntica, e foi produzida com fins didticos, para uso interno em aulas presenciais.

  • Sinonmia lexical ocorre entre pares de palavras ou expresses.No h definio exata da relao de sinonmia.No possvel reduzi-la mera identidade de significados.Para que duas expresses sejam sinnimas, no basta que tenham a mesma referncia no mundo.

  • A) Os alunos de Educao Fsica da USP.B) Os alunos mais fortes da USP.

    A) Os alunos de Letras do IFSP.B) Os alunos mais cultos do IFSP.

    A) Me.B) Melhor pessoa que conheo.

  • As expresses se referem aos mesmos objetos no mundo (tm a mesma referncia), mas no s mesmas propriedades desses objetos.As expresses precisam, alm de ter a mesma referncia, ter o mesmo sentido.Duas sentenas tm o mesmo sentido quando, ao se referirem ao mesmo conjunto de fatos no mundo, so ambas verdadeiras ou ambas falsas.

  • A me desses cachorrinhos come rao e dorme em uma casinha de madeira.*A melhor pessoa que conheo desses cachorrinhos come rao e dorme em uma casinha de madeira.

    A necessidade a me da inveno.*A necessidade a melhor pessoa que conheo da inveno.

  • Palavras so sinnimas quando podem ser substitudas no contexto de qualquer frase sem que a frase passe de falsa a verdadeira.

    Menina/garota.Toda menina sonha ser mulher um dia.Toda garota sonha ser mulher um dia.

  • Sempre ser possvel encontrar um contexto em que a sinonmia no se sustenta.

    A Maria no se irrita quando a chamam de menina, mas no suporta ser chamada de garota.A Maria no se irrita quando a chamam de garota, mas no suporta ser chamada de menina.

  • Portanto, no possvel pensar em sinonmia de palavras fora do contexto em que so empregadas. Na maioria dos casos, sinonmia baseada no significado conceitual da palavra, sem se levar em conta outros fatores.No h sinnimos perfeitos, s sinonmia gradual, pois as palavras sempre sofrem algum tipo de especializao de sentido ou uso.

  • Bandido/melianteEsposa/mulherMedo/temorIluso/fantasiaPrdio/edifcioTexto/redaoAlegria/felicidade

  • a sinonmia entre sentenas.Questo to complexa quanto a das palavras ou expresses isoladas.Para Canado, noo de acarretamento resolve a questo da sinonmia de contedo.Duas sentenas seriam sinnimas quando a primeira acarreta a segunda e a segunda acarreta a primeira.

  • A) Aquelas trs damas do canto esto chamando.B) Aquelas trs mulheres do canto esto chamando.Embora, em sentido meramente informacional, possa se dizer que h acarretamento mtuo, o uso de mulheres e damas remete a sentidos distintos, dependendo do contexto.

  • A) Todo mundo nesta sala fala duas lnguas.B) Duas lnguas so faladas por todo mundo nesta sala.

    A) A polcia procura a Sara.B) A Sara procurada pela polcia.

  • Clareza sobre a informao da primeira sentena interfere na noo de acarretamento mtuo.Escolha do tpico da sentena altera a informao construda. Topicalizao nunca ingnua por parte do falante.Da mesma forma, a entonao e o foco mudam o significado da sentena.

  • A) O DOUGLAS escolheu aquele terno.B) O Douglas escolheu AQUELE TERNO.

    A) Agora que cheguei em casa, pretendo DESCANSAR.B) Agora que cheguei em casa, PRETENDO descansar.

  • No h sinonmia perfeita nem entre palavras nem entre sentenas.Jamais duas palavras, expresses ou sentenas so idnticas em termos de estrutura sinttica, entonao, sugestes, possibilidades metafricas ou estruturas fonticas e fonolgicas.Mas algum tipo de sinonmia deve ser levado em conta, para possibilitar a recuperao de informaes pela linguagem.

  • Tradues e recontaes exigem algum tipo de equivalncia semntica com o original.O ponto de partida mnimo, para Canado, o acarretamento mtuo.Entretanto, sempre preciso estar atento para o fato de que a aproximao conceitual isolada do contexto incapaz de recuperar o sentido na maioria das situaes.

  • A) A Maria no est viva.B) A Maria est morta.

    A) O Carlos pai do Andr.B) O Andr filho do Carlos.

    A) Aquela pessoa muito esperta.B) Aquele indivduo muito esperto.

  • A) A Maria falou que o Andr saiu.B) A Maria disse que o Andr saiu.

    A) Todos os trabalhadores dessa empresa recebem dois benefcios.B) Dois benefcios so recebidos por todos os trabalhadores dessa empresa.

  • A) A Maria linda.B) A Maria muito bonita.

    A) O Pedro trabalha comigo.B) Eu trabalho com o Pedro.

    A) EU comi um chocolate.B) Eu comi UM CHOCOLATE.

  • Para Ilari, duas sentenas so parfrase quando descrevem um mesmo acontecimento ou estado de coisas de maneira equivalente.H dois tipos principais de mecanismos para construo de parfrases:

    1) Por transformaes de carter sinttico.2) Por transformaes com base no conhecimento do lxico, pela equivalncia de palavras e expresses.

  • Principais tipos de parfrase baseada no lxico:1) Pelo predicado converso.2) Por predicados simtricos.3) Pela troca de verbos-suporte.4) Por palavras que expressam as mesmas relaes em classes morfossintticas diferentes.5) Por termos sinnimos.

  • Com substantivos:Jos filho de Pedro. // Pedro pai de Jos.

    Com adjetivos:Federer superior a Nadal. // Nadal inferior a Federer.

  • Com preposies:A padaria fica depois do aougue. // O aougue fica antes da padaria.

    Com verbos: Jos emprestou um livro a Pedro. // Pedro tomou um livro emprestado a Jos.

  • Com substantivos:Jos irmo de Pedro. // Pedro irmo de Jos.

    Com adjetivos:Federer to bom quanto Djokovic. // Djokovic to bom quanto Federer.

  • Com verbos:Maria namora Jos. // Jos namora Maria.

    Com preposies e locues prepositivas:A padaria fica perto do aougue. // O aougue fica perto da padaria.

  • Jos tem barba. // Jos barbudo.

    Jos tem muita idade. // Jos idoso.

    Jos tem pacincia. // Jos paciente.

    Ateno: no h parfrase em:Jos tem cabea. // Jos cabeudo.

  • Antes de jantar, o presidente fez um discurso. // O jantar foi precedido pelo discurso do presidente.

    Por causa da chuva, os convidados se atrasaram. // A chuva provocou o atraso dos convidados.

  • A aula foi tediosa.

    A aula foi chata.

    A aula foi maante.

  • CANADO, M. Manual de Semntica: noes bsicas e exerccios. 1. ed., 1 reimpresso. So Paulo: Contexto, 2013.

Search related