Oncologia Pediátrica

  • View
    28

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Oncologia Pediátrica

Universidade Estadual de Santa Cruz

Universidade Estadual de Santa CruzDepartamento de Cincias da Sade Curso de Enfermagem

ILHUS 2016

CUIDADOS DE ENFERMAGEM A CRIANA E AO ADOLESCENTE COM PROBLEMAS ONCOLGICOS

ALIMENTOS FUNCIONAIS1

JSSICA DOS SANTOS SIMESJOS IGOR SILVATARCILENE DAIANE GOULARTTHAIN CALTHAS GALLY WINNY VENY MOURA YHANA KAROLINE SILVA FREITASCUIDADOS DE ENFERMAGEM A CRIANA E AO ADOLESCENTE COM PROBLEMAS ONCOLGICOSILHUS 2016 Orientadora: Prof. Ms. Aretusa de Oliveira Martins Bitencourt

Cncer uma denominao genrica para as neoplasias malignas; por sua vez, a neoplasia uma proliferao anormal de clulas, que podem originar a formao de tumores malignos ou benignos. Caracteriza-se por hiperplasia celular e crescimento desordenado e descontrolado, irradiando para outros rgos e tecidos do corpo, constituindo a metstase (BELTRO, 2007).CNCER

OBJETIVOS Descrever as principais caractersticas:Tumores cereberaisTumor de WilmsLeucemia Compreender os cuidados de Enfermagem frente Quimioterapia Antineoplsica; Identificar os problemas oncolgicos mais frequentes no Hospital Manoel Novaes; Discutir os cuidados de Enfermagem criana e ao adolescente com problemas oncolgicos e s suas famlias.

Fonte: http://blog.pesquisasaude.com/tag/criancas/

4

As estimativas indicam que no Brasil ocorrero cerca de 12.600 casos novos de cncer em crianas e adolescentes em 2017. (INCA, 2015).EPIDEMIOLOGIA

Fonte: https://www.google.com.br/imghp?hl=pt-pt

METODOLOGIAPesquisa bibliogrfica do tipo Reviso Narrativa de Literatura

Tumores slidos mais frequentes na infncia;

TUMORES CEREBRAIS NA INFNCIASegundo maior grupo de neoplasias;

Podem apresentar-se com sinais e sintomas gerais e/ou focais.

Classificao:Primrios;Metastticos.

Fonte: http://ablucan.org.br/tipos-de-cancer/cancer-infantil/

TUMORES CEREBRAIS NA INFNCIA

Meduloblastoma; Meningioma; Schwannomas.

TUMORES CEREBRAIS

Fonte: www2.uol.com.br/vivermente/noticias/brasil_cria_tratamento_para_tumor_cerebral_infantil.html

EPIDEMIOLOGIA:

4 neoplasia slida em crianas < 2 anos (COSTA, 1996).O ndice de cura de 70%;Representa 5 a 6% dos canceres infantil EUA e Brasil;7% dos casos so bilaterais;1,5% relacionado a hereditariedade;Acomete ambos os sexos.(TAKAMATU, 2006)

TUMOR DE WILMSO QUE ?

Tambm conhecido como nefroblastoma, uma neoplasia renal embrionria. Relacionado a deleo cromossmica dos genes supressores de tumores WT1 e WT2. (MENEZES, et al, 2012).

CAUSAS:Trs tipos de malformaes:

Sndrome de Warg: aniridia, anomalias genitais e retardo mental; Sndrome de Denys-Drash: disgenesia gonodal e nefropatia.Sndrome de Beck With-Wiedemann: aumento dos rgos corporais, hemi-hipertrofia, cistos medulares, renais, citomegalia adrenal. (ROBBINS; COTRAN, 2005)

TUMOR DE WILMS

Fonte: https://br.pinterest.com/pin/185210603400808920/Fonte: https://www.tuasaude.com/pseudo-hermafroditismo/

Fonte: https://www.ecured.cu/HemihipertrofiaFonte: https://www.tuasaude.com/pseudo-hermafroditismo/

TUMOR DE WILMSQUADRO CLINICO:

Massa abdominal palpvel;Hipertenso arterial;Hematria;Vmitos;Dor abdominal;Dificuldade respiratria;Anorexia;

Fonte: http://www.urologiapediatrica.com.pt/3_problemas_aparelho.php?id=62

Fonte: http://www.newyorkurologyspecialists.com/hematuria/

Fonte: http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=3984

TUMOR DE WILMSESTADIAMENTO:

ESTAGIO IESTAGIO IIESTAGIO IIIESTAGIO IVFonte: http://www.laifi.com/laifi.php?id_laifi=1550&idC=30780#ESTAGIO VFonte: http://blogdocancerrenal.blogspot.com.br/

DIAGNSTICO:

Clinico;USG;TC abdominal;Biopsia;RX de trax.

TUMOR DE WILMSTRATAMENTO:

Quimioterapia;Radioterapia;Cirurgia.

LEUCEMIA

LEUCEMIAGnglios linfticos inchadosFebre Perda de pesoDores nos ossos e nas articulaesCefaleiaNuseasmese Viso duplasDesorientao.

Diagnsticos e prescries de enfermagem relacionados ao uso de quimioterpicos e seus efeitos colaterais.

Riscos relacionados administrao da quimioterapia.Risco para nuseas e vmitos relacionado ao uso de quimioterpicos.Risco de infeco pelo contato com eliminaes e fluidos de pacientes em terapia antineoplsica.

Fonte: http://curumimcancerinfantil.org.br/novo/category/noticias2/page/18/

Risco de infeco decorrente de defesa primria ineficiente (acesso venoso).Risco para mucosite relacionado ao uso de quimioterpicos.Risco para alopcia relacionado ao uso de quimioterpicos.Risco para dficit no autocuidado para banho/higiene caracterizado pela incapacidade de lavar o corpo devido a cansao, fraqueza.Fonte: https://www.google.com.br/imghp?hl=pt-pt

PROBLEMAS ONCOLGICOS MAIS FREQUENTES NO HOSPITAL MANOEL NOVAES

O Hospital Manoel Novaes, reconhecido pela UNICEF comoHospital Amigo da Criana. Presta assistncia especializada de alta complexidade para o diagnstico definitivo e tratamento dos problemas oncolgicos mais prevalentes. Foram registrados 55 novos casos na regio sul baiana, em sua grande maioria, com o diagnstico na fase tardia

Fonte:http://www.portalsuldabahia.com.br/index.php/hospital-manoel-novaes-comemora-dia-das-criancas/

Cuidados de Enfermagem criana e ao adolescente com problemas oncolgicos e s suas famlias.

Tratamento do cncer produz mudanas drsticas;

O enfermeiro acompanha de perto as mudanas devido hospitalizao;

Deve-se inserir a famlia no cuidado.

Sentimentos negativos vivenciados pela criana e adolescente com cncer e suas famlias

Fonte: https://www.google.com.br/imghp?hl=pt-pt

A descoberta de um cncer infanto-juvenil causa modificaes na capacidade fsica, mental, funcional e psicolgica do indivduo, alm de alterar repentinamente as perspectivas e as condies de vida da famlia afetada.A enfermagem parte indispensvel de uma equipe multiprofissional no tratamento oncolgico peditrico, sendo necessrio um aprofundamento terico e emptico desses profissionais com o temaCONSIDERAES FINAISFonte: https://www.google.com.br/imghp?hl=pt-pt

ANDRADE, M. de; SILVA, S. R. da.. Administrao de quimioterpicos: uma proposta de protocolo de enfermagem. Rev. bras. enferm., Braslia, v. 60, n.3, p. 331-335, Junho 2007. Disponvel em:. Acesso em 10 de janeiro de 2017. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71672007000300016ARGOLLO, N.; LESSA, I. Aspectos clnico-epidemiolgicos das neoplasias cerebrais na faixa etria peditrica no estado da Bahia, Brasil.ArqNeuropsiquiatr, vol.27, So Paulo, Jun-1999.Disponvel em: Acessado em 27 de janeiro de 2017BELTRAO, M. R. L. R. et al . Cncer infantil: percepes maternas e estratgias de enfrentamento. 2007 58f. Dissertao (Mestrado em Sade e Criana do Adolescente) Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2007. Disponvel em: . Acessado em: 10 de janeiro de 2017BITTENCOURT, M. A. L., NUNES, M. J. S., NOIA, A. C. Normas tcnicas para elaborao de trabalhos acadmicos, Editus, 92p., Ilhus, 2016. Disponvel em: http://www.uesc.br/editora/livrosdigitais2016/normastecnicasacademicas.pdf. Acessado em: 5 de janeiro de 2017CAZ, M. O., BUENO, D., SANTOS, M. E. F. dos, Estudo referencial de um protocolo quimioterpico para leucemia linfoctica aguda infantil. Revista HCPA. Porto Alegre. v.30, n 1, 2010, 5-12p. Disponvel em: http://www.lume.ufrgs.br/handle/10183/23680. Acessado em: 2 de fevereiro de 2017REFERNCIAS