Hermenutica jur­dica slide.pptx

  • View
    72

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Hermenutica jur­dica slide.pptx

Hermenutica Jurdica: Uma questo intrigante

Hermenutica Jurdica: Uma questo intrigante

1. INTRODUOO estudo da hermenutica jurdica e da interpretao jurdica de extrema importncia, pois nem sempre ao lermos um textos jurdico conseguimos compreender seu significado e sua extenso, os mtodos de interpretao se fazem necessrios para melhor interpretao diante do caso concreto.A proposta do nosso trabalho a verificao da forma de interpretao constitucional e infraconstitucional, ambas devem ser feitas da mesma forma, por isso que devemos entender hermenutica e interpretao.A hermenutica e a interpretao jurdica so os dois pilares para a cincia jurdica

2

2. HERMENUTICA JURDICA Hermenutica surgiu na antiguidade clssica, os filsofos Plato e Aristteles j estavam trabalhando a hermenutica de forma que pudessem utiliz-la atravs da lgica. A hermenutica jurdica ela pode ser relacionada com qualquer cincia, a hermenutica a cincia auxiliar do direito, ela tem por objetivo estabelecer princpios e regras para tornar possvel a interpretao e a explicao da norma jurdica.A hermenutica nada mais do que a cincia responsvel por estudar mtodos e princpios, por fornecer todo o contedo necessrio para que possamos interpretar corretamente essas normasA hermenutica bem utilizada tambm em outras reas do conhecimento por exemplo: hermenutica filosofia e literria.

3. INTERPRETAO JURDICA Interpretao um termo extremamente polissmico e ambguo, pode ser dividido em duas categorias:O termo interpretao como sendo a extrao de um significado, neste caso buscando e utilizando o sentido literal da palavra interpretada.O termo interpretao pode ainda significar a construo de um significado, nesta hiptese a palavra interpretada seria apenas o ponto de partida para desenvolvermos um raciocnio lgico.Machado Neto trs funes:Funo de conferir a possibilidade de aplicao da norma jurdica.Funo de entender, ampliar o sentido da norma as relaes novas.Funo de temperar o alcance de preceito normativo.

4. DISTINO ENTRE HERMENUTICA E INTERPRETAOHermenutica jurdica um cincia auxiliar do direito que busca nos dizer quais so as formas de se buscar o entendimento das normas jurdicas.Interpretao jurdica passa a ser a aplicao dessas formas no texto legal concreto para se buscar o sentido nas normas jurdicas.

5. PROBLEMAS DE INTERPRETAO JURDICA: VAGUIDADE E AMBIGUIDADE Ambigidade: mostra um duplo sentido, desse modo diz que a lei ambgua ou h ambigidade, quando por defeito ou falta de clareza de sua redao possa ter duvidas em relao ao seu verdade sentido ou tambm possa ser interpretado de diversas maneiras.Vaguidade: Gera incerteza em relao aos limites de seu significado.

6. QUAIS AS NORMAS JURDICAS SUJEITAS A INTERPRETAO?VALE LEMBRAR:Determinados ramos do direito no permitem uma extenso muito grande de sua interpretao mas nem por isso o interprete deve deixar de fazer, pois em determinadas situaes o que esta claro leva a uma injustia, sendo assim, necessrio a sua interpretao Em relao a esse questionamento hoje unnime responder que todas as normas jurdicas so passiveis de interpretao sejam elas constitucionais ou infraconstitucionais, bem como as normas jurdicas no escritas como os costumes os princpios gerais do direito.Conforme Carlos Maximiliano no iremos somente interpretar os textos que so obscuros ou considerados defeituosos temos que interpretar TODAS as normas jurdicas, sejam elas obscuras ou claras, deficientes ou perfeitas, ambguas ou isentas de controvrsias.

7

7. QUEM DEVE FIXAR AS REGRAS DE INTERPRETAO Conforme a doutrina majoritria cabe aos doutrinadores e jurisprudncia fixar os critrios de interpretao. Justificando da seguinte forma:A) porque, esses ditames no permanecem inertes, antes acompanham todas as informaes e vicissitudes da vida social.B) porque, se em leis transformassem, as prprias normas interpretativas precisariam ser interpretadas, criando-se, dessarte, um verdadeiro circulo vicioso.Apenas dessa ser a corrente majoritria encontramos um grupo de doutrinadores que se posicionam que as regras de interpretao devem estar previstas nos cdigos e em normas especificas, de tal sorte que as regras de interpretao iro ter a mesma forca normativa que as demais normas jurdicas.

8. REGRAS DE INTERPRETAOAs regras de interpretao jurdica so:as LEGAIS, CIENTFICAS eas DA JURISPRUDNCIA.

8.1. REGRAS LEGAIS DE INTERPRETAOREGRAS LEGAIS: encontra-se no ART 4. Quando a lei for omissa, o juiz decidira o caso de acordo com a analogia, os costumes e os princpios gerais do direito.Encontra-se no ART 5. Na aplicao da lei, o juiz atender aos fins sociais a que ela se dirige e s exigncia do bem comum

8.2. REGRAS CIENTFICAS DE INTERPRETAO Diversos doutrinadores estudaram e delinearam as regras de interpretao, como as regras clssicas de JUSTINIANO, em Corpus luris Civilis. Atualmente as regras criadas por CARLOS DE CARVALHO na clssica obra Nova Consolidao das Leis Civis. 3 Deve-se evitar a supersticiosa observncia da lei que, olhando, s a letra dela, destri a sua inteno.6 Devem concordar os textos das leis, de modo a torn-los conforme e no contraditrios, no sendo admissvel a contradio ou incompatibilidade neles.

Doutrinadores

JUSTINIANOCARLOS DE CARVALHO

8.3. REGRAS DA JURISPRUDNCIA PARA INTERPRETAO JURDICA Regras apresentadas por Washington de Barros Monteiro:a) Na interpretao deve-se sempre preferir a inteligncia que faz sentido que no faz.b) deve-se preferir a inteligncia que melhor atenda tradio do direito.c) deve ser afastada a interpretao que leva ao vago, ao inexplicvel, ao contraditrio e ao absurdo.d) h que se ter em vista o eo quod plerumque fit, isto , aquilo que ordinariamente acontece no meio social.e) Onde a lei no distingue, o intrprete no deve igualmente distinguir.f) todas as leis excepcionais ou especiais devem ser interpretadas restritivamente.g) tratando-se porm, de interpretar leis sociais, preciso ser temperar o esprito do jurista, adicionando-lhe certa dose de esprito social, sob pena de sacrificar-se a verdade lgica.h) em matria fiscal, a interpretao se far restritivamente.i) deve ser considerado o lugar onde ser colocado o dispositivo, cujo sentido deve ser fixado.

13

9. AS FASES DO CICLO DA INTEPRETAO Diagnstico do Fato: Observa-se o que ocorre na sua individualidade concreta. Operao preliminar que se realiza no ambiente social.Diagnstico Jurdico:Confronta-se o direito que ir submet-la;Pergunta-se: a qual ramo do direito pertence aquele problema; quais as partes envolvidas; porque aconteceu, e porque aconteceu daquela forma.Crtica Formar e a Crtica SubstancialCrtica Formal: a verificao formal da existncia da lei ( plano de existncia).Crtica Substancial: a verificao da validade e vigncia da norma jurdica (plano de validade ).Interpretao da Norma: Interpretao usando os princpios e as leis cientficasAplicao ou Adaptao: a adaptao do preceito normativo ao caso concreto.

Grupo: Clodomiro, Dyenifer, Paulo Fabiano, Lidiane, Natlia, Tanise.06/09/2016