Reabilitação neuromuscular de lesões no joelho

  • View
    5.506

  • Download
    48

Embed Size (px)

Transcript

  • 1. UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANADEPARTAMENTO DE SADELICENCIATURA EM EDUCAO FSICAREABILITAO NEUROMUSCULAR DE LESES NOJOELHO: UMA PRTICA DOMICILIARDESENVOLVIDA PELO PROFISSIONAL DEEDUCAO FSICA INTEGRADO AO PROGRAMA DESADE DA FAMLIA (PSF)SIRLEY LIMA BARRETOFEIRA DE SANTANA2004

2. SIRLEY LIMA BARRETOREABILITAO NEUROMUSCULAR DE LESES NOJOELHO: UMA PRTICA DOMICILIAR DESENVOLVIDAPELO PROFISSIONAL DE EDUCAO FSICAINTEGRADO AO PROGRAMA DE SADE DA FAMLIA(PSF)Monografia apresentada aocurso de Educao Fsica daUniversidade Estadual de Feirade Santana, em cumprimentoparcial aos requisitos para aobteno do grau de Licenciadoem Educao Fsica.Orientador(a): Prof. Dra. Suzi deAlmeida V. BarboniFEIRA DE SANTANA2004 3. Minha dedicao toda especial meus pais, que sempre acreditaram em mim, atquando nem eu mesma acreditava; que no pouparam esforos para que pudesse agora estarconcluindo mais uma etapa da minha vida. 4. AGRADECIMENTOS Jeov Deus, que criou essa inigualvel mquina que o ser humano, dotada dasmais singulares qualidades; Gil, Sid e Alex, que foram meus companheiros desde o incio e me ajudaramSEMPRE que precisei; Emlia e Ilma, a quem eu sempre abusava, por morar mais prximo de mim; Neto, que entrou nas nossas vidas no meio do curso, mas que conseguiu ser toinesquecvel quanto os outros; Ao professor Torres, que me ajudou a ver que o basquete era realmente tudo debom, como eu j imaginava; minha orientadora Suzi, que com toda a sua pacincia e otimismo, me ajudou aconstruir essa monografia; quem eu considero meu co-orientador, Marcos Temstocles, que apesar de no t-lo abusado muito, sempre soube que podia contar com ele; Aos meus colegas da Conexo Sade que muitas vezes deixaram seus afazeres parame substituir no trabalho enquanto corria atrs da monografia; Ao meu esposo Fbio, que foi muito paciente e at me ajudou a comprar umcomputador pensando especialmente na monografia; Ao meu professor de basquete e amigo Kal, que sempre me dizia palavras deencorajamento; Aos meus colegas de basquete e, em especial, Cascia, Aline e Daiana, com quem euconstru grande parte da minha vida; Aos meus irmos espirituais, com quem sei que poderei contar sempre; toda a minha famlia, que me apoiava com sua unio; minhas colegas de repblica, que foram minha segunda famlia durante os quatroanos que morei em Feira de Santana; A todos os professores; A todos os colegas com quem convivi, mesmo que por apenas um semestre; A todos os funcionrios do Parque Esportivo e do Colegiado, que sempremostraram ser nossos companheiros nessa caminhada. 5. RESUMOO presente estudo mostra a importncia do profissional de Educao Fsica nareabilitao neuromuscular das leses no joelho, de forma intradomiciliar, no-invasiva, debaixo custo e integrado na equipe multiprofissional do Programa Sade da Famlia(PSF).Para tanto foi realizado um levantamento bibliogrfico utilizando produes cientficasrecentes, as quais foram analisadas e confrontadas. Diante dos achados, concluiu-se que oprofissional de Educao Fsica pode, e deve, integrar a equipe PSF, universalizando, dessaforma, o acesso, a atividade fsica, cujo acesso encontra-se totalmente privatizado em FSA.Com esta incluso e garantido-se que seja realizada de forma segura sob a superviso deum profissional capacitado, a qualidade de vida pode ser melhorada, as seqelas resultantesdas leses podem ser minimizados, tendo seu tratamento barateado pela prtica da atividadefsica. Ressalte-se ainda, a possibilidade de atendimento individualizado, podendo dessaforma haver melhores resultados, pela proximidade professor de Educao Fsica com opaciente e com os outros profissionais da equipe. 6. SUMRIO1.Introduo 71.1.Problema 111.2.Hipteses 121.3.Estado do Tema 131.4.Justificativa 161.5.Objetivos 172.Metodologia 183.Desenvolvimento 193.1 Anatomia funcional e estrutural do joelho 193.1.1.Anatomia estrutural 193.1.2.Anatomia funcional 223.2.Principais leses da articulao do joelho 243.2.1.Leses por predisposio estrutural 243.2.2.Leses por uso excessivo (microtraumticas) 253.2.3.Leses por trauma direto (macrotraumticas) 293.2.4.Artrites 363.2.5.Artroses 373.3.Tratamento: reabilitao convencional de leses no joelho e proposta deteraputica intradomiciliar 383.3.1.Atividades realizadas durante a reabilitao 393.3.2.Pratica intradomiciliar dos exerccios teraputicos 443.4.Interveno do profissional de Educao Fsica no Programa de Sade daFamlia 473.5.Teraputica a ser desenvolvida pelo profissional de Educao Fsica 494.Concluso 515.Anexos 536.Referncias 54 7. 1.INTRODUOA articulao do joelho foi elaborada ao longo da evoluo para dar mobilidade eestabilidade ao corpo humano. Esta articulao alonga e encurta funcionalmente o membroinferior, junto com o quadril e o tornozelo, suporta o peso do corpo quando o indivduo estem p e uma unidade funcional primria para a atividade de andar, subir e sentar.Como o joelho a articulao primria entre o quadril e o p, problemas nessasduas reas iro interferir na funo do joelho na marcha. Ainda devido a sua posio nocorpo humano, o joelho bastante suscetvel a leses traumticas por ser submetidoconstantemente a esforos (j que se localiza entre os dois braos de alavanca, o fmur e atbia) e, no ser protegido por tecido adiposo nem por msculo. Esta apresentao tanto noque se refere posio anatmica, quanto a falta de proteo contribui para a altaincidncia de leses que acometem a articulao. Essas particularidades fazem-se presentescomo fatores principais nas patologias que a comprometem, sejam elas de maior ou menorgravidade.O joelho precisa estar livre de dor e estvel para a sustentao do peso do corpo emarcha normal, desempenhando assim suas funes. Leses traumticas, agudas ou lesescrnicas, deformidades congnitas e degenerao articular nessa regio podem causar dorintensa, instabilidade articular, grave deformidade, limitao de mobilidade ou limitao daamplitude de movimento (que podem ser por instalao de hipotrofia muscular) causandoalterao na marcha e afastamento das atividades profissionais e/ou esportivas.Uma das leses mais comuns no joelho o comprometimento de estruturasligamentares e meniscais, responsveis pela estabilidade articular esttica. Estas lesespodem ser tratadas conservadoramente, atravs de tratamento clnico e fisioterpico, oucirurgicamente com posterior terapia.Os tipos de procedimento mdico e fisioterpico aos quais os pacientes eramsubmetidos h alguns anos, quer por falta de um maior conhecimento cientfico dacomplexidade articular, quer por escassez de recursos tecnolgicos existentes, deixavam osacometidos sujeitos a seqelas, resultando em afastamento de suas atividades laborativas,desportivas e/ou recreacionais. 8. Nos ltimos 10 anos vem-se observando um nmero crescente de pesquisadorespreocupados com o desenvolvimento de tcnicas que proporcionem maior estabilidade efuncionalidade articular associado ao incio precoce do tratamento fisioterpico a fim deminimizar os danos articulao, bem como no tratamento ps-cirrgico.As principais repercusses na artrocintica do joelho foram observadas empacientes submetidos a interveno cirrgica por comprometimento ligamentar, sobretudona reconstruo do ligamento cruzado anterior (LCA). Este fato tambm pode ser associadoao encaminhamento tardio do indivduo ao tratamento fisioterpico ou como na maioria dasvezes, devido ao desconhecimento dos processos cirrgicos aos quais foram submetidosno procurando tratamento fisioterpico adequado.Lalonde (1974 cit. BARBONI, 2002) aponta como determinantes do processosade-doena de uma populao uma multiplicidade de fatores como: os biolgicos ouinalterveis herana gentica, idade, sexo, etc. , o estilo de vida ou comportamentosautodeterminados e adquiridos no convvio social tabagismo, dieta, sedentarismo, etc. os fatores ambientais ou ambiente fsico, social e psquico - poluio ambiental por agentesqumicos radioativos, tipo de insero na fora de trabalho, estresse, entre outros; e oacesso ao servio de sade (ROUQUAYROL & ALMEIDA FILHO, 1999 cit. MACEDO,2004).As leses do joelho podem estar relacionadas com alguns fatores, a exemplo dascausas genticas (m formao), doenas e agravos (raquitismo, obesidade) e causasexternas (acidentes de trnsito, leses ocupacionais ou pela prtica de esportes e outros). Osomatrio dos dois ltimos indica que o indivduo tem mais chance de desenvolver doenasdo aparelho locomotor quando agravado por outros fatores da modernidade, como o estilode vida.Sendo as causas genticas difceis de serem controladas pelas tecnologias atuais, umdos desafios para as polticas na rea de sade, e especificamente para o Programa Sade daFamlia (PSF), consiste no s na reduo dos outros fatores, mas tambm promover suareabilitao.Se os problemas genticos e alguns acidentes so inevitveis, inerentes a prpriavida urbana, e os meios para elimin-los ainda no foram conquistados pela cincia, cabe 9. ento a busca de polticas sociais para amparar a populao acometida por estes problemasde sade.Do ponto de vista tico, a maioria dos acidentes, pela magnitude com queacontecem no Brasil e especificamente em Feira de Santana, poderiam ser evitados pelosmeios disponveis, mas continuam acontecendo em grande nmero, gerando uma multidode mutilados e incapazes.Diversos estudos tm mostrado que mesmo sendo bem conhecidas as doenas doaparelho locomotor, estas persistem tendo como pano de fundo a falta de acesso ou acessotardio ao servio de sade, por diversos motivos.Dessa forma, a condio para a recuperao da sade dos indivduos afetadospor leses no aparelho locomotor, em especial no joelho, na conjuntura social-econmica brasileira, pode estar relacionada a uma interveno mais eficaz do serviopblico de sade. Neste aspecto, PSF pode se constituir num excelente aliado para apopulao, garantindo atravs da insero do profissional de Educao Fsica naequipe, a promoo e reabilitao da sade, contribuindo de forma significativa pormeio da prtica de atividade fsica, para a melhoria da qualidade de vida dapopulao.A atividade fsica orientada por