Espiritualidade são paulo

  • View
    991

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. ESPIRITUALIDADE MISSIONRIA REDENTORISTA AINTENO ORIGINALDE SANTO AFONSO EM FUNDAR NOSSA CONGREGAO

2. INTRODUO

  • Para entrar no processo de animar nossa espiritualidade redentoristae reestruturao absolutamente necessrio que voltemos a redescobriro carisma fundacional oua experincia mstica de Afonsoporque nossa espiritualidade redentorista est baseada nessa tica de Afonso.Razes. No h outro caminho nessa busca de autenticidade
  • O que Santo Afonso e o grupo inicial quiseramrealizar atravs de sua espiritualidade?Sem esse passo h um grande perigo de perder o sentido profundo denossa espiritualidade como est contida em nossas novas constituies porque ela precisa ser baseada nesseprojeto fundacional de Afonso .

3.

  • Precisamos redescobrir e assumir a inteno original de Santo Afonso,MAS traduzir essa inteno em nossa espiritualidade com nova roupa segundo os sinais dos tempos parapodermoscontinuar o Redentor e pregar fielmente a Copiosa Redenoao povo de Deus em nossos tempos.Precisa ser tambm o fundo teolgico de reestruturao.
  • Estamos falando aqui de um processo depurificaoparareanimarofogodo carisma original de Santo Afonso. Qual foi sua inteno original na fundao da congregao? E o que Afonso nos deixou como elementos essenciais para animar esse carisma? Soperguntas essenciaispara nos dirigir para essa purificao.

4.

  • REALIDADE NOSSA
  • As colocaes dos ltimos trs captulos, que so para ns sinais dos tempos e do Esprito Santo, nos mostraram que o tal desejado unio entre espiritualidade e misso ainda no aconteceu como foi esperada. Ainda existe entre ns sinais dedualismo.Precisamos nos confrontar com isso diante da questo de reestruturao e nossos apostolados.

5.

  • O Captulo constata na Congregao o perigo dodualismoentre apostolado e espiritualidade. Essa dicotomia conduz ou aoativismosem densidade espiritual, ou aoespiritualismosem dinamismo missionrio, dois comportamentosigualmente reprovveis . (Captulo 1991 - n. 35).
  • Eis nosso desafio hoje em dia.

6. NOSSO FUNDADOR CONSTITUIES DA CONGREGAO DO SANTSSIMO REDENTOR UMA REGRA DE VIDA 7.

  • O processo precisa iniciar-se com um estudo profundo e umaretomada efetivadasnovas constituies e estatutos de nossa congregao.
  • Presume-se que o trabalho para reescrever as constituies exigiu das comisses preparatrias, dos peritos,e dos capitularesuma purificao sriaparavoltareredescobrira vida, os escritos e a heranade Afonso. Voltem s suas razes(norma do Vat. II).
  • Precisamosacreditarqueo Esprito Santoteve muito a fazer com o escrito das novas Constituies e Estatutos.

8.

  • Infelizmente, muitos Redentoristasaindano apreciam a riqueza dessas novas constituies nossas. Elas ainda so usadas mais como umlivro de referncia e no como deve ser -um guia espiritual que fortalecenossa misso e espiritualidade.
  • CONSTITUIES DA
  • CONGREGAO
  • DO SANTSSIMO
  • REDENTOR

9.

  • So guias seguras paranossa vida redentorista. Contm entre as linhas ainteno original de Santo Afonso que precisamos refundar.
  • Umestudo-orante das constituies a fonte de nimo e de converso no projeto carismtico de Santo Afonso. Sobretudo, precisamos criativamente introduzir um estudo -orante das Constituies em todos os nveis da formaoinicial e permanente e no discernimento sobre a reestruturao.

10.

  • Toda nossas Constituies soMISSO-ORIENTADAS:grandenovidade que devolveu para ns o carisma de Afonso. Sua finalidade original foimisso-orientada.
  • As novas constituiesso um raio-Xdaespiritualidade apostlicade Afonsoque no foidualista, nem com duas finalidades.Segundo Afonso, a misso santifica o Redentorista,e a santificao dele est em prol da misso. Os dois elementos formam umaunidade em nossa vida redentorista.

11.

  • necessrio primeiro que esclareamos qual foi esseprojeto missionrio original de Santo Afonso.
  • Para podermos fazer isso, necessrio tocar no incio de nossa congregao, o sonho, o comeo carismtico ou o projeto original de Afonso. Nossa fonte aqui ser principalmentePadre Raponi C.Ss.R (1)
  • 1 -Vinculao Apostolado e Vida Religiosa: o Ponto de vista de Santo Afonso ; Revista Confer, n 103, p. 471- 483.

12.

  • PERGUNTAS PARA PARTILHA
  • 1 Qual o verdadeiro sentido das Constituies em sua vida Redentorista?
  • 2 Voc considera as constituies como umaregra de vida uma inspirao para captar a finalidade original de Afonso?

13. AS REGRASMAISPRIMITIVAS DE AFONSO

  • Nossa finalidadeparatentarredescobrira intenooriginal, ou como diria Padre Raponi,o intento originalde Santo Afonso.
  • fundamental que entendamos as circunstncias concretas de nossamisso na Igreja e no mundoporque impossvel falar de nossa espiritualidade redentoristae reestruturao sem entendermos o projeto apostlico como foi pensado por Afonso. Em poucas palavras, segundo Afonso ,A MISSOREDENTORISTADETERMINANOSSA ESPIRITUALIDADEE NO VICE-VERSA.

14.

  • 1- O ponto central da tese de Padre Raponi foi queAfonsonunca quis duas finalidades quando fundou nossa Congregao.
  • Padre Raponi insiste que houve somente umanica viso globalentre aespiritualidade,a misso ,a vida consagrada, e a vida comunitria.
  • VIDA
  • APOSTLICA
  • A NOVA REGRA

15.

  • No houvedualismo ou uma inteno duplaque infelizmente logo foi introduzido na Congregao por circunstnciasexternas , isto ,pelas exigncias da Cria Romana ,e por circunstnciasinternas , isto , por meio dosCaptulosat durante a vida de Afonso que de fato enfraqueceram a espiritualidade missionria de Afonso.Enfraqueceram ointento nicode Afonso.

16.

  • A proposta dedois finsfoi forada em cima de quase todas as congregaesespecialmente depois doConclio de Trento , isto :
  • Que o primeiro fim duma congregao religiosa asantificao pessoaldos membros consagrados,
  • e s depois vem o segundo fim,seu servio caritativo ou apostlico na Igreja.
  • umdualismo muito fortefoi criado em quase todas as congregaes ativas por causa dessa proposta de duas finalidades (nossa formao).
  • A tese de Padre Raponi, que estaceita quase por todos, que Afonsorejeitou essa viso tradicional Tridentinae introduziu algo totalmentenovo e inovador.

17.

  • Santo Afonso fundou a Congregao para um servio eclesial muito especfico, isto ,a evangelizao dos mais abandonados.Santo Afonso quis que seus confrades vivessem em comunidade e, unidos porvotos simples,isto ,sem as obrigaes e estruturas monsticas, para que eles pudessemrealizar onicointentoque foiapostlico e missionrio .(Santo Incio)
  • Todos os documentos originais da Congregao falamdesse ideal missionrioque formou, ento,a idia centralem torno da qual girou todo o restante de nossa vida redentorista(misso/ comunidade/ espiritualidade/ consagrao/ formao/ governo: os cinco captulos de nossa nova regra de vida falam desse fim apostlico)

18.

  • Afonso nunca falou deduas finalidades,mas somente do fim missionrio quegeratodas as outras exigncias incluindo a santidade pessoal e comunitria dos confrades.
  • No de surpreender que agora as novas constituies colocam noprimeiro captulo no a vida comunitria, nem a vida espiritual, nem a vida consagrada,mas simnossa misso na Igreja e no mundoque deveriacolorirtoda o resto das constituies que guiam nossa vida redentorista.

19.

  • Isto no foi por acaso. Foi uma tentativa para recriar e refundar ainteno original de Afonso. Os peritos redescobriram a inteno original de Santo Afonso e ela foi fielmente re-escrita em nossasnovas constituies e estatutos.Voltamos para umafidelidade em tentar vivera inteno original de Afonso. Somos umacomunidade apostlica (animador e motor de toda nossa vida redentorista).

20.

  • PERGUNTAS PARA PARTILHA
  • 1 Em sua formao inicial, esse conceito denico intentofoi ensinado e praticado? Que a misso a finalidade principal?
  • 2 Como podemos corrigir esse erro?

21.

  • As Regras
  • Mais
  • Primitivas
  • Que demonstram
  • a
  • Inteno original
  • De Santo Afonso

22.

  • primeiro pedido de aprovaomandado ao Papa Bento XIV. Afonso explica que foiuma razo apostlica que o levou a reunir em trono de sua pessoa um grupo de seguidores .O primeiro documento que pode confirmar tudo isso foi oSupplex Libellus:confrades que vivem emcomunidade em prol da misso.

23.

  • "Santssimo Padre!O sacerdote napolitano Afonso de Ligrio com seus demais companheiros missionrios, reunidos sob o ttulo doSS. Salvador , em humilde splica expem o seguinte a vossa Santidade:Aps muitos anos de exerccio das misses como membro da Congregao das Misses Apostlicas, com sede na catedral de Npoles,conhecendo o grande abandono em que jazem os pobres e principalmente os camponeses, em vastas regies deste reino,desde 1732 uniu-se aos acima mencionados sacerdotes, seus companheiros, sob a direo de Mons. Falcoia, Bispo de Castellamare,para atender aos pobres camponeses espiritualmente mais abandonados, com misses, instrues e outros exerccios. (veja Supplex Libellus p. XVIIdas C&E)

24.