Teeb sintese portugues

Embed Size (px)

DESCRIPTION

TEEB - A Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade A Economia dos Ecossistemas e Biodiversidade (TEEB, na sigla em inglês) é uma iniciativa global que busca “promover uma melhor compreensão do real valor económico fornecido pelos serviços dos ecossistemas e disponibilizar ferramentas económicas que levem tais valores em consideração”.

Text of Teeb sintese portugues

  • 1. d os ecossistem as e da biodiversidade A econom ia Integrando a Economia da Natureza Uma sntese da abordagem, concluses e recomendaes do TEEB

2. d os ecossistem as e da biodiversidade A econo m ia Integrando a Economia da Natureza Uma sntese da abordagem, concluses e recomendaes do TEEB 3. 2 I n t e g r a n d o a E c o n o m ia d a Nat u r e z a Este relatrio deve ser mencionado conforme abaixo: TEEB (2010) A Economia dos Ecossistemas e da Biodiversidade: Integrando a Economia da Natureza. Uma sntese da abordagem, concluses e recomendaes do TEEB. Autoria Esta sntese foi elaborada por Pavan Sukhdev, Heidi Wittmer, Christoph Schrter-Schlaack, Carsten Nesshver, Joshua Bishop, Patrick ten Brink, Haripriya Gundimeda, Pushpam Kumar, Ben Simmons e Aude Neuville. Gostaramos de agradecer a Tim Hirsch por seu apoio em converter o trabalho do TEEB neste relatrio sntese. Agradecimentos A equipe do TEEB expressa sua gratido pelo apoio de seu Painel Consultivo: Joan Martinez-Alier, Giles Atkinson, Edward Barbier, Ahmed Djoghlaf, Jochen Flasbarth, Yolanda Kakabadse, Jacqueline McGlade, Karl-Gran Mler, Julia Marton-Lefvre, Peter May, Ladislav Miko, Herman Mulder, Walter Reid, Achim Steiner, Nicholas Stern Grupo coordenador do TEEB: Pavan Sukhdev (PNUMA), Lars Berg (Ministrio do Meio Ambiente, Sucia), Sylvia Kaplan (Ministrio Federal para o Meio Ambiente, Conservao da Natureza e Segurana Nuclear, Alemanha), Georgina Langdale (PNUMA), Aude Neuville (Comisso Europeia), Mark Schauer (PNUMA), Benjamin Simmons (PNUMA), Tone Solhaug (Mi- nistrio do Meio Ambiente, Noruega), James Vause (Departamento para o Meio Ambiente, Alimentao e Assuntos Rurais - DEFRA, Reino Unido), Francois Wakenhut (Comisso Europeia), Heidi Wittmer (UFZ) A equipe do TEEB gostaria tambm de agradecer a todos os colaboradores, revisores e queles que apoiaram o estudo do TEEB, seus relatrios e atividades. Por favor, veja no Anexo 3 a lista dos autores. Para mais detalhes, visite o site teebweb.org. Agradecimentos a Alexandra Vakrou, James Vause, Florian Matt, Augustin Berghfer e Rodrigo Cassiola por possibilitarem que este relatrio ficasse pronto a tempo. A equipe do TEEB: Lder do Estudo TEEB: Pavan Sukhdev (PNUMA) Coordenao Cientfica do TEEB: Heidi Wittmer, Carsten Nesshver, Augustin Berghfer, Christoph Schrter- Schlaack (Helmholtz-Centre for Environmental Research UFZ) Coordenadores dos relatrios: Base do TEEB: Pushpam Kumar (Universidade de Liverpool); TEEB para Polti- cas Nacionais: Patrick ten Brink (IEEP); TEEB para Poltica Local: Heidi Wittmer (UFZ) & Haripriya Gundimeda (ITB); TEEB para o Setor de Negcios: Joshua Bishop (IUCN) Execuo do TEEB: Benjamin Simmons (PNUMA), Mark Schauer (PNUMA), Fatma Pandey (PNUMA), Kaavya Varma (consultora), Paula Loveday-Smith (PNUMA-WCMC) Comunicao do TEEB: Georgina Langdale (PNUMA), Lara Barbier (consultora) Termo de Responsabilidade: as opinies expressas neste relatrio so exclusivamente as de seus autores e no devem, em nenhuma circunstncia, ser tomadas como a posio oficial das organizaes participantes. Layout: www.dieaktivisten.de Traduzido e impresso com o apoio da Confederao Nacional da Indstria. O TEEB sediado pelo Programa das Naes Unidas para o Meio Ambiente e conta com o apoio da Comisso Europeia, do Ministrio Federal do Meio Ambiente, Conservao da Natureza e Segurana Nuclear da Alemanha, do Departamento para Meio Ambiente, Alimen- tao e Assuntos Rurais do Reio Unido e do Departamento para Desenvolvimento Internacional do Ministrio para Assuntos Externos da Noruega, do Ministrio para o Meio Ambiente da Sucia, do Ministrio de Habitao, Ordenamento Territorial e Meio Ambiente da Holanda e do Ministrio de Meio Ambiente do Japo. 4. I n t e g r a n d o a E c o n o m ia d a Nat u r e z a 3 Prefcio sistemas e da biodiversidade (veja Seo 2). O TEEB tambm reconhece a pluralidade dos valores que as pessoas do natureza, assim como a variedade de tcnicas disponveis para avali-los. Os valores da natureza variam de acordo com as circunstncias biofsicas e ecolgicas, e tambm com o contexto social, econmico e cultural. Valores intangveis, como por exemplo, a disposio da socie- dade de pagar para conservar espcies e paisagens especficas, ou de proteger recursos de uso comum, devem ser considerados juntamente com valores mais palpveis, como alimentos ou madeira, para fornecer um quadro econmico mais completo. A valorao no vista como uma panaceia, mas sim como uma ferramenta para ajudar a recalibrar um compasso econmico falho, que nos levou a tomar decises prejudiciais tanto para o bem-estar atual como para o bem-estar das futuras geraes. A invisibilidade dos valores da biodiversidade muitas vezes encorajou o uso ineficiente ou mesmo a destruio do capital natural, que a base da nossa economia. O objetivo do TEEB fornecer uma ponte entre a cincia multidisciplinar da biodiversidade e a arena das polticas nacionais e internacionais, assim como as prticas governamentais e o setor de negcios. O escopo do estudo intencionalmente abrangente e, portanto, deve ser visto como uma inspirao e um convite para outros estudos aprofundarem suas concluses e desenvolverem recomendaes mais especficas. Idealmente, o TEEB dever agir como um catalisador para ajudar a acelerar o desenvolvimento de uma nova economia: uma economia na qual os valores do capital natural, bem como os servios ecossistmicos fornecidos por este capital, estejam completamente refletidos nas tomadas de deciso pblicas e privadas. Em 2007, os ministros de meio ambiente dos gover- nos dos pases do G8+51 , em encontro em Potsdam, Alemanha, concordaram em iniciar o processo de analisar os benefcios econmicos globais da diversi- dade biolgica, os custos da perda da biodiversidade e as falhas das medidas de proteo versus os custos da sua efetiva conservao. O estudo A Economia dos Ecossistemas e da Biodi- versidade (TEEB), que surgiu a partir dessa deciso, englobou uma srie de relatrios que abordaram as necessidades de seus grandes usurios: tomadores de deciso nos nveis nacional e local, o setor de negcios e o pblico em geral. Esta sntese complementa, e no pretende resumir, os outros produtos do TEEB (veja encarte, seo 4 e Anexo 3). O objetivo aqui destacar e ilustrar a abordagem adotada pelo TEEB: mostrar como os conceitos e ferramentas econmicas podem ajudar a equipar a sociedade com meios que incorporem os valores da natureza na tomada de deciso, em todos os seus nveis. Aplicar o pensamento econmico ao uso da biodiver- sidade e dos servios ecossistmicos pode ajudar a esclarecer dois pontos crticos: porque a prosperidade e a reduo da pobreza dependem da manuteno do fluxo de benefcios dos ecossistemas; e porque uma proteo bem sucedida do meio ambiente precisa estar fundamentada em uma economia slida, que inclua seu reconhecimento explcito, a alocao eficiente e a distribuio justa dos custos e dos benefcios da con- servao e do uso sustentvel dos recursos naturais. A anlise do TEEB construda com base em um trabalho extenso nesse campo nas ltimas dcadas. O estudo apresenta uma abordagem que pode ajudar os tomadores de deciso a reconhecer, demonstrar e, quando apropriado, capturar os valores dos ecos- Pavan Sukhdev e a equipe do TEEB 5. 4 I n t e g r a n d o a E c o n o m ia d a Nat u r e z a A finalizao do estudo e a publicao de sua sntese chegam no momento em que a comunidade global tem uma oportunidade sem precedentes de repensar e reconfigurar a maneira com que as pessoas gerenciam os recursos biolgicos. Uma nova viso para a biodi- versidade, com propostas de metas e indicadores a serem cumpridos em um prazo pr-estabelecido, est sendo elaborada pela Conveno sobre Diversidade Biolgica (CDB), neste Ano Internacional da Biodiversi- dade. A abordagem do TEEB de incorporar os valores da natureza nas tomadas de deciso econmicas pode ajudar a tornar essa viso uma realidade. As recomendaes do TEEB destinam-se a um perodo muito alm do mandato da maioria dos ministrios de meio ambiente e instituies ambientais. O TEEB busca informar e incentivar inmeras iniciativas e processos nos nveis nacional e internacional, incluindo: as deliberaes dos pases que compem o G8+5 e o G20, que se comprometeram a buscar um crescimento verde, mais sustentvel; os Objetivos de Desenvolvimento do Milnio, os quais todas as naes se comprometeram a al- canar at 2015 ; a Conferncia das Naes Unidas sobre Desen- volvimento Sustentvel, tambm conhecida pela Cpula da Terra Rio + 20, que acontecer em 2012; esforos para incluir a questo ambiental nos servi- os financeiros, conduzidos pelas Naes Unidas; a reviso e atualizao, em andamento, das Dire- trizes para Empresas Multinacionais, que buscam promover condutas empresariais responsveis, promovida pela OCDE e diversos pases em de- senvolvimento; e vrias declaraes voluntrias, cdigos e diretrizes relacionados biodiversidade e servios ecossis- tmicos elaborados pela e para a indstria. Nas pginas seguintes apresentamos uma avaliao sistemtica da contribuio econmica da biodiversi- dade e dos servios ecossistmicos para o bem-estar humano; e atividades rotineiras que podem evitar que essa contribuio seja perdida ou reduzida por neglign- cia ou mau gerenciamento. um apelo para cada um de ns, sejamos cidados, formuladores de polticas, administradores locais, investidores, empreendedores ou acadmicos, refletirmos sobre o valor da natureza e sobre a natureza do valor. Nota para o leitor Esta sntese foi elaborada com base nos resultados dos seis relatrios do TEEB produzidos nos lti- mos trs anos. Para facilitar a referncia, ns citamos estes relatrios no texto por meio de letras seguidas pelo nmero do captulo correspondente: I TEEB Relatrio Preliminar C TEEB Mudana do Clima F TEEB Bases Econmicas e Ecolgicas N TEEB para Formuladores de Polticas Nacionais e Internacionais L TEEB para Formuladores de Polticas Regionais e Locais B TEEB para o Setor de Negcios Exemplo: [F5] refere-se ao: TEEB Fundamentos Ecolgicos e Econmicos, Captulo 5 Sumrios exec