Acreditação Sael

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Aula sobre acreditação hospitalar e qualidade.

Text of Acreditação Sael

  • 1. Briefing Reunio SAEL 08 de maio
    • Qualidade em anestesia
    • Acreditao
    • Indicadores
      • Cefalia
      • Dor na sala de recuperao anestsica
      • Nuseas e vmitos
      • Consulta pr-anestsica
  • Grupo de Transplantes
    • Meridional Transplantation Study Group
  • Visita pr - anestsica
    • Obrigatoriedade
    • Escala
    • Disponibilidade nos consultrios Meridional Center

PBG maio 2008 2. Briefing Reunio SAEL 08 de maio

  • Visita ps - anestsica
    • Carto de visitas profissional
  • Intranet (Comunicao interna)
    • Emails
    • Artigos
    • Lista de discusso ANESTESIADOR
  • Atualizao em anestesia
    • Congressos
    • Aulas internas

PBG maio 2008 3. Gesto e Qualidade em um Servio de Anestesia Acreditao 4. Gesto e Qualidade em um Servio de Anestesia Acreditao 5. Acreditao

  • Reconhecimento da Qualidade.

PBG maio 2008 6. Avaliao do Servio de Anestesia Princpios bsicos

  • Estrutura(infra-estrutura, ambiente e equipamento);
  • Processo(interao das pessoas com a estrutura e entre elas);
  • eResultado(produto).
  • Deming, 1986

PBG maio 2008 7. Sumrio

  • Introduo
    • Definio
    • Quem so os envolvidos
    • Programa de qualidade
  • Gesto de qualidade
    • Liderana
    • Estratgias e planos
    • Clientes e sociedade
    • Informao e conhecimento
    • Pessoas
    • Recursos materiais
    • Resultados

PBG maio 2008 8. Qualidade...

  • ... uma filosofia a ser compartilhada por todos os membros da organizao, baseada em atitudes positivas em direo a mudanas* e mais focalizada no processo que no indivduo.
  • *O progresso advm de mudanas no sistema, no de exortaes ou ameaas.

PBG maio 2008 9. Quem so os envolvidos?

  • ... uma filosofia a ser compartilhada portodosos membros da organizao, baseada em atitudes positivas em direo a mudanas* e mais focalizada no processo que no indivduo.
  • *O progresso advm de mudanas no sistema, no de exortaes ou ameaas.

PBG maio 2008 10. Quem so os envolvidos?

  • Os servios fazem parte de um todo maior , que a instituio onde se insere.
  • A natural interaoentre os diversos serviosfaz da qualidade conseqncia da integrao gerencial, sistmica e coerente , criando condies para que a assistncia atinja nveis de excelncia em todo o hospital e no apenas em algumas partes (ilhas) dele.

PBG maio 2008 11. Descentralizao

  • Adescentralizao essencial .

PBG maio 2008 12. Descentralizao

  • Adescentralizao essencial .
  • No se deve falar em departamento ou gerncia de qualidade, como se ela pudesse ser atribuio exclusiva de um setor do hospital.
  • O Controle de Qualidadeem Anestesia pode beneficiar-se de programas institucionais, masfundamenta-se na participao direta e permanente de seus membros.

PBG maio 2008 13. Programa de qualidade

  • Conjunto de aes integradas e atitudes permanentes de todos os membros da empresa.
  • Conseqncia de um modelo de gesto que previne ou minimiza as no-conformidades ou erros do sistema.

PBG maio 2008 14. Modelo de gesto - objetivos Monitorao para assegurar o resultado Implementao de aes para erradic-las No conformidades Identificao Definio da causa PBG maio 2008 15. Elementos do modelo de gesto (Critrios de Excelncia) :

  • Liderana
  • Estratgias e planos
  • Clientes e sociedade
  • Intormao e conhecimento
  • Pessoas
  • Recursos materiais
  • Processos
  • Resultados

PBG maio 2008 16. Liderana

  • Sistema de liderana
  • Cultura da excelncia
  • Anlise crtica do desempenho global do servio
  • Liderana
  • Estratgias e planos
  • Clientes e sociedade
  • Intormao e conhecimento
  • Pessoas
  • Recursos materiais
  • Processos
  • Resultados

17. Sistema de liderana

  • Como est distribudo o poder e como esto organizados os grupos?
  • Quais so os principais lderes?
  • Como so legitimados pela alta direo da instituio e por seus pares?
  • Como participam da formulao das estratgias e da busca de oportunidades futuras para o servio?
  • Como a direo estabelece padres de trabalho?
  • Avaliao do desempenho de prticas de gesto (indicadores de desempenho ou informaes qualitativas).

PBG maio 2008 18. Cultura da excelncia

  • Valores (orientam o servio e devem estar alinhados com os valores da direo da instituio)
  • Diretrizes organizacionais

PBG maio 2008 19. Valores(Exemplos) :

  • ...segurana acima de tudo!
  • ...analgesia e conforto do paciente!
  • ...respeito s pessoas!
  • ...desenvolvimento constante!
  • ...inovao e competncia tcnica!
  • Os lderes do o exemplo (liderana baseada em valores).

PBG maio 2008 20. Diretrizes oganizacionais

  • Misso
  • Viso
  • Polticas bsicas do servio

PBG maio 2008 21. Misso

  • O que faz o servio?
  • Como faz?
  • Para quem faz?
  • Com que objetivo maior?

PBG maio 2008 22. Misso

  • O que faz o servio?
  • Como faz?
  • Para quem faz?
  • Com que objetivo maior?
  • Onde o Servio est.
  • O que o Servio .

PBG maio 2008 23. Misso(Exemplo) :

  • O que faz o servio?
  • Como faz?
  • Para quem faz?
  • Com que objetivo maior?
  • O SAEL presta atendimento especializado em anestesia no Hospital Meridional(1) , de qualidade compatvel com os mais recentes desenvolvimentos tcnico-cientficos,(2) , para pacientes do SUS, convnios ou particulares(3) , atuando sobre as diretrizes de tica e Qualidade, mantendo uma meta de excelncia na prestao de servio(4) .

PBG maio 2008 24. Viso

  • Meta a ser alcanada
  • Inspirao
  • Desafios

PBG maio 2008 25. Viso

  • Meta (ousada) a ser alcanada.
  • Inspirao (que motiva a todos em busca do ideal).
  • Desafios (novos patamares).
  • Onde o Servio dever estar ou o que dever ser.
  • O que o Servio ser.

PBG maio 2008 26. Polticas bsicas do Servio

  • Objeto decontnua reviso, atualizao e implementao .
  • Como as coisas so feitas por aqui...

PBG maio 2008 27. Polticas bsicas do Servio(Exemplos) :

  • No se permite aplicar anestesia sem avaliao pr-anestsica.
  • Todo procedimento anestsico deve ser registrado em ficha especfica.
  • A oximetria de pulso obrigatria em todos os procedimentos anestsicos
  • Resoluo CFM 1363/93 (condies bsicas de segurana para a prtica da anestesia).
  • A capnografia obrigatria em todas as situaes em que se aplique anestesia geral.
  • ...

PBG maio 2008 28. Estratgias e planos

  • Formulao de estratgias
  • Operacionalizao de estratgias
  • Planejamento da medio do desempenho global
  • Liderana
  • Estratgias e planos
  • Clientes e sociedade
  • Intormao e conhecimento
  • Pessoas
  • Recursos materiais
  • Processos
  • Resultados

PBG maio 2008 29. Formulao de estratgias

  • Consideraes:
    • Definio da situao atual do servio:Recursosdisponveis (humanos, materiais, financeiros, organizacionais);Ameaas(polticas, econmicas, sociais, tecnolgicas...);
    • Necessidadesdos pacientes/clientes, comunidade, regulamentao, competio...;
    • Descrio dasrealizaes necessrias para que o Servio caminhe em direo sua Viso .
  • Definio de
    • focos(~3) e
    • aes estratgicas (~2 a 5).

PBG maio 2008 30. Operacionalizao de estratgias