Transtornos ansiosos na infância e adolescência

  • View
    4.948

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Transtornos ansiosos na infância e adolescência

  • 1. TRANSTORNOS ANSIOSOS, SNDROME DO PNICO E DEPRESSO EM CRIANAS E ADOLESCENTES DR. CLUDIO COSTAIPEMED-2012Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte

2. Transtornos ansiosos na infncia e adolescncia Generalidades:A vivncia ansiosa um fato natural davida, comum desde a infncia. Ansiedade e angstia so componentesnormais do desenvolvimento e sua ausncia patolgica, colocando em risco a prpriavida.Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 3. Transtornos ansiosos na infncia e adolescnciaOque ansiedade? A) conceito psicolgico: Trata-se de uma vivncia de sofrimentopsquico, no necessariamente uma doena. Caracteriza-se por sentimento de medoantecipatrio diante de um evento consideradoameaador. Sinal e tentativa para restabelecer coernciapsquicaDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 4. Transtornos ansiosos na infncia e adolescnciaOque ansiedade? Conceito neurofisiolgico: Descarga neuronal no tronco cerebral, desencadeando reaes autonmicas: Liberao de noradrenalina pelo locus ceruleus Liberao de serotonina na regio central da rafe Estimulao do sistema lmbico nas situaes deameaa: medo antecipatrioDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 5. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Modelo homeosttico: Homeostasenecessidadetenso da necessidade ao restauradoraSe eficaz: volta a homeostaseNo eficaz: permance a tenso de necessidade,portanto permanece a ansiedade : sintoma Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 6. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Modelo psicanaltico: A partir de Freud, a ansiedade definida comouma tenso psquica derivada de conflitosinconscientes, diante de contedos libidinais noaceitveis pelo Eu e Super-Eu. Mobilizao dos mecanismos de defesadisponveis: negao, recalque, sublimao, etc. Os contedos recalcados reaparecem sob forma desintomas neurticos (mais aceitveis pelo Eu) Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 7. Transtornos ansiosos na infncia e adolescncia Modelo conductual (psicolgico) A conduta humana ocorre em trs reas: rea mental: pensamento, sentimentos,dvidas, desejos, etc. rea corporal: movimentos, funcionamentogeral, sensaes sensoperceptivas, etc. rea social: relacionamento interpessoal,aproximao ou afastamento, etc. Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 8. Transtornos ansiosos na infncia e adolescncia Modeloconductual e os Transtornos Ansiosos Medo Angstia AnsiedadeDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 9. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia rea social: MEDO: o medo aprendido eest ligado a uma situao especfica(educao e experincia). Faz parte dodesenvolvimento normal. Patologia do medo:ausncia: risco, inconsequncia...excesso: fobias, inibio, fobia social...Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 10. Transtornos ansiosos na infncia e adolescncia reacorporal: ANGSTIA: sensaes de extremo mal-estar acompanhadas de manifestaes somticas neurovegetativas.Denotam insegurana diante de perigoindeterminado ou do desconhecido. Exemplo: angstia do 8 ms normal nodesenvolvimento Patologia: doenas psicossomticas Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 11. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia reaMental: ANSIEDADE: vivncia demal-estar, desequilbrio, fantasias de perigoiminente. Invade todo o organismo (reas corporal esocial). Substrato da maioria dos transtornospsicopatolgicos. Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 12. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia FORMAS CLNICAS: As formas clnicas variam de acordo com a idade eo desenvolvimento e obedecem ao arsenal derecursos adquiridos pela criana. No incio da vida, predominam as formascorporais. medida em que a criana se desenvolve, asmanifestaes somticas cedem lugar amanifestaes psquicas e sociaisDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 13. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia No beb, o corpo o instrumento principal derelao com o mundo exterior. Assim, as angstiasprecoces se manifestaro como: Transtornos de sono Estados de hipertonia Dificuldades alimentares Irritabilidade Hipervigilncia (imobilidade silenciosa e atentiva) Transtornos psicossomticos diversos tratogastrointestinal - trato respiratrio etc. Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 14. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Na infncia e adolescncia, aparecem sintomasligados ao desempenho escolar, respostas sexigncias parentais, mudanas corporais: Inquietao Fobias especficas, inespecficas Fobia escolar Angstia de separao Transtornos obsessivos Angstia Podem aparecer, tambm, as manifestaessomticas Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 15. Transtornos ansiosos na infncia e adolescnciaCarto do Dia dos Pais- Paciente 09 anosCaio, 8 anos. Julho, 2012 16. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia CLASSIFICAO: Tantoa CID-10 quanto o DSM-IV tmum captulo intitulado: Transtornos emocionais com incioespecfico na infncia (F 93 / 309.21 ) Transtorno de ansiedade de separao Transtorno de ansiedade fbicaDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 17. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Transtorno de ansiedade de separao: Preocupao irrealista e aflitiva sobre possveisdanos acometendo os pais ou importantes figuras devinculao Relutncia ou recusa persistente em ir para a escola,separar-se dos pais, dormir fora de casa Medos antecipatrios quando a criana tomaconhecimento de viagens dos pais Sintomas fsicos concomitantes: cefalias, distrbiosgastro-intestinais, pesadelos repetitivos com temasde separao Incio antes dos 18 anos Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 18. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Transtornode ansiedade de separao: Epidemiologia: Incidncia maior em torno de 11 anos Prevalncia: 3,5 a 5,4 % (Costello-1999) Diagnstico diferencial: Principalmente com Depresso comum a comorbidade Simples evaso escolar, gazeta, fuga dasresponsabilidadesDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 19. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Transtorno de ansiedade fbica na infncia: Classificam-se aqui os medos (fobias) que seiniciam no perodo apropriado dodesenvolvimento, porm com intensidadeexcessiva e durao maior do que 4 semanas.Exemplos: Medo de animais: no perodo pr-escolar Medo de escuro: entre os 18m e 2 anos Medo da morte: em torno dos 8 anosDr. Cludio Costa - Belo Horizonte 20. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescnciaTranstornos fbico-ansiosos que se classificamcomo no adulto: Transtorno Fbico: especfica, inespecfica,fobia social Transtorno de Pnico ansiedade paroxsticaaguda Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) Transtorno Obsessivo-compulsivo (TOC) Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 21. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Transtornode Pnico:Mais raro na infncia. Mais comum no finalda adolescncia. Crises repetidas de angstia, com sintomassomticos e psicolgicos: taquicardia, dorpr-cordial, taquipnia, sudorese, distrbiosgstricos, sensao e medo de morteiminente, etc. Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 22. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Tratamentos: Preveno:orientao dos pais eacolhimento atencioso do beb ou dacriana; ateno aos fatores psicolgicos:descuido, abandono, ambiente estressante Psicoterapia: resoluo de conflitosinconscientes ludoterapia Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 23. Transtornos ansiosos nainfncia e adolescncia Tratamento psicofarmacolgico: Ansiolticos: Cuidados com induo dependncia eabuso da droga Iniciar com dosagens baixas: 0,25mg/dia Antidepressivos: Tricclicos: bastante eficazes. Contradindicaes quando h arritmias cardacas. Valorizar efeitos colaterais: boca seca, tremor, insnia. ISRS: tambm eficazes. Histria de excitao e alguns raros casos de suicdio. Betabloqueadores: uso no bem estabelecido.Efeitos adversos: depresso, bradicardia. Contra-indicaes: asma e diabetes.HorizonteDr. Cludio Costa - Belo 24. Depresso em crianas eadolescentes Noh uma classificao especfica paraTranstornos de Humor em crianas eadolescentes. Portanto: Classificao igual do adulto. Depresso Maior (depresso clssica) Transtorno bipolar Distimia Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 25. Depresso em crianas e adolescentesOs sintomas variam de acordo com a idade, operodo evolutivo e as capacidades expressivas. depresso no beb: recusa alimentao,inquietao, irritabilidade, transtorno de sono.- Hospitalismo: quadro grave, evoluindo da inibiopsicomotora, para irritabilidade, desconhecimentodo ambiente, imobilidade, posio em decbito,olhar perdido, marasmo, morte. Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 26. Depresso em crianas eadolescentes Depresso durante a segunda infncia: Quanto mais nova, predominam as manifestaessomticas (doenas de pele, transtornos gstricos,inapetncia, insnia). Na idade escolar e pr-pbere: irritabilidade,sentimentos de menos-valia, ideao de runa esuicdio, inibio social. Insnia ou hipersnia Inapetncia ou excesso de apetite Perda de prazer nas atividades anteriormenteprazerosas Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 27. Depresso em crianas eadolescentes Depresso na adolescncia: Insnia Irritabilidade Isolamento social Perda de prazer Alteraes do apetite e peso Abuso de substncia (lcool e drogas) Comportamento anti-social Pensamentos de runa ideao e tentativas deauto-extermnio Mais comum em meninas Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 28. Depresso em crianas eadolescentes Tratamentos: Orientao familiar Terapia familiar Psicoterapia: individual ou grupal Psicofarmacoterapia Internao hospitalar Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 29. Depresso em crianas eadolescentes Psicofarmacoterapia: Avaliar: Gravidade do caso Idade do paciente Avaliao risco x benefcio Histria familiar positiva para determinado frmaco Presena de sintomas fsicos, transtornos alimentares, insnia, inibio social Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 30. Depresso em crianas eadolescentes Fatores de risco para uso de psicofrmacosantidepressivos na adolescncia: Abuso (supervalorizao) Dependncia psicolgica Desconhecimento por parte do profissional Uso irregular: subdosagem, intervalosinadequados entre as tomadas, substituiesprecipitadas, excesso de medicao Dr. Cludio Costa - Belo Horizonte 31. Depresso em crianas eadolescentes Farmacoterapia:Drogas mais usadasEstabilizadores do humor: l