Click here to load reader

Servico Social Matriz Curricular

  • View
    114

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Servico Social Matriz Curricular

  1. 1. PROEX-FUNESO: JUSTIFICATIVAS E OBJETIVOS 1. A Unio de Escolas Superiores da FUNESO (UNESF) mantida pela Fundao de Ensino Superior de Olinda (FUNESO), localizada no Campus Universitrio da FUNESO, S/N, Jardim Fragoso, Olinda-PE, CEP 53.660-770, instituda pela Lei Municipal n 3.711, de 07 de julho de 1971. 2. Desde as suas criaes as Instituies previam a possibilidade da implantao de Programas de Extenso. No Captulo II (DAS FINALIDADES DA FUNDAO), no Artigo 3, item I do seu Estatuto encontramos: Artigo 3 - A Fundao de Ensino Superior de Olinda FUNESO tem como finalidade precpua procurar viabilizar a criao e a instalao da UNIVERSIDADE DE OLINDA, bem como: I - criar, instalar e manter unidades de graduao, e ps-graduao e cursos de extenso; No Artigo 45 do Regimento da UNESF podemos ver: Art.45. Os programas de extenso da UNESF se traduzem por cursos, atividades e servios, objetivando a preservao, criao, irradiao e difuso de conhecimentos e tcnicas vinculadas s diversas reas do saber, buscando, prioritariamente, solucionar os grandes problemas reais da regio e do Pas. 3. Visando cumprir com seus objetivos, a FUNESO/UNESF criou o PROEX-FUNESO (Programa de Extenso Universitria da FUNESO). Constitui uma modalidade de educao destinada a proporcionar ao estudante com escolaridade compatvel conhecimentos que lhe permitam qualificar-se e atualizar-se, alm de um possvel aproveitamento de disciplinas nos cursos de graduao referenciais da FUNESO ou nos cursos equivalentes de outras Instituies de Ensino Superior devidamente autorizadas pelo MEC, que adotem um programa semelhante. Para isto, o aluno poder requerer validao dos contedos cursados na forma de extenso a nvel superior,
  2. 2. amparado na Resoluo CFE 05/79, alterada pela Resoluo CFE 01/94 e Parecer CES/CNE 247/99 e conforme previsto no Artigo 47, Pargrafo 2, da Lei de Diretrizes e Bases e nas normatizaes internas de cada Instituio. 4. Os estudos de extenso universitria apresentam a seguinte base legal: Lei 9394/96, Artigo 44, inciso IV; Artigo 43, inciso VIII; Artigo 47, pargrafo 2 e Artigo 50. Art. 43. A educao superior tem por finalidade: VII - promover a extenso, aberta participao da populao, visando difuso das conquistas e benefcios resultantes da criao cultural e da pesquisa cientfica e tecnolgica geradas na instituio. Art. 44. A educao superior abranger os seguintes cursos e programas: IV - de extenso, abertos a candidatos que atendam aos requisitos estabelecidos em cada caso pelas instituies de ensino. Art. 47. 2 Os alunos que tenham extraordinrio aproveitamento nos estudos, demonstrado por meio de provas e outros instrumentos de avaliao especficos, aplicados por banca examinadora especial, podero ter abreviada a durao dos seus cursos, de acordo com as normas dos sistemas de ensino. Art. 50. As instituies de educao superior, quando da ocorrncia de vagas, abriro matrcula nas disciplinas de seus cursos a alunos no regulares que demonstrarem capacidade de curs-las com proveito, mediante processo seletivo prvio. 5. Os cursos oferecidos neste formato no so CURSOS REGULARES DE GRADUAO pois, na condio de IES, a UNESF NO dispe de autonomia do MEC para oferecer cursos desta natureza fora da sua sede. 6. Por se tratar de um curso, a nvel universitrio, exigida uma escolaridade compatvel, ou seja, a concluso do ensino mdio ou equivalente.
  3. 3. 7. Para acesso aos cursos do PROEX-FUNESO, o candidato submetido a um PROCESSO SELETIVO, que no deve ser confundido com o VESTIBULAR das instituies de ensino superior. 8. Compreendendo que os programas de extenso da UNESF-FUNESO buscam solucionar os grandes problemas reais da Regio e do Pas, a implantao do projeto ocorre prioritariamente nos municpios desfavorecidos, onde no existam IES oferecendo os cursos equivalentes, na forma de graduao. Tal medida procura salvaguardar os interesses mais imediatos daquelas entidades que foram credenciadas pelo MEC para a oferta de cursos de graduao presenciais e que tiveram todo um investimento financeiro e pedaggico para a liberao dos mesmos. 9. Levando em considerao ainda a realidade econmica de cada municpio onde o projeto implantado, so cobrados valores compatveis com esta realidade, prtica esta que contribui para a incluso social das pessoas e a elevao da sua autoestima. 10. Na sua fase inicial, o PROEX-FUNESO usou como referncias os seguintes cursos: Bacharelado em Administrao (Portaria de Autorizao: 580/98) Licenciatura em Biologia (Portaria de Reconhecimento: 1068/85) Licenciatura em Histria (Portaria de Reconhecimento: 1068/85) Licenciatura em Letras (Portaria de Reconhecimento: 1068/85) Licenciatura em Matemtica (Portaria de Reconhecimento: 870/09) Licenciatura em Pedagogia (Portaria de Reconhecimento: 1068/85) 11. Agora o PROEX-FUNESO parte para uma outra fase, graas a um convnio de Cooperao Tcnica firmado com a FAISA-RS e a FACIG MG, atravs da UNINACIONAL, usando como referncia os cursos:. Bacharelado em Servio Social da FACIG MG (Portaria de Autorizao: 643/06) Licenciatura em Educao Fsica da FAISA-RS (Portaria de Autorizao: 253/11)
  4. 4. CURSO: TEORIAS E PRTICAS EM SERVIO SOCIAL Modalidade: Extenso Oferta: Fora do Campus Universitrio da FUNESO Importante: Oferecido em Regime de Cooperao Tcnica, conforme Convnio FUNESO e FACIG-MG / UNINACIONAL Base Legal dos Cursos de Extenso: - O aproveitamento dos mdulos/disciplinas est amparado na Resoluo CFE 05/79, alterada pela Resoluo CFE 01/94 e Parecer CES/CNE 247/99 que garante a legitimidade dos direitos dos Estudantes quanto ao seu capital acadmico para fins de aproveitamento posterior. - O PROEX FUNESO um Programa de Extenso Superior previsto pela Lei 9394/96. Caractersticas do Curso de Destino (FACIG/MG): - Autorizao: Portaria MEC n 643 / 2006. - Reconhecimento: Portaria MEC n 36 / 2012.
  5. 5. Mdulo 1 Introduo ao Servio Social N DISCIPLINAS Carga Horria (h) Terica Prtica Total CD. 01 Introduo ao Servio Social 60 - 60 101 02 Formao Sociohistrica do Brasil 60 - 60 102 03 LIBRAS 40 40 145 04 Introduo Filosofia 40 - 40 104 05 Lngua Portuguesa 40 - 40 105 06 Metodologia do Trabalho Cientfico 40 - 40 106 07 Estatstica Bsica 40 - 40 110 Totais 320 - 320 Mdulo 2 Teorias Sociolgicas N DISCIPLINAS Carga Horria (h) Terica Prtica Total CD. 01 Aspectos Histricos, Econmicos, Sociais e Culturais Regionais (Vale do Rio Doce) 40 - 40 108 02 Antropologia Social 80 - 80 114 03 Teoria Sociolgica I 60 - 60 107 04 Teoria Sociolgica II 60 - 60 111 05 Cincias Polticas 80 - 80 112 06 Psicologia Geral 80 - 80 113 07 Psicologia Social 40 - 40 138 Totais 440 - 440
  6. 6. Mdulo 3 Fundamentos Histricos, Tericos e Metodolgicos do Servio Social N DISCIPLINAS Carga Horria (h) Terica Prtica Total CD. 01 Fundamentos Histricos, Tericos e Metodolgicos do Servio Social I 80 - 80 109 02 Poltica Social e Servio Social 60 - 60 115 03 Fundamentos Histricos, Tericos e Metodolgicos do Servio Social II 60 - 60 116 04 Economia Poltica 60 - 60 117 05 Fundamentos Histricos, Tericos e Metodolgicos do Servio Social III 80 - 80 121 06 Fundamentos Histricos, Tericos e Metodolgicos do Servio Social IV 60 - 60 132 Totais 400 - 400 Mdulo 4 Poltica Social Setorial e Servio Social N DISCIPLINAS Carga Horria (h) CD. Terica Prtica Total CD. 01 tica Profissional e Servio Social 80 - 80 120 02 Inovao Sociolgica 60 - 60 118 03 Poltica Social Setorial e Servio Social I 60 - 60 122 04 Bases Antropolgicas Afrodescendentes 60 - 60 119 05 Poltica Social Setorial e Servio Social II 80 - 80 127 06 Direitos Humanos 40 - 40 125 07 Poltica Social Setorial e Servio Social III 80 - 80 135 Totais 460 - 460
  7. 7. Mdulo 5 Servio Social e Trabalho N DISCIPLINAS Carga Horria (h) Terica Prtica Total CD. 01 Acumulao Capitalista e Servio Social 40 - 40 124 02 Superviso Terico-Prtica em Servio Social 40 - 40 128 03 Processos de Trabalho e Servio Social 80 - 80 129 04 Direito e Legislao Social 60 - 60 130 05 Administrao e Planejamento em Servio Social 80 - 80 131 06 Trabalho e Sociabilidade Contemporneos 60 - 60 123 07 Gesto de Pessoas 40 - 40 143 Totais 400 - 400 Mdulo 6 Tecnologia e Servio Social N DISCIPLINAS Carga Horria (h) Terica Prtica Total CD. 01 Pesquisa em Servio Social 80 - 80 134 02 Comunicao Cultural e Servio Social 60 - 60 126 03 Classes e Movimentos Sociais 80 - 80 136 04 Informtica Bsica 40 - 40 103 05 Processamento de Dados Aplicados ao Servio Social e Tcnicas Administrativas 40 - 40 137 06 Tecnologia da Informao e Comunicao Aplicada em Projetos 40 - 40 144 07 Liderana e Comportamento Organizacional 60 - 60 151 Totais 400 - 400 Mdulo 7 Tpicos Especiais em Servio Social
  8. 8. N DISCIPLINAS Carga Horria (h) Terica Prtic a Total CD. 01 Tpicos Especiais em Servio Social I 60 - 60 141 02 Tpicos Especiais em Servio Social II 60 - 60 149 03 Oficina de Trabalho de Concluso de Curso I 60 - 60 142 04 Oficina de Trabalho de Concluso de Curso II 60 - 60 152 05 Servio Social e Pensamento Contemporneo 40 - 40 148 06 Relaes de Gnero em Servio Social 40 - 40 150 07 Questes Agrrias e do Meio Ambiente Regionais (Leste de Minas) 60 - 60 153 Totais 380 - 380 Complementao na IES de Destino (8 PERODO) N DISCIPLINAS Carga Horria (h) CD. Terica Prtic a Total 01 Orientao ao Trabalho de Concluso de Curso I 60 - 60 040 02 Orientao ao Trabalho de Concluso de Curso II 60 - 60 047 03 Estgio Supervisionado I - 112 112 033 04 Estgio Supervisionado II - 112 112 039 05 Estgio Supervisionado III - 112 112 046 06 Estgio Supervisionado IV - 112 112 054
  9. 9. CURSO: TEORIAS E PRTICAS EM SERVIO SOCIAL Modalidade: Extenso Oferta: Fora do Campus Universitrio da FUNESO (em regime de Cooperao Tcnica com a FACIG MG) DISCIPLINA /MDULO Carga Horria (h) Terica Prtica INTRODUO AO SERVIO SOCIAL / 1 60 - OBJETIVOS - Conhecer o contexto histrico da profisso. - Compreender o significado social da profisso. CONTEDOS - Origem e significado do Servio Social no contexto capitalista. - Perfil profissional. - As formas de organizao e o cotidiano da pro