Click here to load reader

Determinantes do consumo alimentar das pessoas com deficiência ou incapacidades (apresentação)

  • View
    133

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Janeiro de 2014 | “Determinantes do consumo alimentar das pessoas com deficiência ou incapacidades”, no âmbito da unidade curricular de Metodologia da Investigação do Mestrado em Ciências do Consumo e Nutrição da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto (FCUP) e da Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto (FCNAUP). Autor: Cláudio Carvalho. Avaliação: 17,9 em 20,0 valores.

Text of Determinantes do consumo alimentar das pessoas com deficiência ou incapacidades...

  • 1. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO Determinantes do consumo alimentar das pessoas com deficincia ou incapacidades Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio Metodologia da Investigao Cludio Carvalho Janeiro de 2014

2. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 3 ndice e introduo ndice e introduo. As falhas de mercado e a valorizao crescente da responsabilidade social. A responsabilidade social, o mercado agroalimentar e os grupos mais vulnerveis. Retrato do segmento das pessoas com deficincia. As variveis que influenciam o comportamento do consumidor. Colocao do problema e lacuna de investigao; Propsito da investigao e objetivo. Formulao de hipteses; Originalidade. Desenho do estudo. O estudo da populao e o procedimento de amostragem. Recolha de dados. Gesto de dados: processamento e anlise. Consideraes ticas. Equipamentos e oramentao. Cronograma. Resultados esperados e expanso da investigao. Consideraes finais; Referncias bibliogrficas; Bibliografia. 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 4 Estado da arte: as falhas de mercado e a valorizao crescente da responsabilidade social Segunda metade do sculo XX: Capitalismo da escola neoclssica, capitalismo bem-estar e o nvel geral de qualidade de vida. Incio do sc. XIX: falta de transparncia e de tica empresarial e a governana empresarial. "A empresa responsvel reconhece que tem uma responsabilidade para com a sociedade e no s para com os seus acionistas. Esta empresa, grande ou pequena, deseja estabelecer um relacionamento duradouro e sustentvel com a comunidade onde se insere e da qual ele consegue alcanar a sua prosperidade (Lambin J-J e Schuiling I). (...) Uma maior consciencializao para a importncia da tica resulta tambm da constatao dos custos associados sua ausncia (...) os comportamentos no ticos podem ter um considervel impacto negativo no desempenho dos empregados e nos resultados da empresa (Pina e Cunha M, Rego A). 3. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 5 Estado da arte: a responsabilidade social, o mercado agroalimentar e os grupos mais vulnerveis RSA tem um impacto positivo nas atitudes e intenes de compra dos consumidores, assim como na identificao consumidor-empresa, na lealdade e satisfao. Consequncias positivas na esfera financeira. As PCDI parecem ser um claro grupo que tem sido relegado para segundo plano em termos de tica empresarial e numa perspetiva econmica pelas empresas deste setor, tal a falta de evidncia ao nvel da investigao e do parco posicionamento das empresas que se voltam para este segmento. Como se ver de seguida, este segmento ou nicho de mercado quantitativamente significativo, pelo que merece particular ateno e parece revestir-se de uma oportunidade empresarial. 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO 6 Estado da arte: retrato do segmento das pessoas com deficincia A nvel mundial (OMS, dados de 2004): Mais de mil milhes de pessoas (15% da populao) viviam com algum tipo de deficincia; Cerca de 190 milhes com deficincia severa (2,9% da populao); Valores ligeiramente mais elevados em pases com elevado rendimento. A nvel nacional (INE, Censos 2001): 636059 pessoas com deficincia (i.e. 6,1% da populao); Faixas etrias mais afetadas: 50-79 anos; Sexo masculino ligeiramente mais afetado (52,6% dos casos). Auditiva 13% Visual 26% Motora 25% Mental 11% Paralisia Cerebral 2% Outra Deficin cia 23% 0 20000 40000 60000 0-4 15-19 30-34 45-49 60-64 75-79 >90 Fem. 47%Masc. 53% 4. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 7 Estado da arte: as variveis que influenciam o comportamento do consumidor Tipos de variveis e, respetivas, variveis Explicativas individuais Permanentes dos indvduos Sociolgicas e Psicossociolgicas Necessidades Motivaes Atitudes Personalidade Imagem de si prprio (autoimagem) Estilo de vida Famlia Grupo Classe social Fatores culturais 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 8 Colocao do problema e lacuna de investigao PCDI relegadas para segundo plano nas vertentes: tico-social e econmica. Falta de evidncia cientfica sobre as variveis que influenciam o comportamento de consumo das PCDI. Sumariamente, a formulao do problema ser: Quais as variveis que influenciam, de forma mais relevante, o comportamento de consumo das PCDI de Portugal Continental e como exercem essa influncia? Importa, desde j, salientar que dado a anlise ser fundamentalmetne qualitativa, como se evidenciar com maior preciso mais adiante, o enfoque no ser dado na frequncia mas na variabilidade das respostas. 5. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 9 Propsito da investigao e objetivo Anlise exploratria e descritiva sobre as variveis que influenciam, de forma relevante, o comportamento de consumo das PCDI. mbito geogrfico: Portugal Continental. 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 10 Formulao de hipteses As variveis explicativas individuais e permanentes dos indivduos autnomos exercem uma influncia mais decisiva e positiva no processo de compra e de consumo de produtos alimentares do que as variveis sociolgicas e psicolgicas, considerando algum isolamento e ostracizao social das PCDI, nomeadamente nos casos de deficincia mais severa. Ao nvel das variveis sociolgicas e psicossociolgicas, a influncia de famlia poder destacar-se em indivduos no autonomizados. Assim, possvel que exista uma menor variabilidade nas respostas quanto s variveis relatadas como mais influentes, no caso das PCDI com deficincia mental e com paralisia cerebral. Originalidade Um conhecimento mais aprofundado sobre estas variveis neste segmento vital pelo valor social e econmico associados e esta anlise inicial de carter exploratrio possibilitar uma orientao a futuras investigaes com carter mais especfico para as variveis ou subsegmentos/parties que se considerem mais relevantes ou interessantes consoante o cariz econmico, social ou cientfico que se procure alcanar. 6. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 11 Metodologia: desenho do estudo Anlise predominantemente qualitativa Grupo vulnervel Realidade mltipla rea inexplorada 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 12 Metodologia: o estudo da populao e o procedimento de amostragem Tipo de deficincia N. Visual 4 Sexo masculino e feminino, entre 18 e 34 anos de idade 1 por sexo Sexo masculino, entre 35 e 79 anos de idade 1 Sexo feminino, entre 35 e 84 anos de idade 1 Motora 4 Sexo masculino, entre 50 e 79 anos de idade 2 Sexo feminino, entre 60 e 84 anos de idade 2 Auditiva 2 Sexo masculino, entre 50 e 79 anos de idade 1 Sexo feminino, entre 60 e 89 anos de idade 1 Mental 2 Sexo masculino, entre 20 e 49 anos de idade 1 Sexo feminino, entre 25 e 59 anos de idade 1 Paralisia Cerebral 2 Sexo masculino e feminino, entre 18 e 79 anos de idade 1 por sexo Tabela: Amostragem no probabilstica na vertente intencional (i.e. por convenincia). N=14. 7. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 13 Metodologia: o estudo da populao e o procedimento de amostragem Tipo de deficincia Visual Motora Auditiva Mental Paralisia Cerebral Deficincia temporria excl. excl. excl. excl. excl. Institucionalizada excl. excl. excl. excl. excl. Mais do que um tipo de deficincia excl. excl. excl. excl. excl. Limitaes nutricionais excl. excl. excl. excl. excl. Sem rendimentos provenientes de trabalho excl. excl. excl. Sem capacidade para responder autonomamente excl. excl. excl. Tabela: Critrios adicionais de excluso por tipo de deficincia. 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Consumo e Nutrio. Janeiro de 2014. 14 Metodologia: recolha de dados Mtodo de entrevistas em profundidade semi-estruturadas e de cariz individual. Registo de todas respostas e comportamentos verbais e no-verbais, nomeadamente atravs de registo escrito, de udio e imagem. Tempo estimado de entrevista: 130-160 minutos. No caso das PCDI com deficincia do tipo mental e paralisia cerebral, as questes sero efetuadas pessoa que mais diretamente apoia estas PCDI. Assim, no caso dos indivduos que tm responsabilidade de apoio aos indivduos com deficincia mental ou paralisia cerebral, a questo dever ser moldada de forma a abranger no s as perspetivas pessoais de quem est a ser inquirido mas, tambm, a perceo dos inquiridos quanto s opinies das PCDI em causa. No caso das PCDI com deficincia do tipo auditivo, se necessrio, recorrer-se- a assistentes especialistas em otorrinolaringologia. 8. 20/05/2014 100 ANOS. COMPROMISSO COM O FUTURO 100ANOS.COMPROMISSOCOMOFUTURO Cludio Carvalho. Metodologias de Investigao. Mestrado em Cincias do Co